História Presidencial "Hiatus" - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Karin, Kushina Uzumaki, Madara Uchiha, Mebuki Haruno, Mikoto Uchiha, Naruto Uzumaki, Obito Uchiha (Tobi), Rock Lee, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha, Shikaku Nara, Shikamaru Nara, Shion
Tags Presidente, Sarada, Saskura, Sasusaku
Visualizações 271
Palavras 1.341
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mil perdões pela demora, foi bem complicado esses tempos e esse capítulo quase não saiu, e quando saiu, não sei.. não foi meu melhor Capítulo, mas dei o meu melhor e espero que gostem.

Boa leitura

P.s: LEIAM AS NOTAS FINAIS!!!

Capítulo 9 - IX - Adiando


Presidencial

Escrita por KarinLima

Capitulo IX - Adiando



Washington, D.C. - EUA.

31 de Março de 2017

10hrs e 28 Minutos

Manhã



Fazia exatamente dois minutos que o presidente havia saído do quarto, Sakura havia contado.

Porque fazia dois minutos que ela só conseguia pensar em milhares das vidas sendo perdidas.

As vidas de pessoas com o seu mesmo nome. A sua mesma pátria.

Apesar dela ter nascido em Washington, recebeu o nome de sua bisavó japonesa e foi ensinada, desde muito pequena, que fazia parte dessa nação.

Nação essa que estava prestes a ser bombardeada.

— Sakura…

Escutou seu nome ser chamado e virou-se em direção a cama, onde Sarada, já desperta, a encarava de cenho franzido.

— Oi, querida, você acordou, está se sentindo bem?

— Sim… Foi meu pai que acabou de sair?

— Foi sim, ele veio ver como você estava, mas já voltou a trabalhar.

— Tá bom. A senhora sabe quando vou poder ir pra casa? Vai ter festinha na minha escola…

— Ahn, acho que não vai ser tão cedo, querida…

— Mas… É a festa de aniversário do Thomas Jefferson, eu nunca participei...

— Por que você não fala com seu pai assim que ele vier aqui, heim? Além disso, ainda tem tempo, é apenas no dia 13.

— Mas a escola vai fazer a comemoração a semana toda, vai ter um monte de atividade. E papai não vai deixar… Ele nunca deixa — Disse, fazendo uma careta emburrada — Toda vez que a gente vem pra cá, ele não me deixa sair por quase um mês!

— Oh, minha querida, seu pai só está pensando na sua segurança.

— Mas eu tô segura! Tem um monte de gente comigo! – Sarada respondeu, fazendo uma cara de choro que fez Sakura se derreter.

— Vamos fazer o seguinte, assim que sairmos daqui, vamos nós duas falar com seu pai, quem sabe não conseguimos convencê-lo a deixar você sair um pouco, certo?

– Sair só nós duas? – Sarada perguntou, esperançosa.

– Ahn, acho que não vai ser possível assim, Sarada. Você sabe que precisa de segurança, querida.

– Poxa, não custa sonhar com uma vida normal – Respondeu, fazendo um bico.

– Vem cá, deixe-me arrumar esse seu cabelo… Está todo assanhado.

– Senhorita Sakura?

– Sim? O que precisa?

– Quando sairmos daqui, vou falar com meu pai, quero que você seja minha babá pra sempre!

Sakura sorriu, emocionada.

– Oh, querida! – Sakura disse e puxou a menina para um abraço, beijando todo o seu rosto, fazendo Sarada soltar algumas gargalhadas. – Eu vou cuidar muito bem de você! É uma promessa! – Disse, desprendendo-se da morena.

– Tá bom! – Sarada disse, sorrindo.

Sakura não poderia estar mais feliz, em tão pouco tempo que ela passou ao lado de Sarada, ela construiu um carinho enorme por ela e, mesmo às vezes a menina lhe dando um pouco de trabalho, aprontando e lhe causando várias dores de cabeça, não conseguia ver um dia seu sem estar ao lado da pequena morena esperta.

– Obrigado, Kakashi – O presidente disse, desligando o telefone.

– Se atendermos às exigências deles…

– Eu sei, Neji, eu sei. O  problema é que, depois da criação do comitê de segurança da ONU, a Coréia está mais empenhada do que nunca em seus testes militares. Essa ameaça ao Japão não pode simplesmente ser ignorada.

– Sr. Presidente… Kakashi está certo, devemos recuar para manter tudo sob controle.

– Kakashi está doente, não devemos levar em consideração a opinião de alguém que não se sabe se está sob efeito de remédios – Naruto se pronunciou.

– Kakashi é o presidente, ele, estando aqui ou não, ainda é o presidente, tenha respeito, Uzumaki – Sasuke repreendeu.

– Eu não estou faltando com respeito, Sr. presidente em exercício, apenas acho que…

– O que você acha não é importante – Sasuke cortou, impaciente.

– É claro que não – Naruto comentou.

– Senhor, se acatarmos as exigências, passará a imagem de que os EUA é facilmente pressionável – Neji expôs.

– É isso que estou tentando dizer – Foi Naruto que disse.

– Se não recuarmos, milhares de vidas podem ser perdidas, vocês não estão levando isso em consideração? – Shizune, retrucou, sua voz soando indignada.

– São apenas ameaças, eles ainda estão fazendo testes, foi uma ameaça deliberada de um líder fanático.

– Sim, esse líder fanático que pode dizimar nações se não fizermos nada! – Shizune contrapôs.

– Então está na hora de fazermos alguma coisa – Foi Sasuke quem disse, fazendo todos olharem para ele.

– O que tem em mente, senhor? – Neji questionou.

– Primeiro… Shizune, quando poderemos sair daqui?

– Senhor… Não acho aconselhável sair agora…

– Não podemos ficar a vida toda aqui com medo de sermos atacados, há milhões de pessoas lá fora em perigo, e o seu presidente está escondido, isso é inadmissível, Shizune! Resolva tudo, iremos voltar lá para cima.

– Sim, senhor! – Disse a mulher, já pegando o telefone e entrando em contato com a inteligência.

– Neji, depois que a Shizune voltar, providencie uma nota, os EUA irá analisar a proposta, e tudo será resolvido depois da reunião com a ONU.

– Imediatamente, Senhor – Respondeu, já pegando o laptop em cima da mesa e saindo da sala.

– Você está adiando… – Naruto comentou.

– Não estou, Naruto, estou apenas ganhando tempo – Respondeu.

– Ainda faltam dias até a reunião com a ONU, o que garante que os norte coreanos não vão ter sucesso nos seus testes de mísseis até lá? – Naruto perguntou, erguendo uma das sobrancelhas loiras.

O presidente permaneceu em silêncio.

– Pense bem no que vai fazer, senhor presidente, milhares de vidas estão em suas mãos – Naruto disse, saindo pela porta, em direção aos quartos, deixando Sasuke sozinho olhando para a tela grande do mapa mundi a sua frente.

Naruto saiu extremamente frustrado da sala de reuniões. A situação estava crítica, e o presidente parecia inseguro demais para tomar qualquer providência.

— Esse Uchiha ainda vai nos afundar — Disse, pensativo, enquanto caminhava e se escorava na bancada da copa ao fim do corredor dos quartos.

— O que você está falando aí do meu papai? – A voz infantil soou alta, o que fez ele se virar em direção a ela.

— Sarada! – A mulher repreendeu, olhando para a menina e, depois, dirigindo o olhar ao loiro que fitava tudo, curioso — Desculpe-me, Senhor.

— Oh, sem problemas, é a filha do presidente, correto?

— Sim, meu nome é Sarada, quem é o senhor? — Sarada se apresentou, estendendo a mão pequena em direção ao homem, e Sakura ficou surpresa pela forma como a menina falava, firme e direta, como se desafiasse o homem que insultou o pai.

Naruto sorriu e respondeu pegando a mão dela e sacudindo levemente: — Muito prazer, Sarada, meu nome é Naruto Uzumaki.

— Meu pai é legal, e eu não gosto que falem mal dele, tá? Então, por isso, eu não gosto de você! — Sarada falou e fez um bico, emburrada.

— Sarada! Não diga essas coisas, vamos voltar para o quarto! — Sakura brigou, e Sarada aumentou o bico, virando as costas para os dois.

— Ela é uma graça — Naruto disse.

— Desculpe, senhor Uzumaki, ela está um pouco estressada por ficar presa aqui — Sakura se desculpou, justificando as ações da menina.

— Tudo bem, sem problemas, eu entendo. Eu mesmo já estou agoniado de ficar aqui, ainda mais por toda essa tensão… Mas você não se apresentou, como é seu nome? — Perguntou, dando um sorriso galante que fez Sakura ruborizar levemente.

– Sakura Haruno, sou a babá dessa pestinha aqui — Respondeu sorrindo e olhando para Sarada, que virou-se e olhou feio para os dois.

— Muito prazer, senhorita Sakura, se me permite, e não querendo ser ousado, mas você é uma mulher muito bonita — Elogiou, abrindo um enorme sorriso, fazendo seus olhos fecharem ao mesmo tempo.

— Vamos embora, Sakura… — Sarada puxou a mão da mulher antes mesmo de Sakura ter alguma reação quanto ao elogio recebido.

— Ah, adeus, senhor Uzumaki — Disse, se despedindo ao longe.

— Até breve, senhorita Sakura e foi um prazer conhecer você, e você também, Sarada — Naruto se despediu das duas e gargalhou quando Sarada virou levemente e mostrou a língua para ele.

— Essa dupla… — Sussurrou para si mesmo, sorrindo das duas figuras femininas — Bom, está na hora de se mexer, Naruto.






Betado por: 

TatyNamikaze (A filha mais fofa do mundo)




Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Bem, não sei quando vou voltar, meu ritmo de escrita é lento, portanto não vou dar prazos e não fazer promessas que posso não cumprir. Vou continuar a escrever e quando os capítulos ficarem prontos vou postando. Talvez demore um pouco pq vou focar em terminar Bolinhos — Minha outra fic que escrevo junto com a Tatynamikaze —, então assim que concluir ela, irei voltar com força total em Presidencial e War dragons(Visitem meu perfil e conheçam minhas outras histórias, tem várias histórias curtas e ones também). Não desistam de mim! Prometo não abandonar nenhum de vcs!
Então, até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...