História Presos no elevador [Taejin/Vjin] - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Jin, Seokjin, Tae, Taehyung, Taejin, Vjin
Visualizações 565
Palavras 2.920
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Se Jin comendo não é a coisa mais fofa do universo, não sei o que é.

Oi uvinhas!

Desculpem os erros.

Capítulo 6 - Panquecas


Fanfic / Fanfiction Presos no elevador [Taejin/Vjin] - Capítulo 6 - Panquecas

Olhei pro ovo escorrendo no chão...

Que droga, será que Jin é um galinha?

Tá, foda-se, Jimin disse que eu também posso ser um, que eu posso curtir minha vida e ficar com outras pessoas, então se Jin não me quiser tá tudo bem...

Não Tae, por que está mentindo pra si mesmo? Você sabe que não vai ficar nada bem se ele te chutar...

Mas, por que eu estou me importando tanto? E também quem garante que aquela mulher estava falando a verdade?

Ah, eu vou é deixar essa merda suja mesmo e ir embora, ela disse que Jin odeia que mexe na cozinha dele, - grande merda - e também pra que ficar? Aquele discarado me usou só pra se satisfazer e depois jogar fora...

Calma Tae ele não te chutou...

...Ainda!

Mas eu que fui atrás dele em todas situações, então não tenho direito de julgá-lo... 

Mas ele aceitou, ele podia ter dito não, já que ia me chutar depois.

Caminhei até a a sala na intenção de ir pra casa...

Espera, olhei pra cozinha.

Mas por outro lado usar a cozinha que ele tem tanto ciúme seria um jeito de me vingar.

Voltei ate a cozinha, tirei meu casaco e pendurei na cadeira, o ovo ainda estava ali escorrendo, peguei o pano que estava pendurado no gancho na parede e passei em cima do balcão, e passei no chão também...

Vou terminar minhas panquecas sim! Vou fazer o máximo que posso porque não é todo dia que se tem uma cozinha assim pra fazer o café da manhã.

Espremi umas laranjas e fiz um suco natural, fiz umas torradas, também fiz omeletes caprichados e claro o que não pode faltar no café da manhã... Café.

Quando me virei pra terminar de arrumar a mesa colocando o bule, levei mais um susto daquela mulher.

- Ai, avisa quando vai aparecer! - coloquei a mão no coração pra verificar se ele estava ali ainda.

- O que são essas coisas que você fez aí?

Aquele olhar eu conhecia, era o olhar de Jimin quando eu fazia comida, interesseira, mas eu podia usar isso ao meu favor.

Coloquei o bule na mesa e me sentei puxando também uma cadeira pra ela.

- São umas coisinhas que preparei pra gente comer, vem senta aqui - lancei meu sorriso quadrado que consquista qualquer um, ela tirou o avental e pendurou na mesma cadeira onde estava minha jaqueta e se sentou sorrindo.

A mulher já pegou uma panqueca com a mão mesmo e deu uma baita mordida, arregalou os olhos assim que mastigou duas ou três vezes.

- Que foi está ruim? - peguei uma e dei uma mordida também pra testar.

- Tá brincando? Eu amo você... - ela me abroçou mesmo sentada e eu ri.

- Louca, me solta, você gostou mesmo?

Ela se ajustou novamente na sua cadeira.

- Claro menino - deu mais uma mordida finalizando sua panqueca.

- Que bom que gostou - dei mais uma mordida na minha também - em - olhei pra ela que estava entretida - e o Jin trás muita gente pra cá?

Ela assentiu olhando pra comida.

- Ele é galinha mesmo? - franzi o cenho.

Ela me encarou logo que engoliu a comida que estava na boca - essa é a primeira vez que saíram? - colocou suco no copo e bebeu um gole esperando a resposta que eu estava com vergonha de dar.

Fiquei olhando pra ela sorrindo sem mostrar os dentes.

- Que foi mordeu a língua? - perguntou num tom sério.

- Você é muito grossa - peguei omelete e coloquei um no prato dela.

- Tá com vergonha de mim? - tinha um tom de deboche na sua voz.

- Não, não estou com vergonha, eu e Jin nunca tivemos um encontro, a gente meio que se topou na vida.

- Mas a primeira vez que se "toparam" vocês transaram?

Engasguei com a comida que eu ia engolir.

- Entendi, transaram... Então, o que você espera duma pessoa que dá pra você no primeiro encontro? Eu nem sei porque está tão surpreso - bebeu mais do seu suco.

- Você é cruel.

- Desde de quando crueldade é sinceridade?

- E por que tem que ser ele que me deu? E se foi eu quem deu?

- Eu conheço o Jin, limpo a casa dele há anos, aquele garoto tem dildos no ármario, nenhum ativo tem isso.

Fiquei vermelho e dei vários goles no meu suco.

- O que? - ela perguntou sorrindo - ele usou em você?

Espirrei o suco que tava na boca, ainda bem que mirei no chão porque... Que droga...

- Se se hobby é me constrangir, não vou te criticar, se tá de parabéns! - falei meio sem voz.

Ela começou a rir e muito.

- Eu não gosto muito dos "peguetes" do Jin, posso te chamar assim, mas você é maravilhoso!

- Cala a boca, você só falou merda desde que te conheci.

- Você não tá em muitas condições de me zuar não em.

- Shhhh, só come tá - pedi, ela comeu seu omelete e pegou um pedaço de torrada pra passar geleia de morango em cima.

- O Jin é uma pessoa boa, o problema só é esse vício dele - deu uma mordida na torrada.

- Que vício?

- Ué, esse vício em corpos diferentes - ela segurou o riso ao ver minha expressão.

- Ele é um ninfomaníaco?

- Que isso garoto?

- Viciado em sexo?

- Viciado em sexo com pessoas diferentes, é isso.

Olhei pro chão... Onde é que eu fui me meter?

Senti a mão dela levar meu rosto pra cima e encará-la - Acho que você é um cara bacana demais pra ficar com ele, acredite ele vai se cansar de você, eu não tô falando isso como aquelas vilãs de novelas não, tô falando como amiga, e quero que você esteja preparado pra isso, você não merece sofrer, então não crie expectativas.

- Eu não estava criando expectativas.

Só tava imaginando onde iriámos passar a lua-de-mel, onde iriámos criar nossos filhos, onde a gente passaria o primeiro natal.... Enfim, essas coisas de gente otária.

O olhar dela sobre mim era de pena.

- Para de ter dó de mim, olha obrigado por ter me avisado sobre isso, e eu vou fazer o seguinte, vou chutá-lo primeiro, o que acha hã?

Ela riu.

- Acho o máximo, ninguém nunca fez isso com ele, afinal aquele demônio é perfeito né?

- E como é... - respirei fundo.

- Ei ei ei... - ela batia na mesa enquanto falava - foco, dar o troco no Jin, lembra?

- Isso - assenti.

- Mas como eu disse o Jin é uma pessoa boa, ele até está dando o curso de graça pra um aluno, e ele falou que nem tem a inteção de pegá-lo por isso.

- Que aluno?

- É que esses dias ele ficou preso no elevador com um rapaz, ele falou que ficou horas lá...

Espera, era eu? Sim é de mim que ela tá falando, ficou horas... exagerado, foi no máximo uns quarenta minutos.

- E que depois o rapaz ligou na recepção reclamando que por causa disso ele perdeu a inscrição do curso, ele fez isso e olha que ele nem sabia que Jin era o professor, daí o sindico conversou com o Jin, falou que ia pagar a metade do curso pro rapaz, mas Jin falou que dava o curso pra ele de graça, o sindico insistiu em pagar, mas Jin não aceitou, acredita?

Puta que pariu, isso era um plano então... Que desgraçado, o Jimin falou mesmo que ganhei o curso mas não falou de quem.

- Nossa, ele é muito generoso mesmo, meu Deus em, vai pro céu.

Ela riu - tadinho, também não zomba assim.

- É mais forte que eu... Jin é rico, pagar esse curso pro menino não faz nem cócegas no bolso dele.

- Tem razão, mas chega de falar dele, e aí, o que você gosta de fazer, além de cozinhar?

- Eu não gosto de cozinhar - falei franzindo a testa.

- Não? - ela olhou pra mesa farta.

- Bom, só quando tem uma cozinha de rico a minha disposição.

Nós rimos.

- Eu gostou de ir em show, falando em show, viu o show que BigBang vai fazer aqui? - fiquei animado.

- Claro que eu vi.

- E você vai?

- Obvio meu querido!

- Ah - gritei, sim, fiquei empolgado ué - menina, você foi no show que teve da outra vez? Quase morri!

- Eu fui, o Taeyang tirou a camisa - ela se abanou com as mãos e rimos de novo - o abs daquele homem é golpe baixo, tá louco?

- Você é das minhas... Aquele show tem muita história pra contar, eu fui com meu primo, a gente bebeu tanto que eu perdi minha camisa.

Ela riu alto - Que? Como assim?

- Sim - continuei rindo.

- Mas você e seu primo?

- Não a gente não se pega, calma, Deus me livre de incesto, aquele garoto cresceu comigo, é praticamente meu irmão, credo.

Continuamos conversando bobagens e rindo, ela é maravilhosa e muito da zuera, quero levar ela pra minha casa, parecia até que a gente se conhecia há anos, tinha até esquecido que eu estava na casa do Jin, mas me recordei na hora que ele apareceu com uma cara de sono.

Fiquei sério e comi uma torrada, ela percebeu e olhou pra trás.

- Até que enfim né?! Sabe que horas são?

- Cala a boca Dae - de repente me lembrei que eu nem sabia o nome dela ainda.

Jin olhou pra mesa e reparei que o olho dele estava vermelho e ele estava lacrimejando, serio que dava até medo.

- Tá tudo bem Jin? Seu olho tá vermelho - fiquei preocupado.

- Tá tudo bem sim...

- É que ele sabe que tem que usar óculos e não usa, não vem chorar pra mim quando ficar cego, não sou paga pra te guiar, mas se aumentar meu salário a gente pode conversar.

Pra mim aquilo não parecia falta de óculos não, parecia choro, estranho.

- Jin, me desculpa a... Dae disse que você não gosta que mexe na sua cozinha...

Ele me interrompeu - ela disse isso? - a pergunta era pra mim, mas ele estava olhando pra ela.

- Disse - respondi olhando pra ela também.

- Ué, lembra que você sempre diz, "toda vez que você chegar tente expulsar minha companhia, seja lá quem for, se ele estiver dormindo comigo entre no quarto e comece a limpar, fazer barulho até ele ir embora" - olhei pra ele e ele estava com os olhos arregalados pra ela, ele dizia tipo "cala a boca" com o olhar, mas ela não calou - então quando eu cheguei foi a primeira vez que vi um "amigo" seu na cozinha ao invés do quarto, eu não sabia o que fazer, daí pra tentar expulsá-lo falei que você odiava que mexessem nela.

- Você não tem vergonha? - ele alterou a voz - por que disse isso pra ele, o que ele vai achar de mim?

Eu ri, ri mesmo, Jin estava tentando me convencer de que ele não era um galinha, coitado tem uma empregada sincera demais.

- Desculpa chefe mas eu não consigo mentir - ela falou e deu mais uma mordida na torrada.

- Desculpa por isso Tae.

Assenti e tomei mais do meu suco.

- E obrigado por não ter acreditado nela e ficado aqui - ele puxou uma cadeira e se sentou com a gente.

- Mas foi bom mesmo ele não ter me dado ouvidos, porque a comida dele é MA-RA-VI-LHO-SA, melhor que a sua! - ela o olhou com despreso.

- Melhor que a minha? - Jin até se assustou.

- Claro.

Eu apenas obsevava aquela linda discussão, Jin parecia tão confortável com ela, era até invejável.

- Pra sua informação eu quem o ensinei.

- Sabe aquele ditado, as vezes o aluno supera o mestre? Então é real - ela falou levando um pedaço da panqueca pra ele comer.

Jin aceitou e comeu, logo ele teve a mesma reação que ela na primeira vez, arregalou os olhos e olhou pra mim.

- Isso tá bom demais - falou com a comida ainda na boca, e não, não era nojento, era até fofinho e eu sorri com isso.

- É que ele coloca um ingrediente que você não tem - Dae falou olhando séria pro Jin e Jin aguardou a resposta colocando mais panqueca na boca - ele coloca amor.

Eu e Jin franzimos o cenho.

- Eu também cozinho com amor - se defendeu.

- Sim, deve que você põe amor naqueles programas culinários que você vai, porque aqui em casa não põe não, sua comida nunca ficou assim, saborosa, então você pode até cozinhar com amor, mas amor ao dinheiro, porque só faz bem se alguém te pagar pra isso.

- Calúnia... - Jin enfiou mais panqueca na boca e olhou pra mim - dormiu bem Tae?

- Dormi - respondi sorrindo, Jin é tão maravilhoso, queria guardar ele num potinho, mas infelizmente não posso me apegar, respirei fundo e me lembrei de uma coisa - Droga!

Os dois olharam pra mim assustados com meu susto.

- Eu tenho que correr... - falei levantando.

- Por que? Fica pro almoço - Dae era muito folgada, quem era Jimin perto dela?

- Eu acabei de me lembrar que eu deixei meu carro estacionado num lugar pago! - fui até Dae - Foi um prazer conhecer você, você é maravilhosa - dei um beijo no rosto dela e ela sorriu - desculpa por não poder ficar e te ajudar com a louça.

- Tá tudo bem - ela assentiu.

Eu não ia ir dar beijo nenhum no Jin, deixa ele se sentir deslocado um pouquinho.

- Você achou ela maravilhosa? - Jin perguntou um pouco desconfiado - quanto ela te pagou?

- Para, ela é muito gente boa.

- Ela é falsa - Jin acusou.

- Sou mesmo, se bobear sou falsa até com você - ela falou rindo e eu ri junto.

- Vou indo, tchau Jin até a noite - falei indo rumo a sala.


Quando cheguei na recepção fui até o balconista, era o mesmo que eu vi quando fiquei preso no elevador.

- Bom dia, eu sou Kim Taehyung, tem como você me fazer um favor?

Ele franziu o cenho.

- Se estiver ao meu alcance.

No seu crachá estava escrito Jung Hoseok.

- Hoseok, será que você tem uma folha aí?

Ele me entregou, a dobrei formando um envelope.

- Tem caneta?

Ele me deu uma.

"O dinheiro pelo curso", coloquei uma quantidade de dinheiro que julguei ser o valor do curso, Jin não me comprou, não mesmo, eu comprei ele...

- Qual a caixa de Kim Seokjin? - perguntei olhando as caixas de correio.

- 28.

Coloquei na caixa correspondente.

- Por que está dando dinheiro pra ele?

- Não tá sendo muito curioso não?

- Desculpa - ele olhou pro chão.

- Não vai me dizer que já namorou ele?

- Claro que não - respondeu rápido - ele não faz meu tipo.

- Hum...

- Tô falando sério, bom mas espero que vocês deem certo.

- Do que tá falando? Maluco.

- Tá na cara que você dormiu aqui né?!

- Que dormi aqui o que, eu... eu vim aqui ué, não posso?

- Você tá com a mesma roupa que veio pro curso ontem.

- Aaah, por que não disse antes que eu estava falando com o Sherlock Holmes coreano?

- Rude!

- Inconveniente, pode nem pedir uma caneta e um papel que a pessoa quer saber até seu RG, eu em - Saí rumo a porta e ouvi o tal Hoseok rindo.

Depois de pagar um absurdo pelo estacionamento dirigi até em casa, assim que pisei os pés no meu lar fui direto pro meu quarto caçar minha cama e pensar no que aconteceu hoje.

Mas pra minha, pra sua, pra nossa surpresa Jimin estava lá, deitado mexendo no celular...

- Ah Jimin vai caçar uma rola pra você... - reclamei me jogando em cima dele o abraçando.

- Aish garoto - ele me empurrou - eu vim aqui dizer que a companhia de dança vai fazer uma mini tour no estado, fiquei aqui esperando você pra contar e você me trata assim? - olhei pra ele e ele estava fazendo um bico do tamanho do mundo.

Aperte a bochecha dele - Tá falando que vai viajar com o Yoongi?

Ele tirou minhas mãos - tô falando que vou viajar com a companhia de dança!

- Isso inclui o Yoongi? - sorri revirando os olhos.

- Inclui, mas e daí?

- E daí que você vai ficar com ele.

- Eu não... - ele falou tentando ser indiferente.

Montei e cima dele e cherei seu pescoço, enquanto balançava em cima dele - vai Suga, vai Suga acaba comigo, vai, isso tá bom, vai - falei gemendo e fui empurrado pro chão enquanto ria descontrolado.

- Vai toma no cú Taehyung, você que ficou assim a noite toda e quer vir falar de mim - ele levantou - você vai sentir minha falta nessa viagem, seu idiota - tacou um travesseiro em mim, e eu ainda ria descontrolado, saiu do meu quarto batendo porta.

Nem deixou eu contar minha noite, aish...


Notas Finais


Mais um pra vcs minhas gatas do verão!
🍇


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...