História Presos no elevador [Taejin/Vjin] - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Jin, Seokjin, Tae, Taehyung, Taejin, Vjin
Visualizações 639
Palavras 2.336
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, olá, estou eu aqui sem sono como sempre e aproveitando isso pra escrever, desculpem os erros uvinhas!

Capítulo 9 - O verdadeiro Jin


Fanfic / Fanfiction Presos no elevador [Taejin/Vjin] - Capítulo 9 - O verdadeiro Jin

Ainda com os olhos fechados eu senti uma sensação estranha... Estranha não, era boa, incrivelmente boa.

Meu Deus Jin está me...

Abri meus olhos e sim, ele estava ali embaixo das cobertas me... Vamos dizer que, me saboreando, levei as mãos até seus cabelos, cacete estava muito bom, meu Deus, isso é a melhor forma de ser acordado na vida, quando sentiu minha mão ele começou ir mais rápido, voltava cada vez mais fundo, meu coração já estava acelerado, a respiração ofegante e eu soltava leves gemidos que saíam meio altos por causa da minha voz grossa.

Acabei gozando mais rápido do que eu queria, sim eu gostaria de aproveitar mais essa sensação.

Jin saiu de debaixo das cobertas, colocou o queixo em cima da minha barriga e me abriu um sorriso lindo.

- Bom dia Tae.

Eu sorri provavelmente com a cara inchada.

- Bom dia chef.

Puxei o rosto dele pra perto e o beijei, logo ele deitou no meu peito e eu fiquei fazendo cafuné no cabelo dele.

- Eu tive uma ideia.

- O que? - ele perguntou olhando pra mim.

- A gente podia ir numa balada hoje, sabe é sábado e faz tempo que eu não saio, o que você acha?

- Ah - ele olhou pra baixo de novo - eu não estou muito afim Tae, você pode ir sozinho.

- Não, eu quero ir com você, poxa nós nunca saimos, isso é até estranho sabia?

- Você quer sair? Podemos ir num restaurante então.

- Eu vou poder dançar no restaurante?

Ele deu risada baixinho.

- Ah Tae, eu não gosto de lugares com muita gente, eu me sinto sufocado.

- Por favor Jin...

Segurei o rosto dele fazendo ele me encarar.

- Não adianta fazer essa carinha de cachorro sem dono.

- E se eu te compensar pelo o que você fez?

- Quer me comprar com um boquete? - perguntou franzindo o cenho.

Fiz bico.

- Tá eu aceito - ele disse logo em seguida me beijando.

Fiquei sorrindo igual um bobo, Jin se levantou e foi até o roupeiro.

- Você pode usar isso - ele colocou na cama uma camisa verde com um cogumelo na frente e um short azul.

Sentei na cama e peguei a camisa a abrindo.

- Mario?

- Luigi na verdade.

- Sabe que não vou devolver né? - sorri pra ele.

- É, eu já desconfiava - ele vestiu um pijama igual o que ele me deu só que a camisa era vermelha - esse é o Mario - apontou pro próprio peito.

- Seremos uma boa dupla - falei sorrindo enquanto vestia minha camisa ainda sentado na cama.

- Vamos lá eu vou fazer um lamen pra gente.

- Lamen?

- Já está beirando a hora do almoço amor - falou passando pela porta me deixando sozinho no quarto.

Amor?

Abri o maior sorriso do mundo.

- É, ele me chamou de amor... - sorri e levantei da cama, vesti meu short e fui até a sala.

Meu celular ainda estava na mesinha de centro, o peguei e verifiquei.

[Jimin  07:52]: Bom dia, está com o Chef? Eu e Suga voltaremos logo pra casa, tenho tanta coisa pra te contar (aquela carinha), rs, te amo!

[Você  11:47]: "Eu e Yoongi não temos nada a ver, o Suga não faz meu tipo, nhenhenhém", sabia que você amava ele, espero um dia conhecê-lo, prometo que não vou dizer que você parece um urso que estava amarrado num toco há três dias quando vai comer :D também amo você <3

[Jimin  11:48]: E o cú? Já deu hoje?

[Você 11:48]: Eu não, mas vc provavelmente sim kkkkk

[Jimin  11:49]: _|_

[Você  11:49]: <3

- Taehyung! - Jin gritou me assustando antes de aparecer na minha frente - não vai vir me ajudar?

- Eu vou - coloquei o celular de volta na mesinha.

- Algum problema?- perguntou olhando pro celular.

- Não, eu só estava respondendo meu primo.

- Hum.

Fui com ele até a cozinha.

O lamen ficou pronto bem rápido, Jin me lançava de vez em quando uns olhares desconfiados, estou com a leve impressão de que ele está assim porque eu estava mexendo no celular, seria ciúmes?

Quando coloquei tudo na mesa eu olhei pra ele, ele estava segurando uma faca olhando pro nada.

Estranho? Estranho!

- O que foi Jin?

- Hã? - ele derrubou a faca assustado e voltou pra Terra.

- Tá aí todo aéreo, tá tudo bem? - perguntei me aproximando e dando graças a Deus da faca ter caído.

- Eu to bem, eu só tava pensando.

- Pensando? - olhei pro chão em busca da faca perdida.

- É...

A faca devia ter caído embaixo da pia, fiquei de joelhos e encostei a cabeça no chão e como eu pensei, lá estava ela, enfiei a mão e a alcancei, voltei a ficar de joelhos e Jin estava parado na minha frente olhando pra mim.

Sorri pra ele e passei a mão em cima do membro dele insinuando coisas.

- Você é mesmo um louco, quer fazer sexo em todos lugares estranhos - ele falou rindo alto sem tirar os olhos de mim.

- Ah meu Deus! O que o Mario e o Luigi estão prestes a fazer na minha cozinha? - Dae apareceu atrás do balcão, sim, do jeito que estávamos dava mesmo pra imaginar que eu ia fazer um oral nele agora.

- Não Dae, o Tae só abaixou..

- Pra pegar a faca - completei levantando a faca e sorrindo.

- Além de tudo são masoquistas?

- Cala a boca Dae, e senta aí, Tae levanta vamos comer.

Jin se sentou e eu sentei do lado dele.

- E então você aceitou o Jin mesmo ele sendo um galinha? - Dae olhava pra mim me analisando.

- Uhum - assenti enquanto comia e abaixei a cabeça olhando pra minha comida...

Começou as alfinetadas.

- Eu trabalho pro Jin desde quando ele morava num apê de dois comodos sabia? Eu vi esse menino subir na vida, junto com meu salário, e eu nunca vi ele cozinhando pra alguém, a não ser em um pragrama de tv ou eu claro, você é o primeiro que está almoçando com a gente, além dele ter te emprestado um dos pijamas favoritos dele.

- Dado! - a corriji e voltei a comer.

- Dado? Uau, e pensar que ele tem tanto ciúme das suas coisas, mas continuando os relacionamentos dele não duram mais de uma ou duas noites, e os amigos só veem a noite sabe...

- Chega Dae! - ele nos assustou, me fazendo olhar pra ele - Tae não tem que saber dessas coisas, o que você quer? Fazer ele ir embora? - ele estava bem alterado, putz.

- Não, é que eu não quero que você engane ele - a Dae podia ficar calada também né, deixa o Jin me iludir, eu gosto.

- Graças a você eu não estou engando ele, ele sabe de tudo, sabe da minha vida toda, ele sabe que eu saio com um e outro e ele está aqui não está?

- Tá, você está sendo sincero com ele, e com você, está sendo sincero consigo mesmo também? - aí essa doeu em Jin, Dae não tem piedade.

- Se ele está aqui é porque eu estou com ele, e porque ele me ama, tá bom isso pra você?

Uma torta de climão saindo quentinha do forno aqui em...

Eu só abaixei novamente minha cabeça, a comida tava boa demais pra eu me levantar e dizer "perdi o apetite", como fazem nas novelas, sem contar que a treta aqui envolvia meu nome né?!

- Ele te ama e você Jin, você ama ele?

Porra... Essa eu quero ouvir.

Espera... Eu quero?

Levantei lentamente a cabeça olhando pra ele e ele me encarava também. Eu nunca o vi tão sério.

- Amo...

Arregalei os olhos e ele abaixou o olhar pegando seu copo de suco.

Olhei pra Dae, Dae olhou pra mim.

Mano, eu tava me controlando aqui nessa cadeira, Jin disse que me ama caralho!

Voltei a olhar pra minha comida e sorri.

Eu pude ouvir um riso baixo da Dae, olhei pro Jin e ele também estava sorrindo.

- Eu amo o Jin, o Jin me ama, todo mundo se ama aqui e eu só quero comer minha comida tá, parem de brigar por favor... - terminei a frase quase chorando.

- Tae tem razão, Jin eu tô feliz, Tae é maravilhoso - ela disse passando a mão nos meus cabelos.

- Dae já pode parar de ser falsa e mostrar suas garrinhas pra ele, ele já faz parte da casa.

Porra isso tá indo mais rápido do que eu imaginava.

- Só porque eu não gosto de você, não quer dizer que eu não goste de ninguém Jin.

Ele revirou os olhos e logo em seguida riu, é claro que ela o amava, mas esses teatro dos dois era comico.

Depois que todo mundo comeu, fizemos pedra, papel e tesoura pra decidir quem lavaria a louça, sim muito adulto isso. Sobrou pra mim, mas Dae quis me ajudar e recolheu a louça da mesa, Jin disse que merecia um descanço porque fez o almoço sozinho, vergonha na cara num tem.

- As vezes o Jin tem que ser colocado contra parede pra assumir o que ele quer da vida sabe - ela disse enquanto colocava os pratos na pia.

- Obrigado, se não fosse você eu jamais saberia que ele me ama.

- Ele te ama desde quinta.

- Por que diz isso?

- Ele ficou todo emocionado por você ter cuidado dele, ter feito café, e o mais importante, ter resistido a mim.

Eu ri.

- O mais difícil foi você, confesso.

Pensei no quanto eu ficava aflito imaginando se ele me amava ou não.

- Tae, talvez você tenha pensado as vezes que eu era uma bruxa má, mas eu quero que entenda que só estou protegendo minha cria, Jin criou um escudo contra paixões e só agora ele está se apaixonando de novo, depois de muito tempo ele está abaixando o escudo e eu só quis ter certeza que de que você o ama suficiente pra suportar o passado dele.

- Eu sei Dae, eu só quero que ele seja feliz.

- Não o magoe, por favor Taehyung...

- Eu sei que eu disse que eu o chutaria...

- Eu apoiei você pra vê se você saia correndo, pra falar a verdade eu não queria que Jin se apaixonasse de novo, tenho tanto medo dele se machucar, eu não menti pra você, eu achei que ele ia te chutar mesmo, assim como ele faz com todos, mas acontece que você o tratou diferente e por isso ele está reagindo diferente e como eu disse Jin só vai ser feliz com alguém que aceite que ele era assim sabe... Um galinha - ela riu - ele não suportaria ter o coração esmigalhado mais uma vez.

- Você conheceu quem magoou ele?

- Não.

- Faz mais ou menos uma semana que eu o conheci mas Jin ainda é um mistério pra mim, Dae quem é o Jin de verdade?

- Jin sempre me conta tudo, sobre amor ele nunca falou, mas a primeira vez que eu o vi sei que que ele estava chorando por que estava com o coração partido... Era de noite estava chovendo, eu trabalhava numa lanchonete, tinha acabado de fechar e eu fui jogar o lixo, Jin estava sentado perto da porta, ele chorava como um bebê, me aproximei dele e perguntei se estava tudo bem, ele não conseguia parar de chorar, eu o coloquei pra dentro e cozinhei pra ele, falei com meu patrão e ele arrumou um emprego pro Jin, ele morou comigo até se adaptar, Jin ficou sendo garçom por um bom tempo, mas quando Jisang percebeu o talento dele na cozinha logo o subiu de cargo, e a medida que os meses foram passando ele nem parecia o mesmo garoto ele estava tão forte e bonito, foi naquela época que eu vi ele criando um grande escudo para o amor, logo a fama dele se espalhou pela cidade e ele subiu muito na vida e nunca me deixou pra trás, Jin é um homem muito bom, eu o amo como se fosse meu filho.

- E os pais dele?

- Jin foi criado pela tia, ele me contou que ela a expulsou de casa, mas nunca corremos atrás pra saber como a vadia está.

- Aish Dae.

- Ela o expulsou Tae, quer que eu a respeite?

- Ele não disse o por quê dela ter feito isso?

Ela negou com a cabeça.

- Então ele estava chorando porque ela tinha mandado ele embora... - meu coração doeu.

- Tae, não era só isso, aquilo era um coração partido, e eu acho que Jin juntou tudo e por isso estava daquele jeito.

- Eu prometo que não vou magoá-lo Dae.

- Não vai mesmo, se não eu arranco suas bolinhas - ela falou pegando a faca do balcão.

Franzi o cenho um pouco assustado.

E ela sorriu.

- Não vai retirar o que disse?

- Não - respondeu ainda sorrindo colocando a faca na pia.

- Eu não vou magoá-lo Dae, que coisa.

- Quando eu cheguei e vi vocês dois ali rindo um pro outro, eu me senti realizada, eu só vi o Jin sorrindo assim quando ele ganhou o primeiro salário.

A história de Jin deve ser pior do que eu posso imaginar, coitadinho.

Quando voltei pra sala e vi ele deitado no sofá vendo tv eu me joguei em cima dele. Queria guardá-lo num potinho e protege-lo do mundo.

- Eu te amo, muito, muito, muito, muito! - falei apertando as bochechas dele.

Ele riu.

- O que a Dae estava falando pra você? - ele olhou pra ela sorrindo.

- Eu não disse nada - ela piscou pra mim e eu pisquei de volta.


Notas Finais


Vamos dar mais amor pro Jin gente?
Logo mais ele vai falar sobre esse tal amor do passado.
Boa noite uvinhas!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...