1. Spirit Fanfics >
  2. Pressure >
  3. Capítulo 60

História Pressure - Capítulo 60


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpem a demora, trago um novo capítulo que espero que gostem.

Capítulo 60 - Capítulo 60


Fanfic / Fanfiction Pressure - Capítulo 60 - Capítulo 60

P.O.V. – Bloom

Terminei de comer e fiquei a observar o Andy comer, o que não durou muito tempo. Assim que terminou olhou também ele para mim e sorriu.

-Queres que te leve já para casa? Ou queres dar uma volta por aí?

-Quero ir para casa.

-Certo, tu é que sabes. Levo-te de carro ou a pé?

Vejamos… se o Sky está, ou esteve aqui, vai precisar de um tempo para chegar a casa. Se formos de carro chegamos muito antes dele e não dá para deixar a chave de casa do lado tanto tempo assim. Se formos a pé o Andy pode, de alguma forma, ver o Sky… Mas sem dúvida que esta última é a melhor opção.

-A pé.

-Não sabia que gostavas tanto de caminhar... E o que faço ao meu carro que está estacionado lá em baixo?

-Se preferireis vou eu sozinha a pé.

O Sky deve estar por aqui, sozinha não iria de certeza.

-Eu vou contigo, obviamente. Depois volto cá para buscar o carro

-Perfeito, obrigada!

Levantamo-nos da mesa e dirigimo-nos à saída do shopping, seguindo o caminho até minha casa.

-Gostaste do nosso almoço, Bloom?

-Claro!

-Ótimo! Espero que continues a gostar dos nossos próximos almoços. Amo ter a tua companhia.

-Também gosto de estar contigo.

-Hoje posso subir até ao teu apartamento, certo, Bloom?

-Logo vemos…

-Bloom! Agora sou teu namorado, não precisas de ter medo por eu subir até lá. Não te vou fazer nada.

-Não tenho medo.

-O que é então?

-Só não quero estar sozinha contigo num lugar mais…

-Privado?

-Sim!

-Eu não vou fazer nada que não queiras, gatinha.

-Prefiro evitar.

-Vá lá, Bloom! Só um bocadinho.

-Andy…

-A Daphne está lá?

-Hum…

-Esquece, é terça. Está em aulas.

-Sim, isso.

-Mas não te preocupes por estarmos sozinhos, hoje só pretendo mesmo levar-te a casa. Tenho coisas para fazer. Ensaios e assim.

-Certo… num outro dia pretendes fazer o quê?

-Nada, Bloom! Não coloques palavras na minha boca.

Eu ri.

-Foste tu que disseste que “hoje só”. Significa que nos outros dias não será só isso.

-Nunca faria isso, Bloom.

-Vou acreditar.

-Mau era se não acreditasses.

-Pois…

Ele pegou na minha mão sorriu para mim.

-E os teus pais, quando os vou conhecer?

-Namoramos há um dia… Já queres conhecer os meus pais?

-É claro! Quero conhecer os pais de duas mulheres tão lindas. De certeza que é de família.

-Provavelmente.

Notei estarmos a chegar, reparei, graças aos seus cabelos loiros incrivelmente lindos, o Sky a entrar no prédio. Vi que ele olhou para mim antes de entrar no edifício e fechar a porta. Perfeito, o Sky já está lá dentro e o Andy não parece ter reparado nele.

-Já estiveste lá? – perguntei eu ao meu namorado.

-No teu apartamento? Vosso, na verdade.

-Sim.

-Estive algumas vezes. Antes de tu chegares a Daphne dava umas boas festas por lá. É um pouco graças a essas festas que ela se tornou tão popular entre o resto do pessoal.

-E entre o resto?

-Queres dizer professores e assim?

Concordei, com um pouco de receio da resposta. Será que ela…

-Nada do que estás a pensar – respondeu ele, sorrindo.

-Sério?

-Não conheces a tua irmã?

-Bem…eu…

-Entendo… Mas não. É só popular entre os professores porque nunca faltou, a sua participação sempre foi quase a 200% e sempre teve as melhores notas. Nada dessas coisas maliciosas que sei que provavelmente pensaste.

-Hum…

-Ela soube e sabe conciliar as coisas muito bem.

-É… acho que sim.

-Desapontada pela irmã festiva e estudiosa?

Ri.

-Claro que não. Já sabia que ela era assim. Só não sabia os motivos de ter ficado tão famosa.

-Agora já sabes. Qualquer outra pergunta do género, estou aqui para te responder.

-Estás informado pelos vistos…

-Bem, estou aqui quase há 3 anos.

-Três anos? E estás no primeiro ano?

-Não, linda. Entrei um ano antes da Daphne. Estou meio que a acabar.

-Pensei que não estivesses nem aí… Porque vais às minhas aulas?

-Não é óbvio que é para estar contigo?

-Tens quantos anos?

-Já não te tinha dito?

-Não lembro se disseste ou não.

-E namoras comigo sem nem saber a minha idade?

Ri baixo e senti-me ficar corada.

-Tenho 20. Ainda queres namorar?

Vontade de lhe dizer que não… Infelizmente acho que não posso dizer nada do tipo… Principalmente porque ele até que está a ser fofo comigo.

-É claro que quero Andy.

-Ótimo, vamos subir então.

Já estávamos à entrada do prédio, eu abri a porta de entrada e depois dirigi-me para o elevador, sendo seguida de perto pelo Andy. Assim que o elevador chegou entramos e carreguei no botão do meu andar. O elevador parou no meu andar e saímos do mesmo. Caminhei até à porta do meu apartamento. Sinto-me muito nervosa… Abri a porta e deixei o Andy entrar, que foi de imediato até à sala. Olhei para as escadas. O Sky apareceu e sorriu para mim, deixando-me mil vezes mais aliviada. Veio rapidamente na minha direção e pegou nas chaves.

-S… - ia dizendo o seu nome, mas ele colocou o dedo indicador na frente dos meus lábios, indicando-me para ficar em silêncio.

-Quando tiveres terminado vai lá acima – disse ele bem baixinho e beijou em seguida o topo da minha cabeça – Estou aqui para o que precisares.

Concordei com um gesto de cabeça e entrei no apartamento, fechando a porta atrás de mim. O Andy estava sentado no sofá e sorriu mal me sentei ao seu lado.

-Espero mesmo que tenhas gostado deste tempo juntos, Bloom.

-Eu gostei.

-E quando queres repetir?

-Basta perguntar. Eu digo se posso ou não.

-Certo…

Ele aproximou-se mais de mim, fazendo os nossos rostos ficarem a poucos centímetros de distância. Selou os nossos lábios logo a seguir. Enquanto ainda nos beijávamos fomos interrompidos pelo toque do telemóvel dele. Separamos as nossas bocas e o mesmo olhou para o nome na tela, suspirando logo a seguir mas atendendo a chamada.

-Sim, Musa? – disse ele de imediato, não consegui ouvir o que diziam do outro lado – Está bem… Dá-me uma hora e estou aí.

Desligou a chamada e olhou para mim.

-Tenho de ir, Bloom. O Mark vai ter de sair uma hora mais cedo do ensaio, então a Musa quer começar uma hora mais cedo. Ainda tenho de ir buscar o carro ao shopping, então tenho de ir.

-Está bem, sem problema, Andy.

-Devias ir ver um dia destes. A Musa certamente iria adorar não estar sempre no meio de conserva de homens.

-Vou pensar nisso.

-Certo.

Ele beijou-me mais uma vez e eu acompanhei-o até à porta, assim que ele entrou no elevador eu saí do apartamento e subi as escadas até ao andar de cima rapidamente. Quando virei para ir na direção do apartamento do Sky choquei contra algo. Teria certamente caído com a força do impacto se não fossem as mãos fortes e familiares que me seguraram. O Sky aproximou-me de si e abraçou-me carinhosamente contra o seu tronco.

-Estás bem, Bloom?

-Estava melhor se não estivesses no caminho.

Ele riu.

-Ninguém te manda subir as escadas nessa correria desenfreada.

-Eu queria…

-Me ver?

Senti-me corar de imediato.

-Bem… sim…

O Sky afastou-se um pouco, deixando de me abraçar. Senti de imediato a falta dos seus braços.

-Vamos para dentro? – perguntou ele, estendendo-me a mão, apressei-me a entrelaçar os nossos dedos.

-Sim.

Ele caminhou para o seu apartamento e eu acompanhei-o, assim que ele abriu a porta fomos recebidos pela Lady. Eu soltei a mão do Sky e peguei nela. Notei o beicinho do Sky quase de imediato.

-Vais chorar por eu não te dar a mão para poder ficar com a tua cadela no meu colo?

O meu vizinho riu de imediato e negou, mantendo um grande sorriso no rosto. Indicou o caminho até ao sofá da sala, mesmo eu sabendo, obviamente, chegar até lá. Ele sentou-se e eu sentei-me ao seu lado.

-Então… - começou ele, coçando a nuca.

Observei-o enquanto passava a minha mão pelo pêlo macio da cadela dele.

-Eu queria realmente pedir desculpa por me teres visto com ela hoje. Ela estava toda agarrada a mim e… bem… eu…

Pousei a cadela no chão e fui me sentar no seu colo, apanhando-o totalmente desprevenido. Fiquei de frente para ele, com as pernas de cada lado do seu tronco. Coloquei ambas as mãos no seu rosto, fazendo-o olhar-me nos olhos.

-Eu sei que não queres isso, Sky. Pára com essas coisas! Eu já disse… se eu posso beijar o Andy, tu podes beijar essa…

-Eu só não quero que te magoes mais ainda.

-Eu sei, Sky.

-Eu posso… bem…

Ele aproximou as mãos, que antes estavam no sofá, da minha cintura. Ficou com elas apenas próximas, sem, de facto, tocar o meu corpo.

-De que estás à espera, idiota?

O Sky apressou-se a tocar o meu corpo, juntando um pouco mais os nossos corpos. Saudades de estar colada a ele… Mesmo que ainda tenha estado hoje de manhã.

-Fala-me mais dela…

-Hum… Bem, chama-se Diaspro, tem 18 anos… quis ficar comigo, primeiro, porque me achou muito bonito, segundo, porque depois de me conhecer foi pesquisar por mim e descobriu quem sou…

-Um “herdeiro” rico.

Ele concordou.

-Então acredito que queira ver o que consegue tirar de mim. E terceiro… achou que eu tinha muito experiência.

Foi impossível conter a risada. O Sky sorriu.

-Deves ser o menos experiente da faculdade inteira – disse eu, continuando a rir.

-Bem, sou o menos experiente, mas tu amas…

-Admito que essa foi bem jogada, Sky.

-Obviamente, Bloom!

-E o que ela quer com a vossa relação?

-Hum… Por enquanto quer mostrar que estamos juntos ao andar por aí agarrada no meu braço.

-Já se beijaram? Quer dizer… sem ser daquela vez…

-Não mesmo, Bloom.

-Ela eventualmente vai pedir por isso…

-Sim, de certeza…

-Já combinaram algo?

-Vou ter de a levar para almoçar um dia destes, talvez amanhã. Ela queria jantar na minha casa hoje… Consegui fazer com que ela acreditasse que por enquanto não posso. Quero tudo, menos beijá-la ou ficar sozinho na mesma casa que ela.

-Se calhar fizemos mal em…

-Não, Bloom! Não fizemos… Ela parou de me mandar mensagens daquelas, porque lhe disse que a minha mãe mexia muito no meu telemóvel para me controlar. Não vou receber mais mensagens daquelas a não ser que lhe peça… o que obviamente não vai acontecer.

-Ótimo então… E a tua mãe vigia mesmo?

O Sky riu.

-Claro que não, Bloom! Tens vontade de me enviar uma foto nua e não queres que a minha mãe veja?

Senti-me corar.

-É claro que não, seu imbecil tarado!

-Hum… pareceu-me muito que era isso.

-Chato…

-O teu chato! – disse o Sky, sorrindo para mim - Bem… e tu e o Andy? Como foi?

-Ele porta-se bem comigo… eu acho…

-Só achas?

-Ele é… bom… de certa forma… Não tão bom como tu, mas é… Pelo menos quero acreditar que realmente é bom.

-Beijaram-se?

-Sim, Sky…

-Que pena…

-Porquê?

-Estou com uma vontade louca de ter esses lábios para mim… Mas não quero beijar esse Andy indiretamente.

Ri bastante, mesmo tendo ficado corada. É realmente bom saber que a vontade de nos beijar é mútua.

-Hum… E se eu… - comecei eu, levando uma das minhas mãos à sua nuca, acariciando uns fios de cabelo do local -… depois de tomar um banho, beijar-me-ias?

O sorriso que o Sky me dirigiu quase me derreteu, uma das suas mãos foi para o fundo das minhas costas e pressionou-me um pouco mais contra o seu corpo. Aproximou os nossos rostos, as nossas bocas mais do que próximas.

-Isto é tão errado, Bloom… - murmurou ele, roçando os seus lábios nos meus enquanto falava.

Deu um demorado beijo no canto da minha boca, passou depois os lábios pela minha bochecha e queixo, depositando beijos demorados na minha pele. Gemi baixo quando os seus lábios tocaram o meu pescoço.

-Vamos parar – sussurrou ele contra a minha pele, não parando, no entanto, de beijar demoradamente o meu pescoço.

-É melhor… - concordei eu, ainda acariciando os seus cabelos, aproximando-o mais do meu pescoço.

Senti o Sky se afastar e soltei os seus cabelos, repousando as mãos no seu peito. Ele respirava ofegante, deitou a cabeça para trás.

-Fodasse… - murmurou ele, fechando os olhos – És uma tentação tão grande… É tão difícil me controlar perto de ti…

Sorri e deitei a cabeça no seu peito, acariciando o mesmo com uma das mãos. O Sky foi rápido em começar a passar os dedos gentilmente pelos meus cabelos.

-Desculpa de novo, Sky… se eu não tivesse feito toda a merda que fiz até agora…

-Relaxa… já disse que está tudo bem.

-Mas… nós poderíamos… tu…

-Está tudo bem! – disse ele, beijando o topo da minha cabeça – Está tudo bem, princesa…

-Tens a certeza?

-É difícil ter de controlar a imensa vontade de te ter para mim… mas… vamos conseguir passar por isto. Eu amo-te… tu também me amas… Vamos resolver os problemas que a tua falta de bom senso nos trouxeram.

-Sky! – disse eu, afastando a minha cabeça do seu peito.

Ele riu, deixando de tocar o meu corpo completamente.

-Queres estudar comigo? Só um pouquinho…

-Estudar mesmo?

-Sim, Bloom! Eu levo as minhas coisas lá para baixo e passamos a tarde juntos. Parece-te bem?

Sorri e depositei um beijo na sua bochecha.

-Vamos!

O Sky pegou nas coisas que precisava e descemos as escadas até minha casa, sendo acompanhados pela Lady.

Continua…



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...