História Prey in Wonderland- Fanfic Interativa - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Contos De Fadas, Fanfic Interativa, Fic Interativa, País Das Maravilhas, Wonderland
Visualizações 97
Palavras 1.611
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


HHHHHHHHHHHHHHEEEEEEEEEEEEEEEEEEEYYYYYYYYYYY Habitantes de Wonderland, ansiosos? Eu sei que sim. Como já havia dito, esse é capitulo oficial, na verdade, faz parte do prólogo.

1ª Parte- Voltamos até quando o Rumple fez o contrato com a minha personagem

2ª Parte- Vocês vão ver sobre o que é.

Espero que gostem, estarei ansiosa para saber o que acharam. E tem mais, eu disse que iria ser um mini capitulo, mas para escrever tudo que eu queria acabou ficando do tamanho de um capitulo normal, então aproveitem!!!

<3

Capítulo 3 - Prólogo- 2 Parte


Fanfic / Fanfiction Prey in Wonderland- Fanfic Interativa - Capítulo 3 - Prólogo- 2 Parte

 

Dezenas de anos atrás...

 

-I-I-Isso é real?E-Eu...EU CONSEGUI.-Gritou uma mulher que após uma grande queda estava levantando sua cabeça aos poucos  e olhando aquela paisagem esbranquiçada com uma grande castelo a sua frente da mesmo cor mas com alguns detalhes dourados e rosados.

A mesma não conseguia parar de tremer, na verdade mal conseguia se colocar de pé de tanta felicidade, não estava acreditando, a magia finalmente havia funcionado. Tantos anos haviam servido para alguma coisa, seu sonho...Se tornou realidade.

-A senhorita está bem? Por favor deixe-me ajuda-la.- Disse um homem sorrindo com ombros largos e vestes ricas, clara, mas sem muitos detalhes mostrando a sua simplicidade e humildade para não mostrar que era melhor que qualquer pessoa em qualquer quesito, seu cabelo era rosado o que dava um ar completamente encantador. Ele se encaixava totalmente com o cenário.

 

P.O.V ???

 

-O meu Deus, você é o Rei Branco! CL-CLARO...Ah...Meu nome é- Peguei na mão do cavaleiro mas antes de me apresentar vi um garoto que estava apoiado numa árvore com um blazer e calças azuis com alguns sinais de cartas na sua gola, como copas, espadas, paus e ouro, mas com uma camisa interior branca. Mas essa não era a sua característica principal, este trazia grandes orelhas  e um relógio de bolso dourado em que apontava enquanto olhava para mim.

 

Eu olhei para o Rei que havia mudado sua expressão para uma de surpresa e ainda sim, um certo ar triste parecia estar naquela expressão enquanto olhava o coelho, mas depois de alguns segundos voltou a sua expressão inicial. O coelho confuso tombou sua cabeça para direita junto com a sua orelha direita, mas voltou a sua postura assim que gritou.

-Estamos atrasados!!

Eu voltei o olhar para o coelho e o segui apressadamente, tentando o alcançar, mas ele corria tão rápido que fazia com que a minha corrida se tornasse algo realmente vergonhoso. Quando depois de bater minha cabeça em alguns galhos de árvore, eu pude ver uma grande mesa com vários tipos de bules e xícaras, biscoitos e bolos e um aroma variado como uma junção de vários cheiros de ervas e com dois homens sentados um no lado esquerdo, no cento da mesa e outro na ponta mais afastada, que estava muito distraído tomando o seu chá.

-Oh! Olhe quem está aqui?- Disse um garoto ruivo com umas orelhas mais compridas que a do que estava ao meu lado e com o mesmo tom alaranjado que seu cabelo.- É a mariblá de blá blá dos reinos tão conhecidos pelo blá blá.- Disse impressionado para o amigo que fez uma expressão muito surpresa.

-EEH?!?! Mas as pessoas do reino de blá blá são muito simpáticas!-Disse o Chapeleiro que se levantou e puxou a cadeira da outra ponta da mesa para me sentar e depois voltou a seu lugar.

-NAHH, você se enganou Chapeleiro!! Você tem prestar mais atenção no que eu digo!!- Ele falou jogando uma xicara que passou mesmo ao lado do Chapeleiro, eu não conseguia fazer muita coisa, então eu apenas dava risada deles dois que estavam falando numa lingua que acredito que só eles sabem o que queria dizer. Mas a Lebre ainda corrigiu.- Eu disse reino CONHECIDO pelo blá, blá.

-Ah desculpa, desculpa, se foi isso, tem muita diferença.-Ele se desculpou passando a mão na nuca com um sorriso quadrado, eu e o Coelho Branco começamos a rir enquanto a Lebre apenas sorria e concordava. O Coelho Branco pediu licença e saiu do local, quando olhei para a Lebre, ele já estava com outra xicara pousada na mesa a sua frente que passava a ponta do dedo delicadamente e olhava fixamente para ela o que nos levou a um grande silencio quando o Chapeleiro relembrou:

-Que eu me lembre, você não gosta de pessoas de lá...Você lembra porque?

Dessa vez a maneira que eles falavam era diferente, havia alguma coisa sombria mesmo que o tom do Chapeleiro continuasse o mesmo...As risadas haviam parado só se o ouvia o som do liquido escuro cair dentro da xicara do Chapeleiro e depois que a Lebre de Março parou de passar a mão na sua e colocou o seu braço na mesa apoiando a sua cabeça, o Chapeleiro encheu a sua xicara que começou a transbordar molhando a mesa e ambos apenas continuavam: o Chapeleiro enchendo e a Lebre olhando para aquilo de maneira desligada. Acho que eu era a única que estava desesperada com aquela situação...Isso era muito estranho. Quando um fio de voz saiu da boca da Lebre:

 

-Elas sempre desaparecem…

 

Antes que eu pudesse tem qualquer reação eu senti algo me atingindo por trás e fazendo a dor se esticar até o meu peito esquerdo, pressionei com a mão fechando os meus olhos e quando abri novamente estava num celeiro de madeira deitada num monte de feno. A dor continuava e eu ia me contorcendo cada vez mais.

 

-Tão ingénua…-Ouvi uma voz aguda comentar, quando olhei para lá um homem de cabelo até o ombro, com vestes acastanhas bordadas com fio dourado, sua pele e olhos também possuíam um coloração da mesma cor, estava sentado em um dos montes ao meu lado com a perna cruzada, balançando a cabeça.

 

-Vo...Você é…-Disse pausadamente pela dor que ainda sentia mas parei quando o mesmo levantou a mão em minha direção.

 

    -Evite dizer o meu nome, você irá demorar muito tempo. Eu sei que você me conhece e isso basta.

 

    -Você pode me ajudar...Eu sei que sim...Eu faço qualquer coisa.- Implorei.

 

    -Não, não posso.- Respondeu rapidamente, e depois completou com uma risadinha no final.- Porque eu não quero, hihi.

 

    -Não! Você...Você...Não entendeu...Eu...Sou capaz de fazer qualquer...Coisa.- Insisti.

 

    -O que eu iria querer? Eu estou falando com alguém morto. -Respondeu em um tom arrogante.

 

    Abaixei a cabeça olhando para onde vinha a dor e pensei que aquele poderia ser o meu fim...Aquele sonho que eu tanto desejei havia se tornado realidade, mas a parte boa acabou tão rápido...E essa dor...Essa dor continua comigo.

 

    -Deixe-me explicar uma coisa, você não pode brincar com Wonderland, lá é o único lugar onde todos conseguem paz, diversão...Felicidade. E você realmente achou que seria tão fácil ir para lá?

 

    Acho que o meu silencio disse que sim, mas eu não queria dizer isso, eu demorei anos para conseguir pelo menos entrar em Wonderland, eu sabia o que ele queria dizer e não podia discordar. Wonderland era uma um lugar tão maravilhoso que no meio de tanta injustiça e desgraça do nosso mundo é o sonho de qualquer um ir para lá. O Rei Branco, o Rei de Copas, O Gato Risonho, Absolém, a Lebre de Março, o Chapeleiro Maluco e o Coelho Branco eram os seres que, aqueles que os conhecem, os consideram como guardiões ou aqueles que sempre procuram algo para crer, vêem como deuses já que vivem no “paraíso”, mesmo eu preferindo a primeira versão e acreditando que é a verdadeira.

 

    -Você deve ter pensado em usar a técnica relacionada com a lenda certo? Você sabe, a lenda de Alice. A garota que queria sair desse mundo e ao ver um garoto com aparência peculiar, com orelhas de coelho apontando para o relogio o seguiu e caiu numa toca a levando ao País das Maravilhas. Mas você acha que esse coelhinho anda por ai pronto para surpreender garotinhas com a sua presença? Faça-me o favor! Eu também quero ir para lá, mas até que encontre uma maneira que realmente funcione, isso não passará de um sonho.

 

    -Exatamente! Através de um sonho e um pouco de magia você irá conseguir ir para lá!!- Naquele momento me esqueci da dor, ainda estava confiando na minha teoria mesmo depois de ver o final da mesma.

    

    -...Eu não entendo porque ainda estou aqui. Mas ao menos tente entender antes do seu fim, esse tesouro tem dono, e alguém com um pedaço do paraíso não vai deixar qualquer pessoa invadi-lo, mas...Eu duvido que tudo seja tão perfeito como as pessoas dizem, afinal algumas pessoas pensam que esse lugar onde vivemos é perfeito.- Ele sorriu.

    

    -HAHAHAHA...Aiii...Isso...É...Uma idiotice, não há...Chances de isso ser verdade…Esse lugar…-Eu suspirei de maneira sonhadora.- É o único lugar onde ainda podemos sonhar...E ser quem nós somos sem ser julgados.

 

    -Mas...Você foi para lá não foi? Talvez, possa me contar o que te trouxe de volta e quem sabe eu posso te ajudar- Ele moveu o mão e a dor foi diminuindo o que me fez decidir contar com detalhes cada sensação e ele se levantou e agradeceu quando a dor voltou mais forte do nunca.

 

    -O que... você fez?!AAAHHHH- Gritei de dor.

 

    -Ah...Você não acha que eu deixaria você viver por aí com essa informação preciosa contigo, acha?? Hahaha, oh querida, apenas eu devo ser aquele que conseguirá abrir as portas de Wonderland. E se confessou com tanta facilidade para mim, sem contar com um contrato e caindo num truque tão simples do “talvez”, quem dirá que não cairá novamente com no truque com outro mago? Não quero que ninguém fique sabendo, pois com o que eu sei mais o que você me disse, eu já sei onde procurar a chave...Ou melhor as chaves! Hehehe.

 

    Eu me contorcia cada vez mais, a dor devia ter aumentado, aquilo era o mesmo de ser esfaquiada mais de 100 vezes, eu não iria aguentar muito tempo.

 

    -Sabe...Você é muito inteligente mas saiba que nunca deve se meter com Wonderland porque essa é a sua parte sombria: Ninguém entra no seu mundo perfeito.
Mas isso irá mudar...Hehehe.- Rumple deu as suas últimas palavras terminando com a sua típica risada estridente andando na direção da porta e fechando o celeiro.

 

Aquela foi a última imagem que eu vi.


Notas Finais


Então gostaram? O que acharam da garota que conseguiu entrar em Wonderland? Acham que ela merece uma segunda chance? E quem será que a "acordou"? Bom a pergunta de quem serão as chaves vocês já devem saber a resposta certo? Agora só é preciso saber como elas vão chegar até as "portas" e se conseguirão abri-las.

Vós vejo nos comentários, Beijinhos mágicos e bye bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...