História Price Of Happiness - Taehyung and Jennie - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, Kim Taehyung (V)
Visualizações 182
Palavras 3.778
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Sessão 1 - 7


Jennie narrando:

ㅡ Você não sabe da melhor! ㅡ Soyoon disse eufórica quando eu cheguei da praça com Nya adormecida em meus braços.

ㅡ Por favor, me diga que o show da Galinha Pintadinha foi cancelado.

Pra mim, essa com certeza seria a melhor notícia.

Depois de conseguir de volta os ursinhos, Nya não saiu mais de perto de mim, alugando meus ouvidos com o assunto sobre esse show. Eu sei que tinha prometido levá-la, mas eu não tinha me esquecido de que precisava de cada centavo que podia ser gasto em vão. Além do mais, se o show fosse cancelado a culpa não seria minha.

Mina fez uma careta.

ㅡ Muito melhor. Fomos convidadas pra festa na casa do Taehyung! Tcharã! ㅡ Seu sorriso quase me contagiava. Quase.

ㅡ Wooooww, isso é ótimo! ㅡ Ergui as sombracelhas, já me dirigindo para o quarto para colocar Nya na cama. ㅡ Vá com Deus.

ㅡ Nana nina não, mocinha. ㅡ Ela veio atrás de mim. ㅡ Já liguei pra Jisoo. Ela vai vim ficar com Nya e nós vamos juntas, eu não quero ir sozinha.

ㅡ Então não vai, porque eu não vou.

ㅡ Jennie, qual é?! A gente nunca e convidada pra coisas assim, você não pode desperdiçar essa chance.

ㅡ Que chance? De ficar parecendo um peixe fora d'água no meio de tanta gente bêbada? ㅡ Isso me fez tremer. ㅡ Dispenso sim, obrigado.

Coloquei o ursinho de orelhas azuis sob o bracinho de Nya e beijei sua testa, puxando a coberta até seu queixo.

ㅡ Jen, eu prometo que não vou beber.

ㅡ E eu sei que isso é uma promessa vazia. ㅡ Revirei os olhos e saí do quarto, fechando a porta.

ㅡ Beleza, então se eu for na festa, o que você vai ficar fazendo?

Olhei pra ela e levantei as sombracelhas, como se essa pergunta fosse óbvio demais para merecer uma resposta.

ㅡ Estudando.

ㅡ Eu sabia! Você só sabe estudar, pelo amor de Deus! Está na hora de variar um pouco sua rotina.

ㅡ Desista, Soyoon. Você não vai me convencer.

ㅡ Aaaah, você é tão teimosa!

ㅡ Se foi um elogio, obrigada.

Mina caminhar em direção ao seu quarto.

ㅡ Jisoo chega em meia hora. Vamos sair oito e meia em ponto, então se apresse.

Olhei o relógio em cima da minha mesa que marcava 19:56.

Ela acha mesmo que eu tenho cara de quem vai trocar uma noite de estudos por uma festa cheia de álcool? Então ela não me conhece.

(...)

ㅡ Trouxe isso pra você. ㅡ Soyoon disse oito minutos depois, estendendo um vestido preto de alcinha em minha frente.

Ela estava com uma blusa preta de manga comprida e o cabelo com pequenas ondas jogado de lado, o que me fez crer que ainda não está pronta e provavelmente irá se atrasar se por acaso quisesse ir mesmo à tal festa.

ㅡ Pra que isso?

ㅡ Eu sei que você não tem vestido de festa, então... ah, e também eu tenho alguns biquínis, se você quiser dar uma olhada... dizem que a piscina vai estar liberada.

Revirei os olhos.

ㅡ Soyoon, não perca seu tempo tentando me fazer ir com você.

ㅡ Jennie, lembra quando você me pediu dinheiro emprestado pra levar Nya no parque? Eu não podia emprestar porque era a conta de eu pagar a prestação do carro, mas mesmo assim eu te emprestei, lembra? E aquela vez que minha cabeça estava explodindo, mas eu te acompanhei até a biblioteca pública e fiquei com você até terminar de estudar? E todas a vezes que você não pode buscar Nya na creche e não é o dia da Jisoo... quem busca e fica com ela o tempo que precisar?

Fiquei olhando Soyoon por vários segundos.

Essa garota sabe mesmo como recorrer ao drama pra conseguir alguma coisa, e o fato é que ela sempre consegue.

Eu a odeio por isso.


Taehyung narrando:

ㅡ Que foi, cara... está esperando a Ariana Grande? ㅡ Yoongi me perguntou se aproximando atrás de mim e eu me virei pra ele.

Que ótimo. Desde o início da festa eu não conseguia evitar olhar para o portão de entrada de três em três segundos.

Eu queria me convencer de que não devia estar ansioso para chegada dela. Ela tem uma filha, então, provavelmente, deve ter um namorado ou um marido também, e uma das minhas poucas regras se tratando de mulheres é não dormir com uma comprometida, mas era inevitável. Cerca de duzentas pessoas já estavam espalhadas pela minha casa, mas a ausência da Jennie me deixava frustrado.

Ela foi a única garota que eu fiz questão de convidar pessoalmente, como não podia vir?!

ㅡ Tudo bem lá dentro? ㅡ Perguntei tentando mudar de assunto.

Yoongi se aproximou do meu lado e olhou pro portão também.

ㅡ Tudo. Só vim avisar que alguém conseguiu abrir o quarto dos seus pais, agora aquilo lá está parecendo um motel público.

Gelei e meus olhos se arregalaram com pavor.

Yoongi riu.

ㅡ É brincadeira, mano. Só estou curioso pra saber quem é Lucas. Tem um quarto com esse nome na porta... eu não sabia que você tem um irmão.

Agora foi minha vez de rir.

ㅡ Eu não tenho um irmão. Sou filho único todo mundo sabe disso.

ㅡ Então quem é? Seu primo? Amigo da família?

ㅡ É um pirralho que meus pais trouxeram pra passar uma temporada aqui em casa, mas acho que ele vai embora em poucos dias.

E mais uma vez, meus olhos se voltaram automaticamente para o portão.

ㅡ Quem você está esperando, eu conheço?

Bufei.

ㅡ Não estou esperando ninguém.

ㅡ Qual é, Taehyung. Tem umas oitenta garotas aqui loucas pra ir pro quarto com você; se ainda não sabe disso, é porque uma deusa dos sonhos está prestes a chegar. Me conta quem é!

Balancei a cabeça e olhei a hora no celular. 20:47.

Se Jennie tivesse de vir, ela com certeza já teria chegado. Eu não acho que ela é o tipo de pessoa que se atrasaria, muito menos que deixaria de cumprir sua palavra, e ela disse que não viria. Ela tem uma filha pra cuidar durante a noite e, muito provavelmente, um marido também.

Respirei fundo e saí da varanda, indo pra piscina.

ㅡ Esquece.

Yoongi não me seguiu.

Me aproximei de um grupo de garotas com biquínis minúsculos e abracei a cintura de uma loira, com o cabelo tingido de rosa metade das costas.

ㅡ Estão se divertindo?

A garota que eu abracei se arrepiou - senti isso porque sua pele debaixo da minha mão ficou rígida.

Todas elas me olharam com um sorriso bobo, sem saber o certo oque responder.

ㅡ Eu acho que poderia me divertir mais. ㅡ A que eu estava abraçando disse com uma voz melosa.

Eu a olhei e sorri.

ㅡ É mesmo? Como?

ㅡ Eu não sei. ㅡ Ela deu de ombros, e ali estava meu sorriso predileto. ㅡ Me surpreenda.

Não precisou pedir duas vezes. Eu a puxei pra mim e beijei.

Ouvi o suspiro das outras garotas, mas eu não ligava pra platéia. Isso nunca me incomodou, e parece que ela também não se sentia nem um pouco desconfortável. Pelo contrário, do jeito que esfregava seus corpo no meu, eu não me surpreenderia caso ela não esperasse a gente chegar no quarto.

ㅡ Melhorou? ㅡ Perguntei quando quebrei o beijo, com uma mão em suas costas e a outra no meio do seu cabelo.

ㅡ Hm... uhun. ㅡ Ela murmurou de olhos fechados com o corpo frágil.

Eu acho que tirei suas energias muito facilmente, porém isso quase perdeu a importância quando olhei para o portão onde duas garotas acabavam de entrar. Uma com o cabelo com pequenas ondas revoltado em um vestido vermelho justo chamativo, outra mais discreta, com o longo cabelo solto e um vestidinho preto rodado.

Ela veio. E ela está... linda.


Jennie narrando:

ㅡ Eu vou matar você. ㅡ Murmurei pela milionésima vez quando eu e Mina entramos pelo portão de uma mansão de filmes americanos.

ㅡ Quero ver se você ainda vai dizer isso daqui uma hora. ㅡ Soyoon riu olhando em volta também.

ㅡ Eu não beber nem entrar na piscina.

ㅡ Você é uma chata. Fiquei aí, sedentária, porque hoje eu me acabo. ㅡ E ela saiu, me deixando sozinha no meio de pessoas totalmente desconhecidas.

ㅡ Se você ficar bêbada eu não vou te levar pra casa! ㅡ Gritei, mas não sei se ela ouviu. Não que a música "Wake me up" estivesse alta, mas haviam ali pessoas suficiente pra abafar totalmente meu grito.

Maravilha. Por que eu ainda sou amiga dessa garota?

ㅡ Jennie... ㅡ Alguém disse com o ar de surpresa. ㅡ Eu não imaginei que você fosse vir.

Me virei e encontrei Jungkook atrás de mim. Ele era da minha turma na faculdade e já tinha recebido monitoria comigo algumas vezes.

Estava com o cabelo molhado pingando e uma sunga preta. É claro que eram poucas pessoas que iriam rejeitar aquela piscina.

ㅡ Nem eu. ㅡ Respondi. ㅡ Espero que isso não seja tão chato quanto parece.

ㅡ Ah, eu tenho certeza que você vai se divertir. ㅡ Ele balançou a cabeça como um cachorro molhado tentando se secar. ㅡ Hm... eu posso pegar uma bebida pra você?

ㅡ Não, eu não bebo. Obrigada.

Ele inclinou a cabeça e franziu a testa curioso.

ㅡ Uma universitária em uma festa dessas que não bebe.

Sorri.

ㅡ Uma universitária estranha, pode dizer.

ㅡ Estranha não. Diferente. ㅡ Ele sorriu de volta pra mim. ㅡ Posso pegar algo pra você comer então?

ㅡ Claro. Se você não se incomodar.

ㅡ De jeito nenhum. ㅡ Ele ia passar por mim, mas se inclinou e beijou minha bochecha. ㅡ A propósito... você está linda.

Franzi minha testa olhando-o se misturar com a multidão.

Eu estou linda? De onde ele tirou isso? Ele com certeza deve estar bêbado...

ㅡ Achei que você não fosse vir porque não gosta de mim.

Um arrepio percorreu minha espinha quando a voz de Taehyung soou atrás de mim, então respirei fundo e me virei.

Quase perdi a força das pernas.

Ele estava com uma bermuda e sem camisa. Okay, eu não sou o tipo de garota que se impressiona facilmente com o físico de um homem, mas talvez eu achava isso porque ainda não tinha visto esse físico.

Caramba...

Jennie... se concentre e respire...

ㅡ Eu não vinha, mas minha amiga me obrigou. ㅡ Tentei manter minha voz firme e, felizmente, consegui soar fria e segura de mim mesma.

Maravilhoso, agora eu tenho que lhe dar satisfações da minha vida.

Odeio ter que engolir minha língua.

ㅡ Me lembre de agradecer sua amiga mais tarde.

ㅡ Pode ir, ela deve estar lá dentro se entupindo com as porcarias que você comprou.

Ele sorriu. Eu odeio esse sorriso.

ㅡ Não agora. ㅡ Levantando o queixo, ele apontou para algo às minhas costas. ㅡ Ele é o pai dela?

Franzi minha testa e olhei pra trás. Só o que vi foi a multidão se divertindo, ninguém em especial.

O sorriso de Taehyung havia desaparecido, mas eu não entendi sua pergunta.

ㅡ Quem?

ㅡ Jungkook. Ele estuda com você, não é? Ele é o pai da menina?

Levei um segunda pra entender que ele falava da Nya.

Tentei não rir. Em vez disso, franzi minha testa com uma expressão concentrada.

ㅡ E se for? Por que isso iria te interessar?

ㅡ Não me interessa, só estou... surpreso.

ㅡ Não devia. Está cada vez mais comum ver garotas grávidas aos dezoito anos.

Ele levantou as sombracelhas.

ㅡ Só não achei que você fosse uma delas.

ㅡ Talvez seja porque você não me conhece. ㅡ Beleza, agora nem eu estava me reconhecendo.

O que eu estava fazendo?!

ㅡ É... talvez.

ㅡ Hey... ㅡ Ouvi a voz de Jungkook ao mesmo que senti sua mão na minha cintura. ㅡ Isso serve?

Ele me estendeu um tipo de mini-hambúrguer com a outra mão e eu aceitei, sem fazer questão de se afastar do seu toque.

ㅡ Obrigada.

Só aí ele percebeu ter notado a presença de Taehyung.

ㅡ Boa noite, cara. Bela casa.

Taehyung ficou olhando pra ele por um tempo. Eu posso estar enganada, mas considerando aquele olhar, ele podia facilmente estar considerando dar um soco na cara do Jungkook ou quebrar seu pescoço.

De qualquer forma, sejam quais fossem seus pensamentos, não deviam ser bons.

ㅡ Obrigado. ㅡ Ele disse depois de uns trinta segundos o encarando, então olhou pra mim. ㅡ Vou deixar vocês... sozinhos. Espero que se divirtam. ㅡ E saiu, sem nenhuma sombra de sorriso.

ㅡ Ele não é seu namorado, é?

Quase engasguei com o pedaço de mini-hambúrguer que estava na minha boca.

ㅡ Taehyung?! ㅡ Eu ri. ㅡ Você imagina mesmo Taehyung namorando alguém?

Jungkook deu de ombros.

ㅡ Não. Mais parece que o ciúme dele atingiu nível máximo.

ㅡ Bobagem.

De afastei do toque de Jungkook de maneira natural, com total certeza de que ele realmente estava bêbado.


Taehyung narrando:

Meu primeiro instinto ao ver Jungkook abraçar a cintura da Jennie quando chegou vestido apenas com sua sunginha ridícula, foi usar um dos inúmeros golpes de karatê da qual eu sou bom pra vê-lo voar pelo meu quintal, e não há palavras que possam descrever o quanto eu tive que me controlar pra não levar essa idéia adiante.

No tempo em que eu fiquei encarando depois que ele elogiou minha casa, devo ter repetido a mesma frase mentalmente um zilhão de vezes:

"Se você matar ele, vai deixar uma criança sem pai."

Acho que foi isso que me segurou.

ㅡ Obrigado. Vou deixar vocês... sozinhos. ㅡ Espero que se divirtam.

Isso foi oque saiu da minha boca, mas mentalmente, a frase que ecoou foi: "Espero que morra engasgado com alguma bebida."

Me afastei deles se conseguir entender minha reação.

Mas que merda estava acontecendo comigo?! Eu já fiquei com umas duzentas garotas, mas nenhuma delas me fez sentir como um adolescente descontrolado no ápice da puberdade. Só a Jennie.

O problema, é que eu sequer fiquei alguma vez! Ah, é claro, ela tem filha! E um namorado! E eu estou com ciúmes dela com seu próprio namorado!

Okay, estou ficando mais louca que ela.

ㅡ Taehyung, você está estranho... ㅡ Yoongi disse ao me ver entrar pela cozinha.

ㅡ Me erra. Eu só preciso de uma bebida.

Ou duas. Ou três.

Quando me dei conta, já devia ter esvaziado no mínimo oito latas de cerveja e alguns copos de whisky.

ㅡ Ei, lindinho... quer que eu te leve para o quarto? ㅡ Uma menina (ou eram duas idênticas?) Disse que aproximando de mim, e eu soube que a intenção dela não era só me colocar na cama.

Eu ri e levantei um dedo debilmente.

ㅡ Primeiro... ㅡ Falei com uma voz arrastada. ㅡ Não sou lindinho. Tire esse... inho... do final da palavra. Segundo... ㅡ Levantei outro dedo e olhei pra ela(s) por um tempo. ㅡ Eu não vou aguentar... vocês duas... agora.

Elas riram ao mesmo tempo e do mesmo jeito. Elas ensaiaram isso antes de vir pra cá?

ㅡ Tudo bem... ㅡ Disseram, e as duas se aproximaram de mim e colocaram a mão em meu peito. ㅡ Só deixe... hm... nós duas te levar pro quarto. Vamos cuidar de você.

Se eu deitasse, a probabilidade de eu conseguir me levantar antes de de dormir era quase nula e essa idéia era terrivelmente tentadora. O problema é que, duzentas pessoas que estavam na minha casa, eu conhecia apenas três delas.

Sim, consegui pensar em tudo isso mesmo com o álcool preenchendo a maior parte do meu cérebro, e isso inevitavelmente me fez ficar orgulhoso de mim.

ㅡ Me desculpem, gatas... mas eu não vou poder... deitar... agora. Deixe seu tele... tele... telefone. Eu ligo pra vocês duas.

Elas suspiraram, então se viravam e foram embora. Com certeza já deviam ter percebido que não iriam conseguir extrair muita coisa de mim.

ㅡ Taehyung. ㅡ Dessa vez era Hoseok. ㅡ Cara, essa deve ser a melhor festa que eu já fui. Batizei todos os quartos que estavam abertos, inclusive o do... Lucas. Tinha esse nome na porta.

Lucas. Meu irmão adotivo. O pirralho que veio estragar minha vida.

Hoseok podia ter tacado fogo no quarto dele que eu não iria reclamar.

ㅡ Você parece péssimo. ㅡ Ele disse e riu. ㅡ Deixe-me contar uma coisa que vai te acordar. Você consegue acreditar que a nerdzinha que te negou monitoria tem uma filha?

Ele tinha razão. Isso me acordou.

Não a informação, mas o fato que ele sabia.

Olhei pra ele tentando fazer meu cérebro funcionar normalmente.

ㅡ Quem... te contou?

ㅡ O Yoongi. O Jimin descobriu de algum jeito e contou pra ele, daí o filha da puta saiu espalhando pra todo mundo.

Saí da sala trocando as pernas, me apoiando nos móveis para me manter em pé.

ㅡ Ei, mano. Onde você vai?

Não respondi. Com muito esforço, consegui alcançar a porta que dava pra piscina e encontrei Jennis sentada em uma das mesas do quintal conversando com o panaca do Jungkook. Tudo estava turvo e embaçado... maldito álcool!

Eu precisava alcançá-la. Por algum motivo além da minha explicação, precisava falar com ela que a faculdade inteira sabia que ela tinha uma filha e eu não tinha nada a ver com o motivo da notícia ter se espalhado.

Ou tinha?

Dane-se. Eu só precisava falar com ela.

Comecei andar em sua direção, mas me detive quando sua amiga, a garota de vermelho, chegou primeiro e falou algo em seu ouvido. Elas conversaram brevemente, então Jennie falou alguma coisa pro idiota do Jungkook que parece ter ficado um pouco chateado, mas balançou a cabeça e jogou um beijo pra ela.

Jennie se levantou e estava prestes a sair pelo portão quando se virou e varreu o meu quintal com os olhos rapidamente até me encontrar.

Nossos olhares se prenderam por um milésimo de segundo, e mesmo com o álcool nublando meu cérebro, eu ainda consegui ter certeza de duas coisas: Ela já estava ciente que toda faculdade sabe que ela tem uma filha... e ela acha que a culpa é minha.


Jennie narrando:

Eu não imaginava que Jungkook poderia ser tão agradável.

Enquanto estávamos sentandos em uma das mesas vazias e quietas do enorme quintal, um conversa tranquila e serena fluiu entre a gente. Conversamos sobre nossos sonhos, sobre provas da semana, sobre os pais dele, sobre a família dele...

Ele achou estranho eu não querer falar sobre a minha família, mais não discutiu.

Não era por mal. Eu nunca falei isso pra ninguém, nem pra Soyoon. O máximo que ela sabe sobre mim, e que eu não tenho uma mãe e Nya é toda família que eu tenho. Nada mais.

De qualquer modo, Jungkook parecia ser um bom amigo. Ele me fez rir algumas vezes ao contar histórias engraçadas de sua vida, e eu o fiz rir por motivos que eu nem conhecia. Em nenhum momento ele pareceu estar enjoado da minha companhia. Tampouco se insinuou pra mim de alguma maneira. Isso me deixou confortável.

ㅡ Jennie... ㅡ Me virei quando ouvi Soyoon chamar meu nome. Ela se inclinou para falar no meu ouvido. ㅡ Uma garota perguntou se é verdade que você tem uma filha. Você falou isso pra alguém?

A imagem de Taehyung cruzou minha mente. Eu não acredito que ele fez isso.

ㅡ Alguém mais sabe disso? ㅡ Perguntei.

ㅡ Eu acho que a faculdade inteira. Como se espalhou?

Balancei a cabeça.

ㅡ Deixa pra lá. Quero ir pra casa. ㅡ Me virei para Jungkook. ㅡ Foi bom conversar com você. A gente se vê na Universidade.

Ele parece ter ficado levemente decepcionado, mas apenas me mandou um beijo antes de eu sair com a Soyoon procurando Taehyung com os olhos.

Ele estava perto da porta de entrada, levemente curvado, ms olhando como se esperasse alguma coisa de mim. Estava bêbado.

Odeio pessoas bêbadas.

Eu o odeio.

(...)

ㅡ Tem razão. Você não devia ter ido. ㅡ Soyoon disse depois que chegamos em casa e nos despedimos da Jisoo.

ㅡ Não tem problema. Essa história não pode me atrapalhar mesmo.

ㅡ É, mais agora todo acha que você tem uma filha.

ㅡ E daí? Ninguém não tem nada a ver com a minha vida.

ㅡ Acontece que você é a garota mais santa que eu conheço, Jennie. Eu duvido que você se quer já tenha beijado alguém, quanto mais... ter transado com alguém.

Arregalei os olhos, e tentei responder o mais naturalmente possível.

ㅡ Deixa pra lá. Esquece Isso, tá legal?

ㅡ Me desculpa ter te obrigado a ir.

Revirei os olhos.

ㅡ Boa noite, Soyoon.

Ela suspirou.

ㅡ Boa noite.

Minha amiga entrou para o quarto e eu me sentei na frente dos livros.

(...)

Acordei com um barulho vindo do lado da minha cama.

Abri os olhos e encontrei Nya brincando com alguns ursos, panelinhas de plástico, areia e água. Nem é preciso dizer a baderna que estava meu quarto.

ㅡ Nya...?

Ela levantou seus grandes olhos pra mim.

ㅡ Ei, mamãe. Eu te acodei?

Balancei minha cabeça.

ㅡ Eu já pedi pra você não brincar com água.

ㅡ Mas... a Jizo e o Zozé pecisava tomar banho.

Esfreguei os olhos pra eliminar o sono. Realmente, os ursinhos estavam encharcados.

ㅡ Onde você pegou area?

ㅡ No vaso de pantas da tia Sô.

ㅡ Ela sabe disso?

ㅡ Não. ㅡ Nya balançou a cabeça. ㅡ Ela tá dumindo. Mais ela não vai bigar, ela é bouzinha.

Franzi minha testa.

ㅡ Então... não foi ela que pegou água pra você?

ㅡ Não, eu peguei suzinha.

Estreitei meus olhos.

ㅡ Onde?

ㅡ Na pivada.

Quase caí da cama.

ㅡ O que?

ㅡ É pôque eu não cusigo alcançar a tônela mamãe.

Não respondi. Apenas fiquei olhando pra ela sem reação.

Ela abaixou a cabeça como se tivesse percebido seu erro.

Dipupa.

ㅡ Joga essa água fora, Nya. E pega o pano pra limpar essa bagunça.

Ela se levantou com o copinho de água e saiu pela porta, depois voltou com um pano e começou a esfregar o chão. Ao invés de limpar, estava sujando ainda mais.

Suspirei.

ㅡ Me dá isso aqui. ㅡ Disse me levantando. ㅡ Coloque seus ursos pra lavar, eu termino de limpar.

ㅡ Eu zá dei banhos neles, mamãe.

Olhei com cara feia pra ela.

ㅡ Deu banho neles com água da privada, Nya. Vá colocar eles pra lavar. Agora.

Ela amuou, pegou os ursinhos e saiu pela porta novamente.

Meu Deus... o que eu faço com a minha irmã? 


Notas Finais


Fiquem com a criatividade de vocês para imaginarem o vestido da Jennie. 😌


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...