1. Spirit Fanfics >
  2. Primeira Vez (Catradora) >
  3. Capítulo único.

História Primeira Vez (Catradora) - Capítulo 1


Escrita por: heavenus_

Notas do Autor


Olá! Sejam mais que bem-vindos a mais uma fanfic hot. Dessa vez eu tentei explorar um pouco mais outros aspectos, espero que gostem!

Capítulo 1 - Capítulo único.


Fanfic / Fanfiction Primeira Vez (Catradora) - Capítulo 1 - Capítulo único.

Catra e Adora finalmente haviam se casado, finalmente estavam morando juntas e finalmente poderiam… bem, transar o quanto quisessem.


Isso se não fosse por parte de Adora.


A loirinha era exigente quando se tratava de sexo. Pra início de conversa, não queria fazê-lo antes de se casar. Catra havia esperado por anos de namoro — 3, para ser exato — para finalmente poder ter o seu momento com Adora.


No entanto, Adora nunca havia feito aquilo antes, estava com medo. Dizia sempre "quero esperar o momento certo", mas ele nunca chegava. Ainda mais com Adora sendo a primeira paixão de Catra.


Catra, de fato, sempre foi apaixonada por Adora. Começou como uma leve e inocente paixão de criança, que evoluiu para uma atração romântica que evoluiu para atração sexual. O problema é que Catra só foi perceber que estava apaixonada por Adora na última "fase".


— — — — —


Adora estava chegando do trabalho. Catra estava de férias, então apenas Adora mantinha a casa no momento — o que não era um problema.

Assim que abriu a porta, Catra sorrateiramente chegou por trás da loira e a abraçou. 


— Hey, Adora~


— Olá, am-


Catra nem mesmo deixou Adora terminar de falar. Beijou o pescoço da mesma com vontade. Começou pela nuca e abaixou para os ombros, em seguida mordendo-a de leve em uma região sensível.


— Catra!!


— Shhh. 


— Catra, ainda não.


— Vai, amor. Eu estive esperando por isso uma vida toda, quanto tempo vai demorar pra você "ficar pronta"? 


Adora parou. Catra parecia ser paciente, essa foi a primeira vez em que falou o que realmente sentia sobre o assunto com tanta sinceridade. Pra falar a verdade, Adora também estava com vontade de fazer aquilo com Catra, só tinha receio pela dor que poderia sentir.


— Eu vou tentar ser gentil com você, okay? — Catra sussurrou no ouvido de Adora.


Adora se desfez dos braços de Catra e se apoiou no sofá sem dizer nada, lentamente tirando a blusa e a camiseta. Catra parecia eufórica.


"Será que vai ser agora?! Isso é um sim??!!" 


Bom, era.


Catra se aproximou lentamente de Adora e a abraçou pela cintura, beijando-a carinhosamente. Adora retribuiu ao beijo, dando seu melhor para aproveitar cada momento e para manter a calma nessa nova experiência.


A felina levantou as mãos até os botões do sutiã de Adora e os desabotoou rapidamente, sem interromper o beijo. Assim que se desfez dos lábios macios da loira, olhou para os peitos de Adora quase como se fosse devorá-los. Não podia deixar de pensar no quão sortuda era.


Se abaixou e encaixou a boca no seio esquerdo de Adora enquanto estimulava o direito com a mão. Começou como um estímulo lento e carinhoso que aos poucos evoluiu para algo mais intenso. 


Adora tentava segurar os gemidos, tarefa difícil estando nas mãos de Catra. Sempre que deixava escapar algum, Catra sempre prestava atenção no que havia feito e intensificava o ato em específico, tudo pelo prazer de Adora. No entanto, Catra também estava aproveitando. Estava sendo um momento prazeroso para ambos os lados. 


Catra desceu mais um pouco e ajoelhou-se no piso de madeira. Abriu a calça de Adora e a abaixou, dando um beijo na virilha da loira ainda por cima da calcinha. 


— Escuta, não se assuste com o que eu vou fazer aqui, okay? Apenas… apenas confie em mim. Eu prometo que você vai ficar bem.


— ...Promete?


— Prometo.


Catra abaixou a calcinha de Adora até o chão. Adora se encontrava completamente nua, uma belíssima visão para sua esposa que, com cuidado, passou a lamber o clitóris de sua companheira. 


Adora não conseguia mais segurar os gemidos:


— Catra, por favor, continue!


Cada palavra que Catra ouvia servia como combustível para que a mesma explorasse o clitóris de Adora com a língua, ansiosa, animada, talentosa e insaciável.


Adora já havia chegado ao ápice quando disse, entre mais e mais gemidos:


— Catra, eu… eu quero te fazer sentir prazer também. 


Catra não parou nem para responder sua parceira. Para ela, Adora já estava fazendo o suficiente simplesmente recebendo suas carícias. 


— Catra, estou falando sério. Por favor, deixe-me fazer isso com você também.


Dessa vez, a felina interrompeu o ato.


— Adora, você já está fazendo o suficiente.


— Não! Eu quero estimular você também.


Catra não tinha outra opção a não ser ceder. Era teimosa, mas sabia que a primeira vez de Adora tinha de ser especial. 


— Tudo bem, vamos fazer isso… juntas. Apenas faça o que eu fizer, entendeu?


— Okay, eu vou tentar.


A felina também tirou a camiseta, a calça e a roupa íntima e deu um beijo em sua esposa. Catra passou as mãos pelo corpo de Adora até chegar novamente em seu clitóris. Com a mão esquerda, segurou o seio da loira e estimulou os dois pontos ao mesmo tempo. Adora fez o mesmo que Catra, tentando ao máximo imitar seus movimentos.


— Isso, Adora… aí, continue nesse ponto com movimentos circulares e de vai-e-vem… assim mesmo — Sussurrava Catra no ouvido de Adora, também passando a gemer.


Para a primeira vez, Adora estava se saindo muito bem. Possuía habilidade com as mãos e era jeitosa, sabendo bem como replicar os movimentos de sua companheira.


Ambas se estimulavam juntas e Adora estava pegando cada vez mais o jeito da coisa, fazendo com que Catra também estivesse sendo levada ao delírio. Catra beijava Adora com gosto entre os gemidos. Depois de certo tempo, finalmente as duas foram levadas a ter um orgasmo — ao mesmo tempo.


— Você… teve um orgasmo múltiplo, não é?


— T-tive... — Respondeu Adora, ofegante.


Ambas foram para sua suíte de casal e tomaram um banho juntas, ainda entre vários beijos, se vestiram e foram para a cama.


— E então, o que achou?


— É… incrível, quase como magia. Eu não imaginava que seria tão bom assim.


— Pois é, e não doeu nada, viu?


— ...Nossa, verdade! Haha, acho que você estava certa, deveríamos ter feito isso antes.


Catra encarava Adora, sorrindo e sem dizer uma palavra sequer.


— ...O que foi, amor? — Perguntou Adora.


— Nada, eu só… te amo muito.


— Eu também te amo, Catra.



Notas Finais


E então, gostaram? Se tiverem sugestões (Adora top, por exemplo) ou fanfics que vocês gostariam de ler (estilo colegial, por exemplo) é só me pedir!

Beijos e obrigado por ler 💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...