História Primeiro - Taegi - Capítulo 1


Escrita por: e YOONGGINA

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga)
Tags Dreamcity_, Firstdate, Firstkiss, Firstlove, Taegi, Taehyung, Tema Bimestral, Yoonggina, Yoongi, Yoontae
Visualizações 82
Palavras 1.997
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, LGBT, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorei para mandar a estória para postagem, mas aqui estamos nós! Agradeço a @xNanax pela betagem e pela paciência com a minha burrice e cegueira ao escrever, a ADM por ter tamanha compreensão com a demora da postagem e a capista maravilhosa que não achei o arroba (desculpa meu amor).

Essa é a minha primeira fanfic no projeto, então peço que me perdoem pelo, talvez, conteúdo pesado, por mais que eu não ache isso.

Enfim,,, bebam água e boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo Único;


Fanfic / Fanfiction Primeiro - Taegi - Capítulo 1 - Capítulo Único;

O homem à minha frente tinha cabelos tingidos de loiro e a sua voz grossa me dava ‘arrepios e, se possível, mais tesão. Seu beijo me levava à loucura, junto com suas mãos que sempre apertava minha bunda ou suas mordidas em meu pescoço que sempre me fazia suspirar. Era uma delícia ficar na sua companhia porque sempre acabaríamos assim; em nossa cama, eu gemendo seu nome e ele o meu. Kim Taehyung era o nome em que fazia questão de gemer alto sempre que podia ou baixinho entre nossos beijos.

Ele havia sido a primeira pessoa que tinha beijado entre meus 14/15 anos de idade e não me arrependo de ter beijado meu melhor amigo e, se pudesse voltaria ao tempo para repetir. Quando éramos mais novos, ele queria aprender a beijar para não passar vergonha na frente de uma menina em que era afim, e como um bom hyung me ofereci para ajudar, mas não sabia que isso viraria um vício. Todos os finais de semana passamos juntos só para podermos desfrutar dos lábios um do outro.

Assim que cheguei a maioridade, terminei a escola e arranjei um emprego rapidamente, e com o salário que recebia consegui alugar um apartamento e comprar aos poucos as coisas para o meu novo lar, e tive que arrastar o Kim para morar comigo, que fazia um bico nos finais de semana para ajudar a pagar o aluguel ou comprar alguma coisa para podermos jantar. Anos depois consegui fazer a faculdade que tanto queria e me formei em medicina, arranjando um trabalho fácil em um dos melhores hospitais da capital. 

Mesmo passando alguns perrengues, o Kim nunca desistiu de morar comigo e agradeço muito aos anjos ou qualquer coisa do tipo por isso. Com o novo emprego e com um salário mais recheado pude comprar uma casa bem maior e mais coisas para decorar a mesma, e também pude ajudá-lo a pagar sua faculdade de direito, e vê-lo tão feliz me deixava feliz também. O nosso primeiro beijo foi o que deu início a tudo que temos hoje e sempre digo isso a ele, mas ele nunca concorda comigo. Otário.

O dia havia sido cansativo para mim, ficar dois dias direto de plantão era super cansativo mas teria o dia seguinte de folga e passar a noite com Taehyung era a melhor parte do meu dia. Quando cheguei em casa fui recebido da melhor maneira possível, com direito a jantar a luz de velas e tudo. Hoje era o dia do nosso primeiro beijo e do nosso aniversário de 5 anos de namoro. Praticamente estamos juntos há 10 anos. E saber que ele ainda se lembra me deixa tão feliz, mesmo eu esquecendo às vezes.

Depois do nosso jantar maravilhoso, ficamos assistindo um filme de ação que gostamos bastante e fomos tomar um banho de banheira juntos, coisa que demoramos para fazer já que o nosso fogo cresceu. Dois dias sem sentir o corpo do Kim junto ao meu era triste e a carência falava tão alto, e ele percebeu e tentou me acalmar com o seu corpo forte e bronzeado. E sem estar satisfeito, continuamos na nossa grande cama de casal e sentir seu corpo nu sobre o meu agora me tirava do sério.

– Taehyung… – gemi seu nome entre o beijo, chupando seus lábios como seu fosse a minha bala favorita. Minhas pernas rodearam sua cintura fina e seu íntimo estava se esfregando ao meu, me fazendo suspirar ainda mais com a fricção. – Deixa o hyung ficar por cima hoje, hm?

– Faz tempo que eu não fico por cima. – parou com os seus movimentos, apoiando os braços na cama para poder me olhar. Por que ele parou de se mexer? Estava tão gostoso.

– Você pode ficar por cima a vontade, mas quicando. Vai logo!

– Yoongi, eu não quero ser o passivo hoje! Faz tanto tempo que eu não sinto esse lugarzinho me apertando. – e levou seus dígitos, um gemido alto saiu da minha garganta quando ele começou a brincar com algo tão sensível. – Deixa eu te sentir de novo, quero te foder com tanta força…

Mais uma vez eu caí nos encantos desse cretino loiro com a voz grossa. Lá estava eu, deitado de bruços, sentindo seus dedos ir e vir dentro de mim, e os meus gemidos altos estavam sendo abafados pelo travesseiro de fronha cinza. Seus dedos longos tocava os lugares certos e não fazia esforço algum para achar aquele ponto tão gostoso dentro de mim e focar só ali, quase me fazendo gozar.

Quando eu vi assisti o meu namorado fodendo o meu melhor amigo foi como ter ido do céu ao inferno, Taehyung conhecia o corpo esbelto e tatuado do meu amigo como eu conhecia, já que não era a primeira vez que fizemos um ménage. Gostávamos de sempre apimentar a nossa relação e às vezes transavamos com alguns amigos do Kim ou com Jimin, e nunca tive ciúmes algum, Taehyung sempre foi fiel e sei que nunca me trocaria.

Sua mão livre tocava todo meu corpo e sua boca fazia questão de chupar meu pescoço ou minhas nádegas, fazendo meus gemidos ser música para os seus ouvidos. Quando ele parou de movimentar os dedos soube que teria o doce que sempre amei, e quando ganhei, fiz questão que todos ouvissem. Ele ia e vinha dentro de mim com uma facilidade absurda, o corpo alto de Taehyung se encaixava perfeitamente com o meu que era o contrário, e seu quadril batendo contra o meu corpo era alto junto com os suspiros do mais novo.

Fiquei de bruços, de quatro, em pé, de barriga pra cima, quicando, ou qualquer outra posição que você possa imaginar, e quando acabamos já era de madrugada mas nada impediu de continuamos após acordar. Amava sentir aquela dorzinha nas costas ou no quadril, isso era uma das demonstrações de amor que Taehyung me dava, e eu fazia questão de querer todos os dias.

– Que puta rabão gostoso. – deu um tapa forte na minha bunda, segurando a mesma depois e fazendo meu corpo se mexer sobre o seu. Estávamos vendo um filme qualquer que passava no canal favorito do mais alto, comigo em seu colo como fazíamos e do nada seu foguinho no rabo cresceu como sempre. – Queria mais um pouco dessa bunda se esfregando no meu pau.

– Eu estou todo dolorido, amor, não bate. – dou um beijinho eu seu pescoço, mas ele ainda forçava a minha cintura se esfregar na sua e a minha sanidade ia embora aos pouquinhos.

– Como um belo masoquista que você é, não quer que eu pare, não é? – apertou novamente a carne, e as reboladas agora era por minha conta, e eu suspirava contra o seu pescoço cheio de chupões. – Nunca vou me cansar de dizer que você é tão gostoso, mas não chegará aos pés de eu dando pra você ou o contrário.

Nem me conhecia mais, sendo sincero com vocês. Minha mão já apertava o estofado do sofá atrás do maior e eu rebolava mais ainda contra si, sentindo aquele membro teso se esfregar entre a minha bunda, e quando levei a minha mão lá, seus gemidos começaram a sair alto. Taehyung era tão sensível aos meus toques, mesmo minha mão sendo pequena, dava tanto prazer como a sua mão me dava.

Nossos beijos eram rápidos e às vezes até babamos, já que Taehyung fazia questão de gemer para que eu pudesse ouvir e suspirar. Dessa vez eu fiquei por cima, e sentir o moreno arranhar as minhas costas e pedir pra ir mais rápido me tirou uma energia que nem sabia que tinha e fez dar tudo de mim para dar mais prazer ao meu menino, e quando consegui, fiquei mais roxo do que estava antes.

Ele era perfeito, e não digo isso só quando fazíamos amor ou coisa do tipo, mas em tudo. Ele é meu único melhor amigo, mesmo dando esse título a outra pessoa também, Taehyung era quem eu podia confiar de olhos fechados ou dar a minha vida caso a dele ficasse em risco. Ele era meu cúmplice, meu parceiro, meu amante, era sincero, sempre tentava me deixar feliz, me defende, me consolava, me dava conselhos. Ele era como uma pilastra para mim, e se ele caísse, eu caía junto. Sabia que era a mesma coisa para ele.

– Transamos tanto que nem vamos precisar fazer isso amanhã ou a semana toda. – ri do meu próprio comentário depois de ficar alguns minutos em silêncio, acariciando sua nuca e sentindo sua mão alisar as costas. – Mas quando eu chegar amanhã vamos transar de novo, não duvido.

– Canso de te dizer que não transamos, fazemos amor, e sempre faremos.

– Você é tão chato com essas coisas.

– Se eu quisesse transar faria com qualquer pessoa, Yoongi, até com aquele seu primo militar. Seokjin, né? – fala e eu solto uma gargalhada, não levando o seu comentário a sério porque sabia que ele estava me testando novamente. Ele tentava me fazer sentir ciúmes quando falava dos meus primos, mas não surtia efeito e ele ficava muito puto. – Que pena que não acredita, poderia ficar horas encarando o físico desse homem.

– Fica, ué. Só não sei se vai ficar encarando estando vivo ou morto, já que o Jimin ia acabar te matando. – rio ao lembrar daquele moleque de cabelos azuis batendo num cara na rua quando ele falou gracinhas para o meu primo. Nunca vi Jimin tão puto e Jin se mijar de rir. – Agora, se não se importar, seu homem vai tomar um banho e pensar naquele seu amigo da academia.

Recebo um tapa novamente na bunda e me levanto, desfilando até o banheiro e ouvindo os passos rápidos de Taehyung atrás de mim, me abraçando por trás quando chegamos ao banheiro, mordendo a minha orelha enquanto ria das marcas que se destacavam na minha pele pálida. Assim como Kim tentava me fazer ciúmes e não dava certo, isso acontecia comigo e acabávamos rindo depois, ou ligando para um desses seus amigos da academia para transar conosco. 

Deixei que ele lavasse os meus cabelos e minhas costas, fazendo o mesmo consigo depois e deixando um beijinho sobre a sua tatuagem vermelha no dedo mindinho. A famosa tatuagem de soulmates. Voltamos a assistir o final do filme assim que terminarmos o nosso demorado banho, meu namorado fazia carinho entre as minhas coxas e com a outra mão alisava minha lombar por debaixo da camiseta preta grande, e continuou assim até o almoço, jantar e hora de dormir.

Taehyung não sabia fazer carinho nas pessoas, e mesmo que isso pareça impossível, ele simplesmente não conseguia, mas se esforçava por mim e eu agradecia sempre. Mesmo que suas demonstrações de carinho seja como uma iniciativa para fazer sexo, não era, e eu as amava como amava o menino que conheci e o ensinei a beijar pela primeira vez.

No dia seguinte eu teria que acordar cedo junto com Taehyung, o levaria para a faculdade e o buscaria na hora do meu almoço para comer comigo, depois o levaria para a academia e voltaria a trabalhar, voltando a ver o meu neném só de noite. Era essa a nossa rotina, e quando eu ficava de plantão ou ele fazia trabalho na casa de algum amigo quase não nos víamos, e matávamos a saudade como fizemos no dia anterior, repleto de amor e gemidos.

Eu amava esse menino mais que tudo na vida, e ele agradece todos os dias por eu ter o ajudado a beijar, a morar comigo, a ajudar a pagar sua faculdade e o amar. Taehyung foi o meu primeiro beijo, o primeiro a receber o meu "eu te amo", o primeiro a me amar do seu jeitinho. Seu jeitinho irritante e safado me tirava do sério de jeitos diferentes, como a sua voz grossa fazia quando brigávamos ou quando gemia. E por mais que essa pequena declaração insinua sexo, não me importo, já que também amava o jeito que o fodia ou como me fodia.


Notas Finais


Amores, espero que tenham gostado, essa foi uma das estórias que escrevi mais detalhadamente possível, mas caso não entendam algo, eu posso explicar nos comentários.

É mais fácil duas pedras no caminho do que uma rocha no rim, bebam água, ok? Ok.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...