História Primeiro amor (Fillie e amigos) - Capítulo 79


Escrita por:

Postado
Categorias Stranger Things
Personagens Chefe Jim Hopper, Dr. Martin Brenner, Dustin Henderson, Eleven (Onze), Jonathan Byers, Joyce Byers, Lucas Sinclair, Maxine "Max" Mayfield / "Madmax", Mike Wheeler, Personagens Originais, Will Byers
Tags Caleb Mclauglin, Fillie, Finn Wolfhard, Gaten Matarazzo, Iris, It Cast, Mileven, Millie Bobby Brown, Noah Schnapp, Romeo Beckham, Sadie Sink, Sophia Lillis, Stranger Things
Visualizações 317
Palavras 2.810
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa tarde, espero que gostem desse capitulo novinho para vocês... beijinhos.

Capítulo 79 - Nós não somos nós.


POV NOAH

Estávamos todos reunidos para o café da manhã, o assunto do dia era Millie e Sadie, principalmente Millie. Ambas haviam acordado mais cedo que o restante de nós, ontem quando fomos dormir, vimos Millie e Sadie, mas hoje acordamos e demos de cara com Eleven e Max. Sadie havia cortado os seus longos cabelos ruivos, agora seus cabelos acobreados caiam sobre seus ombros em ondas mais evidentes que antes, o corte era reto e preciso. Sinceramente? Estava acostumado com os cabelos longos de Sadie, ela ficava linda do jeito que estava, mas se Max precisava de cabelos mais curtos, então ela se dispôs a cortar, mas a própria já afirmou estar ainda se sentindo estranha a respeito do novo corte de cabelo.

Já Millie que andava satisfeita com seus cabelos médios, agora voltou a ter cabelos curtos, e mais claros! Sim, ela precisou pintar o cabelo para dar vida a Eleven, e parecia estar em êxtase por ter voltado a usar os cabelos curtos. Desde que raspou a cabeça, parece que a possibilidade de voltar a ter cabelos longos jamais passou por seu pensamento novamente. Confesso que me é estranho imaginar Millie de cabelos longos, é quase impossível.

Em todos os lados haviam grupos separados conversando sobre assuntos variados. Estava uma barulheira. O grande salão estava repleto de mesas, e ao fundo havia uma mesa enorme repleta de comidas.

- O Finn já chegou? – Millie pergunta de repente. Eu me assusto por que há um segundo atrás ela estava do outro lado do grande salão.

- Millie, talvez seja melhor você ir com calma, senão as pessoas vão começar a achar que você não ama tanto esse seu namorado quanto você diz! – digo com sarcasmo.

- O quê? Olha, isso não tem nada a ver. Eu amo sim o Jacob, okay? Eu só estou querendo ver o Finn. Somos amigos, não há mal nenhum nisso. – Ela se defende.

- Aham... então você ama o Jacob, mas na verdade está ansiosa para ver o Finn? – eu pergunto ironicamente.

- Eu amo o Finn também... – ela diz e eu a olho de repente.

- E você reclama de metade do planeta shippar Fillie? – digo rindo.

- É diferente, Noah! Ele é só meu amigo, tipo você! – ela insiste na história do amigo.

- AHAM! Okay, Millie. – Falo e ela me olha como se pedisse trégua.

- É sério! – ela fala.

- Certo, pois olha lá quem chegou! – digo apontando para Finn que acabara de chegar junto de Eric, Mary e Nick.

Eles são recebidos com muitos abraços, agora sim estávamos completos, olho para Millie, e ela parece estar paralisada, ela permanece o olhando, me pergunto se ela está respirando, olho de volta para Finn e percebo que o mesmo já notou Millie paralisada ao meu lado, é estranho estar nessa posição, de ver seus dois amigos se encarando a distância, e mesmo que não tenham trocado uma única palavra, aqueles olhares trocados naquele momento diziam tanto! A quem eles queriam enganar? Finn sorri e Millie corresponde com um sorriso leve, Finn é surpreendido por um abraço rápido de Caleb que só agora percebo que estava sumido com Sadie, esses dois! Eles desconectam o olhar e Finn dá atenção a todos que estão junto a ele e sua família.

- Então... você e o Finn são amigos igual a NOSSA amizade? – pergunto com um sorriso irônico.

- O quê? – ela me olha de repente desentendida.

- Você quer dizer que o jeito que você olha para o Finn é igual a quando você me vê? – pergunto já aguardando ela mentir e afirmar.

- O que você quer afinal, Noah? – pergunta ela aparentemente irritada.

- Quero que você admita que o que existe entre vocês não é só amizade. – Eu digo a confrontando.

- Você está ficando louco? – ela cruza os braços e me encara.

- Louco? Eu sou seu melhor amigo, Millie! E você vai dizer que me olha do mesmo jeito que olha para ele? – pergunto.

- Você está com ciúme? – ela pergunta com uma risadinha.

- Não! Millie, eu só quero que você se enxergue! Eu nem te reconheço mais, essa pessoa que está na minha frente não é a minha Millster... é só uma Millie inventada. Mas a menina olhando para o Finn, era a Millster. Entende? – tento fazê-la entender, mas eu sei que mesmo que ela tenha entendido, não admitiria.

- Desculpa, mas eu não acho que esteja diferente do que sempre fui, Noah. – Ela diz e eu me sinto triste, por que sei que lá no fundo, ela está também.

- Se você diz, eu não insistirei mais. – Desisto.

- Eu amo você, Noah. Não quero que as coisas fiquem diferentes entre nós. – Ela diz.

- É você quem está diferente, mas eu ainda amo a minha Millster. – Falo.

- Eu estou aqui. – Ela diz com os olhos marejados e eu abro os braços e ela se aninha, eu sei que no fundo é verdade, que lá dentro, a Millie que todos conhecemos e amamos, está bem trancada, por algum motivo, mas eu sei que em algum momento ela sairá de onde está.

- Atrapalho? – a voz de Finn soa ao nosso lado e nós nos afastamos do abraço.

- Você nunca atrapalha, Finn. – Digo e o abraço, mesmo percebendo seus olhos preocupados encarando uma Millie que tenta secar as lagrimas que deixou cair durante o nosso abraço. Me afasto e com um sorriso Millie o abraça. E eu me sinto feliz por eles, por meus melhores amigos.

- Está tudo bem? – ouço Finn sussurrar enquanto a abraça.

- Agora está. – Ela sussurra de volta.

 

POV MILLIE

Não poderia estar mais feliz, Finn havia chegado pela manhã, tomamos café juntos, tiramos fotos, porém não tivemos tempo algum de conversarmos, se bem que não tínhamos muito o que dizer. Já está de tarde e nós faremos hoje um take para a Netflix, todos entraremos pela primeira vez no set, confesso ter sentido saudades de estar aqui.

- Olha só, você não está chorando agora. – Finn diz aproximando-se de mim com as mãos nos bolsos. Ele fica ao meu lado, eu sorrio sem graça. – Eu quero realmente acreditar que está tudo bem Mills, mas eu te vi abraçada com o Noah e enxugando as lágrimas...

- Uh, é bobagem. Está tudo bem de verdade, Finn. Eu só estou muito feliz de estarmos de volta. – Falo.

- Certo... você sabe que pode contar comigo sempre, não é? – ele pergunta batendo de leve seu ombro contra o meu.

- Eu sei. – Sorrio e ele retribui.

- Ai meu Deus, estou ansiosa. – Sadie diz dando pulinhos a nossa frente.

- Nós também. – Eu respondo referindo-se a Finn e eu, e ela para de repente e nos olha com um sorriso maroto.

- Então quer dizer que “vocês” voltaram a ser “nós”? – ela meche as sobrancelhas sugestivamente.

- Sadie! – eu a repreendo enquanto Finn apenas ri sem graça. – Não ri Finn, parece brincadeira, mas ela está falando sério.

- Então vocês não vão me responder? – ela pisca o olho para Finn que rapidamente fica vermelho.

- Não, Sadie. “Nós” não somos “nós”. – Ele fala e rapidamente faz uma cara estranha, certamente percebeu o quão esquisito foi a frase que ele falou. – Quê?

- Okay, isso foi estranho. – Eu digo rindo.

- É eu sei. – Ele ri de volta.

- Ah, qual é. gente? Sério que querem que eu acredite nisso? – ela pergunta retoricamente, era obvio que ela nunca se daria por vencida. Antes que eu diga algo Shawn nos interrompe.

- Todos prontos? – ele pergunta a todo o elenco, todos confirmamos com um sonoro “sim”, e Finn anda ao meu lado e os demais nos seguem, seguimos juntos rumo a uma nova aventura.

 

POV KENZIE

Finalmente depois de quase um mês sem ver Johnny, hoje finalmente nos reencontramos, estou em Toronto, em sua casa e tive os quatro dias mais felizes da minha vida. Os pais de Johnny me adoram, sua irmã é minha melhor amiga, não podia estar mais satisfeita. Minha mãe permitiu que eu viajasse sozinha, estou feliz pela confiança que me foi dada. Johnny e eu agora estávamos deitados no gramado do quintal de sua casa, ele acaricia minhas mãos enquanto olhamos as estrelas.

- Não seria lindo se pudéssemos viajar até as estrelas? – pergunto.

- Ué, eu namoro a Cassie agora? – Johnny pergunta com um sorriso e eu recordo da cena que gravamos para o final da Season 1 de Total Eclipse.

- Bom, se levarmos em conta que a Cassie é interpretada por mim e que ela namora o Sam que é você e a melhor amiga dela é a Kate que é interpretada pela Lauren e que é sua irmã e minha melhor amiga e por acaso é irmã do Sam também... – falo sem parar.

- Okay, parece que a vida imita mesmo a arte. – Ele diz com aquele sorriso que a cada dia me lembra o por que de eu ama-lo tanto.

- Ou a arte imita a vida. – Digo e congelo ao perceber seus olhos nos meus.

- Eu estou muito feliz de você ter vindo até aqui ficar comigo por alguns dias. – Fala ele todo bobo.

- Eu fico feliz de podermos estar vivendo esse momento, estamos aqui sozinhos, o céu está lindo... está tudo tão perfeito que eu sinto medo. – Falo.

- Medo de quê? – pergunta ele confuso.

- De um dia acordar e perceber que tudo isso foi um sonho. – Digo me sinto uma tonta por estar falando uma besteira dessas. Ele ri. – Sou muito clichê, não é?

- Um pouco, mas eu acho lindo isso em você. Você é sensível, e é sincera com o que sente e com o que diz. – Ele fala olhando em meus olhos deitado ao meu lado.

- Eu acho tantas coisas lindas em você que eu poderia fazer uma lista. – Digo encantada.

- Eu não sei se eu já te disse isso, e talvez você até saiba, mas eu preciso falar. – Ele começa a dizer e eu fico nervosa.

- Aí, Johnny. Não me diga que é mais alguma amiga minha que você já ficou? – eu pergunto preocupada.

- Não. – Ele responde um pouco sem graça. – Não é sobre nenhuma amiga sua. É sobre você.

- Sobre mim? – pergunto surpresa.

- É. – ele sorri e cora um pouco.

- E o que seria? – pergunto interessada.

- É que eu estou completamente apaixonado por você. – Ele diz de repente.

- Sério? – me sinto lisonjeada.

- É tão difícil assim de acreditar? – pergunta ele.

- Não, é só que... nunca ninguém me disse isso. – Confesso.

- Bom... agora eu disse. – Ele diz olhando dos meus olhos para os meus lábios.

- Eu sou grata por ter dito. – Dito me aproximando.

Ele se aproxima e seus lábios encontram os meus delicadamente. Eu sorrio durante nosso beijo, nos afastamos e ele volta a deitar na grama, deito minha cabeça sobre seu peito e respiro fundo o ar frio da noite.

- Eu também sou apaixonada por você. – Sussurro.

- Eu sei. – Ele sussurra de volta.

 

POV FINN

Já começara a escurecer em Atlanta, eu esperava apenas meu pai para irmos até onde ficaríamos hospedados nesses próximos meses corridos. Meu pai me pediu que esperasse no portão, caminho até lá e percebo que Millie está sozinha falando ao celular, paro próximo a ela, mas ela parece não perceber minha presença.

- Claro que não estou irritada com você.... Jac... não seja bobo! Isso é incrível, e maduro da parte de vocês... Lembre-se que acima de tudo nós somos amigos... sim! – ela ri e meche no cabelo. Continua de costas para mim sem notar minha presença eu olho ao redor me sentindo constrangido, quero sair e ir embora, mas seria mais constrangedor ainda se eu virar as costas e ela finalmente notar minha presença quando eu estiver indo embora. Ela dá uma gargalhada. - Bom, fico feliz por vocês retomarem a amizade..., mas é só isso né? Digo, vocês decidiram ser só amigos mesmo, não é?... – Me sinto incomodado, ela está falando com aquele idiota, e aparentemente está com ciúmes de uma das amiguinhas dele. Eu mereço ter que ouvir isso? – Você sabe como as coisas funcionam, Jacob! Só não ferra tudo agora... Não me faça achar que isso tudo é um grande erro... Eu confio em você, sim... sim, ele chegou hoje, está tudo bem. Você confia em mim também, certo?... Ótimo! Ele e eu somos apenas amigos agora, não precisa se preocupar, não vou estragar as coisas. – Espera! Eu sou o “ele” dessa conversa? Será que é tarde demais para ir embora? Olho ao redor e decido que é melhor eu ir me afastando devagar. Mas antes de eu por o plano em ação, ela encerra a ligação e finalmente percebe que não está sozinha. – Finn?

Droga, droga, droga, Finn. Por que você não saiu enquanto era tempo?

- Oi, é... – puta que pariu, por que estou gaguejando. Tento pensar em algo para dizer, mas nada vem a minha mente. - Uh, desculpa, eu não queria te assustar, nem nada... – falo.

- Você não me assustou, é só que... eu não percebi você chegando. – Ela diz nervosa.

- Você estava ocupada demais para perceber. – Digo apontando para o celular em suas mãos.

- Faz tempo que você está aí? – ela pergunta e me olha como se estivesse envergonhada.

- Uh... não., se você quer saber se eu ouvi algo. Fica tranquila, eu cheguei agora, só não disse nada por que não queria te incomodar. Parecia uma ligação de alguém muito importante pela forma que você estava rindo, dava para ouvir bem dali. – Aponto para um ponto distante. Eu sei que não deveria mentir, deveria dizer que ouvi parte da conversa, que assisti a ceninha de ciúmes, mas achei melhor manter minha dignidade. Ela ri e olha para o celular em suas mãos.

- Não era tão importante assim, e mesmo que fosse... você nunca incomoda, Finn. – Ela diz com um sorriso de lado e eu retribuo o sorriso.

Okay, por que ela diria que o namorado não era alguém importante? Devo me agarrar a isto ou ela estava dizendo isso para não me constranger de tê-la encontrado falando com ele ao telefone? Eis uma questão que talvez eu nunca saiba responder.

- Amanhã nós conheceremos nossos trailers. Será que são os mesmos da Season anterior? – puxo assunto.

- Não, acho que não... eles disseram “novos trailers” então acho que vai ser diferente dessa vez. – Ela fala.

- O seu com certeza será o maior e mais esplendoroso de todos os trailers. – Digo implicando, pois Millie se incomoda quando insinuamos que ela é privilegiada no set.

- Cala a boca, claro que não! Da outra vez eu tive um trailer maior por que a El teve uma evolução, tinha mais roupas, penteados, maquiagens, tinha todo aquele sangue falso de nariz... você sabe... – ela diz e começa a rir, ela é horrível se explicando e sabe disso.

- Ah, com certeza o que mais ocupou espaço no seu trailer foi aquele sangue falso. E não aquela coleção absurda de coisas que você põe no trailer para decorar. – falo ironicamente rindo junto com ela.

- São coisas lindas que me fazem lembrar pessoas importantes para mim, Wolfhard. – ela sorri. Lembrei da Sephora Box que ela deixava na mesinha do trailer, e dentro, em vez de maquiagens, ela tinha fotos de todo o nosso cast tiradas na sua mini polaroid e o cartão de aniversário que eu mesmo escrevi para ela.

- É... e com certeza dessa vez você terá mais gente para lembrar, precisará de um espaço maior, ainda mais com aquele urso ridículo... – eu paro de falar no meio da frase ao me dar conta do que eu estava dizendo, o sorriso dela sumiu, ela fica desconfortável, aquele maldito urso tem sido alvo de piada no meio dos meus amigos e agora eu havia cometido o erro de chamar o presentinho do seu querido namorado de ridículo. – Millie, olha...

- Não precisa se desculpar, Finn... eu sei que o fato de nós sermos amigos não significa que você e ele serão também. – ela diz séria. Eu queria poder dizer algo a mais, mas o carro de meu pai para em frente ao portão e eu preciso me despedir.

- Bom, de toda forma, eu não queria te chatear... e...eu preciso ir, a gente se vê amanhã de manhã. – falo e não sei se a abraço, ou se apenas aceno com a cabeça, decido pela segunda opção, mas ela segura minha mão e me surpreende com um beijo no rosto.

- Boa noite, Finnie. – ela diz e se afasta. Eu sorrio ainda surpreso e caminho até a porta do passageiro, eu entro no carro e ponho o cinto, olho uma ultima vez pela janela, ela acena e eu aceno de volta.


Notas Finais


O que acharam? me contem nos comentários.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...