História Primeiro dia de aula... - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Skins
Tags Drama, Escola, Revelaçoes, Romance
Visualizações 18
Palavras 1.155
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mesmo com medo de se machucar ela resolveu da uma chance a isa...

Capítulo 5 - Encontro de corações


Fanfic / Fanfiction Primeiro dia de aula... - Capítulo 5 - Encontro de corações

Era uma manhã de domingo, poderia dormir ate mais tarde, sem me preocupar com o horário. Mas acho que meu celebro na sabe disso. Olho para o relógio e são 08h30min me levanto, soada, mas, disposta, tomo um banho e vou ao quarto de hospede para ver se a minha amiga ainda estaria viva depois da noite passada. Bato na porta, mas, ninguém abriu ou fala alguma coisa. Então resolve abrir. Coloco minha cabeça para dentro do quarto com medo do que posso encontrar.

— Eeei, Ana... — Falo baixinho, ela ainda estava dormindo com o Tony. Ela levanta a cabeça sonolenta.

— Oii amiga? — Com cara de sono ela responde.

— Era só para ver se você estava viva. —Falo rindo e fecho a porta.

Escuto meu celular tocar no quarto, corro para atender poderia ser minha mãe para avisar quando ia chegar de viagem.

— alo? Mãe?

— Oi, está tudo bem ai?

— esta sim, vocês voltam quando?

A ligação estava falhando resolvo ir para perto da janela.

— liguei para avisar que ouvi uns problemas e iremos ficar mais uns dias. — fiquei triste e feliz, a final ficaria com a casa só para mim.

— mas não é nada serio, né? — falo com voz preocupada.

— Não, não. Cuida-se ai ta? Qualquer coisa liga. Beijo

— Tá mãe, beijos. — desligo o celular e olho para janela do quarto da Isa, esta fechada logo penso que ela ainda estaria dormindo. Olho minhas mensagens.

‘’Nova mensagem.

Isa. — Boa Noite! ‘’

— Bom dia! Acabei dormindo e não vi a mensagem... — A mensagem foi enviada, mas n entregue coloco o celular na escrivaninha do meu quarto. E vejo as coisas ainda no chão, e eu me lembro da noite passada e eu não paro de pensar, a final eu tinha que terminar o que eu comecei. Eu chego a mensagens quarto, oito, vinte vezes, só passou cinco minutos, eu senti passar séculos. Deixo o celular lá, e desço para preparar algo para comer. Escuto vozes e risos, vindo à direção da escada, penso que a noite foi boa, para tarem tão felizes assim, volto a comer. Tony vem na minha direção e me da um beijo da testa de despedida.

— Tchau, Effy. — com sorriso safado na cara.

—Tchau Tony, na próxima vai para o quarto. — nos rimos e ele vai ao giro da porta a Gabi esta lá esperando ele, eles se beijão. Ela vem caminhado na minha direção, com sorriso enorme na cara. Ela senta do meu lado. Pergunto.

— Eai? Como foi?

— AMIGA, foi ótimo. Ele me jogou na cama, disse que eu era só dele aquela noite. Fiz um Strip Tease... — Eu a interrompo, com cara de nojo, sem detalhes, por favor, do um sorriso.

— E você e a Isa? Conta-me tudo, quero detalhes... — sorrir levantando a sobrancelha.

— Claro que não vou contar detalhes, porque não aconteceu nada. — colo o copo de suco na boca.

— Elizabeth Stonem... Serio? Bate na tua cara antes que eu bata, ridícula. Por que não aconteceu? — ela fica um pouco revoltada.

— Porque eu não estava segura, mas eu queria. Só que não aconteceu, e ela me entendeu. — levanto com o copo na mão, vou para a sala.

— Claro que ela entendeu, só não ia forçar, né... Mulher dá logo. — Eu não me seguro e começo a rir.

— Que ridícula, claro que vou, mas calma. — Afinal eu não paro de pensar na noite passada. Algum tempo depois eu subo para meu quarto e Ana fica na sala conversando com seus pais no telefone. Enquanto ela estava no celular, pensei na noite passada.

A Ana sobe e eu digo com um tom forte e decidido...

— Amiga, eu vou transar com ela. – A Gabi faz uma cara de feliz.

Passamos aquela tarde assistindo e comendo besteira. A Ana decide ir para o outro quarto porque estava cansada, e queria dormir, bem sei porque ela esta cansada, se levanta, me da um beijo e sai. Continuou assistindo. Já era altas horas da madrugada e eu não conseguia pegar no sono, meus pensamentos eram tão forte e intenso que me excitava, eu pensava nela e em como queria seu corpo nu em minha cama. Sem perceber minhas mãos acariciava meus seios, imaginando as mãos dela em mim, minhas mãos passeava em meu corpo e descia por dentro da minha calcinha de renda preta. Sinto meu celular vibrar...

Nova mensagem.

Isa. — Effy?? Está ai? Desculpa não ter respondido. – leio o conteúdo na mensagem e logo repondo.

— Sem problema Isa. Você pode vim aqui? Tipo agora?

Não tive resposta, mas uma vez penso ‘’ fiquei no vacou’’ coloco o celular de lado. Sem eu esperar minha campainha toca e eu levanto para atender, ao abrir era ela, na minha frente vestida um blazer preto com vestido branco, que lhe deixava particularmente sexy. Ela me olhou e riu, depois falou:

— Você me chamou e eu vi... – levantou a sobrancelha e sorriu.

Ela me olhava com desejo tirando seu blazer preto e deixando cair no chão. Puxou-me pela cintura e me beijou caminhando em direção as escadas. Subimos, chegamos ao quarto, me jogou na cama, tirando seu vestido. Ergui os braços e ela tirou minha blusa e levando sua boca em meus seios, tocando e beijando. Ela me deitou na cama e foi descendo pelo meu corpo, com a boca foi puxando minha calcinha. ­­– aquela sensação era maravilhosa. Sua mão apertava meus seios e arranhava minha barriga. Sem rótulos, ela morde minha coxa e depois não contente começa a me chupar loucamente. Gemidos se arrastavam. Depois de uma pausa ofegante, o silencio predominou a meio de vibrações. Um turbilhão de excitação parecia estar dentro de mim, como se meu sangue circulasse em grande velocidade. Eu não queria que ela parasse. Ela me olha. Aquele olhar malicioso com mas intenções. Depois pegou too o meu cabelo e segurou-o, deixando meu pescoço visível, senti o calor da sua coca aproximar do meu pescoço, senti um beijo leve. Arrepiei, ela percebeu, e então começou a dar mais beijos, agora já mais intensos. Sem qualquer palavra, nossas bocas se aproximaram, e nos beijamos. Sua boca era gotosa, sua pele parecia seda, e o beijo era intenso, como se nossas bocas fossem um encache perfeito.  Depois desceu com a mão, deslizando pelo meu corpo, até chegar ‘’lá’’ e só aquela sensação já me dava um imenso prazer. Então ela sussurrou no meu ouvido, com a maior delicadeza do mundo.

— Se doer você me diz, ta? — Aquele olhar malicioso me fez gemer de prazer.

Ela colocava com o maior cuidado, e o prazer que eu estava sentindo era imenso, expor aquele prazer gemendo no ouvido de quem você gosta é a melhor coisa. Enquanto ela colocava seus dedos, seus lábios sugavam puxavam, ate sua língua pedir passagem e começar a deslizar contra a minha.

Mudando de posição, em seguida foi minha vez. Falo baixinho no seu ouvido.

. — Agora eu quero escutar você gemer... — Olho para ela levantando a sobrancelha com olhar malicioso.


Notas Finais


Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...