História Primeiro e único amor de Sirius Black - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Tags Aventura, Harry Potter
Visualizações 47
Palavras 2.428
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Ficção, Magia, Romance e Novela, Saga
Avisos: Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Self Inserction, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa noite leitores lindxxxxs! <3
Desculpe o sumiço, mas voalá! Está aqui o cap e como atrasei muito para postar, amnha irei postar mais um!

Capítulo 24 - O fim das amizades de Lily


Os jardins estavam bem chamativos, havia alguns alunos do primeiro ano e também alguns alunos das outras escolas tomando o Sol que saia de trás das nuvens e eu estava dentro da sala tendo aula de História da Magia, é claro que eu estava totalmente fora da sala de aula escorreguei minha mão na minha mochila para pegar o diário, entretanto pensei melhor e evitei que alguém pudesse vê-lo, imaginei o que Six estaria fazendo agora? Provavelmente se divertindo na aula de Defesa Contra as Artes das Trevas junto com a Corvinal. Meus olhos correram para a janela e focaram na Floresta Proibida, algo lá dentro estava esperando por mim, alguma coisa lá dentro estava esperando ser descoberta.

- Senhorita Paixão? – disse o professor Binns.

- Hã? – perguntei assustada – Ah sim?

- Em que ano se iniciou a Revolução dos Gigantes? – ele perguntou para mim enquanto a sala toda me olhava.

- 1874 – Rosa disse sussurrando atrás de mim.

- 1874 – respondi.

- Hum, apesar de estar em outro planeta continua ligada na aula. Dez pontos para a Lufa-lufa.

- Você fica perdida e ainda ganha pontos! Que máximo – Tonks disse do lado enquanto anotava no seu pergaminho.

- Graças a Rosa né?

 

Saímos da aula e era o intervalo dos sétimos anos, ainda bem, pois precisava relaxar um pouco.

- Ah Sol! – disse deitando na cara. Tonks sentou-se ao meu lado e seu cabelo transformou-se num laranja.

- Olha os meninos – ela disse apontando para frente, levantei-me e vi os meninos vindo em nossa direção.

 Six se aproximou de mim e sentou-se ao lado, dando-me um selinho.

- Fiquei com saudades já – ele me abraçou e depois deitei no seu colo.

- Ownt o cachorrinho encontrou sua dona – James disse rindo e sentando ao lado de Eleanora.

- Anna tá sendo uma boa ração em! – Rosa disse zoando.

- Olha só quem está ali – disse Pedro num tom maldoso.

Ambos olhamos para a direção que Pedro olhou, lá estava caminhando um menino da Sonserina de cabelos lisos que caiam sobre o ombro, um rosto branco e sério e um nariz um pouco mais avantajado.

- Para começar esse ano letivo bem merecemos aprontar algo com o Ranhoso – James disse se levantando – Almofadinhas, você vai perder?

- Eu te amo minha vida, mas o trabalho me chama – Sirius me deu um selinho e se levantou.

- Ou gente, deixa quieto – eu disse me levantando também.

- Não adianta Anna – Remo disse – Vou acompanha-los.

Eles saíram e foram em direção a Severo Snape e na mesma hora senti que isso não iria dar certo.

- Anna isso vai dar bosta – Rosa disse.

- Eu também acho, mas vamos lá para ficar de olho.

- Só eu acho que vai ser engraçado? – Tonks perguntou.

- Tonks vai se foder – eu disse e saímos atrás dos meninos.

Quando estávamos próximos deles uma multidão de gente estava em volta deles e Snape estava suspenso no ar de pontas cabeça.

- Quem quer ver a cueca do Ranhoso? – James perguntou em voz alta para a multidão que gritavam sim.

Vi que o responsável por azarar Snape e deixa-lo suspenso no ar era Sirius que morria de rir, Pedro estava ao lado dele rindo demais e Remo estava um pouquinho mais afastado segurando o riso, mas deixando alguns escapar.

- Eu não ouvi direito? – James gritou mais alto e as pessoas gritaram um sim mais alto.

Snape estava agoniado e toda hora remexia o corpo para tentar se soltar, claro que em vão.

- Larga ele James!!! – Lily surgiu no meio da multidão e gritou com James, todos ficaram parados.

- Meu lírio depois conversamos – James disse para ela.

- James por favor, larga o Snape! – Lily insistiu – Isso é ridículo, por favor pare!

- Eu não preciso da sua ajuda... Sangue ruim! – Snape gritou ofegante com Lily e naquele momento todos pararam e olharam para Lily que estava com os olhos cheios de lágrima e naquele mesmo instante ela saiu correndo pelos jardins em direção ao castelo, James não pensou duas vezes e saiu atrás dela.

Apontei a varinha para Snape e fiz com que ele descesse até o chão, mas isso não impediu de Sirius agarrar o colarinho da camisa dele e o ameaçar.

- Se você falar mais alguma coisa para a Evans eu quero esse seu nariz – ele disse muito bravo – Se você mexer com qualquer um de nós eu quebro você tá entendendo?

- Cachorro que ladra não morde – Snape disse para Sirius e naquela mesma hora Sirius deu um soco no rosto de Snape que caiu no cão, no mesmo instante foi até Sirius e o agarrei.

- Vamos sair daqui – comecei a puxa-lo pelo braço.

- Vê se entendeu seu babaca! – ele gritou e tentou se soltar, mas sem sucesso.

- Para Sirius!

Algumas pessoas levantaram Snape e eu pude ver que seu nariz sangrava, mas minha reocupação era levar Sirius para longe de todos.

- Você estava louco?! – disse para ele.

- Você viu como ele falou com a Evans?? – ele gritou.

- Para de gritar comigo! – gritei mais do que ele.

- Desculpa – ele disse contra gosto – É que... Eu não me controlei! Você sabe que quando alguém mexe com meus amigos eu fico puto da vida e eu tive que defender a Lily de algum jeito.

- Do jeito errado – corrigi ele.

- Desculpa...

- Vê se da próxima vez você tem mais juízo – disse abraçando-o – E na boa, foi bem babaca o que vocês fizeram com o Snape ele estava de boas meu!

- Paixão você não entende, ele nunca está de boas! – ele disse um tanto irritado comigo – Não vamos comentar sobre esse assunto, não quero brigar de novo – ele disse se aproximando de mim, colocando suas duas mãos em meu rosto e deixando sua testa e seu nariz encostados com o meu nariz e minha testa.

- Six por que você é assim? – coloquei minha mãos em seu rosto também.

- Porque só assim você vai me amar – ele disse sorrindo.

- Você é ridículo! – ri e o beijei.

 

Estávamos voltando juntos para as aulas, alguns alunos nos olharam quando passamos e é claro que já estava rolando fofoca sobre o ocorrido.

- Black – Ed nos parou – A professora McGonagall pediu para o senhor se encaminhar para a sala do professor Dumbledore.

- Detenção... – Sirius disse baixinho – Os garotos, eles...?

- Estão lá também – Ed disse – Fica de boas, eu acompanho a Paixão até a sala ok?

- Valeu Ed – Sirius sorriu para Ed e virou-se para mim – Mais tarde prometo ir te encontrar onde você estiver – ele me deu um selinho – Eu te amo.

- Eu também te amo.

Ele saiu e eu e Ed continuamos nosso caminho.

- Sabe que eu tô apoiando vocês dois? – Ed disse.

- Sério? – perguntei feliz.

- Sim! Sabe apesar de ser bem amigo do Diggory eu acho que Sirius te faz bem e cara, ele é louco por você!

- Você acha mesmo? – perguntei.

- Anna, da para ver nos olhos dele. E nos seus também.

- Seria o mesmo brilho que você tem quando olha para a Rosa?

- É mais complicado...

- Será Ed? Ou você prefere complicar?

- Boa pergunta?

 

 

.........................................................................................................................................................

 

 

Depois do jantar fiquei um tempo com Sirius, mas logo ele me deixou no Salão Comunal da Corvinal, pois teria que limpar os troféus durante um mês. Uma galera estava lá no Salão Comunal sentei-me com Rosa e Nora para terminar algumas lições enquanto Tonks e mais um pessoal brincava de baralho mágico.

Terminei a lição mais cedo e subi, lógico que de propósito tomei banho e então peguei o diário para poder investigar aquele mapa e decidir se eu iria realmente até o local que ele mandava. As meninas subiram depois de um tempo então nem pude resolver tudo então deixei para outro dia.

 

A semana passou voando e já começamos a estudar para os N.I.M’s que iriamos realizar no final deste ano, apesar de tantos eventos.  E enfim a quinta-feira chegou, para felicidade da Noda.

Havíamos combinado que durante o intervalo da tarde iriamos acompanha-la até o Cálice de Fogo para que assim ela pudesse colocar seu nome.

- Tonks você vai colocar também? – perguntou Nora enquanto calçava seu sapato.

- Sim, acho que sim – Tonks respondeu desligada arrumando seu cabelo, ela havia colocado uma tiara e toda hora olhava para ver se estava torta.

- Pra que você tá se arrumando tanto assim? – Nora perguntou.

- Ela e Lupin irão na biblioteca fazer o trabalho de Poções – Rosa respondeu abrindo a porta do dormitório – Amo vocês, estarei lá embaixo.

- Hummmmmm – disse enquanto colocava minha gravata.

- Que foi? É apenas um trabalho – ela respondeu sem jeito e seu cabelo já mudou o tom para um vermelho clarinho.

- Seu cabelo não mente meu amorzinho – Nora respondeu.

- Droga! – ela disse.

- Relaxa, está estampado na sua cara a sua quedinha pelo Aluado – eu disse.

- Eu sei... Mas mesmo assim, ele nem liga para mim.

- Tonks, vai ficar assim por causa de um homem? – Nora disse.

- Aliás foi ele quem te chamou para fazer dupla com ele não? – perguntei.

- Sim, mas...

- Mas nada! Vamos logo porque estou com fome e para de viajar.

Peguei as duas pelo braço e sai pelo imenso corredor dos variados dormitórios. Encontramos todo o pessoal da Lufa-lufa e saímos juntos para o Salão Principal, no meio do caminho diversas veelas viraram a atração principal de Hogwarts havia vários meninos a sua volta enquanto elas faziam borboletas voarem pelos ares.

- Uau, super inteligente fazer essas borboletinhas – disse Rosa debochando.

- Não são as borboletinhas, são as veelinhas – Thony disse – E me poupe, isso é inveja?

- Se liga Thony, eu ia ter inveja do que? – Rosa respondeu.

- Delas serem bonitas e interessantes, diferentes de você – Thony respondeu tentando se mostrar superior. Imediatamente virei para ele, todavia antes de dar tempo de eu fazer algo Ed entrou no meio dos dois e disse.

- Pois é Thony, eu super acho que você está errado – Ele olhou diretamente para Rosa que corou e deu um sorrisinho tímido, na mesma hora Thony saiu de perto de nós e depois de um tempo percebi que Nora também havia saído.

- Bom dia Leãozinha! – gritou James atrás de mim me dando um pequeno susto.

- Pontas, se continuar assim terei um infarto – respondi ele enquanto o abraçava – Cade o...

Antes de eu terminar a frase um garoto muito lindo vulgo meu namorado corria em minha direção e quando se aproximou me deu um mega beijo que arrancou gritinhos de um plateia.

- Bom dia para você também – dei risada e o beijei novamente.

- Ok, ok como monitor terei que dar detenções para vocês – Remo disse brincando.

- Por que tanto amor? – perguntei.

- Primeiro porque uma garotinha veela começou a me seguir e segundo porque eu te amo mesmo – ele disse e logo pegou minha mão e fomos caminhando todos juntos para o Salão Principal que estava cheio de alunos novos, dividimos nossa mesa com o pessoal do Instituto Durmstrang muitas garotas lufanas adoraram isso.

- Cadê a Nora? – perguntou a Tonks.

- Agora que você percebeu que ela não está aqui? – Rosa disse.

- Sou míope – Tonks respondeu.

- Ah super – concordei.

Talvez Nora tivesse ido embora por causa do carinho que Ed teve por Rosa naquele dia mais cedo, bom talvez teria sido isso. Terminamos o café e a maioria dos alunos só falava do Cálice de Fogo sem dúvidas seria o assunto de todos.

Tivemos aula com a Grifinória, a Corvinal e a Sonserina de Defesa Contra as Artes das Trevas, seguimos o dia com Trato de Criatura Mágicas, História da Magia e Estudo dos Trouxas e enfim tivemos a pausa para o almoço.

- Podemos ir agora? – Nora apareceu depois de um tempo e estava ansiosa para ir até o Cálice de Fogo.

- Eu super topo irmos agora – James disse.

- Eu estou com tanta fome...

- Se liga Rabicho é rapidinho – Sirius disse enquanto estava abraçado comigo.

- Vai colocar seu nome também Aluado?

- Se é pelo bem da nação eu ponho! – ele me respondeu.

Entramos em uma das salas de Hogwarts e lá estava o belo Cálice de Fogo e muitas pessoas estavam em volta daquele precioso Cálice.

- Juntos? – James virou para os meninos.

- Juntos! – Sirius me deu um selinho e me soltou.

Os quatro entraram no círculo de proteção que Dumbledore fez e juntos jogaram o pedaço de pergaminho com seus nomes, muita gente comemorou como se fosse algo esplêndido apenas por serem os Marotos.

- Juntos? – Tonks imitou a voz de James e rimos.

Quando eles saíram de lá Tonks foi até o Cálice e colocou seu nome, o cálice jorrou algumas faíscas azuis e logo parou.

- Anna...

- Que foi Nora? – perguntei para ela que estava parada ao meu lado.

- Você colocaria seu nome comigo? – ela perguntou.

- Mas por quê?

- Sei lá... Só queria que alguém participasse comigo, não vale a Tonks queria que fosse você. Eu confio demais em você – ela disse com um olhar tristonho e segurou minha mão.

Eu não tinha interesse nenhum de participar, era algo arriscado que talvez pudesse comprometer meus estudos para o N.I.M’s. Todavia acredito que aquilo provavelmente era armação, era certeza que um dos Marotos seria o campeão: Sirius ou James mais provavelmente. Não teria mal nenhum.

- Me da um pedaço de pergaminho sua vaca.

Ela pulou de alegria e me abraçou.

- Te amo! – ela rasgou um pedaço do seu pergaminho e me deu acompanhado de uma pena.

Ela se virou e fiz suas costas como uma mesa e escrevi numa letra mais ou menos legível “Anna Paixão”, quando terminei ela foi e jogou o pergaminho e então chegou minha vez.

- Você vai se inscrever? – Sirius segurou delicadamente meu braço.

- Ah Nora pediu para eu participar com ela – respondi.

- É meio perigoso...

- E eu sou corajosa, já lutei com um lobisomem, fiquei de detenção e namoro com você. Isso me parece muita coragem – respondi e ele riu – Você é ridículo.

- Eu te amo sabia?

- Eu te amo mais – disse para ele e depois continuei no meu objetivo. Me aproximei e vi todos me olhando, respirei fundo e joguei o pergaminho no Cálice de Fogo as faíscas cintilaram quando joguei o pergaminho e juro que pude perceber o pergaminho queimando cada letra do meu nome: Anna Paixão.


Notas Finais


Mais uma coisinha... Querem saber o resultado dos campeões já no próximo cap?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...