1. Spirit Fanfics >
  2. Primeiro verdadeiro amor >
  3. Especial: Aquela pequena confusão.

História Primeiro verdadeiro amor - Capítulo 26


Escrita por:


Notas do Autor


Finalmente voltaremos às postagens normais!

Capítulo 26 - Especial: Aquela pequena confusão.


Fanfic / Fanfiction Primeiro verdadeiro amor - Capítulo 26 - Especial: Aquela pequena confusão.

Em uma semana uma pessoa pode te fazer sentir o que a outra não conseguiu em cinco meses. Porque é uma questão de química, atenção, reciprocidade, afeto e não de tempo. 

— L.D

— Gatinha — Sanemi jogou o próprio casaco sobre os ombros nus de Nezuko. — Está frio hoje.

Nezuko sorriu pra ele. — Obrigada, Sanemi-kun.

Sanemi rodeu Nezuko com seus braços e sorriu pra ela, que retribuiu da mesma forma. Os dois eram como um livro clichê de romance adolescente, só que somente um deles estava apaixonado. Nezuko não sabia à partir de que momento voltou a olhar de um modo diferente para Sanemi, mas de algum modo ela fez isso, mas nunca em mil anos contaria isso pra ele. A pequena garota sabia que ele ainda sentia algo forte por Kanae, e ela não conseguia entender o porquê, mas respeitava seus sentimentos e não iria contra eles.

Fazia três dias que eles haviam dormido na casa de Obanai, e mesmo que eles tenham dormido abraçados no colchão, Nezuko foi sincera ao contar isso para Inosuke. Claro que Sanemi também foi falar com Inosuke, mas foi mais para irrita-lo do que para ajudar Nezuko, mas Inosuke não se importou, sabia que Nezuko não o trairia até que eles terminassem oficialmente, e eles não haviam feito isso ainda.

Os dois estavam sentados na quadra da escola, o professor havia faltado e era o dia mais frio que eles haviam enfrentado. Nezuko usava a saia do uniforme das líderes de torcida, junto á meia-calças grossas e agora o casaco de Sanemi, contando com o fato de que o garoto de cabelos brancos mantinha os braços em volta de seus ombros, para mantê-la mais aquecida assim.

— Oi! — Tanjiro se aproximou sorridente junto à Kanao, os dois mantinham as mãos juntas e usavam um moletom combinando. — Você viu Inosuke, Ne?

— Não. — Nezuko negou calmamente. — Vocês parecem felizes.

Kanao sorriu envergonhada. — Sim, Nezuko-chan.

Mitsuri se aproximou deles junto à Obanai. A rosada usava um suéter azul e a calça de uniforme da escola, os cabelos estavam trançados e ela parecia sonolenta enquanto sentava-se próxima a Nezuko, Obanai sempre ao seu lado enquanto mantinha sua mão junta a mão de Mitsuri.

Mitsuri sorriu travessa para Nezuko. — Oi bonitinha, tá bem aquecida ai?

Nezuko sentiu as bochechas quentes. — Língua afiada como sempre, Mitsuri-chan.

— Tô cansadão mano — Sanemi bocejou e apoiou a cabeça na cabeça de Nezuko. — Vontade de dormir aqui mesmo.

— Quando você não quer dormir? — Obanai perguntou.

— Algo a se discutir. — Tanjiro comentou.

— Verídico — Kanao concordou.

— Ah não, porra, eu só me fodo nessa vida — Nezuko estranhou o comentário de Sanemi e olhou para onde o garoto olhava.

Kanao e Tanjiro sentaram-se tranquilamente um ao lado do outro.

Nezuko sentiu-se incomodada com a presença de Kanae e não gostou de sentir isso, afinal a garota era irmã de uma de suas melhores amigas, mas não conseguiu evitar ao notar a maneira como o corpo de Sanemi ficou tenso e suas sobrancelhas franzidas. Sabia que estava sendo guiada por seus sentimentos, mas não conseguiu evitar sentir-se incomodada e chateada com a maneira como Sanemi ainda se sentia quando se tratava de Kanae, era notável que os dois ainda se gostavam.

Sanemi realmente amava Kanae, sabia que amava, mas não iria dar seu coração para ser usado e machucado novamente. Queria sentir-se seguro e respeitado, e não confiava em Kanae o suficiente para tentar novamente.

— Oi — Kanae comprimento a todos que estavam presentes. — Vocês viram Shinobu por aí?

— Sala do zelador com Tomioka-kun. — Kanao respondeu. — Os outros estão por aí, mas havíamos combinado de nos encontrar-mos aqui.

— Ah, entendo — Kanae assentiu e levou seu olhar até Sanemi. — Pensou no que conversamos, Sanemi-kun?

Nezuko sentiu o estômago embrulhar. Precisava urgentemente tirar esses sentimentos de seu coração, não podia se apaixonar por Sanemi, ela não queria se apaixonar por Sanemi!

— Hã?! — Sanemi franziu as sobrancelhas. — Kanae, eu tô falando sério, a resposta é não. Tudo que tiver para me dizer a resposta vai continuar sendo não. Não, porra!

Kanae suspirou. — Sanemi...

— Ele disse não. — Todos olharam para Shinobu quando a garota se aproximou com Tomioka. — Kanae, amor, por favor, está na hora de dar um basta nisso.

— Aqui não é lugar pra esse tipo de conversa. — Obanai disse. — Vocês precisam urgentemente aprender que existe hora certa pra conversar sobre certas coisas.

Mitsuri balançou os ombros despreocupada. — Por mim...

Kanae olhou fixamente para o braço de Sanemi em volta de Nezuko e sentiu todo seu ser revirar por completo. Sentia ciúmes dele, algo como posse, e não fazia nem mesmo questão de esconder isso ao olhar enraivecida para Nezuko.

— Você está ficando com ela? — Kanae perguntou.

— Kanae, pelo amor de Deus! — Shinobu brigou com a irmã. Estava chocada com a ousadia da garota de perguntar isso.

— Como é que é? — Sanemi perguntou desacreditado. Kanae realmente estava cobrando algo dele?

— Cara, você é ridícula — Obanai teve o braço beliscado por Mitsuri ao dizer isso.

— Fica quieto! — A rosada o repreendeu.

— Não, Kanae-san! A Nezuko namora o Inosuke. — Tanjiro foi em defesa da irmã. — Ele ficaria bem bravo se te ouvisse falando isso.

— Eu quero que você me responda, Sanemi — Kanae continuou olhando o garoto de cabelos brancos.

Sanemi levantou-se irritado. — Você tá me cobrando isso? Qual foi, Kanae, eu não te trai não, você que me traiu, e eu tô solteiro, aliás, fico com quem eu quiser!

Kanae sentiu-se ainda mais irritada. Estava morrendo de ciúmes de Nezuko por dentro, e achava que tinha motivos para isso, ela ainda lembrava que foi Nezuko quem tomou as dores de Sanemi quando eles terminaram. — Quem me garante? Você e Nezuko parecem um só!

— Eu superei a porra do fim do nosso relacionamento com a ajuda dela, porque ela é a única garota no mundo que não é escrota igual à você! — Sanemi apontou o dedo no peito de Kanae de forma agressiva.

Kanao, Shinobu e Mitsuri olharam para ele confusas.

— Menos vocês, claro — Sanemi apontou para as outras três garotas.

— Eu me lembro muito bem dela defendendo você como se fosse sua dona, Sanemi! Vai me dizer que nunca tiveram nada? — Kanae também aumentou o tom de voz.

Shinobu segurou um dos braços de sua irmã com força. — Para com isso agora, você está ofendendo uma das minhas amigas e eu garanto que irá se arrepender disso depois.

Kanae se afastou brutalmente de Shinobu. Sentia tanta raiva, tantas coisas que queria dizer, que não queria mais se controlar. — Admite, Sanemi! Você nunca foi esse cara perfeito que faz seus amigos acreditarem que é. Você ficou com ela?!

— Eu não te devo nada, garota! — Sanemi disse alto. — Porra, me esquece também, fala sério, chatice! Você não mudou em nada, continua a mesma de sempre, e isso me prova que eu realmente não devo te dar outra chance porra nenhuma, vê se me deixa em paz, vai lá transar com o Genya de novo, já que você gosta tanto!

Ao ouvir o nome de Genya, Kanae acertou o rosto de Sanemi com um tapa. — Não fale sobre isso! Eu já me desculpei por essa merda, Sanemi!

Tomioka e Obanai foram até Sanemi rapidamente. Obanai estava chocado pela audácia de Kanae em bate-lo, enquanto Tomioka só queria garantir que Sanemi não jogasse a garota longe, porque era isso que estava parecendo com a expressão enraivecida que ele estava enquanto mantinha a mão pressionada na bochecha a qual Kanae acertou com sua mão.

Nezuko levantou-se rapidamente e foi até Sanemi, agarrando o rosto do garoto de forma afoita. — Você está machucado!

Sanemi manteve os olhos raivosos em Kanae, mas Nezuko continuava segurando seu rosto.

— E você realmente não tem nada com ela? — Kanae perguntou em deboche.

Nezuko afastou-se de Sanemi para andar até Kanae, parando em sua frente. Ela era muito menor que Kanae, mas aquilo não a fez temer. — Eu tenho um namorado, Kanae, e se eu fosse você parava de falar sobre mim como se me conhecesse.

— O que você faria? — Kanae arqueou a sobrancelha.

— Kanae! — Shinobu tentou puxar a irmã para trás, mas esta não se moveu.

— Você é ridícula! Não sabe dar valor à uma porra de amizade, nem mesmo ao seu relacionamento! — Nezuko irritou-se ainda mais.

— Nezuko! — Tanjiro puxou a irmã.

— Me poupe, Kanae, todo mundo sabe que você é mulher pela metade! — Nezuko tentou se afastar mas Tanjiro a segurou mais firme.

— O que?! — Kanae fechou as mãos em punhos. — Você acha que eu sou mulher pela metade? E você que gosta do seu amiguinho a tanto tempo e nunca admitiu? Fala sério, Nezuko Kamado, você é uma covarde, eu realmente tenho pena de Inosuke.

— Você tem pena dele?! — Nezuko tremeu de raiva. — Pena?! Eu sou fiel e eu o respeito, diferente de você que se comporta como uma vadia!

— Meu Deus! — Mitsuri levantou-se rapidamente para segurar Kanae quando ela quase avançou sobre Nezuko.

— Gente! — Kanao levantou-se também.

— Você não disse isso, Nezuko — Kanae cerrou os olhos, ela era segurada por Mitsuri e Shinobu. — Você é fiel, jura? Pois eu sei bem o quanto você queria trair o coitado do seu namorado com Sanemi!

— Quem é você para falar sobre traição?! Do que você sabe?! — Nezuko tentou se soltar do aperto de Tanjiro e mais uma vez falhou. — Me solta, Tanjiro!

— Não! Você tá maluca, Nezuko? — Tanjiro continuou segurando a irmã.

— Parem com isso! — Sanemi gritou, se enfiando entre as duas. — Kanae, você está sendo ridícula, já chega!

— Eu estou errada? — Kanae perguntou irônica. — Eu, Sanemi?

— Você! — Sanemi garantiu.

— Vai dizer que nunca percebeu, realmente? — Kanae perguntou. — Ela te adora, Sanemi! Você é cego?!

— Sou! Eu fui cego por um longo tempo, afinal, vi mudança em você! — Sanemi disse e isso fez com que Kanae travasse.

Tanjiro soltou Nezuko lentamente, mas isso foi o suficiente para que a pequena garota andasse rapidamente até Kanae e acertasse seu rosto com um forte tapa. Sanemi puxou Nezuko para trás rapidamente, ao mesmo tempo que Kanae avançou sobre ela, agarrando seus cabelos.

— Para com isso! — Shinobu puxou Kanae para trás.

Obanai tirou Mitsuri do meio e nem se deu ao trabalho de separar a briga.

Tomioka pegou Kanae pela cintura, usando toda sua força para afasta-la de Nezuko, que havia arranhado os braços de Kanae quando a garota mais alta avançou sobre si. — Ou, ou, ou, parou!

— Nezuko! — Sanemi gritou, apertando a pequena garota em seus braços.

Nezuko chorava de raiva enquanto tremia. Havia acabado de descobrir que odiava Kanae com todas as suas forças!

— Meu Deus, Nezuko! — Tanjiro agarrou o rosto da irmã com ambas as mãos, notando a bochecha vermelha, provavelmente pelo tapa que Kanae havia conseguido lhe acertar. — Meu Deus, nossa, o que deu em você?! Olhe como você está!

— Você enlouqueceu, Kanae?! — Shinobu gritou com a irmã.

— Você tá bem? — Sanemi ainda segurava Nezuko firmemente em seus braços.

Nezuko sentia sua garganta fechada e grossas lágrimas caiam por sua bochecha. Ela perdeu o controle e não queria ter feito isso, deixou o maldito sentimento traiçoeiro que sentia por Sanemi tomar conta, e agora sentia-se triste por imaginar como Inosuke se sentiria quando soubesse que ela brigou para defender outro garoto.

— Ei, não chora, para — Sanemi virou Nezuko facilmente para que a garota ficasse de frente para si. Ele a abraçou fortemente, o rosto dela ficando escondido em seu peitoral. — Para de chorar, gatinha.

— Eu não consigo ver isso — Kanae sentiu-se triste. — Eu não consigo, Shinobu.

Shinobu suspirou e abraçou a irmã fortemente, a deixando chorar em seu peito. — Calma, Kanae...

— Eu amo ele, Shinobu, eu amo tanto... — Kanae continuou chorando.

Todos olharam para onde Sanemi estava abraçado à Nezuko que chorava em seu peito. O de cabelos brancos fez uma expressão raivosa e os amigos desviaram a atenção de si.

— Eu preciso falar com ele, me desculpa — Nezuko afastou-se de Sanemi rapidamente. — Me desculpa por isso, Sanemi-kun.

Nezuko saiu correndo rapidamente, deixando todos confusos para trás.

— Ela vai procurar Inosuke — Tanjiro suspirou. — Eu vou atrás dela pessoal, até mais tarde. Me desculpe por isso, Kanae-san.

— Ela que pede desculpas, Tanjiro-kun. — Shinobu o ofereceu um sorriso sem graça.

— Falar com Inosuke sobre o quê? — Sanemi perguntou confuso.

— Ela brigou pra te defender, Sanemi, é claro que ela vai falar sobre isso pro namorado dela antes que alguém fale, porque se você não percebeu, a gente tá na escola e pessoas viram esse circo todo. — Obanai disse.

Tanjiro saiu dali rapidamente para ir atrás da irmã, deixando Kanao com suas amigas.

— Ah, cara — Sanemi puxou os próprios cabelos. — Essa gatinha...

Mitsuri e Obanai trocaram olhares cúmplices. Achavam aquela coisa toda entre Sanemi e Nezuko meio que romântica demais.

— Kanae — Sanemi aproximou-se de Kanae com cuidado. — Olha, para com isso, tá bom? Eu estive pensando sobre tudo que me disse e a resposta continua sendo a mesma, nós não voltaremos, e eu espero que entenda o porquê.

Kanae olhou para Sanemi. — Você pode me dar um abraço?

— É, tipo, não — Sanemi sorriu sem graça. — Mas quer carinho? Isso eu posso dar.

Com um leve aceno de cabeça, Sanemi acariciou lentamente os cabelos negros de Kanae. Ele sorriu minimamente para a garota antes de se levantar e olhar para os amigos.

— Eu vou pra sala. — Dito isso, viram Sanemi se afastar.

Sanemi sentia-se confuso. Havia gostado de ser defendido por Nezuko, mesmo que achasse graça uma garota daquele tamanho tentando defende-lo. Havia se sentido como se sempre tivesse tido uma pessoa que o queria bem, mas havia ficado com uma pulga atrás da orelha ao ouvir Kanae dizer sobre os sentimentos de Nezuko, afinal, ele nunca havia visto maldade nas atitudes da pequena garota, até porque ela tinha um namorado que adorava muito. Nezuko gostou de Sanemi no ensino fundamental e Sanemi sabia disso, mas oras, aquilo havia ficado no passado, certo?

Enquanto isso, Nezuko procurava Inosuke pela escola inteira, encontrando-o sentado no refeitório enquanto comia algo. Sabia que ele gostava de comer sozinho porque então nada tirava sua concentração, mas ele rapidamente notou a presença da pequena garota ali, e então ela correu até ele, o abraçando fortemente.

Inosuke franziu as sobrancelhas ao notar que sua garota estava chorando. Ele segurou o rosto da garota enquanto a encarava confuso. — O que foi? Alguém te machucou?!

— Não, eu acho que machuquei alguém — Nezuko soluçou alto enquanto Inosuke ainda a encarava.

— Ah, entendi — Inosuke sorriu. — Em quem você bateu?

— Na ex de Sanemi. — Nezuko fechou os olhos firmemente quando Inosuke gargalhou.

— Aí, Nezuko, meu Deus, que foda, cara! — Inosuke riu mais uma vez. — Mas por que você ta chorando?

— Porque eu briguei pra defender o Sanemi e nunca fiz isso por você. — Nezuko murmurou chateada.

— Eu sou foda, meu lance é carreira solo. — Inosuke gabou-se. — Você não tá chorando só por isso, te conheço Nezuko.

— Você quer mesmo terminar comigo? — Nezuko perguntou.

— Ah, a gente já conversou. Eu não sei, eu quero ficar solteiro, mas eu gosto de você também. — Inosuke disse calmamente. — Eu não amo você, eu te adoro, mas eu nem sei em que sentido.

— Eu gosto do Sanemi. — Nezuko disse de uma só vez.

Inosuke arregalou os olhos. — Tá de sacanagem, Nezuko!

— Não — Nezuko encolheu os ombros. — Eu queria que você soubesse disso porque eu respeito o que nós temos. Eu não consegui evitar defende-lo quando Kanae começou a acusa-lo de traição porque ele nunca fez isso e nós sabemos, assim como eu nunca trairia você ou te enganaria.

Inosuke acariciou o rosto de Nezuko carinhosamente. — Eu sei que não, só tô surpreso e um pouco incomodado, mas tô bem, sério. — Ele suspirou e abraçou Nezuko mais uma vez. — Acabamos aqui.

— Você tá terminando comigo?! — Nezuko afastou-se e arregalou os olhos. — Agora?!

— É, agora, hoje, neste instante. — Inosuke concordou. — Mas eu vou ser seu amigo pra sempre, todo sempre, tá bom? Se você ousar me esquecer eu vou me vingar!

Nezuko riu. — Tá bom! Eu adoro você, Inosuke-kun.

— Eu sei, então por favor não pare de cozinhar pra mim. — Inosuke pediu sorrindo.

Nezuko voltou a abraçar Inosuke, sempre agradecia por ter um garoto como ele ao seu lado, e agora estava mais agradecida ainda. Ficaram assim até que Tanjiro se aproximou deles e os abraçou, fazendo Inosuke empurra-lo e manda-lo embora, o que fez Nezuko rir. Amava seu irmão e seus amigos e não os trocaria por nada no mundo inteiro.

Quando o sinal para o intervalo tocou, Nezuko, Inosuke e Tanjiro já estavam no refeitório fazia um tempo, no entanto a garota encolheu-se nos braços de Inosuke quando os amigos de ambos sentaram-se na mesa para comerem.

Inosuke deu um beijo estalado na bochecha de Nezuko, fazendo a garota sorrir. — Tenho um comunicado.

— O que? — Zenitsu perguntou curioso.

— Nós terminamos. — Todos olharam chocados para os dois e Nezuko arregalou os olhos. — É, pois é. Bagulho é carreira solo.

— Você terminou com ela? — Sanemi perguntou.

— Sim. — Inosuke concordou.

— Por que? — Sanemi franziu o cenho.

— Ela brigou por um cara ai de um jeito que nunca brigou por mim — Inosuke olhou para Nezuko. — Né não?

— Não foi por isso! — Nezuko rapidamente discordou. — É sério gente, não foi!

— Nezuko-chan, eu quero me desculpar com você — A pequena garota olhou para Shinobu. — Se Kanae foi o motivo pra essa separação, podemos dar um jeito nisso. Eu juro!

— Não, Shinobu-chan — Nezuko sorriu. — Você é minha melhor amiga, eu nunca ficaria chateada com você por nada no mundo.

— Eu tô tão aliviada por isso — Shinobu resmungou.

— Espera! — Todos olharam pra Sanemi. — Por que você terminou com ela?

— Vocês brigaram? — Tanjiro perguntou confuso. — Você magoou ela, Inosuke?!

— Nezuko-chaaaaan — Zenitsu afinou a voz. — Foi ele que te fez chorar? Seu rosto ta vermelhinho.

— Ah — Nezuko passou a mão pelo próprio rosto. — Isso é porque Kanae me bateu.

— Hãããã?! — Uzui quase gritou. — O que eu perdi?!

— Ela defendeu Sanemi-kun e bateu em Kanae-san, mas então Kanae-san também bateu nela. Nossaaa, esse bolinho ta tão gostoso! — Mitsuri falava de boca cheia. — Você vai comer o seu, Tomioka-kun?

Tomioka deu seu bolinho para Mitsuri. — Fique à vontade.

— Mas por que terminar? — Sanemi perguntou mais uma vez.

Inosuke suspirou. — A gente conversou antes de vocês chegarem e resolvi que seria melhor dar um fim antes de ficar pior, é só isso, ainda somos bons amigos.

— Mas foi você que terminou, sério? — Sanemi perguntou só para ter certeza.

Nezuko olhou para ele disfarçadamente. Não queria gostar dele e não estava feliz com isso, mas não conseguia evitar as fortes batidas de seu coração quando o olhava. Sempre o achou lindo, carinhoso e divertido, mesmo que fosse meio pervertido as vezes, ela lembrava-se do exato momento ao qual se apaixonou perdidamente por ele, ainda era nova quando aconteceu, mas agora estava um pouco mais velha e sentia-se hipnotizada por ele.

— Sim. — Inosuke concordou. — E eu realmente adoro essa garota, de verdade, só acabou.

Nezuko sorriu para Inosuke e o garoto deu outro beijo estalado em seu rosto. Sanemi franziu as sobrancelhas e cruzou os braços, sua amiga parecia chateada com alguma coisa e ele queria saber o porquê.

— Oh — Todos olharam para Mitsuri. — Acho que estou passando mal.

— O que você tem? — Obanai preocupou-se.

Mitsuri colocou ambas as mãos sobre a boca. — Eu tô enjoada, amorzinho.

— Acho que comeu muitos bolinhos. — Kanao rapidamente se levantou. — Vamos no banheiro, vem.

— Já volto — Mitsuri levantou-se rapidamente e acompanhou Kanao para fora de refeitório.

Nezuko estava sem fome e levantou-se. — Foram muitas emoções para um dia só, eu vou ficar quietinha na sala um pouco.

Quando Nezuko saiu, todos voltaram a olhar para Inosuke. — O que?!

— Tsc — Sanemi se levantou. — Vou falar com ela, até depois.

Inosuke riu baixo quando Sanemi saiu. — Nezuko tem um péssimo gosto.

— Do que você está falando? — Rengoku perguntou confuso, pela primeira vez ele havia se pronunciado.

— Vocês não viram? Fala sério — Inosuke revirou os olhos.

Shinobu arregalou os olhos. — Não!

— O que?! — Rengoku perguntou. — O que foi?!

— Nezuko-chan terminou por ele? — Zenitsu perguntou curioso.

— Ah! Não! De jeito nenhum, Inosuke! — Tanjiro negou rapidamente.

— O que foi?! — Rengoku gritou, chamando a atenção deles.

Inosuke cruzou os braços. — A Nezuko gosta do Sanemi.

— Há quanto tempo? — Shinobu perguntou em um sussurro.

— Foi paixão de fundamental — Tanjiro respondeu. — Eu não fazia ideia que ela estava afim dele de novo.

— Pois é, mas quem terminou foi eu mesmo ta gente? — Inosuke comentou. — Não fiquem a perturbando com isso, ela sabe muito bem que não vai ser retribuída e pronto, ela não precisa de vocês complicando ainda mais a situação.

Shinobu suspirou. — Eu não acredito que fiz ela tentar juntar Kanae e Sanemi sem pensar nos sentimentos dela.

— Eu não acredito que alguém como ela goste do Sanemi. — Rengoku estava chocado.

— Ah — Obanai suspirou. — Sanemi é um burro.

— Por que? — Uzui perguntou. — Eu nunca imaginei isso, nossa.

— Ela sempre gostou dele! — Obanai disse irritado. — Ela gostava de Inosuke também, ou não teria namorado com ele, mas você acha que Nezuko era tão cuidadosa com Sanemi atoa?

— Achava! — Uzui e Zenitsu concordaram ao mesmo tempo.

— Mas uma coisa é certa — Inosuke chamou a atenção deles. — Isso não pode sair daqui, eu nunca falei nada sobre isso, e outra coisa, respeitem minha dor, eu acabei de terminar um namoro maravilhoso.

Obanai olhou para Tomioka que também o encarou, se Inosuke achava que eles não fariam nada estava muito enganado.

Na sala de aula Nezuko pensava no que fazer, não queria que Shinobu soubesse nada sobre isso, então pretendia não demonstrar nada para ninguém e manter-se o mais calada possível sobre o assunto sentimentos, porque os seus estavam uma bagunça. Assustou-se quando Sanemi sentou-se em sua mesa, os fortes braços cruzados enquanto olhava para Nezuko com cuidado, ainda estava confuso sobre as coisas que Kanae havia lhe falado, e pretendia questionar sua amiga sobre isso.

— Eu sei que esse não é o momento certo pra falar sobre isso... — Sanemi começou. — Mas você sabe sobre o que Kanae estava falando?

— Ela estava falando bobeiras. — Nezuko respondeu desviando o olhar. — Como sempre, aliás.

— É, isso é. — Sanemi concordou. — Mas eu estou perguntando sobre quando ela disse que você me adorava.

— Eu adoro você, Sanemi-kun, assim como eu adoro todos os meus amigos. — Nezuko respondeu. — Mas se quer saber sobre quando ela disse que eu tinha sentimentos por você, você sabe a resposta.

— Eu sei que você gostava de mim antes, gatinha, mas eu quero saber agora. — Sanemi descruzou os braços para segurar ambas as mãos de Nezuko.

Nezuko olhou para as mãos juntas. Sua mão parecia tão pequena junta à dele, aquilo a fez imaginar como eles eram diferentes até mesmo nisso. No entanto, mesmo que não quisesse negar aquilo, mesmo que seu coração doesse e seus olhos enchessem de lágrimas, ela teria que negar. — Não...

— Ah, gatinha, para de chorar. — Sanemi riu ao abraçar Nezuko pelos ombros. — Tudo bem, eu só queria saber.

— Não, Sanemi-kun — Nezuko negou mais uma vez. — Eu gosto mais.

— Mais o que? — Sanemi franziu o cenho ao afastar-se para perguntar.

— Eu gosto mais de você do que gostava antes. — Nezuko respondeu. — Eu gosto mais do que gostei à muito tempo atrás, é só isso.

— Eu gosto de você também, gatinha. — Sanemi começou a fazer carinhos nos cabelos longos de Nezuko. — Relaxa, pô.

E Nezuko relaxou, afinal, Sanemi nem havia entendido o que ela quis dizer mesmo.

Eu gosto é de gente que não faz sentido, mas que me faz sentir. No fim, gosto mesmo é de gente doida, intensa e feliz. Gosto mesmo é de você.

— Erick C.


Notas Finais


Aí, Jesus... Esse capítulo quase que não foi postado hoje, to começando a achar que o mundo está de complô contra minha pessoa.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...