1. Spirit Fanfics >
  2. Primos?! >
  3. Especial Jikook (part.I)

História Primos?! - Capítulo 36


Escrita por:


Notas do Autor


“Dilacerante é a dor dos amores secretos e não correspondidos, impulsivo e arrasador é o desejo que consome os amores proibidos, mas o amor secreto e proibido por sua vez, é uma corrente subterrânea que ameaça acabar com você.”

(Miguel Arango)

Capítulo 36 - Especial Jikook (part.I)


Fanfic / Fanfiction Primos?! - Capítulo 36 - Especial Jikook (part.I)

Park Jimin•

Caminhando tranquilamente pelo Campos da Universidade eu admirava as árvores o céu e uma leve brisa tocou meu rosto, respirei fundo buscando a paz interior que tanto procurei por longos e intermináveis dias travando uma desastrosa e dolorosa luta interna. Eu realmente só tive coragem de me assumir pra mim mesmo por que os sentimentos que eu nutria falavam mais alto que minhas dúvidas. Junto com a certeza de que eu realmente gostava de garotos veio a incontornável dor de saber que meu amor não seria correspondido. Era como resolver um problema descobrindo outro.

- Jimin aonde estava? - Taehyung me tirou dos meus pensamentos.

- oi tae. Tudo bom? - falei fraco.

Eu definitivamente me sentia triste muito triste, mas estava fazendo de tudo pra passar a imagem de alguém que estava bem.

- sim e com você? Por que não foi no laboratório hoje? Jimin você não é de matar aula. - ele se senta ao meu lado.

- eu estou bem. - fiz uma pausa tentando convencer a mim mesmo daquilo que havia falado. - eu precisava toma um ar. - falei com sinceridade.

- não se sente bem? - Taehyung me olhou confuso.

- tae você me acha gordo? - olhei pra ele.

Notei seu olhar chocado ao ser pego de surpresa por minha pergunta.

- não. Que bobagem Jimin você tem um abdômen trincado. - ele sorri.

Mordi o lábio.

- eu sou feio? - fiz uma careta olhando pra ele.

- que bobagem é essa agora Jimin?  O que deu em você?

- ah.. não é nada. - olhei pros meus pés me levantando do banco. - eu já vou indo.

- já vai? Fica cara vamos conversar. - Taehyung se levantou também.

- sim. Tô meio cansado. - foi a desculpa que me veio a mente. - até mais cara.

- ok. Até. E Jimin... - olho pra ele. - você é bonito. Muito bonito. - ele diz sem graça.

- obrigado.  Até. - dei um pequeno sorriso e segui meu caminho.

Andei pela rua da cidade universitária olhando as vitrines das lojas até que me vi encarando o salão de beleza de uma amiga. Por algum motivo eu me sentia inseguro, era como se desde quando eu me dei conta que estava apaixonado eu nunca estivesse bonito o bastante. Não que eu tivesse esperança que jungkook fosse me notar. Ah não, jungkook era um cara super pegador e mulherengo. Mas eu queria me ver bonito, no fundo nem era uma questão de beleza e sim de me sentir confiante assim como jungkook é.

- vai ficar até amanhã de manhã olhando pra dentro é? Tá assustando os clientes. - yumi diz aparecendo atrás de mim me assustando.

- yumi que susto. - levei a mão ao peito. - desculpa não queria ficar encarando.

- veio fazer alguma coisa no cabelo?

- não. Só passei por aqui e resolvi dar uma olhada. Mas já estou indo.

- que pena eu adoraria cuidar desse cabelo. - ela sorri.

- o que tem com meu cabelo?

Vejo uma mulher sair do salão extremamente feliz. Seu cabelo estava em tom de loiro muito bonito e brilhava muito também.

- seu cabelo é preto e sem graça como de todooo mundo da faculdade. - ela me vê olhando pra mulher que acabara de sair. - gostou do cabelo dela? Posso deixar o seu assim também.

- meu cabelo não é sem graça. Eu cuido muito bem dele. E não.  Você não vai mexer no meu cabelo. Até porque eu tô duro. - sorri envergonhado ao falar da minha pouca grana.

- hunm tá duro é? Eu posso dar um jeito nisso. - ela brinca.

- yumi...

- tô brincando bebêzão.. - ela sorri - não precisa pagar, considere um presente por todas as vezes que precisei de ajuda com algum trabalho na faculdade. - ela põe a mão em meu ombro. - vamos lá cara.. Se você não gostar eu juro que deixo do mesmo jeitinho de antes.

- hunm.. Não sei yumi. Não quero que pense que eu estou me aproveitando de sua boa vontade. - cocei a nuca envergonhado.

- ah pelo amor. Entra logo na merda desse salão vai. - ela pega em minha mão me puxando para dentro.

[...]

Eu nem sabia a quanto tempo estava me encarando no espelho. Minha vontade naquele momento era abraçar yumi e agradecer a sua insistência por me fazer mudar o corte e a cor do meu cabelo. Eu me sentia bonito e isso era algo estranhamente bom.

- yumi eu amei.. obrigado Obrigado obrigado. - dei vários beijinhos em suas bochechas rosas.

- tá tá.. já chega. Mas devo admitir que você ficou parecendo um idol. - ela sorri. - toma cuidado com esse cabelo e quando desbotar corre aqui que eu faço a manutenção.

- ah sim.. obrigado mais uma vez.

- de nada Jimin. - ela sorri vitoriosa. - agora vai pegar seu ônibus que já tá ficando escuro.

- sim senhora. Até mais nona. - dei um aceno de mão pra Yumi que sorri. - eu apareço aqui novamente.

Caminhei até o ponto de ônibus mais próximo, não demora muito o meu ônibus passa e eu sigo meu caminho até minha casa onde eu morava com meu pai e mãe. Eu estava muito ansioso devido a mudança repentina da cor do cabelo já sabendo a reação dos meus pais religiosos e conservadores em relação a vaidade masculina. Suspirei fundo e decidi que ainda não era hora de mostrar a eles, lembro muito bem quando tinha 17 anos e meu pai havia me dado uma surra de cinto daquelas de deixar a marca da fivela apenas por eu ter furado a orelha. Suspirei lembrando da surra e retirei o brinco colocando na mochila antes de descer do ônibus ao chegar em meu destino, eu ainda usava porém dentro de casa não me era permitido. Sai do busão e segui caminhando pela rua até minha casa. Abri a mochila e peguei de lá uma toca me certificando de cobrir meu cabelo todo para que meus pais não acabasem vendo. Era estranho um jovem como eu de 22 anos me sentir tão preso e sem liberdade já que normalmente nessa idade os pais deixam de ser tão protetores porém apesar de ter um emprego de meio período eu ainda dependia dos meus pais pra financiar meus estudos fora que o que eu ganhava não era grande coisa. Já estava próximo a minha casa quando meu celular toca.  Era jungkook. Senti o coração acelerar e respirei fundo antes de atender.

- alô?

- jiminie? - ele havia colocado esse apelido em mim assim que nos conhecemos.

- oi Jung. - as vezes eu o chamava assim por pura intimidade.

- os meninos estão vindo pra minha casa jogar vídeo game e comer pizza quer vir?

- claro.

- quer que eu vá te buscar?

- não precisa. Eu pego um ônibus.

- vou mandar um carro de aplicativo em quarenta minutos. Se apresse.

- ok. Até mais.

- até. 

Desligo a chamada já na porta da minha casa e após respirar fundo abro a porta entrando.

- Jimin?? - minha mãe me chama da cozinha.

- oi mãe, estou em casa. - disse retirando o casaco, com os pés nos degraus subindo pro meu quarto.

- está com fome? Fiz sopa pro jantar.

- não obrigado. Vou pra casa do jungkook, os meninos estarão lá. - me limitei a gritar também.

- mal chegou e já vai sair Park Jimin? Não ouvi você me cumprimentando assim que chegou. - ouvi a voz autoritária de meu pai vindo do alto da escada.

- desculpe pai. - me curvei. - estou em casa. - fiquei em silêncio e subi a escada o encontrando no topo.

- como foi sua aula?

Eu definitivamente vivia de aparências. Detestava faculdade de engenharia e só fazia pra agradar meus pais. Eu queria ser dançarino e aos dezoito anos quando contei meu sonho pros meus pais fiquei dias de castigo e só pude sair do quarto quando disse que eu estava blefando e que eu iria estudar engenharia como eles tanto sonharam.

- foi bom. Vou tomar um banho. - disse saindo antes dele me  encher de perguntas.

Entrei no quarto e suspirei. Eu odiava ser uma pessoa fraca que nunca conseguia falar o que sentia muito menos me posicionar quando estava desconfortável sobre alguma situação. Peguei uma muda de roupa e coloquei na mochila. Fui ao banheiro me certificando que meus pais não estavam ali pra ver meu cabelo recém pintado e tomei um banho.

- onde você vai? - meu pai disse sem tirar os olhos da televisão enquanto eu descia as escadas rumo a porta da rua.

- vou dormir na casa de uns amigos. - disse apertando a alça da mochila em meus ombros.

- QUE ROUPA É ESSA JIMIN? - meu pai disse olhando pra mim.

Eu estava de calça jeans all star vermelho uma camiseta branca e um moletom rosa.

- O que foi querido? - minha mãe apareceu na sala enxugando as mãos em um pano de prato.

- JIMIN TIRE ESSE CASACO AGORA. - ele fala autoritário.

- por quê? - minha voz saiu quase como um miado.

- ah querido só porque é rosa? - minha mãe diz tentando acalmar a situação.

- tira esse casaco de gay agora Park Jimin. - meu pai me olha sério.

Ouço o carro que jungkook pediu pra mim buzinar em frente à minha casa.

- eu tenho que ir pai. - disse quase suspirando de frustração.

- seu moleque. Quer ser confundido com um viado por acaso? - ele fechou o punho.

- eu já estou indo. - falei olhando pra minha mãe ignorando meu pai passando pela porta.

- JIMIN... - ouço ele me gritar antes de entrar no carro.

[...]

Cheguei na casa de jungkook e  quando fui pagar a corrida o motorista falou que o pagamento já havia sido depositado. Suspeitei e agradeci desejando uma boa noite. Eu sabia que jungkook tinha uma boa condição financeira mas me incomodava a forma como ele sempre se colocava pra pagar as coisas. Sejam saídas pra balada ou comida, até mesmo ingressos pro cinema. Eu tinha medo que ele pensasse que só éramos amigos dele por causa de seu dinheiro apesar dele nunca ter dito isso ou demonstrado desconfiança.

- jungkook. - disse tocando a campainha.

Nada dele abrir.

- EIII.. - continuei insistindo até que alguém abre a porta.

Era jungkook todo ensaboado usando apenas por uma toalha branca na cintura.

- está aberta. - ele disse abrindo a porta.

- oh... desculpe.. - disse entrando na casa vendo ele fechar a porta e subir rumo ao banheiro.

- aonde estão os outros? - disse tentando ignorar a visão de seu corpo exposto.

- não vai dar pra eles virem. - ele disse subindo. - seremos só eu e você hoje ok? - ele some da minha visão.

Supirei fundo tentando acalmar o meu coração agitado.

Só nós dois?

[...]

- hora essa pizza não chega estou ficando irritado. - jungkook diz jogando o controle sobre a mesa.

- não seja impaciente jung. - sorri de sua cara emburrada.

- yaaa você não está com fome? - ele se joga sobre o sofá. - Jimin por que não tira essa rouca afinal? Está fazendo calor.. - ele puxa minha touca fazendo meus cabelos agora loiros cairem sobre minha testa.

Seus olhos se aregalaram e ele passou alguns minutos me encarando antes de dizer algo.

- jiminie você... - ele continuou me olhando.

- ficou bom? - disse mordendo o lábio inferior nervoso com seus olhares sobre mim e por que eu realmente de alguma forma queria que ele aprovasse.

- ficou maravilhoso. - ele sorriu.

- o-obrigado. - acabei corando.

Ouvimos a capainha tocar e ele se levou todo animado.

- A PIZZA CHEGOU.. - ele foi atender a porta e eu fiquei jogando no sofá tentando acalmar meu coração e me controlando pra não acabar soltando gritinhos de alegria.

Duas pizzas. Duas pizzas pra duas pessoas. Eu comi dois pedaços e estava cheio mas aquele garoto parecia uma máquina de comer.

- você vai ficar doente se continuar comendo assim. - fiquei olhando ele devorar a pizza de quatro queijos.

- eu estou com fome. - jungkook falou de boca cheia tomando um gole de seu refri. - Jimin por que você trouxe mochila? Você vai dormir aqui?

Distraído com nosso jogo de videogame e sua beleza estonteante acabei esquecendo que pensava que ia dormir junto com todos os demais caras.

- eu pensei em ir só amanhã de manhã. - engoli seco. - jungkook.. Eu posso dormir aqui com você hoje?

Engoli seco novamente olhando em seus olhos que pareciam mudar a cor pra um tom mais escuro.

- claro Jimin. Eu adoraria que você dormisse comigo hoje. - ele sorriu largo.


Notas Finais


OK EU QUERO A OPINIÃO SINCERA DE VOCÊS, FICOU BOM??? Comentem pelo amor do santo yoongi.

~ próximo capítulo será narrado por jungkook e irá conter material não recomendado para menores e não, ainda não tem data prevista pra sair. ;-;

Eu não iria dormir em paz sem postar logo esse capítulo e espero ter agradado e alcançado as expectativas. Perdoem qualquer erro e prometo tentar dar o meu melhor no próximo.

~ Vejo vocês na próxima atualização.♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...