História Prince X Prince - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Final Fantasy XV
Personagens Gladiolus Amicitia, Ignis Stupeo Scientia, Noctis Lucis Caelum, Prompto Argentum
Tags Gladnis, Mais Promptis Trash, Promptis, Promptis Trash
Visualizações 74
Palavras 2.200
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Lemon, LGBT, Literatura Feminina, Luta, Magia, Romance e Novela, Sci-Fi, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Já arrumei o cap anterior, e espero que gostem deste cap!

Capítulo 7 - Um beijo.


No dia seguinte, era segunda-feira e fui acordado por Ignis, que me chamou para tomar café da manhã e depois se dirigiu para o quarto de Noctis que era de frente ao meu.

"Bom dia, Ignis." Falei quando ele saiu do quarto de Noctis e levantei.

"Bom dia, Prompto." Falou e depois foi para a cozinha, eu acho, porque fiquei para arrumar a cama e trocar de roupa.

Sai do quarto e lá estava Ignis na cozinha como pensei. Parecia uma mãe cuidando dos seus filhos e os preparando para ir ao colégio. Não quis ser rude e tomei o café, sentando-me a mesa e olhando aquelas deliciosas panquecas. Comi tudo. Acho que foi o primeiro café da manhã decente que tomei desde que cheguei aqui.

"Obrigado pela comida. Você é muito talentoso na cozinha, Ignis." Falei e levei a louça até a pia.

"Obrigado." Ele sorriu. Ignis é bem bonito também, agora que reparei.

"Vou trocar de roupa e depois volto aqui." Avisei.

Ignis assentiu e sai. Noctis não havia acordado quando sai, mas depois de trocar de roupa e descer novamente para ir de carona, porque eu já me acostumei. Lá estava Noctis com o uniforme e tomando seu café com o Ignis lhe apressando senão chegaríamos atrasados.

O príncipe praticamente engoliu a comida e seguimos rumo ao colégio de carro. Nós dois saímos juntos e entramos juntos. Estranhamente percebi alguns olhares sobre nós e cochichos também. Acho que estão falando de nós.

"Ei, voc-"

"Noctis-sama!" As três vieram correndo em nossa direção, na verdade, mais na direção do príncipe Noctis.

"Andrews está espalhando boatos que você está namorando, é mentira, né?" Perguntou Violet ajeitando seus óculos.

"O quê?" Noctis parecia confuso.

"Ele disse para todo mundo que vocês dois estão juntos." Stella se dirigiu a mim e parecia feliz com isso. Maldita fujoshi. "Se for verdade, eu apoio vocês." Ela segurou minhas mãos.

"Isso não é verdade." Falei. Que absurdo. Olhei Noctis e me pareceu estar bravo.

"Vamos bater nele!" Alegou Maria também zangada.

"Não temos chance contra ele, Maria. Ele prática karatê." Disse Violet como se esse fosse o problema real e não o fato de serem mulheres. Se bem que é capaz dessas malucas terem força o suficiente para acabar comigo ou qualquer outro cara.

"Vamos colocar cola e glitter nos sapatos dele." Sugeriu Stella soltando minhas mãos.

"Gostei. Vamos sabotá-lo." Disse Maria e Violet assentiu. Olhei Noctis mais uma vez.

"Prefiro que vocês não se envolvam com ele, por favor." Disse sério. "Isso é entre mim e ele."

O que será que aconteceu entre esses dois? Vou perguntar para elas mais tarde. Elas devem saber a história toda.

Ninguém disse mais nenhuma palavra depois disso. E fomos para sala porque seria um longo dia, eu pressentia isso. As aulas foram razoáveis hoje, não estava no ‘feeling’ para prestar atenção e Noctis só dormiu. Como ele consegue dormir com todo esse barulho? Quando chegou o intervalo, Noctis não chegou a me chamar e até passou reto por mim. Imagino que ele foi atrás de Andrews.

Eu não sabia se deveria ir atrás dele, afinal, ele deixou claro que não queria que nos envolvêssemos nesse seu problema, mas havia uma parte de mim que acreditava ser errado deixá-lo lidar com isso sozinho, por isso, acabei indo atrás. Procurei por Noctis até achá-lo perto da árvore de cerejeira, também achei Andrews e os dois se encaravam. O clima era tenso e o ódio era palpável. Fiquei escondido atrás da parede do prédio e assisti de longe por enquanto eles pareciam trocar algumas farpas, mas não era muito audível por causa da distância entre eles e eu. E a linguagem corporal era de quem estavam discutindo e prestes a partir para uma briga. Talvez eu deva interferir agora.

"Noctis!" Chamei saindo do meu esconderijo ao ver que os dois iam partir para a briga. "Não faça isso, não vale a pena!" Declarei já que ele realmente poderia ter problemas piores depois.

"Sua namorada tá certa, príncipe." Debochou Andrews com um sorriso triunfante.

Eu? 'Namorada'? Esse cretino...

"Desculpe... Mas acho que você cometeu um erro..." Disse me aproximando de Andrews, o que pareceu surpreender os dois, e peguei a mão dele colocando no meu peito. "Mas sou biologicamente um homem e eu adoro ser um, me identifico como tal. E Noctis não faz o meu tipo, prefiro homens mais velhos e misteriosos." Sorri.

Soltei a mão dele que pareceu se constranger um pouco, se afastou e fez cara de nojo me olhando.

"Bicha!" Ele estalou a língua e saiu andando, acho que Andrews é homofóbico, mas dei de ombros.

"Não precisava fazer isso." Falou Noctis e me virei para olhá-lo. "Agora você vai ser alvo dele também... Falei para não se envolver."

"Sinceramente, eu não ligo. Foda-se ele. Só vim ajudar um amigo."

"Pois não devia, agora será perseguido pela maldita gangue dele!" Falou bravo. Acho que ele realmente odiou eu ter interrompido.

"Foi mal, mas eu não quero que você tenha problemas com o colégio." Disse colocando uma mão na nuca e um pouco sem graça, pois era verdade.

"É melhor irmos almoçar." Falou Noctis depois de alguns segundos de silêncio. Concordei e fomos.

O resto do intervalo ocorreu normalmente. As três garotas planejaram sabotar Andrews mesmo Noctis protestando.  E eu permaneci quieto.

Quando o intervalo acabou é que percebi que realmente fiz merda ao me envolver com os problemas do príncipe, porque quando fui ao banheiro, acabei sendo nocauteado e só acordei um minuto depois quando me arrastaram até o que parecia ser o depósito que deixavam o material esportivo. E era basicamente eu sozinho contra quatro, incluindo Andrews.

Pronto. Agora vou ser espancado ou estuprado até o talo. Confesso que fiquei com medo porque dois deles me seguravam, prendendo meus braços atrás do meu corpo e deixando a minha barriga livre para ser um saco de pancadas.

"Me soltem!" Eu tentava me libertar, mas acho que todos eles praticavam karatê. Estou me sentindo o Daniel-san.

"Você se acha esperto para caralho, não é? Pois saiba que sinto que o príncipe gosta de você e isso é ótimo, porque vou adorar te surrar até virar do avesso." Ele disse dando um sorriso sádico.

Certo. Estou um pouco inseguro em lutar, mas fui treinado para me defender e também logo sentiriam a minha falta na sala de aula, então, tenho duas opções: posso deixar eles me baterem ou ao menos tentar me defender, nem se seja um pouco.

Observei rapidamente o local. A porta estava logo atrás de mim. Tem dois me segurando, Andrews na minha frente e, o outro estava em pé ao lado direito dele segurando um soco inglês. Supondo que eles saibam todos lutar de alguma forma, estou em certa desvantagem.

"Isso vai ser muito divertido." Falou Andrews pegando o soco inglês do colega.

Quando ele se aproximou para me bater, dei com os meus dois pés contra o peito dele, o que fez seus amigos que me seguravam se desequilibrarem para trás e baterem suas costas na porta de correr do depósito, nisso me soltaram e cai sentado no chão. Andrews se desequilibrou também e quase caiu de bunda no chão se não fosse seu outro amigo para segurá-lo.

Obviamente me levantei o mais depressa possível, aproveitando a surpresa de todos pela minha "ousadia" em revidar e fui saindo aos tropeços dali, porque logo viriam atrás. Corri como se não houvesse amanhã. Com certeza mais tarde sentiria dores musculares. E como o esperado, eles estavam atrás de mim.

Fui à direção onde tinham mais pessoas o possível para testemunharem qualquer acontecimento e quem sabe assim chamariam um professor ou eles mesmos separariam a briga, porque logicamente eu iria apanhar bastante mesmo com o treinamento que recebi, ainda não é o meu forte luta corpo a corpo. Se eu tivesse uma arma, a história seria diferente.

Quando enfim eles me alcançaram, eu estava no começo do corredor do prédio e, eu só senti o soco que levei no lábio, mas para a minha sorte foi bem na frente do professor de educação física, que logicamente levou os quatro para a diretoria, enquanto eu fui levado para a enfermaria, pois meu lábio inferior ficou cortado e iria inchar muito.

A enfermeira limpou um pouco a ferida e me deu gelo para colocar nos lábios, também disse que eu poderia descansar o resto da tarde e foi o que fiz. Sentei na cama da enfermaria, segurando o gelo.

Não demorou muito para eu escutar a voz de Noctis perguntando por mim e logo o vi abrir a cortina que tinha ao redor da cama (igual dos hospitais) e entrar ali, fechando a cortina atrás de si.

Merda. Ele está muito puto comigo. Sorri sem graça com o meu lábio inchado e acenei levemente.

"Você é maluco!" Gritou e me abraçou (?). Que diabos está acontecendo? "Poderia ter sido bem pior." Noctis me abraçava e parecia bem preocupado e com raiva ao mesmo tempo, mas mais preocupado.

"Me desculpe." Pedi, mas não consegui o abraçar de volta porque fiquei sem reação.

"Não faça mais isso." Ele disse me soltando e voltando a ficar com a postura reta na minha frente.

"Bom, eles me pegaram de surpresa e eu só me defendi e fugi." Contei.

"Eu sei. Você é mais forte do que aparenta." Ele sorriu e começou a ficar calmo e aliviado.

Não tanto quanto gostaria, pensei. Noctis sentou-se ao meu lado, deixando nossos ombros se chocarem e olhava para os meus lábios, preocupado.

"Logo desincha." Falei, colocando o saquinho de gelo de volta no lábio inferior.

"Uhum." Ele concordou e parecia distante mentalmente, mas se aproximou de mim fisicamente.

Abaixei o saquinho de gelo e o deixei se aproximar até o ponto de nossos lábios se encontrarem. Na verdade, ele só deu um selinho onde estava machucado.

OH MEUS DEUSES! EU ESTOU SENDO BEIJADO PELO MEU INIMIGO! OH, DEUSES! NOCTIS LUCIS CAELUM É VIADO! E eu deixei que ele me beijasse... Puta que pariu, Prompto.

Ele ficou vermelho e se levantou rapidamente.

"Me desculpe." Disse triste e saiu andando apressado dali.

"Noctis!" Eu levantei também e fui atrás dele, mas parei na porta ao ver que fui ignorado e ele continuou andando com a mão nos seus lábios.

E agora é terça-feira e não fui para aula. Tenho certeza que agora Noctis deve pensar que eu o odeio ou que não serei mais amigo dele por causa do maldito beijo (nem foi um beijo de verdade, só um selinho).

Suspirei. O príncipe confia em mim e tudo mais, mas ele não me quer só como amigo, eu sei porque é a mesma situação que eu estou com relação ao Ardyn. Então, sei que estou em uma situação delicada e isso pode pôr em risco a missão. Mas será que terei que fingir que gosto dele, sexualmente falando, para terminar essa missão? Vou ter que enganar ele tanto assim? Isso me soa tão cruel e repulsivo.

O que meu Ardyn faria numa situação dessas?

Esperei dar três horas da tarde para ir ao apartamento de Noctis e resolver isso de uma vez por todas. Porém, ele é quem veio até a mim, assim que eu tinha decidido sair, quando abri a porta lá estava ele prestes a bater na porta. Nos olhamos surpresos.

"Eu-" / "Eu..." Falamos juntos.

"Você primeiro." Falei.

"E-eu..." Ele está ficando envergonhado (e ainda está com o uniforme do colégio, ele veio direto para cá). "Eu sinto muito pelo beijo. Não deveria ter feito aquilo." Sua mão estava na sua nuca e a outra no bolso, ele não me olhava nos olhos. Ele está... Fofo assim. "Não quero perder sua amizade."

"Não vai." O olhei e ele me olhou de volta. "Mas... Desde quando?"

"Desde quando o quê?" Ele ainda está com vergonha.

"Desde quando você gosta de mim?"

"Desde o dia em que te vi." Disse sincero. "Mas relutei por um tempo para ter certeza se era isso, mas tudo se encaixavam... Pode parecer bobo, mas foi amor à primeira vista." Ele se declarou para mim e eu sorri amigável, não queria machucar seus sentimentos, mas não sei se posso ou se devia corresponder. "Não precisa me corresponder ou ter medo de dizer que não sente o mesmo por mim, porque eu sei que você ama outro cara."

"Noctis..." O olhei com pesar.

"Mas espero que possamos continuar amigos." Ele colocou as mãos no bolso da calça e tentava se manter firme, mas no fundo eu sei que doía.

"É claro que podemos continuar amigos. Melhor ainda, vamos recomeçar!" Estendi a mão e ele sorriu, a pegando e apertando. "Oi, meu nome é Prompto. Seu vizinho e colega de classe. Prazer."

"Prazer, meu nome é Noctis, vizinho." Eu vi as lágrimas rolando pela face dele ao mesmo tempo em que nós sorriamos, estávamos chorando. "Eu te vejo amanhã." O vi soltar a minha mão, dando as costas e sumindo dentro do elevador.

Nos encaramos até o elevador fechar. E sequei minhas lágrimas assim que ele se foi, fechando a porta do meu apartamento. Hoje eu não queria pensar em mais nada e por isso fiquei encarando a linda vista que minha cobertura proporcionava.


Notas Finais


Qualquer erro, arrumo depois!

Não sei se vcs viram mas terá Gladnis também ♥.

edit 09/08: arrumei o cap ^^.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...