História Princes of the Night - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanbaek, Hunhan, Kaisoo, Sulay, Taoris
Visualizações 391
Palavras 5.290
Terminada Sim
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 20 - Bônus 2 - Lua


Uma tensão pairava sobre o complexo dos vampiros naquela noite.

Dessa vez eles tinham plena noção de que aquela noite seria a Lua dos companheiros. Acontecimentos passados os deixaram constrangidos apenas de lembrar e por isso haviam combinado de não saírem do quarto naquela noite.

Os vampiros apenas se divertiam ao ver o desespero dos seus companheiros com medo que algo desse errado e mais uma vez passarem vergonha.

E eles mais do que ninguém, após vivenciarem tantos momentos entre seus pais sabiam que não tinha como cronometrar ou evitar qualquer situação vergonhosa. Era puro desejo carnal e era inevitável que as coisas se descontrolassem. Mas também sabiam que os garotos não estavam acostumados a lidar com sexualidade daquela forma e por isso tudo se tornava tão constrangedor.

Os vampiros sabiam que tudo era questão de tempo.

Baekhyun se encontrava no quarto um tanto ansioso. O pequeno rapaz estava rodeado pelos braços de Chanyeol que parecia se divertir com toda aquela expectativa, mas no fundo estava igual se não mais ansioso que seu companheiro de sangue.

- Eu estou nervoso, Yeol. - confessou em um tom tímido.

- Sério? Nem tinha percebido. - fechou a expressão ao ouvir o tom debochado do vampiro.

- Eu estou falando sério, seu poste orelhudo. - rosnou, estava nervoso e não queria ser motivo de piada por isso.

Chanyeol respirou fundo.

Faltavam poucos minutos para a lua atingir o pico e precisava acalmar seu companheiro de alguma forma.

O corpo de Baekhyun foi puxado com extrema delicadeza e só pelo toque calmo o humano relaxou sentando no colo do vampiro e o rodeando com as pernas.

Chanyeol queria rir daquele nervosismo bobo do garoto, mas sabia que se o fizesse apenas ia deixa-lo com raiva.

- Você esta nervoso porque tem medo de que seja pego em alguma situação constrangedora. - seu rosto foi acariciado com carinho - Você não precisa ter vergonha disso, somos uma família e essa lua é a maior prova que nascemos um para os outro. - Baek assentiu ainda que um lado seu não gostasse da ideia que de alguma forma os outros o vissem tendo relações intimas - É apenas questão de tempo para você se sentir confortável com sua sexualidade exposta. - ele sabia que Chanyeol estava certo mas permaneceu em silêncio - E também querido, não é como se fossemos transar para uma plateia, ninguém ao menos vai nos notar se algo acontecer, cada um vai estar em volto em sua bolha de prazer. - suas sobrancelhas se moveram quase sugestivas o fazendo corar levemente - Acontece que na lua não podemos conter nossa excitação e as vezes caímos em situação constrangedoras, como os meninos que estavam na cozinha na noite da lua, mas não significa que isso irá acontecer conosco. - aquilo foi o suficiente para acalmar o garoto.

- Obrigado. - Baekhyun ronronou deitando a cabeça no peito de Chanyeol totalmente relaxado.

Mas aquilo fora o suficiente.

De repente seus olhos se arregalaram e uma onda de calor tomou seu corpo. Uma ereção se formou entre suas pernas e o cheiro de Chanyeol impregnou em seu nariz como um afrodisíaco. Quase em desespero gemeu esganiçado esfregando seu corpo no do vampiro.

Sua mente estava em branco.

Em questão de segundos ergueu o rosto encontrando os olhos de Chanyeol mais escuros que o normal, suas presas alongadas e uma expressão de desejo banhava seu rosto. Um rosnado possessivo retumbou de seu lábios.

Em um desespero selvagem iniciaram um beijo completamente afoito, enquanto suas mãos se apertavam em busca de aplacar o calor que somente crescia.

- Chanyeol. - o vampiro estremeceu com o gemido manhoso e estrangulado que escapou dos lábios de Baekhyun quando sem aviso prévio suas presas fincaram o pescoço branco rompendo a pele fazendo o sangue jorrar em sua boca o enchendo de desejo.

Sugou com força e o pequeno tremeu em seus braços tendo a certeza que poderia ter um orgasmo somente com a forma que a boca de Yeol sugava em puro desespero carnal.

Aquilo era insanamente delicioso.

Todos os sentidos do vampiro estavam aguçados, não dava para parar. As roupas de Baekhyun foram rasgadas sem nenhuma dificuldade e seu corpo jogado bruscamente na cama a medida que o maior se livrou de sua própria vestimenta para em seguida o puxar pelas pernas encaixando perfeitamente em seu quadril. Não havia delicadeza, os olhos se fitavam amorosamente selvagens, o desejo pulsava insano.

Chanyeol o penetrou a seco e a única coisa que se ouviu dos lábios do pequeno foi um longo gemido de prazer.

Não havia dor.

- Eu preciso. – as palavras balbuciadas foram interrompidas pelas estocadas fortes, precisas, massageando sua próstata perfeitamente – Oh porra. – necessitado o pequeno humano puxou os cabelos do maior e mordeu seu lábio com força rompendo a pele e fazendo o sangue escorrer entre seus lábios.

Em estocadas firmes, gritos e gemidos iniciou um beijo cheio de mordidas, sangue e amor.

Baekhyun estava provando pela primeira vez do amor selvagem mais primitivo que havia naquele mundo.

E estava mais que satisfeito com isso.

 

- Oh, meu Deus. – Kyungsoo esbugalhou os olhos a medida que Jongin investia com força.

Estava prestes a gozar.

Sua expressão banhada em prazer enquanto seus olhos reviraram a cada estocada bruta. Estava em uma posição que não era muito de seu agrado, se sentia exposto demais, mas naquele momento nada importava, estava de quatro enquanto Jongin puxava seus cabelos e seus quadris se moviam com perfeição o levando a loucura.

- Jongin. – rosnou quando seus cabelos foram puxados com brusquidão e seu pescoço tombou para trás.

- Você é tão gostoso. – a voz rouca sussurrada ao pé de seu ouvido enquanto os dentes pontudos rasparam no lóbulo de sua orelha o fez tremelicar enquanto gemia em puro desespero querendo sua libertação – Tão apertado. – uma mordida de leve sem romper a pele o fez grunhiu e se debater aflito por não conseguir chegar ao orgasmo.

Jongin o provocava demais.

Não era fácil para o vampiro se controlar na lua, mas o moreno estava lutando contra seu lado selvagem enquanto ainda conseguia pois simplesmente amava a forma que Kyungsoo se desesperava pelo mínimo toque.

- Por favor, por favor, por favor, por favor. – como um mantra o pequenino rebolou contra o moreno e berrou ao senti-lo ir mais fundo, o alargando, o deixando louco.

As mãos do moreno agarraram sua cintura com força a ponto de deixar uma marca roxa.

Kyungsoo gostava.

- Você só vai gozar, quando eu quiser que você goze. – Jongin falou duro e inclinou seu corpo sobre o de Kyung enquanto movia os quadris lentamente. Os pequenos olhos arregalados giravam em orbita em pura necessidade aplacar aquele calor que fazia seu corpo entrar em um colapso desesperador. Para Jongin estava cada vez mais difícil controlar seu lado animalesco que queria foder seu companheiro sem dó.

- É tão gostoso te foder. - rosnou em seu ouvido fazendo Kyungsoo convulsionar e contrair sua entrada, isso levou o pouco de sanidade que Jongin mantinha fazendo as presas do vampiro fincar em sua nuca. O corpo dos dois tremeu com a intensidade da mordida. Enquanto sugava, os quadris do moreno se movimentavam cada vez com mais força e rapidez. Em questões de segundos com um grito estrangulado os dois quase que ao mesmo tempo gozaram chamando o nome um do outro.


 

- Joonmyun. - Yixing gritou tendo o corpo prensado contra a parede da cozinha.

Ele gemeu quase em desespero. Ele estava exausto, já tinham transado duas vezes quando resolveu ir comer algo. Mas Joonmyun parecia insaciável. E mesmo exausto seu corpo apenas pedia por mais.

- Eu preciso de você. - suas bocas se chocaram quase que automaticamente.

Yixing gemeu baixo quando Joonmyun segurou seus braços e o virou bruscamente, colando seu corpo contra a parede. Suas mãos foram presas acima da cabeça e foi obrigado, pela posição, a grudar seu rosto na parede fria. Joonmyun colou seu corpo contra o do companheiro, que podia sentir seu membro duro contra sua bunda.

- Myunnie – gemeu arrastado quando teve sua nuca sugada com força. Fechou os olhos imerso em sensações. Quando ele começou a sugar e raspar os dentes, gemidos escaparam sem permissão.

Estava tão quente.

- Tudo em você me enlouquece, Yixing... Eu te amo tanto... – ele falou rouco em seu ouvido, arrancando um choramingo necessitado do humano quando sentiu seus lábios sugando o lóbulo da sua orelha. – Essa bunda empinada me deixa louco de tesão – desceu uma mão pelo entorno do seu corpo enquanto a outra segurava seus braços com firmeza

Um grunhido desesperado ecoou pela cozinha.

- Joonmyun, por favor... – choramingou. Joonmyun grunhiu, mordendo sua nuca com força rompendo a pele.

Ambos gritaram sentindo o corpo queimar.

Com apenas uma mão as boxers de Yixing foram rasgadas. O desespero tomava conta dos dois, o corpo formigava em necessidade liberação, era puro fogo carnal.

- Eu vou te foder gostoso e te fazer gemer bem manhoso do jeito que me enlouquece – O corpo de Yixing vibrou como nunca, sua primeira reação foi empinar o corpo sentindo a ereção de Joonmyun roçar entre suas nadegas. Seu cabelo foi puxado com tanta força que ele tombou no ombro do vampiro – Você vai me deixar te foder baby? Te comer aqui para qualquer um ver você gritando por mim? – Lay chorou necessitado, precisava daquilo mesmo que depois ficasse envergonhado por novamente ser pego daquela forma.

Nada importava, ele apenas precisava ser fodido duro.

- Joonmyun, por favor... Eu preciso... Joon! – implorou manhoso o fazendo soltar um palavrão e sem aviso prévio ali contra a parede da cozinha o penetrou sem piedade.

Não teve tempo para se acostumar, Joonmyun somente começou a se movimentar com força sem se importar com mais nada. Yixing gemia em desespero se empinando cada vez mais, o sentindo ir cada vez mais fundo. Os dedos de Joonmyun se afundaram em sua cintura queimando sua pele. A posição era desconfortável, mas isso não importava. Não quando seus olhos reviraram cada vez que seu ponto específico era acertado e massageado com força.

- Joon. - seu corpo amoleceu a medida que convulsionou liberando todo seu prazer.

E até mesmo para Joonmyun foi difícil manter as pernas firmes ao seu sem pau ser esmagado pelas contrações da entrada do companheiro.

No final resultou apenas Joonmyun e Yixing ofegantes tentando não cair no chão.

- Eu realmente preciso comer algo.


 

O som do chicote acertando a pele branca ecoou pelo quarto.

- Caralho Sehun.- Luhan berrou em desespero.

Sehun apenas lambeu os lábios apreciando a visão.

Luhan com as mãos algemadas, duas pinças prendiam seus mamilos com força. Uma fileira de sangue espalhado em seu abdômen pelo corte do chicote. Luhan não se importava com nada, só queria ser fodido sem dó, mas Sehun parecia estar disposto a deixa-lo louco de tesão.

- Porra, se você pudesse se ver agora. - a voz de Sehun era rouca carregada de luxúria.

- Por favor, por favor, por favor. - Luhan se debatia em puro desespero, queria e precisava sentir Sehun dentro de si.

- O que você quer? - suas feições estavam duras mostrando um controle que não tinha, era difícil ver seu pequeno ali implorando por si - Quer meu pau te fodendo com força? - rosnou segurando suas pernas e abrindo expondo seu buraco rosado - Caralho Luhan. - ele gemeu vendo a entrada do pequeno se contrair como se implorasse para ser fodido.

- Sehun, eu preciso de você. - suas mãos puxaram as algemas ferindo seus pulsos.

Aquilo fora a gota d'água.

Sem ao menos se preocupar, Sehun o invadiu rasgando sua entrada. Luhan gritou convulsionando em um misto de prazer e dor. Amava o lado sádico de seu companheiro.

Sua cintura foi apertada com força. Sehun não mediu controle, entrava e saia como um animal o fodendo. Não queriam amor, não queriam delicadeza, queriam apenas o prazer. Em duras e curtas estocadas saciar a necessidade do corpo.

- Porra Sehun, porra. - seus gritos se tornaram incoerentes. Luhan queria cravar as unhas em suas costas e rasga-las para conter o prazer que sentia. Sehun puxou seus cabelos com força e fincou as presas em seu pescoço.

Luhan gritou e seu membro tremeu implorando por libertação.

Os quadris do vampiro continuavam em um movimento frenético. Sehun mordeu o próprio lábio o cortando e grudou a boca na de Luhan dando início a um beijo sangrento.

Os gemidos se tornam mais roucos, os corpos se moviam em sincronia. Com uma estocada bruta, Sehun massageou mais uma vez a próstata de Luhan que gritou com o corpo entrando em colapso gozando tão forte que o liquido espesso atingiu seu rosto. Sehun gemeu com a cena do companheiro com o rosto melado, abaixou o rosto e lambeu o sêmem e estocou com mais força tendo seu membro esmagado com a entrada contraindo, foi questão de segundos para que ele finalmente atingisse seu ápice revirando os olhos em puro deleite.


 

Jaejoong vestia apenas uma camiseta e uma boxer quando se arriscou a ir até a cozinha. Estava faminto. Seu corpo formigava de uma forma gostosa. Havia transado duas vezes com Yunho no calor do momento. Sabia que precisava comer pelo menos uma fruta antes que a necessidade falasse mais alto novamente.

Nunca imaginou que seria assim.

Seu corpo esquentou somente por lembrar da forma que Yunho o segurou com força, como o fez chegar ao orgasmo de forma rápida e intensa.

E queria mais, precisava de mais.

Ao chegar na sala arregalou os olhos ao ver Baekhyun contra a parede enquanto Chanyeol lhe fodia sem dó. Prendeu a respiração. Aquilo não deveria ser tão quente aos seus olhos, mas era. Se sentiu estranho ao ver que observar seu irmão transar lhe dava tesão e se perguntou se era uma reação da lua em seu corpo. Balançou a cabeça quase que desesperadamente, porém não tinha para onde fugir, não quando olhou para o corredor e viu Yixing empinado com o rosto colado na parede enquanto Joonmyun lhe penetrava quase que com brutalidade.

Gemeu baixo.

E ao sentir o impacto do contra seu corpo soltou um grito que se transformou em gemido quando sentiu o corpo de Yunho o prensar contra a parede do corredor.

- Yunho. - gemeu ao sentir o nariz do vampiro deslizando por sua pele sensível.

Os gemidos dos seus irmãos o deixava mais quente.

Também queria prazer.

- O cheiro da sua excitação. - Yunho rosnou completamente inebriado suas mãos enroscaram nos cabelos de Jaejoong o fazendo tombar a cabeça para o lado - Te deixa quente amor? Ouvir os gemidos? Saber que eles estão sendo fodidos bem aqui do seu lado? - o corpo do menor amoleceu enquanto Yunho falava coisas sacanas ao pé do ouvindo mordiscando sua orelha enquanto seus corpos se roçavam se provocando.

- Yun, isso é tão gostoso. - gemeu cravando as unhas nas costas desnudas de seu vampiro.

- Você é um garoto mau Jae. - lambeu seu pescoço o provocando.

Sua blusa foi rasgada, Yunho inclinou o rosto e lambeu o mamilo do pequeno arrancando um soluço choroso de seus lábios. O clima estava quente, abafado e nada parecia ser o suficiente.

- Yun. - o cérebro de Jaejoong parecia não funcionar direito naquele momento, não conseguia pensar nada coerente, não quando seu companheiro o tocava daquela forma.

Apenas gemidos desconexos implorando por mais saiam de sua boca.

Yunho aproveitou que seu companheiro estava totalmente entregue em seus braços e fincou suas presas no mamilo de Jae fazendo o sangue jorrar em sua boca. O grito rasgou a garganta do pequeno humano que tremeu ao mesmo que suas pernas bambearam, mas o aperto firme em sua cintura não o deixou cair.

- Me morde. - Yunho rosnou erguendo o rosto e Jae grunhiu com o quão sexy ele parecia com os lábios manchados de sangue. O agarrou pelos cabelos e o puxou o fazendo encarar.

Com toda força que tinha virou o rosto e fincou os dentes do pescoço do vampiro, a pele rompeu com um pouco de dificuldade, porém quando o sangue entrou em contato com sua língua seu corpo entrou em colapso.

Não soube ao certo quando Yunho rasgou sua boxer, estava envolto a uma bolha de prazer sugando desesperadamente o sangue afrodisíaco de seu companheiro. De repente estava com as costas totalmente apoiada na parede enquanto Yun o segurava pelas coxas com extrema facilidade.

Olhou para baixo e ofegou ao ver o membro duro de Yunho perto de sua entrada.

- Por favor. - implorou com os olhos desfocados de luxuria.

- Você é um pequeno provocador Jae. – o estocou de uma vez em sua entrada já sensível pressionando de primeira sua próstata.

Jaejoong abriu a boca, mas somente saiu um som estrangulado à medida que seus olhos reviravam. Era uma posição estranha, Yunho segurava suas coxas e o penetrava com força e sem hesitação. Os gemidos saiam de sua boca em desespero, sabia que não iria durar muito, seu corpo estava extremamente sensível.

- Você gosta assim baby? Gosta do meu pau te fodendo com força enquanto todos te escutam gemer para mim? – sussurrou mordiscando sua orelha sem cessar os movimentos, aquilo pareceu apenas o acender mais pois o pequeno apenas cravou as unhas onde alcançou e rasgou as costas do vampiro que gemeu o estocando com mais força.

- Yun, eu.... – se engasgou antes de completar a frase, seu corpo tencionou e sua respiração cessou por um momento, com um gemido longo e estrangulado se derramou contra seu próprio abdômen. Seu corpo amoleceu e sua entrada pulsava tornando o orgasmo mais intenso.

Yunho se voltou como um animal desesperado, não mediu força afundando os dedos nas coxas do seu humano que com certeza ficariam roxas. Fechou os olhos e apenas deixou seus sentidos animalescos o dominarem. Seus quadris se moviam em uma velocidade assustadora. E no momento que afundou as presas no ombro de Jae, sua liberação veio quase instantaneamente e seu corpo vibrou enquanto gozava em sua entrada maltratada.

Os gemidos ainda ecoavam espalhados pelo cômodo, porém os dois estavam envoltos em seu próprio prazer, ofegantes e temporariamente saciados. Jaejoong fez careta quando Yunho retirou seu membro de si e em seguida ele sentiu o gozo escorrer entre suas pernas. O vampiro o segurou firme pois sabia que seu humano estava esgotado.

- Acho que agora consigo me controlar por um tempo, pelo menos por uns 10 minutos. – murmurou segurando o pequeno contra si – Vem amor, vou cuidar de você. – em questões de segundo já estavam no banheiro e Jae sendo depositado na banheira enquanto a água quente foi ligada o fazendo grunhir em apreciação.

- Vou pegar comida. – Yunho avisou.

Jaejoong apenas sorriu, iria banhar e comer algo para saciar seu lado humano.

Apenas para começar tudo de novo.

E só a ideia de fazer amor com Yunho na banheira o excitou.

De repente Yun apareceu com uma bandeja de frutas, mas seu olhar estava escuto e sua respiração pesada.

Talvez a comida tenha que esperar mais um pouco.



 

Jongdae ergueu o corpo gemendo alto. Suas mãos se enroscaram no cabelo de Minseok que estava entre suas pernas e sua boca subia e descia com maestria em seu membro. Se agarrou em seus cabelos choramingando tentando conter a agonia desesperadora em si.

Mas Minseok estava disposto a deixa-lo insano. Sua boca descia em uma tortura prazerosa. Levava o membro de seu companheiro até o fundo da garganta o fazendo grunhir e ofegar desesperado e depois subia lentamente brincando com a língua na cabeça sensível.

- Caralho Min. - os dois gemeram longamente, Minseok por desfrutar das picadas em seu couro cabeludo a cada puxada brusca e Jongdae por ter a parte sensível de membro sendo sugada com força.

Não sabia ao menos como chegaram na sala.

Quando finalmente conseguiu focar alguma imagem que não fosse Minseok entre suas pernas, gemeu estrangulado ao ver seus irmãos espalhados pela sala. Finalmente seus ouvidos captaram os gemidos e gritos, estava tão focado em seu próprio prazer que não conseguia prestar atenção em mais nada.

E quando a língua de Minseok começou a lamber a ponta de seu membro esqueceu de qualquer coisa coerente que poderia pensar.

- Min. - Jongdae grunhir puxando os cabelos com tanta força que seu membro deslizou de sua boca apenas o fez grunhir mais desesperado.

O corpo de Minseok foi empurrado bruscamente contra o sofá.

Minseok grunhiu quando Jongdae montou em seu corpo sem hesitar. Tombou a cabeça para trás quando ele sentou em seu membro e desceu sem nem pestanejar. Ambos gritaram com o prazer. Completamente confiante e extasiado começou a subir e descer rebolando.

- Oh, gostoso. – Minseok gemeu arrastado quando Jongdae espalmou as mãos em seu peitoral e aproveitando a posição beliscou seu mamilo o fazendo grunhir.

- Min. – Chen tremeu levemente quando Minseok ergueu o quadril o penetrando com força. Suas mãos agarraram a cintura do seu humano e conforme ele inclinava o quadril para cima, Jongdae ia de encontro fazendo uma sincronia tão perfeita quanto torturante.

De repente Jondae não tinha mais forças nas pernas

De repente tudo girava e eu seus olhos se fechavam

Tudo se tornou extremamente intenso

- Porra Jongdae – ele grunhiu afundando os dedos em sua cintura enquanto ele erguia o quadril entrando com brutalidade, seus gemidos ecoavam pela sala. Dae mordia o lábio tentando conter os gemidos desesperado em busca de alivio.

Sua mente girou com uma estocada bruta e sentiu o gosto ferroso em sua boca.

- Minseok – gritou seu nome quando o orgasmo o atingiu em cheio, e jogou a cabeça para trás e enquanto seu corpo tremia e um gemido manhoso desprendeu de seus lábios, sua sanidade se esvaiu completamente ao ouvir o gemido rouco de Minseok chamando seu nome e ele logo em seguida ele convulsionar embaixo de si gozando forte.

Abaixou a cabeça encontrando os olhos repletos de desejo se seu vampiro. Na sua boca ainda tinha o gosto de seu sangue, inclinou o rosto e mordeu o lábio de Minseok rompendo a pele e deu início a um beijo misturando seus sangues.

- Eu te amo. – sussurraram ao mesmo tempo um contra o lábio do outro.

E quase ao mesmo tempo, já estavam prontos para outra rodada de sexo e sangue.


 

Zitao estava de quatro no meio sala.

Yifan segurava seus cabelos com força.

Naquela posição ele podia ver perfeitamente todos seus irmãos na sala, cada um envolto em seu prazer sem ao menos conseguir focar em mais nada.

Ele apenas se sentia mais quente.

- Fan. – grunhiu sentindo seu membro pulsar somente com uma palmada em sua bunda.

- Você gosta disso não é? – Yifan puxou seus cabelos com mais força que antes o fazendo tombar para trás – Gosta quando eu te pego com força e te faço esquecer de tudo? – sua língua deslizou pela curvatura de seu pescoço.

- Fan, por favor. – Zitao tentou implorar mais uma vez.

Estava tão quente, não queria preliminares. Queria apenas ser fodido, duro e fundo, ali de quatro para quem quisesse ver.

- Eu amo te ver implorar Taozi. – as presas de Yifan rasparam de leve na orelha do pequeno, mas aquela simples e suave caricia fez suas pernas bambearem.

- Eu preciso...

- Eu sei do que você precisa. – Yifan rosnou deixando outro tapa em sua bunda.

Zitao apenas gemeu mais desesperado.

Lentamente Yifan foi distribuindo selares pelas costas de Zitao que estava completamente nu. O gemido longo de Baekhyun chamou sua atenção por um momento. Todos estavam em posições constrangedoras e gemendo alucinados. Até mesmo Sehun e Luhan estavam ali jogados no chão soltando grunhidos e ofegos, o surpreendeu por um momento pois conhecendo o irmão, Yifan imaginava que Luhan iria ficar acorrentado por três dias à mercê de chicotes, plugs e muitos brinquedos que Sehun gostava de se divertir.

Mas novamente o cheiro da excitação de Zitao impregnou seu nariz o fazendo vibrar.

A única coisa que ecoava em sua mente era que precisava fode-lo.

Seus lábios deslizaram pela coluna do seu pequeno e manhoso humano, que apenas ofegava de olhos fechados sabendo que quanto mais implorasse ao vampiro, mais ele iria demorar e o provocar.

Zitao prendeu a respiração quando Yifan chegou em sua bunda e deixou uma mordida com força. E para seu total desespero ele ignorou seu membro completamente duro e sua entrada, e foi direto para suas coxas.

- Desgraçado. – rosnou e o vampiro se limitou a soltar um riso baixo, mas o rosnado de Tao se tornou um gemido quando um tapa estalado foi deixado em sua coxa.

- Não seja desobediente. - ele grunhiu e mordeu sua coxa com força o fazendo soltar um grito estrangulado.

- Fan, por favor... – implorou rouco e completamente desesperado. Iria gozar sem ao menos ser tocado, daquela forma. A boca de Yifan deslizava pela sua coxa, enquanto suas mãos apertavam sua bunda força e vontade. Zitao revirar os olhos e gemia descontroladamente.

Era como se não tivesse mais controle sobre si.

- Foda... Porra.. Ah... Por favor... - grunhiu desconexo sentindo sua mente em branco e seu corpo convulsionar.

Seus olhos arregalaram quando sentiu a língua quente e úmida deslizar em sua entrada.

Um grito fino e estridente arranhou a garganta de Zitao.

- Yifan... Caralho... Eu.. Oh Deus.. - gemeu incoerente cada vez que sua língua o fodia mais fundo. Sem aguentar, gemendo manhosamente rebolou contra sua língua a sentindo entrar mais.

Sua respiração descompassada mostrava o quão perto do ápice estava.

E para seu desespero Yifan se afastou.

- Não, não, não. – Zitao choramingou tendo seu orgasmo impedido.

- Eu vou te arrombar baby. – ele rosnou e Tao gemeu estrangulado quando sentiu seu membro roçar em sua entrada.

Antes que Zitao pudesse implorar novamente Yifan entrou em uma dura estocada. O grito rouco arranhou sua garganta. Yifan se inclinou e o puxou pelos cabelos indo mais fundo ao mesmo que seus lábios se tocaram desajeitadamente. Ele nem esperou que seu humano se acostumasse, começou a estoca-lo com brutalidade.

Zitao se voltou insano.

Yifan segurou sua cintura saiu o fazendo gemer em protesto e de repente voltou a entrar em uma estocada forte arrancando um grito de puro prazer. Ele começou a se mover lentamente, e Zitao podia sentir seu membro pulsar em sua entrada sensível.

- Fan. – gritou revirando os olhos em um gemido rouco quando seu ponto foi pressionado de forma certeira. Ele começou a se mover com rapidez em seu canal, e seus gemidos começaram a se tornar altos e desconexos. Um grito falho e rouco ecoou quando um outro tapa na sua bunda foi desferido.

A sala havia se tornado um caos de gritos e gemidos e barulhos de corpos se chocando e se esfregando.

Desesperadamente Zitao tentou se firmar com uma mão e levar a outra em seu membro que pulsava necessitado. Começou uma masturbação de mal jeito enquanto a mão de Yifan continuava a acertar sua bunda sem dó.

- Porra Taozi. – Fan gemeu enquanto investia cada vez com mais força.

Estava tão perto.

Seu corpo se inclinou sob o do pequeno companheiro roçando seus corpos suados. Sua mão puxou seus cabelos fazendo sua cabeça tombar para trás enquanto ele metia cada vez mais fundo.

- Mais forte, por favor, me fode mais forte. – Zitao gritou alto e falhado recebendo uma mordida selvagem em seu ombro.

Foi o suficiente para seu corpo entrar em colapso.

Estava no seu limite.

- Caralho Yifan, mais... – gritou desesperado, seu corpo implorava por alivio – Mais fundo, porra... – grunhiu quando ele entrou com força mais uma vez, sua entrada se contraiu e vampiro gritou rouco o fazendo gemer alto. Seu corpo tremeu e seu membro pulsou o fazendo revirar os olhos antes de sentir o liquido quente jorrar no chão, sendo acompanhado por Yifan que chegou ao ápice junto consigo em um grito rouco, gozando e seu corpo convulsionando arrancando um ronronar satisfeito de Taozi ao sentir seu liquido quente o encher.

Antes de cair por cima de Zitao, Yifan rolou deitando no chão e o puxando fazendo seu pequeno humano cair seguro em seus braços. Ambos suados e saciados. Os gemidos dos outros rapazes ainda ecoavam em seus ouvidos.

Não se importava nenhum pouco de saber que seus irmãos estavam ali, transando do seu lado.

Apenas apertou o pequeno Zitao exausto em seus braços.

Precisava controlar seu instinto pois o pequeno precisava de descanso.

- Eu te amo. – Zitao falou em um sussurro exausto fazendo o coração do líder acelerar a medida que um sorriso sincero crescia em seus lábios.

- Eu te amo, pequeno. – respondeu acariciando seus cabelos.

E em meio aquele caos de prazer cada um deles tinha a certeza que era ali que deveriam estar.

Se amando no calor da lua dos companheiros.

Aonde seus corações pertenciam.

 

3 dias depois.

Jaejoong caminhou em direção a sala secando os cabelos e ainda sem graça viu todos os rapazes na sala conversando. Pendurou a toalha na cadeira e como uma criança manhosa foi para os braços de Yunho.

Os vampiros conversavam aleatoriamente sobre a patrulha de vampiros que estava viciados em sangue. Técnicas e ideias que poderiam usar na organização de sua área. Os humanos ainda estavam desconfortáveis e por mais que tentassem evitar, a vergonha era mais forte.

- Tudo bem, amor? - Sehun perguntou aconchegando Luhan nos braços e deixando um beijo delicado no topo de sua cabeça.

Luhan sorriu completamente apaixonado.

- Um pouco sem graça ainda, vai levar um tempo até nos acostumarmos com toda essa situação. - confessou trocando alguns olhares envergonhados com os irmãos.

- Da para entender. - Chanyeol franziu o cenho lembrando de sua infância - Crescemos com isso, então é comum, mas apesar de tudo as vezes era vergonhoso presenciar nossos pais nessa situação. - suas palavras apenas fizeram seus irmãos rir em concordância enquanto Baekhyun fazia uma careta afundando o rosto em seu pescoço.

- Pensando por esse lado, se tivéssemos sido criados no mundo humano, eu com certeza me sentiria da mesma forma que vocês. - Jongin cedeu tentando se colocar no lugar de seu companheiro.

- Somos príncipes, da luz e da escuridão. - Jongdae se pronunciou para a surpresa de todos que acharam que ele havia adormecido ao lado de Minseok - Teremos a eternidade para se acostumar com isso, quanto drama. - em sequência todos reviraram os olhos para o resmungo da pequena rebeldia do garoto.

- Eu acho que vocês deviam agradecer. - Kris zombou arrancando olhares curiosos.

- Exatamente pelo que? - Yixing resmungou incrédulo.

- Quantas pessoas no mundo não pagariam para me ver nu? - sua expressão era de pura arrogância - Eu sou perfeito. - falou aquilo de forma tão natural que os meninos levaram um tempo para absorver as palavras.

De repente todo mundo começou a rir escandalosamente, deixando o líder completamente indignado.

- Vocês são ridículos. - Kyungsoo bufou enquanto Jongin ainda soltava algum comentário debochado ao lado de Joonmyun.

- Não se preocupem, como Jongdae disse vamos ter a eternidade para nos acostumar com tudo de novo que a vida a dois nos traz, somos verdadeiros príncipes da noite. - Minseok murmurou acariciando os cabelos do companheiro que havia pego no sono com a cabeça deitada em seu colo.

- Talvez não seja tão ruim passar a eternidade com vocês. - Yunho brincou arrancando sorrisos de todos.

- Talvez não. - falaram ao mesmo tempo.

E assim uma nova etapa se construía ali. Dificuldades viriam e isso era uma certeza, afinal eram os príncipes mais poderosos de toda existência elemental, mas enquanto a estivessem juntos nada os poderiam atingir.

Estavam destinados ao para sempre.

E nada no mundo mudaria isso.

 

 

Fim?

 


Notas Finais


Muito obrigada a todos que acompanharam PN novamente! Fico feliz de finalmente ter conseguido reposta-la aqui no social, Mil vezes intenso também já foi repostada, e a próxima será Exoplanet e provavelmente Fantasmas do Passado!!
Aguardem!!!
Muitooooo obrigada pelo carinho ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...