1. Spirit Fanfics >
  2. Princesa Despedaçada >
  3. Capítulo 24

História Princesa Despedaçada - Capítulo 25


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, meus amores! Só relembrando que agora estou postando conforme eu escrevo, então, demorarei um pouco mais para postar. Espero que gostem! Boa leitura!
Obs.: Esse capítulo não tem música, mas se quiserem me falar alguma música que vocês acham que combina com o capítulo, eu ia adorar ouvir. <3

Capítulo 25 - Capítulo 24


Fanfic / Fanfiction Princesa Despedaçada - Capítulo 25 - Capítulo 24

Katrina
 

Chegamos à Base algum tempo depois. Todos descemos da aeronave já dentro do local. Esse sim era um lugar secreto cheio de guardas, paredes de aço e um sistema de segurança incrível.

- Princesa Katrina! - Ouvi alguém me chamar e virei para o olhar o coronel da Base.

- Coronel Rodriguez. - Respondi.

- Finalmente está aqui. Estávamos muito preocupados com a sua segurança no Refúgio.

- Também fico muito aliviada de estar aqui, Coronel. Foram dias difíceis.

- Imagino, Vossa Alteza, mas você está aqui agora, e é isso que importa. Bem, eu vou precisar fazer uma reunião com os outros comandantes da Base, com você e com Gabriel para saber todos os detalhes do que ouve. Pode ir descansar e, após o almoço, resolvemos isso.

- Coronel, se não se importa, eu prefiro fazer isso logo, só gostaria de trocar de roupa primeiro.

- Sem problemas, Alteza. Os soldados levarão todos vocês até seus aposentos. - Ele respondeu chamando um grupo de soldados que estava perto dele.

- Tem quartos para todos? - Pergunto.

- Sim, cada um terá seu próprio quarto.

Obrigada, destino. Alguma coisa tinha que dar certo.

Verificamos se não estava faltando ninguém e seguimos os soldados até os quartos. O meu quarto ficava um pouco mais afastado do deles, pois eu tinha que ficar onde havia mais segurança.

Cheguei aos meus aposentos, fechei a porta e fui procurar algo para vestir. As opções na Base não eram muitas, então peguei uma calça estilo militar e uma regata preta para vestir. Amarrei o cabelo em um rabo de cavalo alto e saí do quarto andando até a “sala de reuniões” da Base.

Eu não estive muito na Base, mas consegui não me perder e achar a sala. Esperei na porta até Gabriel aparecer, pois tínhamos combinado de entrarmos juntos. Ao entrarmos na sala, vimos que a maioria das pessoas importantes já estavam lá. Quando nos viram, todos pararam de conversar para fazerem reverências para mim. Retribuí com um aceno de cabeça.

Quando todos finalmente chegaram, sentamos distribuidamente pela mesa e começamos a reunião.

- Bom dia, Princesa Katrina. - Coronel Rodriguez começou.

- Bom dia, Princesa Katrina. - Os outros repetiram em uníssono.

- Bom dia, comandantes. - Respondi. - Podemos começar?

- Com certeza, Alteza. - Rodriguez respondeu. - Então, após o ataque e a invasão do Palácio da Neve, Vossa Alteza fugiu com o conselheiro do Rei Anthony, Gabriel, e um grupo de conhecidos para o Refúgio que lhe foi destinado previamente.

- Certo. - Afirmei.

- Houve alguma complicação durante a fuga? - Ele perguntou.

- Sim, assim que começamos a andar com o barco, apareceu um grupo de homens, mas consegui afogá-los. O resto trajeto foi tranquilo.

- Tudo bem, pode nos dizer o que aconteceu a partir desse ponto?

- Claro. - Respondi. - Assim que chegamos na praia, já pegamos a van e fomos até o Refúgio no meio da floresta.

- Os fazendeiros já estavam fora?

- Sim.

Havia vários refúgios no Reino do Sul para o caso de alguma emergência acontecer, e cada pessoa importante tinha um. Eu e Gabriel, meu pai, alguns soldados importantes, entre outros. Todos os refúgios eram muito parecidos, casas com fazendas no meio do mato. Em cada uma das casas, morava um casal ou família de fazendeiros para disfarçar e sempre ter comida, roupas, entre outras coisas que pudéssemos precisar quando houvesse uma fuga. Essas famílias eram pagas para isso e o sistema de segurança das casas era conectado com o do castelo, então, eles sabiam de imediato quando o castelo era atacado.

- Chegamos na casa, fomos trocar de roupa, checar os alimentos, esse tipo de coisa. Logo depois, ajudei Gabriel a preparar o jantar. Todos comemos e fomos dormir. Então, esse primeiro dia foi muito tranquilo. No dia seguinte, comecei a treinar com as armas que eu tinha trazido. Depois, fui dar uma volta na floresta com uma das pessoas que estavam conosco e ouvi a sirene. Voltei correndo para o Refúgio e vi Gabriel com todos os outros agrupados do lado de fora. Fugimos para floresta, mas fomos capturados um a um, como se as copas das árvores nos puxassem para cima. Todos foram capturados assim, menos eu. Me deixaram por último, cobriram minha cabeça e eu apaguei por dois dias.

- Alguma morte, Alteza? - Rodriguez voltou a perguntar.

- Sim, William. Estava no grupo e foi morto no mesmo dia. Após isso, separaram e prenderam todos, porém os alimentaram corretamente até eu acordar. Quando isso aconteceu, apareceram dois homens para me buscar junto com as outras meninas que estavam comigo.

Contei quase tudo para os comandantes. Sobre Erik, a prisão abandonada, a nossa fuga, QUASE tudo. Ocultei apenas as partes que me incomodavam sobre tudo que aconteceu, e Gabriel não falou nada também. Agradeci aos céus por isso.

- Certo, então, isso foi tudo que aconteceu? Todos os detalhes? - Perguntou-me Rodriguez.

- Sim, todos os detalhes. - Respondi.

- Gabriel, há algo que você queira acrescentar? Algo que a Princesa não viu? - A pergunta agora era direcionada ao meu amigo.

- Não, senhor. Quando estava preso, não aconteceu nada até o dia da Princesa acordar. E o resto do tempo estávamos quase sempre juntos, então, ela disse tudo com todos os detalhes. Não tenho mais nada a acrescentar. - Gabriel respondeu.

- Excelente! Vamos ver o que conseguimos fazer com todas essas informações, certo? A reunião está encerrada. - Rodriguez declarou. - Princesa Katrina, antes de você voltar aos seus aposentos, devo avisá-la que ainda não conseguimos encontrar seu pai, nem entrar no castelo. Por ora, ele continua desaparecido.

- Certo… Por favor, mantenha-me informada, Rodriguez.

- Com certeza, Alteza. Ah, e não se preocupe com seus “amigos”. - Ele disse fazendo aspas com as mãos. - Os soldados já se encarregaram de esclarecer tudo para eles. - Ele levantou enquanto falava isso e finalizou: - Nos vemos no almoço, Princesa.

- Nos vemos no almoço, Coronel.

Ele deu um pequeno sorriso, fez uma leve reverência e saiu da sala deixando-me sozinha com Gabriel.


Notas Finais


É isso meus amores! Lembrando que esse capítulo não tem música. Espero que tenham gostado! xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...