1. Spirit Fanfics >
  2. Princesa do deserto (GaaSaku) >
  3. Sentimentos

História Princesa do deserto (GaaSaku) - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Voltei!!!
Com mais um cap da minha fic querida❤❤❤

Capítulo 6 - Sentimentos


Quando minhas mãos trêmulas conseguem abrir a porta, eu me deparo com Ino sobre a cama suando e se remexendo, com os olhos fechados e a pele vermelha, me aproximo e vejo que estava ardendo em febre. Imediatamente eu procuro descobrir a causa de seu mal, sua respiração estava acelerada assim como seus batimentos, verifiquei seus orgãos externos como olhos e boca, e fiz alguns exames.

***

Kankuro só me perguntava o que ela tinha, mas eu não encontrei nada estranho em seu organismo,o que eu pude fazer no momento foi normalizar seus batimentos, e diminuir sua febre e sua dor.  Depois de um tempo ela acordou mas ainda estava muito fraca, ela teve ajuda de Kankuro pra comer um pouco, ele não tinha saído de seu lado nem por um istante.

***

3 dias depois...

Não voltamos pra aldeia da folha, mandamos um relatório pra senhora Tsunade relatando toda a história, o quadro de Ino estava ficando pior, ela tinha febre toda hora, dores no corpo,  e estava muito fraca, mal saía da cama. Kankuro ajudava bastante, muitas coisas que ela precisava ele ajudava sem hesitar, ele gostava dela, isso era visível, hoje de manhã o vi chorando em um canto, abraçado aos joelhos.

Memórias a todo momento de nós duas juntas passavam em minha memória, ela era minha parceira em muitas coisas, a melhor amiga que eu poderia ter, mas eu não ia encarar isso como um adeus, nós ainda vamos viver muito juntas.

Nesse momento eu estava em seu quarto, fazendo mais exames procurando a causa de todos esses problemas, mas dessa vez encontrei algo em seu organismo, um veneno que estava penetrando em seus órgãos  lentamente, porém, eu não tinha notado isso até agora.

Agora eu iria trabalhar em uma cura para isso, eu preciso salvá-la, se esse veneno continuar progredindo, seu organismo não vai resistir e ela vai morrer.

***

Era noite, os grilos cantavam lá embaixo, e o vento soprava calmo, eu queria que ele levasse todos os meus probremas, mas Infelizmente eu teria que os encarar no dia seguinte, solto um longo suspiro, estou na sacada de meu quarto, observando o céu. De repente vejo uma linha de areia em minha frente, me viro e vejo ele, Gaara está parado, com os braços cruzados me encarando, trajando apenas uma calça de moletom ele vem até mim, é impossível não reparar o belo corpo que ele tem, seu cheiro gostoso chega as minhas narinas, quando ele fica ao meu lado, vejo ele passando o polegar em meu rosto limpando uma lágrima que eu nem vi caindo.

-N-não sente frio?-Guaguejo.

-Tô acostumado, e você como se sente?-Ele diz com seu tom grave.

-Ao contrário de você, eu sinto frio, muito frio.-Viro meu rosto para o nada.

-Não me referi a isso, você estava chorando.

-N-não foi nada.

Ele me puxa pelo braço e me segura pela cintura me abraçando, deixei meu orgulho de lado e me entreguei ao seu abraço quente e seu cheiro misterioso, eu precisava disso, era confortante estar com ele, meu rosto estava em seu peito, coloquei tudo pra fora chorando ao ouvir um "chore" sussurrado em meu ouvido, apertei seu corpo mais ao meu e ficamos assim durante alguns minutos, quando eu resolvi me desfazer de seu abraço.

-Mais calma?

-Sim, obrigado.

-Eu sei que é difícil pra você,  se eu puder ajudar de alguma forma...

-Na verdade você pode sim.-Interrompi, e o vi me olhar surpreso.-É sobre as ervas medicinais que vocês tem por aqui, eu preciso ter acesso á algumas e acho que você pode me ajudar nisso.

-Ah claro, amanhã eu te mostro onde...

-Não, pode... ser hoje? Desculpa te pedir isso, mas é que não consegui até agora  e nem vou conseguir dormir se eu não começar isso o mais rápido possível.

-Eu entendo seu desespero, e te admiro por zelar tanto por quem você ama.Vem, se agarra em mim. -Ele abre os braços, eu estranhei seu pedido, mas o fiz, o abracei, e envoltos com uma nuvem de areia chegamos rapidamente ao local, onde tinham várias placas e plantas de vários tipos, separei algumas folhas que eu poderia precisar pra fazer testes para esse veneno que eu nunca vi, e as deixei separado em um canto, amanhã eu estudaria melhor esse caso.

Na volta foi a mesma coisa, nos abraçamos e chegamos rapidamente á minha sacada. 

-Obrigado.

Ele dá um sorriso de lado melhor que qualquer palavra.

-Pode contar comigo sempre. Você têm sono agora?

-Me sinto mais tranquila, mas não tenho sono.

-Quero te mostrar um lugar.

-Er...vou ter que te abraçar de novo?-Ele sorri mostrando seus dentes.

-Só se você quiser.-Algo como um tapete de areia aparece atrás dele e ele pula lá em cima sorrindo, me estendendo a mão.

-É seguro aí?

-Não vou te deixar cair.

Eu subo, e começamos a levantar voo, o vento é mais forte ali, e a areia parece que vai desmanchar, estamos a metros do chão, e a cidade lá em baixo dorme, enquanto voamos, prometi que não ia fazer isso, mas quando eu quase me desequilíbro dali por causa de um pássaro, eu me agarro em seu braço, sua postura era tranquila, parecia bem acostumado, mas eu por outro lado, sentia meu coração na garganta, ele segura minha mão e continuamos o passeio numa velocidade baixa.De reppente ele se senta e eu faço o mesmo cruzando as pernas e sentando em cima. Seu rosto vira pro meu lado e suas mãos afagam meu cabelo, depois passam pela minha face que eu sei que está vermelha, e por causa da lua cheia ele deve notar também.

-Você fica linda assim.

-Assim...como?

-Sua face vermelha á luz da lua, fica bonita.

Dou um sorriso e coloco minha mão por cima da sua.Nessa hora esqueci que ele era kasekage, e até mesmo quem eu era, só havia nós dois no mundo. Ele se inclina e passa o nariz por meu pescoço,beija a parte nua de meu ombro, quando percebo já estou mordendo meu lábio inferior, sinto seus lábios em meu pescoço, subindo,ele beija minha bochecha e o canto de minha boca, depois fecha os olhos e beija meus lábios. Doce e carinhoso, exatamente o que eu precisava, sua língua me acariciava, senti ele me deitar na areia se deitando por cima de mim, cada uma de suas mãos estavam ao lado de minha cabeça, apoiando seu peso ali, depois de distribuir beijos por toda extensão de meu rosto ele se levanta e me levanta junto.

Ele me segura de repente pela cintura me apertando ao lado esquerdo de seu quadril e a velocidade aumenta, rapidamente nós descemos em um lugar na vila desconhecido por mim a nuvem se desfaz e pulamos no chão, entre umas pedras nós passamos, entramos em um local iluminado por velas,onde tinha um pequeno lago, um canteiro com cactos bonitos, e outro com pequenas florzinhas roxas que desconheço a espécie, ele me explica sua relação com as flores, e cactos, ele adora aquelas flores, me explica que é uma raridade no deserto, mas ao longo do tempo ele foi fazendo algumas mudas e deixando no canteiro.

Acabei de descobri um lado novo nele, o lado que curte botânica, toquei a pequena pétala de uma das flores e senti como era macia e tinha um cheiro bom.

Suas flores eram realmente bonitas, porém uma pétala se soltou, e eu fui pegá-la, pra guardar pra mim, a guardei.Mas quando virei o rosto pro lado do pé da flor, ví que tinha um líquido transparente saindo de seu caule. 

Voltamos pra minha sacada, conversamos um pouco e ele se despediu com um beijo na minha testa.Fui dormir mais tranquila pensando na última frase que ele me disse, "vai ficar tudo bem".

Antes mesmo do sol nascer eu já estava de pé, era domingo, tomei café rápido, fui pro quarto de Ino, ela estava com febre de novo, dessa vez estava tossindo, e cuspiu um pouco de sangue, minha preucupação ficou maior. Kankuro não tinha mais sua vida normal, Shikamaru também a visitava todo dia. Me concentrei em seus exames novamente pra descobrir como parar esse maldito veneno.

***

Gaara POV

Assinando papéis e lendo relatórios, mas meus pensamentos estavam muito distantes deles, ultimamente minha mente só conseguia pensar nela,parece que sua amiga estava com uma doença estranha, era difícil vê-la sofrendo por causa disso e não poder fazer nada, se eu pudesse arrancar esse sofrimento dela eu faria sem hesitar, infelizmente os médicos de Suna não eram tão eficazes como os da folha. Nesse momento ela está trabalhando no tal remédio que ela queria fazer.

Ouço batidas na porta, antes de eu dizer algo a porta é aberta, uma figura femimina aparece, era Matsuri, minha ex, eu evitava falar com ela, tivemos algo rápido há um ano atrás, e eu prefiro esquecer, ela me traiu na minha cama e eu vi.Mas ela não sabe que eu vi aquilo, eu terminei e não falei mais nada com ela.

Era difícil olhar seu rosto, sua feição tranquila de quem não fez nada de errado me irritava, respirei fundo e esperei ela falar algo.

-Aqui o relatório da minha última missão na aldeia do trovão.

Peguei o papel e pedi pra ela sair.

-Mas já? Acabei de chegar!

-Mas já pode sair.

-Calma kasekage-Ela aparece atrás de mim e coloca as mãos em meus ombros.-Posso acalmar essa tensão toda.

-Tire suas mãos de mim, e saia daqui!

-Ora, por que está tão zangado, não gosta de minha companhia?

Ela se agarra em meu pescoço e senta em meu colo se esfregando em mim, numa velocidade surpreendente. Me levanto e a tiro de cima de mim.

-Some da minha sala e da minha vida inferno!

-Você nunca me rejeitou Gaara, você tem outra né? Eu sabia, é aquela médicazinha sem sal, ah Gaara você já foi melhor nisso.

-Eu não vou falar de novo...-Minha paciência tinha acabado.

-Tudo bem Gaara, mas eu não vou desistir de você.

Ela sai rebolando, ridícula, pela porta.E eu volto a me concentrar nos meus assuntos mais importantes.

***

Sakura POV

Com uma certa dificuldade, eu consegui uma amostra do veneno agora eu ia tentar fazer um antídoto.

Fui pro quarto de Ino,  ela estava acordada, mas estava muito quente e estava perdendo a voz, sua pele tinha seus olhos estavam vermelhos e tinha perdido peso por se alimentar pouco, eu fazia uma transferência de chakra todos os dias, seu coração estava fraco, meu tempo estava ficando curto.





Notas Finais


Até a próxima 😉😍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...