História Princesa Do Vento - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Shikamaru Nara, Temari
Tags Gaaino, Naruhina, Sasusaku, Shikatema
Visualizações 60
Palavras 2.103
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drabble, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ao Som de "Sedanapo" Vim atualizar essa delicia. espero que continuem gostando como eu. estou mega feliz com os comentários e irei responder todos em breve. Atualizações das outras conforme eu vou terminando aqui, esse foi o primeiro. <3

*Quero agradecer as pessoinhas que já começaram a deixar seu agrado desde o prologo. Vocês são Demais. <3
*Fic muito aleatória em questão aos personagens, nem todos serão bonzinhos como no anime e nem todos serão maldosos.
*Historia totalmente minha.
*Os personagens originais podem acabar escapulindo, mas irei editando conforme eu vou vendo.
*Um capitulo por semana, dependendo posto um na segunda e um na sexta.
*Comentem - sem obrigação, - se gostam ou não, assim vai me ajudar a ajudar vocês.
*Capa e banner feitos por mim. Se alguém quiser que eu faça por encomenda é só me chamar no Privado, farei o meu melhor.
*Mensagens são bem vindas. Favoritos São bem vindos. Leitores fantasmas são bem vindos. Todos são bem vindos.
*Leiam e espero que gostem.
*Plagio é crime.
* Leiam as Notas Finais, <3

Capítulo 4 - III - Wind - vento


Fanfic / Fanfiction Princesa Do Vento - Capítulo 4 - III - Wind - vento

PRINCESA DO VENTO 

 

A movimentação já não era a mesma no castelo; é noite! E provavelmente alguns dos guardas estão a ponto de dormirem em pé esperando uma guerra que não se aproxima, não por agora. 

 

Depois de passar dois dias e meio planejando minha fuga. Observo pela pouca luz da vela, minha pequena bolsa de viagem. De pano simples pra não chamar a atenção de quem me vê. Ali dentro se encontra no Máximo três mudas de roupa masculinas, - sim, as roubei de Gaara e Kankuro. – Algumas roupas íntimas e um mediano saquinho de ouro, precisarei comprar roupas femininas – até de mais, - do lugar ao qual eu ficar. 

 

Camuflar-me em meio ao povo. 

 

Uma pequena sacola de pano, onde há dois pães, biscoitos e água. Não quero morrer de fome ou sede antes de conseguir fugir completamente. 

 

Engulo em seco, amarrando a fita na cintura com força, prendendo meu leque em minhas costas, não quero ter que explicar o que é e nem ser pega por ele. Coloco o capuz e pego as bolsas no chão as colocando penduradas. Apago a vela e lambo os lábios. 

 

─ Você consegue Temari, você consegue. ─ Saio do quarto devagar observando se nenhuns dos meus irmãos estão acordados. Logo estou atravessando o corredor e descendo as escadas. Noto uma pequena iluminação na cozinha e me aproximo vendo dois guardas comendo, eles não me notam e aproveito para passar pela entrada. Respiro aliviada ao perceber que é hora da troca de turno.

 

Corro até o estábulo e vejo Sky ao lado de Nix, a égua branca de Gaara. 

 

─ Quem está ai? ─ Gelo de imediato ao ver um dos guardas, ele estende a tocha em minha direção e abaixo um pouco o rosto. ─ Príncipe Kankuro? ─ Sorrio de sua idiotice e de minha ideia. 

 

─ Uhum. ─ Imito meu irmão o máximo que posso, sempre fui boa em imitar. 

 

─ Vai dar uma volta? ─ Apenas aceno que sim. ─ Quer companhia? Meu turno acabou. ─ Meu irmão nunca aceitaria, ao menos Kankuro não, já Gaara...

 

─ Não. Irei sozinho. ─ Fico chocada com minha atuação. 

 

─ Tudo bem, príncipe. ─ Sinto seu desapontamento. 

 

─ Guarda. ─ O Chamo. 

 

─ Sim? 

 

─ Quero que assim que amanhecer, entregue essa carta a Gaara, somente a ele. ─ Mantenho a voz firme, não posso demonstrar fraqueza, ainda mais sendo Kankuro. 

 

─ Tudo bem, senhor. 

 

─ Obrigada. E não se esqueça, somente a Gaara. ─ Sem esperar alguma resposta. Dou leves batidinhas em Sky e logo estou saindo da prisão que se tornou meu lar. A sensação de alívio e medo misturada faz com que as lágrimas rolem dos meus olhos até meu queixo, onde elas pingam em meus ombros. 

 

Sei que meus irmãos vão ficar furiosos por eu ter fugido, sei também que papai ficará se sentindo culpado pelo que eu fiz, o que é realmente culpa dele! Perdi mamãe por culpa daquele ninho de cobra vindo do País da chuva. Eles mataram minha mãe e não permitirei viver minha vida ou até mesmo transar com um daqueles desgraçados. 

 

Não sei exatamente quanto tempo cavalguei. Ou até mesmo se estou longe o suficiente do castelo, entretanto preciso fazer uma última coisa. Noto um pequeno rio de água corrente e desço de Sky. O peso do meu leque faz um leve incômodo em minhas costas, mas nada do que eu me deva preocupar. 

 

Me ajoelho perante a água, sentindo meus joelhos se molharem, assim que a água misturada com terra, molha o tecido grosso da calça preta em que uso. Retiro o capuz e noto Sky beber água enquanto me espera. 

 

Encaro a lua através da água e sinto outra lágrima deslizar por meu rosto, dessa vez a dor em meu peito é maior. Retiro do bolso uma das facas que roubei de papai – nada mais justo, - e parto meu cabelo em duas partes, os fios dourados quase ficam dentro da água. 

 

Fecho os olhos com força e seguro os fios longos, pouco abaixo dos seios e com um único corte, os fios dourados caem dentro da água, faço o mesmo com a segunda parte e então, permito-me chorar enquanto a água leva meus fios e meu passado para longe. A Temari de longas madeixas douradas e futura Rainha não existe mais. 

 

Chegou à hora de deixar a Temari “macho” se despertar, serei uma mulher diferente com um nome diferente e uma personalidade diferente.

 

─ Agora não existe mais Temari e sim Wind... Como minha mãe. 

 

[...]

 

O Dia já havia amanhecido há algumas horas e notando a forma das nuvens e posição do Sol, deve estar quase anoitecendo novamente.

 

E eu estou exausta! Meu corpo esta derretendo e eu não posso deixar visível quem sou. Decidi colocar luvas e uma máscara tampando o nariz e a boca, deixando mesmo visível apenas meus olhos verdes e sobrancelhas escuras. 

 

Percebo que estou há uma boa distância de casa, já que me encontro fora de Suna. Noto que conforme passo com Sky, alguns moradores me olham como se eu fosse uma espécie de aberração ou algum assassino devido aos meus trajes. Se bem que eu ficaria na mesma se eu fosse eles. 

 

Assim que estou próxima de um bar, desço de Sky e o deixo do lado de fora. Alguns homens me encaram e não me sinto intimidada, pelo contrário, eles não sabem quem sou e muito menos o que sou por debaixo dessa roupa masculina e escura. 

 

─ O que vai querer? ─ O homem gordo e Barrigudo me encara e apenas aponto para o copo em que ele despejava Saquê. ─ Você não fala? ─ Ele ri. 

 

Pego o copo de sua mão e coloco a moeda de ouro sobre o balcão e dou as costas indo para o fundo do que mais se parece uma taverna do que um bar, ao menos Suna tinha uns lugares melhores.

 

Arrasto uma cadeira e me sento de costas para a parede notando ainda mais os olhares em minha direção.  Ignoro-os e afasto um pouco o pano dos lábios sem deixar visível qualquer pedaço de pele. O líquido desce rasgando. 

 

Noto quando alguns homens entram no bar, eles estão todos vestidos como Vikings – o que é deveras curioso, só ouvi sobre eles, mas nunca os vi. - Os dois primeiros, são altos e extremamente fortes. Os cabelos pretos estão sobre os ombros e as barbas estão aparadas de forma reta e estão um pouco sujos. Os dois menores são diferentes dos dois brutamontes! Um tem cabelos cor de rosa e não possui barba, o outro tem cabelos esverdeados e possui um pouco de pelo no queixo, daria para fazer tranças. 

 

Assim que eles param, um homem alto e de postura reta entra. Os cabelos são claros, de um azul escuro apenas nas pontas. São fios curtos que balançam conforme ele anda. Diferente dos quatro primeiros, suas roupas são menos pesadas e carrega com ele uma enorme faca – papai adoraria essa, - em seguida. Uma mulher entra acompanhada de outra garota, a primeira se junta ao homem.

 

Ela é ruiva, de olhos avermelhados. Apesar de serem comuns olhos e pessoas de diversas formas e cores, ela é diferente. Os cabelos longos atingem abaixo de sua cintura, ela é bela e usa roupas apertadas também pretas, porém noto uma adaga em suas costas.  

 

Já a segunda mulher, tem cabelos cor violeta. Ela é pouco maior que a ruiva e é mais séria que a mesma que apesar de tudo, sorri a todo o momento. Ela esta coberta por uma capa preta com nuvens de tons vermelhos, o que é diferente de mais para mim. 

 

Em seguida, dois outros homens entram, um da mesma aparência dos brutamontes, o outro é menor, porém seus cabelos cor laranja está cobrindo um pouco seu rosto. O mesmo tem consigo um bastão com uma espécie de vidro na ponta. Decido sair dali ao perceber que são barulhentos. 

 

[...]

 

Depois que consegui tomar um banho, decido que é hora de ir um pouco mais longe, eu poderia usar os barcos para conseguir ir ainda mais, porém meu ouro não pode ser gasto com isso. Terei que usar Sky o máximo. 

 

Subo no mesmo após entregar uma maçã em sua boca e um burburinho me chama a atenção logo a frente.

 

─ Senhores e senhoritas, eu tenho um lugar em meu barco para alguém que esteja disposto a se aventurar por esse mundo. ─ A ruiva grita animada. Apesar de ser bela, ela é deveras escandalosa. Lembra-me o louro Uzumaki. ─ Porém, só vai ser aceito aquele que derrotar minha amiguinha e melhor guerreira, depois de mim, claro. Com vocês: TenTen. ─ Os presentes gritam em animação, como se fosse divertido lutas assim. 

 

A morena de coques laterais se aproxima séria. Usando roupas claras com uma blusa verde por cima, - diferente das mulheres que usam vestidos longos ou trapos velhos. – elas estão como eu, vestidas como homem, porém um pouco melhores. TenTen como a ruiva gritou, se coloca no meio da roda e pega uma pequena adaga, a segurando com precisão. 

 

─ Quem me vencer, irá com minha família para além dessa merda. Conhecera o que nunca imaginou conhecer, porém para aqueles que perderem eu só lamento. ─ A coquinhos diz séria, porém sinto excitação em sua voz, como se garantisse sua vitória.

 

Interessante. 

 

Observo que aos poucos, os voluntários vão aparecendo, sendo homens, mulheres e algumas crianças.  – rio. Prendo Sky novamente e me encosto à parede cruzando os braços em seguida, apenas observando o desenrolar da morena com o povo. 

 

Ela realmente é boa. Rápida! Derrubou cinco homens ao mesmo tempo e desmaiou uma mulher só de olhar para ela. Seus amigos riem e ela parece se divertir. 

 

Eu posso tentar! 

 

Toco o leque em minhas costas, é minha chance de ir para longe e sei que vou conseguir derrotar TenTen. Movida pela excitação de fugir, resolvo agir. 

 

─ Certo, chega. ─ Noto a morena falar. ─ São todos fracos. ─ Ela ri. ─ Não será dessa vez que levaremos alguém. ─ Os outros riem. 

 

─ Você não lutou comigo ainda. ─ Faço com que todos olhem em minha direção. Prendo meu olhar fixamente na morena de coques. 

 

─ É mesmo? ─ Ela dá um passo a frente. ─ E o que te garante que me vencerá? ─ Ela ri, e tiro o leque das costas o soltando ao meu lado. O mesmo afunda alguns centímetros na terra e noto que eles observam o mesmo com curiosidade.

 

─ Você é tão fraca quanto qualquer um aqui, por isso deixarei que comece. ─ Sorrio ao notar sua cara de ódio. 

 

─ Quem é você? 

 

Sou Wind, a Princesa do Vento.

 

 

 

HORAS ANTES ― CASTELO DE SUNA. 

GAARA. 

 

Encaro as escadas esperando Temari descer, porem ela não apareceu há duas horas. Ergo-me da cadeira e ando vagarosamente até a escada pisando no primeiro degrau. 

 

― Senhor? ― Olho para trás me deparando com um dos guardas, ele parece afoito e sua respiração é acelerada provavelmente correu até mim. 

 

― O que quer? ― Questiono serio, não sendo grosseiro. 

 

― O senhor Kankuro me pediu para lhe entregar isso. ― Ele me estende um pedaço de papel e o pego rapidamente. 

 

― O que pedi para entregar? ― Kankuro aparece ao lado de nosso pai, ambos encaram-me curiosos. 

 

― O senhor me entregou isso de madrugada enquanto se preparava para cavalgar senhor. ― Noto que Kankuro parece confuso. 

 

― Do que é que esta falando? Eu não cavalguei de madruga. ― Sinto um nó se formar em minha garganta. Sei que não foi Kankuro que estava se preparando pra cavalgar. Sem esperar mais, abro o papel amarelado e noto as letras de Temari nele. 

 

Querido irmão, 

Queria poder me despedir decentemente, porem não conseguiria partir se me encontra-se com você. Estou chateada por ter mentido pra mim, estou chateada com Kankuro por ter me escondido também a verdade e estou com raiva de papai por querer me obrigar a casar com alguém que matou nossa mãe. 

  Decidi que não poderia viver com isso, viver infeliz ao lado de alguém só porque sou princesa. Estou fugindo! Estou deixando Suna para sempre. Não quero que me procure irmão, não quero que ninguém me procure.

  Saibam que os amo, mas as conseqüências de suas escolhas me obrigaram a fazer o que fiz. Espero que quando ler essa carta, não venha atrás de mim, pois serei capaz de me matar se eu tiver que voltar. 

 

Adeus querido irmão, 

Com muito amor de sua irmã: Temari. 

 

 

― Temari Fugiu.


Notas Finais


E AI??
Relembrando que a luta da Temari e Tenten vem de uma delas que aconteceu <3
me perdoem os erros


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...