História Princesa Núbia - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Fantasia, Ficção, Originais
Visualizações 3
Palavras 1.056
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Magia, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 8 - Descanso dos escudeiros


Fanfic / Fanfiction Princesa Núbia - Capítulo 8 - Descanso dos escudeiros

Chegando no palácio, Núbia e Aimum viam que Camilly, Amin e Shin haviam retornado mesmo e lá estava Kamikasu, que era o deus do Mundo dos Sonhos. Núbia disse:

- Vossa Divindade, é uma honra recebê-lo aqui novamente. 

- Obrigado, Núbia. - disse Kamikasu. - Deve estar se perguntando o que seus escudeiros fazem aqui, certo? 

- Sim. Eu não esperava que eles fossem voltar hoje. - responde Núbia. 

Kamikasu faz uma pausa, sorri e fala:

- Antes de mais nada, obrigado por vim, Aimum. Realmente será uma ajuda e tanto para Núbia. 

- Obrigado, Senhor Kamikasu. Mesmo ter ficado fora, o que faria por Cairo é o impossível. - disse Aimum. 

- Aimum? Você... - Camilly estava surpresa. 

- Isso mesmo. Eu governe Cairo uma vez. - disse Aimum. - Mas já faz anos e eu não quero falar no passado. Vamos pensar no presente. 

- Núbia. - chamava Kamikasu. - Para ir direto ao assunto, eu trouxe seus escudeiros para descansarem. Eles treinaram muito e precisam agora de descanso. 

Núbia olhava para eles e disse:

- Sim, eu compreendo. Eles estarão de folga hoje. Deixem que Udah e Aimum assumam um pouco o serviço de vocês. Quem até a Blavetsky. 

- Blavetsky? - indaga Amin. 

- É. Uma oráculo veio ajudar Núbia também. - disse Aimum.- Ela é polonesa. 

- Interessante. - disse Shin. - Parece que não sou mais o único estrangeiro aqui. 

- Bem, agora chega de conversa. A minha parte já fiz. Descansem, escudeiros de Núbia e façam o impossível para protegê-la daqui em diante. - disse Kamikasu. - Ela precisa de vocês. 

Depois de ter dito isso, Kamikasu some e todos olhavam para cima. 

Mais tarde, Amin estava sentado no telhado olhando para as pessoas que estavam em seus afazeres. Camilly estava ajudando algumas pessoas e assim que acabou acenou para eles. Ela vê Amin e sorri para ele. O renegado olhava para ela e parecia buscá-la em suas memórias de alguma pessoa que amava. 

- Vou te fazer companhia. - disse Camilly. 

Ela subia em uma árvore e pulava no telhado, assim chegando onde estava Amin. 

- E esse treino que tivemos? - indaga Camilly. 

- Pois é. Muito tenso. - disse Amin. - Camilly. 

- Sim? 

- Você... Acha que vamos morrer? - indaga Amin. 

- Por que acha isso? - indaga Camilly. 

- Não faço ideia se estamos dando nossas vidas à Núbia e... 

Camilly parecia estranhar o que Amin estaria dizendo. 

- Por que está dizendo isso? - indaga Camilly. 

- Porque se formos morrer, queria te contar uma história. Não contei para ninguém. Guardei para mim e ninguém nunca soube. - disse Amin. - Eu tenho 31 anos, mas essa história foi na época de Samir. Eu não paguei os impostos e só tinha a minha família como minha única família. Sabe o que aconteceu? 

- O que houve? - indaga Camilly. 

- Mataram minha filha e tiraram minha casa de mim. - disse Amin. - Eu me tornei um morador de rua e logo descobri que tinha poderes. Eu posso transformar qualquer parte do meu corpo em areia. Mas também tive que aprender a manejar uma espada. Eu queria ser o justiceiro de Cairo, mas Samir impediu isso, sujando minha identidade de herói. 

- É por isso que queria matar Núbia? - indaga Camilly. 

- Sim. - Responde Amin. - Mas vi que Núbia é uma garota dócil, gentil e carinhosa. É uma garota de luz, diferente daquele nojento de trevas. 

- Muitos te trataram como bandido não é? - indaga Camilly. 

- Sim. - colocava a mão no rosto de Camilly e ela corava. - Você se parece tanto com minha filha. Se ela fosse viva hoje, eu queria ouvir um "eu te amo" dela agora mesmo. - Ficava triste e olhava para as pessoas de baixo. - Infelizmente isso não vai acontecer. 

Camilly fica com pena dele e o abraça. 

- Fique calmo. Você não está sozinho. Agora somos um time. - disse a garota. 

- Tem razão. Eu preciso pensar no presente, como Aimum fez. - disse Amin. 

Camilly sorri. 

Enquanto isso, Shin estaria caminhando entre as pessoas. Ele usava uma capa com capuz para não ser identificado. Olhava para a comida deles e um comerciante o atendeu. 

- Bom dia. O senhor vai querer alguma coisa? - indaga o comerciante. 

Shin olhava e disse:

- Sua comida me enoja. 

Saía sem pensar duas vezes. O comerciante ficou confuso. 

Shin estava caminhando e parecia ainda mais incomodado. Ele suspirava e parecia que iria explodir a qualquer momento. 

- Que calor infernal. - dizia o vampiro chinês. 

Ele continuava caminhando, só que mais rápido, queria voltar ao palácio. 

- Eu sinto fome... Aaah... - Ele acaba desmaiando. 

As pessoas viram e foram ajudar ele. Tentaram de tudo para reanimá-lo, mas nada deu certo. 

Núbia estava caminhando acompanhada de Udah. Ela ia comprar frutas para os seus escudeiros, mas viu aquele tumulto que deu e disse:

- Udah, vamos ver o que deu. 

Eles foram e a egípcia se surpreendeu ao ver Shin. 

- Shin. - disse Núbia. 

As pessoas a viram e se afastaram. Foram se curvar perante ela. 

- Sorte que os seus odiadores não estão aqui. - disse Udah. 

- Sim. - disse Núbia. - Levemos ele para casa. 

Mais tarde, a egípcia estava no quarto de Shin com ele. 

- Esqueci que você se alimenta de energia. - disse a garota. - Uma vez, Aisbua me disse que minha energia era infinita, pois eu não luto. Eu não me importo em dar para você. 

Ela coloca suas mãozinhas no peito dele e passava sua energia. 

- Estou faminto... - disse Shin. - Eu não como há dias. 

- Calma, eu vou te alimentar o quanto quiser. - disse a egípcia. 

Cansado, Shin olhava para ela e pensava:

-"Princesa. Não sei como seria sem você... Obrigado."

Assim que Núbia terminou, ela disse:

- Descanse. Amanhã será um dia cheio. 

- Obrigado, princesa. - Shin apagava. 

Chegava o dia seguinte e lá estavam os três que enfrentariam Bennu. 

- Treinaram o suficiente? - indaga o inimigo. 

- Sim, eles treinaram. Você já era.- disse Núbia. 

- Veremos então se treinaram o suficiente. - disse Bennu, que se preparava. 

Enfim chegou o grande momento em que os escudeiros de Núbia lutariam com um Servo dos Deuses. Será que eles vencerão? 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...