1. Spirit Fanfics >
  2. Príncipe das Sombras >
  3. Verdade

História Príncipe das Sombras - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


O capítulo ainda não foi betado.
E espero não ter perdido o sentido da história.
Relevem os erros..
E boa leitura 😊

Capítulo 7 - Verdade


Fanfic / Fanfiction Príncipe das Sombras - Capítulo 7 - Verdade

24 anos atrás

Aquela já era a terceira viagem que Kim Seokjin fazia ao Reino das Sombras e não entendia o porquê de esta lhe dar uma sensação de ansiedade, visto que não havia nada de muito importante para resolver. Seu cavalo seguia cuidadosamente pela trilha larga e quase sem nenhum obstáculo, o pelo castanho sedoso brilhava quando tocado pela luz do sol, algumas árvores estavam carregadas de diversos frutos e os pássaros cantavam empoleirados nos galhos mais altos da encantadora Floresta Escura.

Com seus vinte e um  anos Kim Seokjin, o futuro governante do Reino da Luz, estava descobrindo o mundo e a si mesmo. Sabia que estava prometido a uma princesa de um reino distante, mas não deixava que isso o abalasse talvez fosse possível ter um bom relacionamento e até mesmo, formar uma família como sempre sonhou. Seokjin era um príncipe sonhador, esperto e muito inteligente e já fazia algumas transações sem a presença do pai, sendo isso o que ia fazer no reino das Sombras, estabelecer um acordo de livre comércio entre os reinos vizinhos.

Foi recebido por alguns moradores logo na entrada do reino e ficava lisonjeado com a admiração que as pessoas demonstravam por si; sabia que não era somente sua beleza que fazia com que o saudassem enquanto avançava calmamente entre elas enquanto se dirigindo até o palácio real.

Quando o portão que lhe daria acesso ao salão principal foi aberto e sua presença anunciada por um servo Seokjin fez uma breve reverência ao homem mais velho que estava a sua frente.

— Saudações, Senhor do Reino Sombrio — disse entre um sorriso, realmente admirava aquele homem — pensei que estivesse descansando, soube de sua doença.

Viu quando Lee Taehyun lhe dirigiu um sorriso e indicou uma cadeira próxima a uma mesa onde descansava uma garrafa de vinho e dois copos.

— Então pensou que conseguiria me convencer mais facilmente a aceitar sua proposta por está doente? — questionou com a voz cansada, deixando transparecer que ainda não estava totalmente recuperado.

— Não custava nada tentar — Seokjin respondeu divertido — mas, devo ser rápido meu pai tem alguns assuntos pendentes com a minha pessoa e quer resolvê-los o mais rápido que puder e deixou claro que quer minha volta no menor tempo possível.

— Finalmente vai conhecer sua noiva? — Taehyun questionou e Seokjin deu de ombros como se não soubesse o que responder — Ou vão casar de uma vez?

Seokjin não queria que fosse assim tão rápido, queria conhecer um pouco a pessoa que dividiria consigo o mesmo quarto e o trono de um reino que sua família liderava há séculos. Sabia que renunciar ao casamento não era uma possibilidade, então queria ao menos poder estabelecer uma relação amigável e cheia de companheirismo com a pessoa que ficaria ao seu lado até o fim.

— Acredito que o casamento ainda vá demorar algum tempo, alguns meses pelo menos, mas quero ter a oportunidade de criar um laço, talvez, com a pessoa que vai compartilhar todos os momentos da minha vida depois que a cerimônia ocorrer.

O homem mais velho concordou com um aceno de cabeça enquanto oferecia uma taça de vinho ao jovem príncipe.

— Então, qual é o assunto de que vieste tratar?

Seokjin explicou rapidamente sobre a abertura do comércio terrestre entre os dois reinos e o quanto isso beneficiaria os muitos comerciantes que tinham que atravessar a grande floresta para que seus produtos fossem consumidos pela população. Se eles pudessem ter lugares nos dois reinos onde seus produtos pudessem ser expostos poderiam vir apenas duas ou três vezes ao ano para verem como estavam as vendas.

O rei achou a ideia do jovem boa e disse que ia pessoalmente ao reino da Luz assinar o tratado quando este estivesse pronto. Com sua missão cumprida Kim Seokjin se dirigiu a saída do castelo onde seu cavalo, alguns soldados e seu guarda-costas o esperavam.

Estava quase chegando a seu destino quando avistou uma bela moça sorrindo com um dos empregados do palácio. Os cabelos negros e lisos chegavam à altura de sua cintura, os olhos pequenos brilhavam com sinceridade, o vestido simples lhe caia muito bem deixando sua silhueta bem marcada. O príncipe não percebeu que tinha parado para observar a cena e só quando notou os olhos castanhos brilhantes fixados em si desviou os olhos para olhar novamente em seguida e ganhar um lindo sorriso direcionado a si.

Aquela foi a primeira vez que Seokjin viu a mulher que faria seu coração pulsar fortemente no peito e lhe daria coragem para recusar um casamento que já estava marcado há décadas, e principalmente ela lhe daria coragem para lutar por sua felicidade.


— Você realmente acredita que seu pai pode nos entender?

A pergunta deixou os lábios delicados e vermelhos em um sussurro fraco e Seokjin pensou com cuidado.

Aquela deveria ser sua sexta viagem ao reino vizinho e agora com um pouco mais de vinte e dois anos já conhecia sua noiva e tinha seu casamento marcado. Porém, estava escondido com outra mulher, que também tinha um prometido, em uma das muitas salas que havia dentro do castelo do reino sombrio e sabia que não teria coragem de deixá-la para trás, era muito tarde para desistir de tudo.

— Ele tem que entender — disse confiante, mesmo não sendo assim que se sentia — acho que até seu pai aceitaria se você contasse a ele.

Viu a jovem princesa balançar rapidamente a cabeça em negação antes de entrelaçar seus dedos aos dele e deitar sua cabeça em seu ombro.

— Sou prometida a um Jeon, eles comandam o nosso exército, e agora esse será o nome de quem liderar esse reino. 

O Kim também já havia conhecido o prometido de sua amada e não gostara nem um pouco de como ele a olhava, não existia carinho e nem uma parcela de respeito naqueles olhos negros e frios que mais pareciam um túnel que suga toda a felicidade e transforma em escuridão.

— Você teria coragem de ir embora comigo?

Viu quando Yeri encarou seus olhos fixamente, como se estivesse buscando verdade neles e logo em seguida apertou com força sua mão.

— Teria, mas e você? — Voltou a colocar os olhos castanhos claros sobre Seokjin — Teria coragem de enfrentar seu pai e uma provável guerra por mim?

O maior medo de Seokjin era que uma guerra acontecesse e era esse um dos motivos de ele ainda não ter colocado a opção de fuga em nenhuma das conversas anteriores entre os dois. Tinha certeza que lutaria pela garota que amava, mas não queria colocar todo um reino em perigo por algo que não deveria ter acontecido, por um amor proibido.

— Talvez seja possível evitar essa guerra, se você contasse para o seu pai ou me deixasse contar as chances de isso acontecer poderiam diminuir.

— Você não está entendendo, Jin, se meu pai aceitar o que estamos fazendo ele vai ser morto — Essa possibilidade nunca tinha passado pela cabeça de Seokjin antes, no seu reino as ordens de seu governante deveriam ser seguidas com extrema rigidez. — esse casamento é uma forma de amenizar a pressão que a família Jeon vem fazendo para que as coisas mudem por aqui. Eles não são pessoas muito boas, mas Yugyeom é pior ele vai querer tirar tudo de mim a partir do momento em que me tiver.

Jin a abraçou com força não deixaria que a machucassem, tinha que fazer alguma coisa e tirá-la dali o mais rápido possível.


O casamento foi finalmente cancelado e o príncipe Kim não poderia está mais feliz, nada mais o prendia e poderia contar aos pais o que estava planejando no último ano. Com seus recém vinte e quatro anos pretendia contar sobre Yeri aos genitores e com a ajuda deles conseguir trazê-la para o Reino da Luz, e casar finalmente com a mulher que amava.

E para sua total surpresa e alegria seu pai aceitou a ideia com facilidade e se propôs a ir até o outro reino conversar com o pai da princesa. Porém a chegada dos dois não foi como o esperado, boatos rodavam por toda a cidade afirmando que o governante da Luz pretendia realizar um ato de traição contra Taehyun. Ignorando os burburinhos e olhares nada indiscretos os dois avançaram até chegar ao portão do salão de entrada onde conversariam com o velho e cansado Taehyun.

Mas sentado sobre o trono real, ostentando a coroa feita do mais puro ouro cravejada com alguns rubis e segurando o cetro encontrava-se Yugyeom, os olhos negros brilhavam com insanidade, a pele branca destacava-se contra os cabelos escuros e o corpo forte mostrava que seu treinamento militar havia sido concluído com sucesso. Ao lado dele encontrava-se a princesa amada por Seokjin, os olhos manchados por lágrimas que ainda caiam não apresentavam o brilho costumeiro, os cabelos estavam curtos e era possível ver algumas marcas próximas a seu pescoço.

Pai e filho olhavam a cena sem reação, como aquilo poderia ter acontecido em tão pouco tempo?

— Posso saber o que os dois estão olhando e o motivo de não dizerem logo o que desejam?

A voz com a qual Yugyeom fez a pergunta não demonstrava nem um pingo de raiva ou qualquer outro sentimento de desgosto, o que contrastava totalmente com a expressão carregada em seu rosto.

— Onde está Taehyun? — Seokjin fez a pergunta sem demora, precisa de uma resposta para que sua inquietação e agonia diminuíssem pelo menos um pouco.

— Deveria voltar para onde estão seus cavalos e voltar para casa, príncipe, seu plano está totalmente destruído, você não tomará Yeri de mim e muito menos esse reino. — Yugyeom encarou longamente o outro, inspirou com força e se aproximou — ela me contou tudo e estou lhe garantindo que o que armou não dará certo, então peço que saiam antes que chame os guardas.

— Posso falar com Taehyun por alguns instantes? — Ouviu seu pai perguntar.

— Você não poderá falar com Taehyun nunca mais, o velho rei está morto, e eu sou seu sucessor.

Então tudo fez sentido, as lágrimas, a confiança de Yugyeom ao pronunciar cada uma de suas palavras, os boatos, tudo haveria de mudar. Mesmo relutante Seokjin deixou que seu pai o guiasse de volta enquanto dizia que dariam um jeito de resolver as coisas.


Duas semanas haviam se passado e Seokjin estava para ficar louco, já tinha imaginado tudo que Yugyeom poderia ter feito com sua amada, e isso lhe deixava muito mais preocupado.

— Pai, temos que fazer alguma coisa o mais rápido possível não podemos deixá-la lá por mais tempo.

Disse enquanto andava de um lado para o outro na frente do trono onde seu pai estava sentado, com a mão sob o queixo. 

— Vamos até lá amanhã, você terá a chance de trazê-la para cá e daremos um jeito de que as coisas não desandem entre os dois reinos. Não tenha medo, Jin. Se isso é o que lhe deixará feliz, lute por isso.

O príncipe concordou com seu pai silenciosamente e depois se retirou.

O amanhã havia vindo e chegado ao fim, o dia seguinte estava pela metade e o Reino das Sombras estava cada vez mais próximo. Seokjin vinha acompanhado pelo pai, alguns soldados, seu guarda-costas e por Kim Minjae, o homem que, segundo seu pai, poderia evitar que uma guerra se instaurasse após tudo o que viesse a acontecer.

— Não se preocupe com o que pode acontecer, só faça o que acredita ser o certo. —Seokjin escutou o que seu pai disse e deixou que um pequeno sorriso se formasse em seu rosto.

Esperaram que a noite chegasse, para que ficasse mais fácil se misturarem em meio aos outros, e logo Seokjin estava se dirigindo até o castelo. A passagem estava cheia de guardas, de um jeito que nunca estivera antes, muito bem armados e a forma como olhavam para todos que passavam deixou Seokjin nervoso e com medo de que percebessem de quem se tratava.

Com muito esforço o príncipe conseguiu pular a janela do quarto de Yeri e pode avistar a jovem sentada sobre o colchão enquanto penteava os fios curtos e negros. Ela parecia abatida, magra e fungava baixinho naquele instante.

Seokjin tentou chegar até ela sem fazer barulho, mas não contava que houvesse um par de sapatos em seu caminho e ao tropeçar fez com que Yeri levantasse em um salto e quase pedisse por ajuda, porém quando os olhos assustados da jovem encontraram os de Seokjin sua expressão suavizou rapidamente.

— O que você está fazendo aqui? — A pergunta deixou seus lábios vermelhos e agora ressecados.

Seokjin a observou com cuidado guardando cada expressão e movimento feito por seu corpo, ela continuava linda mesmo passando por todos aqueles problemas era uma mulher forte.

— Vim lhe buscar — disse enquanto chegou mais perto e tocou a bochecha quente e pálida — você ainda tem coragem de fugir comigo?

Viu quando um pequeno sorriso se formou nos lábios pequenos e ela balançou a cabeça em concordância. Jin a ajudou a colocar o necessário para a viagem até o seu reino em uma bolsa e a levou até a janela por onde pretendia descer.

— Não posso ir por aqui — Yeri disse ao que separava os dedos que estavam entrelaçados — vou sair pelo portão, me espere lá em baixo.

— É perigoso, vamos por aqui mesmo não vou lhe deixar cair.

Viu quando a princesa corou levemente e tocou o tecido sobre a barriga.

— Não posso me esforçar tanto — disse, enquanto chegava mais perto como se fosse contar um segredo — estou esperando um filho seu.

O corpo do príncipe paralisou completamente e uma sensação boa se espalhou por todo o seu corpo, iria ser pai. Lembrava perfeitamente das poucas vezes em que os dois fizeram amor nas salas escuras e frias do Reino Sombrio, mas não esperava que um filho pudesse está a caminho.

— Tomarei cuidado, me espere em frente ao portão — sentiu quando um beijo quente foi deixado sobre seus lábios e a princesa saiu pela porta, trancando-a rapidamente.

Jin ainda ficou por mais alguns minutos processando a informação e sorrindo como um bobo para as paredes do quarto, até que lembrou que ela o estaria esperando e se apressou em descer.

Poucos minutos depois de Seokjin ter alcançado o solo à princesa saiu do castelo usando um grande capuz sobre a cabeça, caminhava apressadamente em direção à entrada do reino e logo o príncipe estava andando a seu lado. Quando chegaram até onde os outros esperavam foram logo montando nos cavalos e partindo de volta, sabiam que Yugyeom não demoraria a perceber que a princesa não se encontrava em seus aposentos e logo desconfiaria do que teria acontecido.

A viagem foi mais demorada, devido principalmente ao estado em que a princesa se encontrava e uma viagem a cavalo como aquela que duraria vários dias poderia prejudicar o pequeno feto que crescia em seu ventre. Quando chegaram ao vilarejo que demarcava a divisão entre os dois territórios pararam para descansar por algumas horas e logo seguiram viagem, sendo que dois soldados e Kim Minjae haviam ficado para trás.

Depois de mais dois dias finalmente chegaram até o palácio, onde puderam descansar verdadeiramente, mas Jin não conseguia esquecer que Yugyeom poderia está vindo atrás de sua amada naquele mesmo instante. Por isso quando Yeri dormiu em seu quarto foi até seu pai.

— Não se preocupe — Foi o que ouviu, assim que expôs seus medos — ele e nenhum outro membro do Reino das Sombras conseguirá chegar até aqui, não tem mais o que temer.

— Como assim? — Seokjin franziu o cenho em total incompreensão.

— Minjae usou algumas técnicas proibidas em nossa floresta, a Floresta Escura nunca mais será a mesma. Nenhum integrante do reino das Sombras, sendo um simples camponês ou até mesmo um membro da família real pode cruzar nossa floresta sem a companhia de um filho da luz. Eles só entram com nossa permissão.

— Como ele conseguiu fazer isso?

— Minjae é um homem muito inteligente — O rei disse calmamente — também não teremos problemas ao explicar quem é sua noiva, para todas as pessoas desse reino ela é uma de nós, uma garota que ajudava os pais na feira pela qual o príncipe se apaixonou. Todos acreditam que essa é a verdadeira história.

O príncipe nunca tinha visto manipulação da mente antes, mas já tinha ouvido falar sabia que era trabalhoso e que na maioria das vezes dava errado. Mas se enganar a todos fosse à única alternativa para evitar conflitos internos, isso seria feito.

— Para todos que moram aqui essa rixa que vai passar a existir entre Luz e Sombras já existe há muitos anos, sem ter um motivo real que possa justificá-la. — Ainda escutou seu pai dizer, antes de se retirar da sala do trono.

E para Seokjin ter sua amada a seu lado, e agora um filho, era tudo que importava. Mesmo que algum dia tivesse que enfrentar tudo aquilo de novo, esse momento de felicidade, a mentira contada a todos, valeria a pena.


Notas Finais


Foi isso...
Se cuidem e até a próxima atualização..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...