História Principe das trevas - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem do cap e no final eu quero saber uma coisa de vocês mas não tenham pressa, leiam o cap e desfrutem.

Capítulo 9 - Perfeito não sou porém para você o certo eu sou


Uraraka:… o quê?

Midoriya: você me ouviu.-se vira para ela ainda sentado- Eu quero te beijar. Tirar esse batom na cor natural dos seus lábios.

Uraraka: por quê isso tão de repente?-perguntou serena.

Midoriya:eu vacilei... no dia da festa na minha casa, quando te vi, depois de dançar e rir, conversar e até discutir sobre assuntos banais; eu gostei de você. Depois a gente se encontrou no hospital e depois da notícia que meu velho sumiu você quis me ajudar... eu te levei para o bosque dos sonhos e... Não deu mais. Não deu para negar mais… eu amo você... Uraraka-san.

Ochako: eu pensei que você fosse diferente dos outros... mas é um canalha que desperdiça palavras sobre amor apenas para ter uma noite com uma garota.

Midoriya:eu sou diferente dos outros.

Uraraka:homens… todos iguais-diz sorrindo olhando para o canto.

Midoriya:se somos todos iguais por que vocês desperdiçam tanto tempo procurando um?

Ochako:para ver se podemos achar um que seja diferenciado de todos esses… plágios, um dos outros… alguém original.

Midoriya:para a sua sorte…-aponta para si próprio na direção do tórax- você encontrou esse tal diferenciado originário.

Uraraka:vamos encerrar nossa conversa.

Midoriya:tem toda razão. Então… Aqui, pegue.-fala estendendo a mão e abrindo a palma.

Uraraka:eu não quero nada de você.

Midoriya:eu quero tudo de você. Aceite por favor.

Uraraka suspira profundamente. Ela se vira para pegar o presente da palma da mão de Izuku. Se surpreendeu. Pensou ser qualquer coisa barata comprada numa daquelas lojas de 1,40 mas não… foi totalmente inesperado tal presente; um lento e singelo, fervoroso no desejo da vontade contida, um beijo apaixonado de Midoriya Izuku para Uraraka Ochako. Ela franze as sombrancelhas transformando-as na expressão de surpresa emcrédula de olhos arregalados logo após o avanço inesperado do esverdeado com olhos fechados e lábios fazendo um biquinho suave. Ochako observa as pálpebras de Izuku afundado no clima e no desejo verdadeiro, o sabor doce dos lábios lisos e suaves dela o prendem mais, caso morra sem ar, morrerá feliz. As mãos dela tremem, seus lábios tremem, as pernas tremem… seu coração, com esse terremoto interno, causou estes tremores. Ela não sabe se bate no rosto dele com toda a força que tem no momento ou se… bater é melhor. Ela levanta sua mão direita aberta já posicionada no exato centro deixando simétrico com a bochecha de Midoriya, foi tempo o suficiente para ela pensar a respeito, essa é a única opção cabível a ela dada a situação na qual se encontra. A young girl dispara sua mão para a bochecha dele, foi de repente o momento em que ele passou a usar sua língua para abraçar e acariciar a de Ochako; a castanha interrompe o lançamento explosivo mirado no rosto do garoto para sentir mais um pouco isso que ele faz… é, u-uhuh u-uhuh, pois é… muito interessante. Ela deita os olhos e conta uma história de ninar para eles, após terem dormido a jovem vai fechando a porta devagarinho, sua língua se ergue do sono após ficar sem falar por uns minutos, fazia horas desde que viu outra língua, é surpreendente não ser a língua do Denki, só a dele havia visitado a boca dela por segundos, minutos, horas, dias, semanas, meses e anos. A garota aproxima sua mão da bochecha dele, ia tocar mas trava e recua, seus dedos se fecham furiosos e indecisos, eles desabrocham um por um começando pelo mindinho, eles curvam meros centímetros enquanto o magnetismo dos sentimentos de Deku atraem Uravity. Os dedos são puxados para a bochecha do esverdeado, o mindinho fora o primeiro a se fixar e sem atraso da consciência os outros vão fixando-se. Sua outra mão foi direcionada pelo propulsor até a nuca de Midoriya onde ela agarra e aperta seu cabelo enquanto o garoto a beija por cima, ela nem percebeu quando foi deitando no banco no momento onde ela deslizava na janela na qual se escorava. Duas voltas de subida e descida da roda gigante faziam Ochako e Izuku subirem e descerem o calor do beijo. Uma hora pelando, outra hora morno… nunca frio; O young boy passa as mãos por debaixo da cintura dela e sobe para as costas, a levanta, a senta no seu colo, desliza a mão em uma subida para o cabelo dela, atravessou a mata castanha com todos os dedos de uma só vez e parou no meio. Segurou firme. Por sua vez Uraraka pega e segura apertando as golas da camisa de Midoriya puxando para frente levando seu corpo, principalmente seu rosto, para mais perto dela. Isso não era para ser mais foi, ela até tentou frear porém o beijo dele foi acima da média e ela capotou, pensa nele de formas ferventes a toda duração deste beijo. O labirinto do corpo de Ochako tem seu início pelo pescoço, Izuku o lambe e chupa carinhosamente momentaneamente ficando intenso assaltando gemidos comprimidos da garota. Seus braços dão a volta no lombo de Midoriya ao ter suas nádegas apalpadas com uma pegada de uma pessoa que vira a de um animal que segue para a de uma fera selvagem indomável. Esse clima padronizou na cabine da roda gigante que eles estavam, passou mais uma volta, a última, nesse ponto o sutiã Rosa de Ochako estava a mostra com seu vestido levantado amostrando as coxas e uma pequena parte das nádegas e seu cabelo em pé de igualdade no quesito bagunçado com seu batom. O cabelo verde escuro de Izuku estava espalhado para todas as direções conhecidas pelo homem, sua camisa foi desabotoada por um puxão para os lados, Ochako que fez. O batom na cor natural de Uraraka estava nos lábios de Midoriya com um transbordar para fora. Quando as portas se abriram eles estavam terminando de arrumar o cabelo, pareciam normais tirando o detalhe da roupa amarrotada de ambos entretanto isso fora o cinto de segurança dos carrinhos de bate-bate completado pelos bruscos movimentos dos baques dos carrinhos. Eles saem, a roda sobe a cabine deles e desce a cabine de Ashido, a jovem saí e vê as costas de sua amiga e daquele gato distante dela a abandonando logo ela corre pedindo que a esperem. Ao ter alcançado os jovens Mina se instala no meio deles os separando.

Ashido:e aí, como foi a vista dos fogos para vocês?

Midoriya:………-olha para o lado.

Uraraka:……-pensa se deve ou não falar.-… foi boa.-responde com olhar perdido para o chão.

Ashido:tem certeza que foi boa? Vocês estão… quietos.

Midoriya:foi bom…-olha para Ochako- muito bom. Faria de novo.-ele sorri de canto, Ochako cora ao ouvir isso e vira seu rosto para o lado.

Ashido:eu também super faria de novo só que acompanhada. É tão chato e triste ter uma vista daquelas e não poder olhar para o lado e ver o brilho no olhar da pessoa porque ela não está lá.

Midoriya:ou então porque está aos beijos com a pessoa.

Ashido:haha, também tem esse lado nada mal.-diz sorrindo coçando a cabeça na parte traseira.

Minutos depois eles retornam para todos. As apresentações finalmente acontecem para saciar a curiosidade de Ashido sobre como seria o encontro do namorado a dois anos, o mais que oficial, Denki Kaminari, com Midoriya Izuku, uma ameaça em potencial para o relacionamento deles… simplesmente épico!

Ashido:e esse é Denki Kaminari, ele é o…

Midoriya: namorado da Uraraka-san.-estende a mão- é um prazer o conhecer.

Denki igualmente estende a mão e o cumprimenta.

Denki:o prazer é todo meu…-franze a testa- como sabe que sou o namorado da Ochako?

Midoriya:ela me falou. Asui me falou; Ashido falou.

Denki:quanta honra... Pena que não tenham me falado de você.

Midoriya: vai ouvir. Uraraka-san pode falar de mim se quiser saber algo.

Denki:o que ela saberia agora, que não sabia antes? E se soubesse… por quê não contaria?

Midoriya:o que ela não saberia? Além disso sou tímido não gosto de me expôr.

Denki:tem alguma coisa que não gostaria de expôr?

Midoriya: você gostaria de expôr algo sobre alguém?

Denki: talvez sim…

Midoriya:um talvez culposo e um sim tímido… parabéns. Você é um babaca.

Todos ficam em silêncio. Até que…

Sero:er… senta com a gente Midoriya, bora bater um papo.-enquanto fala Midoriya e Denki soltam a mão um do outro.

Midoriya:me desculpem pelo fora mas eu dispenso. Estou meio cansado, o dia foi agitado e esse passeio veio para me cansar de uma vez por todas.

Hayake:quer que eu vá dirigindo para você?

Midoriya:nah, aproveite.-diz virando de costas.

Ashido: até mais, Midori-kun!

Midoriya: até mais, Ashido-san. Até mais… Uraraka-san.-diz passando por ela.

Uraraka: até… Deku-kun…-fala com um constrangido sorriso tímido.

Midoriya andou para o seu carro, entrou, ligou e dirigiu para um lugar distante da sua casa. Izuku tem constantes remunerações de trabalho porém quando chega o dia não há escapatória, ele tem que ir para a empresa da família. Escondida na parte mais afastada da cidade onde os heróis não dominam se encontra o esconderijo de All For One, pai de Izuku e mestre de Shigaraki. Já fez séculos desde que esse império foi fundado e agora, pela primeira vez, um portador do One For All foi pego vivo… está é ou não é uma das maiores conquistas já feitas? E não é um mero portador. É o All Migth! O aposentado número um do mundo, o cara que trouxe paz ao mundo tornando-se o inabalável símbolo da paz. Nada será mais prazeroso para All For One que o torturar de todas as formas possíveis o fazendo pagar pelo seu rosto e todas as outras coisas que ele construiu durante um século. Midoriya se aproxima cada vez mais, passou cerca de quarenta e sete minutos e ele chegou. Desceu do carro e foi para dentro. Os guardas pagam pau para Midoriya enquanto abrem caminho. Do lado de dentro da sala. Um espaço enorme com uma cadeira bem no meio com ele… All Migth! Sentado com um machucado na cabeça delirando com algumas lembranças e possíveis teorias.

Midoriya: já o interrogou?-pergunta Midoriya de braços cruzados do lado de fora da sala.

All For One: apliquei lhe umas verdades mescladas com mentiras mas ele é inabalável.

Midoriya:ao menos é o que ele acha.

All For One:esse é o ponto. A determinação daqueles que portam do One For All é frustante.

Midoriya: frustante seria ter o atual portador aqui. Esse velho é apenas um resquício, um fragmento de uma época em que ele podia fazer acontecer o… declínio das trevas.

All For One: você nunca viu ele agindo, por esse motivo fala isso. Essa individualidade é perfeita…-levanta a mão e abre sua palma- se eu a tivesse em mãos a época da escuridão retornaria e me tornaria o mais poderoso de todas as gerações.-fecha a palma apertando o punho. Prazeroso é imaginar e orgasmico é se realizar.

Midoriya: falando assim o senhor deixa tão indiscutível que ele está em outro nível.

All For One:e não está? Desde de antes do nascimento das individualidades as pessoas vem tentando se matar. Após as individualidades elas ganharam o poder para isso. Em meio a aquele caos meu império enraizou e desenvolveu, cresceu e fortificou. Tudo que só havia visto nos meus sonhos agora estava ao meu alcance; mas é claro, pessoas são diferentes, podem ser do mesmo sangue, e continuam sendo diferente por um pequeno detalhe escondido na mais profunda ou rasa definição de humanidade cada pessoa… e não foi diferente com seu tio. Ele não concordava comigo, me achava o mais perverso, me atrapalhava sempre que podia aproveitando as vezes que a sua fraqueza não o consumia... Eu o amava mesmo assim. Era meu sangue, meu coração minha única família no mundo; então eu dei poder a ele, tudo que queria era gratidão e nunca me abandonar… ele usou esse poder para me enfrentar.

Midoriya:e depois?-pergunta com sua curiosidade atiçada porém ainda mantendo a calma na voz e na postura.

All For One:ele perdeu, seu poder não se comparava ao meu, bastava apontar um dedo que todos se rebaixavam perante a mim. E depois de uns anos após a morte do meu irmão apareceu um cara mais forte que ele, com o mesmo poder.

Midoriya:ele… passou para frente?!-olhou para seu pai de olhos arregalados, isso parece uma trama de um filme, série ou até um anime Shounen.

All For One:eu dei dois poderes a ele. Os poderes se uniram então com os ideias dele passando de mão em mão tanto quanto a individualidade.

Midoriya:os ideias dele…

All For One:… uma pessoa que dá tudo de si, por todos os inocentes.

Midoriya:One… For… All.

All For One:essa é a história da minha vida...

Midoriya:…….

All For One dá um passo a frente e já é barrado pelo braço de Izuku quieto com a cabeça inclinada suavemente para o chão com o olhar pensativo.

Midoriya:deixe que eu vou o interrogar. Volte para o trono.

All For One: não o machuque muito, precisamos dele vivo, por enquanto.-diz andando para trás.

Midoriya entra na sala e vê All Migth sentado praticamente inconsciente. O esverdeado anda até ele e para na frente do velho.

Midoriya:acorde.

All Migth levanta a cabeça aos poucos e vê Midoriya com seu rosto contra a luz, isso impossibilita a visão do rosto dele.

All Migth:mais um?-pergunta babando sangue.

Midoriya:vamos conversar… símbolo da paz.

Continua…


Notas Finais


Espero que tenham gostado e agora chegou o momento da pergunta que quero fazer para vocês! Estou pensativo quanto a fazer uma fic interativa chamada "Shounenverse" que é basicamente todas, ou, a grande maioria, das obras da Shounen Jump juntas contendo obras que são Shounen porém que não pertencem a Shounen Jump... A idéia é basicamente fazer uma parada com a base de Sword art online onde dentro do game com o nome de "Shounenverse" onde tem possibilidades de fusões e misturas de roupas e poderes de inúmeros personagens... Por isso eu quero saber quem quer participar para quando estar pronta eu poder chamar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...