História Prisoner Of Min Yoongi (Imagine Yoongi - BTS) - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Chanyeol, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kai, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Min Yoongi, Mya_uchiha13, Plágio É Crime, Prisioneira, Você, Yoongi
Visualizações 931
Palavras 2.164
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 13 - Massagem


Fanfic / Fanfiction Prisoner Of Min Yoongi (Imagine Yoongi - BTS) - Capítulo 13 - Massagem

Após o banho coloquei minha roupa e escovei meus dentes, sair do banheiro e me deitei ao lado do Min que já dormia, confesso que é estranho dormir ao lado de alguém, ainda mais alguém que você despreza; me sentei na cama e me permitir analisar ele, o mesmo estava dormindo com trajes sociais – os quais usará para ir a festa –, suspirei fundo pesando em deixar ele dormir que muitas peças de roupa e ainda por o coberto por cima para ver ele sofre com o calor, entretanto, algo me impediu de fazer tamanha maldade com ele.

– Coração de manteiga. – Falei para mim mesma, dei a volta na cama e parei na frente dele, desfiz o nó da gravata e desabotoei os botões de sua camisa social, só agora reparei que Yoongi tem um corpo bonito, não é aquele corpo extremamente malhado cheio de músculos e etc, é aquele corpo magro, porém bem definido, seu corpo tem todas as linhas dos músculos e seu bíceps – que apesar de não serem grande coisa – são um tanto definido. Sua barriga não tem gominhos, porém é bem definida e um tanto chapada e com as marcações perfeitas de seus gomos. – O que estou fazendo? – Me questionei por um minuto enquanto me perdia no corpo do Min. – Lembrei. – Voltei a tirar a blusa do Yoongi, mas foi difícil já que ele dorme que nem pedra e o corpo é pesado. Tirei as meias dele as coloquei dentro do seu sapato, desafivelei o sinto para não o machucar e quando estava prestes a fazer a retirada do objeto do seu corpo ele segurou minha mão.

– Está me assediando?

– Quem tem uma mansão cheia de mulheres aqui é você. Solta minha mão, por favor.

– Isso não significa que você não possa me assediar.

– Me faça um nobre favor, Yoongi. Vá a merda. – Revirei os olhos. – Estava tentando ser gentil com você tirando aquelas roupas sociais do seu corpo para dormir de forma confortável e você me agradece assim, falando que estou cometendo assédio contra sua pessoa. – Bufei. – Pimenta no cú dos outros é refresco. – Como eu não ia dá a volta na cama novamente passei por cima dele e o mesmo me segurou. – O que quer agora?

– Como quer que eu te agradeça? Huh? – Perguntou apertando minha coxa, arfei minimamente. – Quer que eu lhe beije e diga: “obrigado, meu amor”? – Perguntou irônico se sentando na cama. – Ou quer que eu transe com você? – Me aproximou dele e começou a dar selares em todo o meu pescoço.

– Para. – Falei ríspida. – Sério para, estou ficando com nojo, não quero que me agradeça de outra forma a não ser me dando minha liberdade e me deixando ir embora morar em outro país, de preferência bem longe de você.

– Isso só quando meus pais forem embora.

– Quando isso vai acontecer?

– O meu pai eu não sei, agora a minha omma pretende ficar por dois a três meses no máximo.

– Caralho! Dois meses sendo obrigada a dormi com você. – Choraminguei. – Aish!

– Não conhece minha omma, ela gosta de passar o máximo de tempo possível comigo. – Disse dando um chupão em meu pescoço me fazendo me mexer com certa brutalidade contra seu sexo o que resultou em um gemido da parte dele. – Não faça isso garota. 

– Não devia ter feito isso, toda ação tem sua reação.

– Está me provocando? – Seguro meus pulsos deixando nossos rostos próximo, me perdir por alguns segundo nas orbes escura de seus olhos, meu olhar foi descendo até encontrar com seus lábios, não são tão finos e nem tão cheios, estão na proporção certa, sendo seu lábio inferior um pouco mais cheio que seu lábio superior. Me permitir fazer a seguinte pergunta:

Qual será o sabor dos lábios do Min?

Sei que parece uma pergunta absurda, apesar de ser sim, mas fiquei intrigada com os lábios dele. Será que são quente como o fogo de um lareira no inverno ou frios como o coração dele? Será que são doces como chocolate ou amargos como a personalidade dele? 

Estava muito confusa quanto a isso, eu não sabia a qual perguntar dar prioridade, só sabia que se eu quisesse uma resposta teria que beija-lo.

– Se estiver pensando em me beijar, não faça. – Afastei tais pensamentos para longe e o encarei. – Saia de cima. 

– Me solte primeiro, precisa se aliviar Min?

– Preciso, acontece que você pateticamente me fez prometer esperar seu tempo e eu não tenho outra escolha a não ser esperar, se você gritar que eu estou abusando de você vamos ter que “terminar”, e olha isso não acabaria bem para você.

– Por que não? Yoongie? – As pupilas dele se dilataram e a sua respiração ficou ofegante, sem mais nem menos ele me jogou no espaço vago ao lado dele e saiu do quarto. – O que deu nele? Quer saber, não tô nem aí. – Me arrumei na cama e dormi.

(...)

Acordei linda e plena na outra manhã – só que não – e fui ao banheiro tomando um leve susto ao ver o estado do meu cabelo, acabei rindo já que a cena era um tanto engraçada.

Fiz minhas higienes e arrumei o cabelo, afinal não quero assustar ninguém, e desci as escadas com um sorriso mínimo nos lábios,  e não, eu não estava feliz, apenas acordei de bem com a vida hoje, talvez porque o Min não tenha dormindo do meu lado e eu não faça a mínima ideia ou questão de saber onde ele passou a noite; entretanto, ao descer todos os degraus reparei em um corpo jogado no sofá, era ele.

– Poxa... Estava tão feliz de pensar que ele não estava em casa. – Suspirei. – Não vou acordar ele. – Dei de ombros e fui para a cozinha encontrando a mais velha fazendo o café. – Não precisa se incomoda senhora Min. 

– Bom dia querida! Bom como você fez o café ontem, eu farei hoje, isso até o Yoongi contrata uma empregada.

– É... Mas aonde estão as coisas?

– Descidir que iríamos tomar café do lado de fora. – Sorriu. – Sabe me dizer o porquê do meu menino está dormindo no sofá? Brigaram?

– N-Não sei dizer. – Cocei a nuca. – Vou por isso lá fora. 

– Bom dia. – Ouvir a voz rouca do pálido atrás de mim. – O que as duas estão aprontando? – Se espreguiçou. – Aí minhas costas.

– Tudo bem querido? – A mãe dele perguntou. – Por que estava dormindo no sofá? 

– Eu acordei cedo então vim para sala e acabei pegando no sono de novo.

– Entendi, ajude a (S/n) a levar essas coisa lá para fora. – Ele assentiu e pegou a jarra de suco. Saímos em silêncio, Yoongi se sentou em uma das cadeiras e resmungou de dor.

– Depois do café tome um banho quente, isso vai aliviar as dores musculares.

– Virou médica?

– Só estou dizendo para o seu bem, pare de ser arrogante Min.

– Eu não preciso da sua compaixão. – Fechei a cara e pensei em sair de lá, porém um sorriso malicioso surgiu em meus lábios, fui até ele e pressionei minhas mãos mornas na pele desnuda e gélida de seus ombros e apertei. – AH! PARA ISSO DÓI! – Gritou o Min desesperado.

– Calma, é só massagem. – Continuei apertando os ombros largos dele. – Relaxa. – Rir enquanto ele gemia pela dor. – Para de gemer garoto. – Rir.

– Ah... Meus g-gemidos te deixam excitam né?

– Claro que não, preciso mais do que isso para ficar excitada.

– Precisa que eu fique... Ah... Tão bom. – Rir.

– Vocês são fofos juntos. – Sobressalto ao ouvir a voz da mais velha. – Não quis assustar.

– Tudo bem, se sente melhor? – Perguntei ao Yoongi que tinha cara de paisagem.

– Sim.

Tomamos café em silêncio, depois do café fui para sala e comecei a assistir a maratona de Harry Potter, é um dos filmes que eu mais gosto de assitir. 

Me pergunto o porquê do Yoongi ter agido de forma estranha ontem quando eu o chamei de Yoongie, foi só um apelido inofensivo nada de mais, porém parace que para ele era o fim do mundo esse apelido. 

Fiquei mais perdida em meu devaneios do que prestando atenção no filme que passava.

– Querida? Eu e o Taewon iremos sair, a algum problema?

– Não, pode ir tranquilos.

– Quer que eu lhe traga algo? – Se for possível a minha liberdade eu aceito.

– Nada em especial. – Sorrir. 

– Ok, voltaremos mais tarde. – Saiu. Estávamos só eu e o Min, não tinha nada de bom para fazer então fui para o lado de fora e me sentei na espreguiçadeira acolchoada.

A manhã estava adorável e ficou melhor quando Shooky se aproximou e latiu para mim como se estivesse pedindo meu colo.

Coloquei ele em minhas pernas e fiquei fazendo carinho em seu pelo macio, era bom está sentada em uma espreguiçadeira com um cachorro deitado em meu colo só aproveitando o sol da manhã.

– Estou indo para a empresa, quer ir comigo? – Olhei para o lado e Min arrumava as mangas da sua camisa social as colocando na altura dos cotovelos.

– É uma proposta tentadora, quem me garante que não vai me trair na minha frente?

– Confundido as coisas? Somos namorados só na frente dos meus pais, fora isso ainda é minha escrava, a menos que você esteja apaixonada por mim.

– Eu? Jamais, espere um pouco que eu vou me arrumar, pelo menos assim não fico só aqui. – Entrei na casa e fui na direção do quarto, tomei um banho rápido, porém bem higienizado, depois sair do banheiro e coloquei uma lingerie branca, procurei pelo closet um vestido e descidir pôr um preto de manga com gola da cor branca, afivelei um cinto também banco e coloquei uma meia calça, por último optei por um All Star de cano alto da cor preta. – Estou parecendo uma adolescente fofa. – Digo me olhando no espelho, arrumei meus cabelos e passei apenas um gloss em meus lábios, peguei minha bolsa e sair do quarto. – Podemos ir. – Falei descendo as escadas encontrando com o Min.

– Finalmente, para que tanta demora? Aposto que estava se maquiando.

– Eu só levei vinte minutos do seu tempo de ouro, querido. – Debochei.

– Não me chame assim. – Disse saindo e eu fui atrás dele, entrei no carro e passei o cinto pelo meu corpo e ele deu a partida. – Ficará na minha sala e não sairá de lá por nada, entendeu? – Disse ele com os olhos fixos na estrada. 

– Caralho sou prisioneira em tudo que é lugar! 

– Sim, não devia nem está saindo de casa, afinal acho que eu deveria voltar, ainda estou com dor.

– Para transar não sente dor né? 

– Claro que não, para trepar qualquer um está disposto. – Rir da palavra que ele usou, “trepar”, ninguém mais fala isso hoje em dia.

– Nossa que gíria do século passado, trepar. – Rir. – Vocês homens só pensam nisso não é?

– Quando se é homem e descobre os prazeres do sexo você vicia. As mulheres são muito atraente, claro nem todas como no seu caso. As vezes me pergunto porquê certos caras mudam de time, nada contra, é só uma curiosidade mesmo.

– Claro, afinal eu que fico gemendo “nossa que buceta apertada” quando estamos “trepando”. – Eu iria implicar com ele o dia todo por causa disso. – Bom já que eu sou tão inútil para você, querido Min, vou tratar de arrumar alguém que ache bom ter uma transa comigo, a propósito acho que já sei quem chamar. – Me referir ao Jong-in, não consigo esquecer aquele rosto angelical dele.

Alguns minutos se passaram e o Yoongi chegou em um prédio alto e muito bonito, ele estacionou o carro na garagem subterrânea do prédio e saímos e eu acompanhei ele até o elevador. Suspirei frustada por ter que ficar no mesmo local que ele novamente, só que mais apertado para variar.

Fiquei em um canto e ele em outro, o mesmo apertou no botão dez do painel de controle do elevador que foi subindo até parar no primeiro andar que seria o térreo.

– Bom dia senhor Min. – Alguns funcionários disseram em uníssono entrando no elevador.

– Bom dia. – A mão do Min envolveu meu pulso puxando-me para perto dele. – Fique próxima.

– Muita proximidade. – Ao chegar no quinto andar algumas pessos saíram e outras entraram me deixando mais próxima dele, quando me dei conta estava – literalmente – deitada sobre o corpo dele, encostei minha cabeça no ombro do Min e relaxei.

– Folgada. – Murmurou no meu ouvido.

– Mas você me ama. – Sorrir. As pessoas foram saindo até restar eu e ele no elevador, me afastei dele até chegamos no último andar.

– Bom dia senhor Min. – Uma mulher, que vulgo ser sua secretária disse sorrindo, ela me olhou ao notar que eu também estava em companhia do Min. – Bom dia senhorita!

– Bom dia, Eunji. Já terminou com aqueles relatórios? – Perguntou a morena.

– Sim, senhor. Aqui estão. – Entregou a planilha para ele.

– Ótimo, obrigado. – Falou andando em direção a sua sala.

– Bom dia! – Retribuir o gesto de educação dela e segui o Min, entrando na sua sala, fiquei surpresa pela decoração ser muito bonita e organizada. – Tenho que confessar, você leva jeito para decoração.

– Obrigado, sente ali e fique quieta. – Revirei os olhos e me sentei no sofá, hoje o dia seria longo.


Notas Finais


Desculpa os erros!

Na sábado tem mais 😊❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...