História Prisoner Of Min Yoongi (Imagine Yoongi - BTS) - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Chanyeol, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kai, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Hentai, Hetero, Min Yoongi, Plágio É Crime, Prisioneira, Você, Yoongi
Visualizações 1.262
Palavras 1.699
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura 📖!

Capítulo 23 - Perguntas


Fanfic / Fanfiction Prisoner Of Min Yoongi (Imagine Yoongi - BTS) - Capítulo 23 - Perguntas

Narrado por Yoongi.

– Yoongi? – A morena me chamou entrando em minha sala.

– O que? – Falei sem desviar atenção do papel. – Algo errado?

– Não, só não quero ficar sozinha com o Tyler. – Disse se sentando na cadeira da frente.

– O que o meu irmão fez? – Olhei para ela.

– Nada, só não quero ficar com ele.

Ela ficou em silêncio apenas me observando com seus olhos bem atenta no que eu fazia, (S/n) está muito estranha, na minha opinião ela deveria ficar menstruada por esses dois meses que minha mãe vai está aqui, se bem que ela me assusta quando está manhosa e é muito grudenta, mas quando ela não está no seu período é uma chata de galocha me perturbando o dia todo.

– Por que... Não vai para a piscina, está sol e...

– Se eu for não vou pode entrar, o que tem eu ficar aqui?

– Nada, só pare de me olhar, se quiser pode pegar algum livro para ler ou não sei...

– Posso mesmo?

– Pode, só pare de me olhar. – Ela sorriu e começou a procurar um livro na estante, fiquei observando ela que escolheu um livro no alto onde não alcançava. Rir internamente e fui pegar o livro para ela que sorriu e se sentou no sofá para ler.

Mantive meus olhos sobre seu corpo por alguns segundos, mas desviei em seguida para terminar de fazer o que estava fazendo.

Ela é uma boa pessoa – mas isso não significa que eu me arrependo de ter tirado ela de seu pai –, quando estiver finalmente livre de mim sei que vai arrumar uma pessoa que ame ela de verdade, talvez fique com o Kai mesmo já que diz ter sentimentos por ele.

– O que você seria se não fosse um empresário? – Perguntou ela quebrando aquele silêncio avassalador.

– Han... Agora você me pegou. – Rir sem humor. – Sabe que eu não sei... A me lembrei. – Estralei meus dedos. – Quando era pequeno sonhava em ser bombeiro.

– Sério? Você não parece o tipo de pessoa que salvaria a vida de outras, sem ofensas pessoais. 

– Eu entendi bem o que quis dizer, talvez se eu não fosse empresário nunca teria cruzado seu caminho e te feito minha escrava sexual.

– Talvez... Devia ter se tornado bombeiro. – Fechou o livro em sua mão, porém manteve seu dedo para marca a página. Ficamos nos olhando em silêncio por longos minutos, eu me sentia perdido em sua orbes enquanto a mesma tentava de certa forma me decifrar como se eu fosse um enigma – o que não passa de uma pura e limpa verdade.

Meu corpo se levantou e se dirigiu na direção dela, não é como se eu estivesse o controlando ele estava indo por vontade própria até ela, segurei em sua mão e a puxei colando seu corpo ao meu.

– Tem muita coisa que eu deveria ter feito e não fiz durante esses meus vinte e cinco anos de vida, e sabe de uma coisa? Eu ‘tô muito bem com a escolha que eu fiz, pelo menos assim não preciso ficar me preocupando em dar amor para uma mulher específica, não preciso me preocupar em dizer “eu te amo” e os caralhos a quatro que todo casal faz!

– Tem total razão. Eu também deixei de fazer muita coisa nos meus vinte e um anos de vida, deixei de namorar porque achei que não estava na hora, deixei o cara que eu amei ir embora com outra porque tive medo de me declarar para ele. – Nos encaravamos profundamente, ambos com a expressão séria, a morena fitou meus lábios e se aproximou mais de mim e selou nossos lábios em um selinho e depois se afastou.

– Já lhe disse que não... – Ela surpreendeu-me com um beijo, fiquei estático por cinco segundos ou mais e logo me entreguei invadindo sua boca com minha língua. Ela começou a andar fazendo meu corpo ir para trás até que eu encosta-se no madeiro, abertei sua bunda com força e ela mordeu meu lábio inferior, meu membro já estava animado dentro da calça moletom que usava; troquei as posições de nossos corpos e sentei ela no madeiro e juntei nossos corpos criando um atrito entre nossos sexos.

– Awn... – Gemeu manhosa quando abertei sua cintura.

– Yoongi, omma está chamando para... – Tyler entrou no escritório acabando com todo o clima, mas continuamos. – Yoongi? – Ignorei ele. – O que acha de fazermos a três? – Dei dedo do meio para ele sem quebrar meu ósculo. – Sério cara, omma ‘tá chamando para tomar café da tarde.

– Mais que merda! Eu não posso mais beijar minha namorada sem você ficar perturbando?! Quê que é? ‘Tá com ciúmes? A (S/n) é minha Tyler, sai daqui!

– Nem queria ter vindo para falar a verdade.

– ‘Tá fazendo o que aqui ainda?! Sai! Sai daqui! – Ele bufou e fechou a porta. – Aigoo! Estragou o clima. – Bufei me afastando.

– Acho melhor a gente ir. – Disse a morena, assenti e sair do quarto junto com ela indo até o jardim me juntando com meus pais, Kelly e Tyler.

– Ué? Não estavam se comendo agora a pouco? – Tyler jogou piadinha.

– ‘Tá vendo? Por esses certos tipos de comportamento que você tem que eu não te perdôo, que eu tenho repulsa por você ter o mesmo sangue que eu!

– Meninos sem brigas. – Disse minha omma.

Fiquei em encarando Tyler mortalmente durante todo o nosso momento “família”. Eu odeio o meu irmão e não é só por ele ter – literalmente – transado com minha ex-namorada, odeio meu irmão porque ele é um babaca e fez a mesma coisa que o meu pai fez, deu as costas para mim como se não fosse importante.

Depois desse dia, Min Tyler morreu para mim completamente.

Narrado por ______.

Eu e o Min andávamos meio próximos esses dias, mas tudo iria mudar uma hora porque um dos dois acabaria sendo grosso com o outro e toda a mágica iria acabar.

Estava me maquiando para a festa da empresa dele e confesso não está nem um pouco animada para ir, teria gente do mesmo patamar que ele falando sobre suas ações e quanto dinheiro tem lucrado emcima de certos propósitos.

Engraçado é que, eu sou filha de um falecido empresário, sou atleta e tenho um corpo quase que invejável aos olhos das coreanas, tenho dinheiro até dizer chega e não sou esnobe e nem mimada.

Eu sempre fui criada com o ensinamento de que ter mais dinheiro ou menos dinheiro não diz o que somos de verdade, mas sim o nosso coração e nossas ações. 

Meu pai nunca me mimou a ponto de me estragar, ele dizia que eu era perfeita aos seus olhos, mimada na medida certa, carinhosa na medida certa, generosa na medida certa e muito bondosa com os outros a minha volta na medida certa; ele costumava brincar dizendo que se acrescentasse um pouco mais de qualquer coisa estragava.

Nunca tive problemas em questão de ser esnobe, nunca fui uma das populares da escola só no primeiro ano do ensino médio quando um dos populares tinha uma paixonite por mim e as garotas populares tentaram ser minha amigas só para eu tentar empurrar ele para uma delas, acabou que quem ficou com ele foi eu no baile de inverno.

Terminei minha maquiagem e me levantei olhando meu visual, meu vestido tem o busto tomara que caia que realça bem meus seios – praticamente os esmagando, mas não muito porque não sou vulgar –, o mesmo é de coloração preta que combina com os saltos da mesma cor. Meu cabelo está preso em um coque despojado com medeixas de cabelo soltas.

Minha maquiagem destacava bem meus olhos, mas nada muito pesado para ser de fácil remoção mais tarde quando eu chegasse.

– Está pronta? – Min disse tentando arrumar sua gravata borboleta no pescoço.

– Sim. – Terminei de passar o batom vermelho vinho em meus lábios e olhei para ele. – Ajuda?

– Sim. – Caminhei até ele e comecei a fazer o nó em sua gravata. – Não vai cair usando esse vestido? Parece que está amarrando seus pernas.

– Vestido cauda de sereia é assim mesmo, não vou cair.

– A propósito, um amigo meu é grande fã seu, então não se assuste, ele é namorado da Eunji, falou super bem de você, só faltava dizer que queria de quatro na cama dele.

– Hum... – Me afastei dele e peguei minha bolsa de ombro e coloquei batom e celular dentro dela. – Vamos?

Abracei o braço dele e saímos juntos do quarto, os outros estavam a nossa espera no andar de baixo. Os olhos de Yuna brilharam ao me ver agarrada no braço do filho como se fôssemos um casal feliz que se amasse de verdade, ela confessou que tem esperanças que um dia eu me case com seu filho e lhe dê netos, eu tive que concordar, afinal não ia dizer que o filho dela nunca irá se casar porque simplesmente não quer.

– Vamos? – Pronunciou o mais velho presente e assentimos, saímos da mansão e cada um foi em seu carro, a festa vai ser na empresa do Yoongi mesmo. Eu não sabia e ia morrer sem saber que há um salão de festas naquele lugar, é quase escondido, mas existe, fica um pouco depois da lanchonete do local.

Quando chegamos havia alguns paparazzis e muitos dos flashes se direcionaram a mim quando desci do carro depois do Yoongi abrir a porta.

– (S/n)! Qual foi o real motivo para você sair da seleção? – Uma mulher me abordou começando a me perguntar.

– É verdade que seu pai foi assassinado e estão atrás de você? – Perguntou um outro jornalista.

– Os boatos que você matou seu pai por querer sua herança são verdadeiros? – Essa pergunta me fez engolir seco, estava desconfortável.

– Por favor senhores, respeitem a memória de meu sogro e a privacidade de minha namorada. – Yoongi disse intervindo todo aquele alvoroço.

– Então, quer dizer que vocês estão juntos? – A mesma mulher que iniciou a me fazer perguntas indagou novamente.

– Sim, eu e a (S/n) namoramos a dois anos, e peço que por favor respeitem a privacidade dela pois o assunto da morte de seu pai lhe afeta muito. – Ele não deu oportunidade para os outros falarem apenas me puxou para dentro da empresa ignorando os chamados. – Tudo bem?

– Sim...

– Não liga, quando a festa estiver acabando iremos para o estacionamento aí você não precisa se preocupar com as perguntas.

– Obrigada. – Sorrir.


Notas Finais


Desculpa os erros.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...