1. Spirit Fanfics >
  2. Problema. >
  3. Capítulo Único.

História Problema. - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Eu volto aqui com mais um imagine de Haikyuu ~ Desde que eu vi o anime ando tendo bastante ideias com os personagens de lá!

Espero que gostem! Tentei deixar bem fofinho, boa leitura <3

Capítulo 1 - Capítulo Único.


Você era conhecida por ser uma planejadora. Sim, uma pessoa que planeja cada passo da sua vida. E isso não lhe incomodava nem um pouco, na verdade, era como um elogio em sua visão. Teve de assumir muitas responsabilidades desde muito jovem e isso acatou em sua personalidade um tanto fria e meticulosa. Mas não era por maldade, era apenas por realmente não ter tempo para ser muito sociável, e poucas pessoas lhe compreendiam de fato.

Você tinha problemas, muitos problemas para resolver, era complicado. O único amigo que ainda tinha, era Tetsurou Kuroo, seu vizinho.

Ele presenciou toda sua vida se tornar complexa a cada dia que se passava. Sua mãe doente havia falecido e seu pai havia sumido pelo mundo, lhe abandonado depois da morte de sua mãe. Por isto, nem tempo de se entregar ao luto você teve. Tinha que trabalhar para sustentar-se. Estudar para ter um futuro melhor. Tudo isso e ainda carregar o fardo da sua família, que não se davam bem uns com os outros. Era complicado. Você não tinha tempo para mais nada.

Você tinha muitos problemas e tinha que planejar ao máximo as coisas que faria na sua vida. Seu sonho era ser uma escritora de histórias românticas, mas você não tinha tempo de ter um romance. Não tinha pois você estava ocupada de mais trabalhando e estudando. Mas, Kuroo estava ali. Ele sempre estava ali.

Kuroo era um indivíduo problemático para você, pois ele sempre dava um jeito de quebrar seus planos de formas estranhas. Sendo um egocêntrico de primeira classe, você jamais ganhou alguma discussão com ele. Nenhum argumento inteligente ganhava do sorriso perverso e divertido que ele carregava. Se você não podia ver um treino do Clube de Vôlei por conta de uma prova que estava se aproximando, ele fazia com que o treino se tornasse uma aula extra para todos, apenas para que você estivesse ali. Se não tinha dinheiro para ir no karaokê, ele pagava. Kuroo era esse tipo de problema. Ele jamais a deixava planejar direito.

- Eu gostaria de poder ingressar em uma faculdade boa, por isso não tenho tempo para ficar jogando vôlei com você. - Você falou irritada para ele uma vez. Quando tinham 12 anos.

- E porque não faz os dois ao mesmo tempo? - Ele sorriu lhe jogando a bola, estava confiante naquele dia. Você suspirou pegando a mesma e o encarando.

- Se eu jogar um pouquinho vai me deixar estudar?

- Vou pensar nisso, mas ande! Jogue! - Ele praticamente implorava.









Embora Kuroo fosse um problema, ele encontrou um espaço em seu coração, na sua mente e na sua vida. Nos seus planos você era uma mulher solteira, vivendo feliz do seu trabalho e morando num apartamento mais ou menos. Era assim até você perceber que poderia encaixar Kuroo neles. Encaixá-lo em seus planos. Mas, você se encaixaria nos planos dele?

- O que vai fazer agora que se formou? - Perguntou desinteressada, já haviam saído da escola, haviam terminado o ensino médio.

- Ainda não sei. Mas... - Ele pausou, parecia pensar em algo. - Não acho que irei ser um jogador profissional.

- Você é bom. Por que não tenta? - Olhou para ele um pouco surpresa e triste, sabia o quanto ele amava o vôlei, você não encontrou razões para ele se demostivar.

- Eu sou bom contra garotos do ensino médio, daqui para frente só irão vir monstros do profissional. Não acho que isso sirva para mim. - Ele falou deixando transparecer um semblante um tanto quanto calmo, mas chateado. Você colocou a mão no ombro dele, demonstrando um certo apoio.

- Desde quando você é o cara que pensa no futuro? - Perguntou de forma irônica. Sim, era você quem deveria planejar tudo, não ele. Ele era o cara que destruía todos seus planos, o cara que deixava sua vida no mínimo, mais interessante.

- Tem razão. Mas acho que puxei isso de você. - Ele falou em um tom brincalhão.

- Credo, eu sou o que? Sua mãe? - Você disse em um falso tom de indignação, logo após isso ambos riram.

- Eu gostaria de seguir no esporte, mas não dessa forma. - Após isto, ambos pararam de falar para admirar o belo por do sol. E foi naquele final de tarde, naquele lindo final de tarde, que duas vidas se fundiram. - Você... poderia planejar minha vida, ____?

Um pouco surpresa com aquele pedido de namoro um tanto estranho, você sorriu, e só pôde fazer um positivo com a mão.

- Claro que posso. Eu sou uma planejadora meticulosa de primeira classe, Sr. Kuroo. - Falou com sarcasmo, mas estava, de fato, muito feliz.

Kuroo sorriu, lhe puxou para perto passando as mãos pelos seus cabelos, depositando um beijo calmo e apaixonado em seus lábios.










Quem diria que o homem que destruía seus planos estaria agora, fazendo seu café da manhã saudável, como um nutricionista pessoal, quebrando seus planos de comer a primeira bobagem que visse na geladeira. Ele era de fato, um homem egocêntrico.

Você escrevia a última linha de um dos 5 capítulos do seu mais novo livro de romance e fantasia. Havia se tornado uma escritora reconhecida no Japão por explorar um universo inteiro em um único livro, colocando os protagonistas como extras, como se o universo fosse o personagem principal, e os protagonistas os objetos que complementavam-no. Gostava desta descrição sobre sua visão de mundo, afinal, você apenas colocava aquilo que enxergava nas suas histórias. Sem nem perceber, já havia finalizado, logo, fechou seu notebook.

Kuroo se aproximou da mesa com uma bandeja cheia de coisas saudáveis, como você realmente não iria fazer.

- Você passou a noite escrevendo de novo? - Ele perguntou com um sorriso nos lábios, sentando na sua frente, logo servindo o café da manhã.

- Sim, eu me empolguei tanto na reta final que não preguei o olho. - Você falou pegando o sanduíche feito com algumas alfaces e tomates, dando uma mordida. Logo olhou para Kuroo que lhe encarava.

- Isso não faz bem para sua saúde. - Constatou ele dando uma bebida em seu suco de laranja. Logo você riu em divertimento.

- Okay Mamãe, irei dormir mais cedo. - Você lançou um olhar carinhoso para ele, que segue ou uma de suas mãos depositando ali um beijo.

- Eu te amo, ____. - Ele sorriu de canto.

- Eu também te amo, Kuroo. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...