História Problems of Adolescence - Capítulo 2


Escrita por: , Agaress e bellechess

Visualizações 239
Palavras 1.322
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Orange, Policial, Romance e Novela, Sci-Fi, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá, tudo bem meus amores?! Estou aqui com o extra prometido á vocês. Ele não é grande pois estou sem tempo para escrever e como eu não queria deixar vocês esperando, fiz assim. Quem sabe posto outros extras, hein? Bom, quero dar um aviso a vocês que poderão ver no decorrer do capítulo, as personalidades estão um pouco mudadas pois esse extra se passa em 2017, ou seja, um ano antes do ano atual da história. Bom, eu acho que é só isso mesmo, fiquem com o capítulo!

Capítulo 2 - E.N.D Party


Festa do Fim; Extra

 

O barulho do som estrondoso se espalhava por todo aquele local enorme, as luzes piscavam entre preto e roxo, as pessoas gritavam e dançavam, alguns estavam caindo de bêbados mas não paravam de ingerir o líquido alcoólico, e outros pareciam até mesmo drogados. Até mesmo Marie se soltava naquela festa junto do namorado, que parecia estar olhando para outras garotas, em específico Ashley*, mas a loira não parecia notar. Francamente, esse casal é um caso perdido, Alexei pensava. Ele se encontravam sentado num banquinho perto do “bar” daquele galpão enorme que abrigava a festa da “END OF STUDIES”. Um evento que o pessoal do Ensino Médio sempre faziam quando terminavam um ano. Logo ele iria para o 3° Ano junto de Ren e Marie para o 2° Ano. Ele tinha dó da mesma, pois ele achou o Segundo Ano o mais difícil de todos, e por isso o repetiu uma vez, bom, diferente dele, ela era bem inteligente.

 

Anata wa nomitaidesu ka, Alex-senpai?* — O japonês mais encantador da classe dizia em sua linguagem natal, claramente bêbado pois sabia que o mais velho não entendia nada sobre japonês. O Hanh riu do estado do ex-loiro — que tinha pintado recentemente os cabelos da cor dos olhos, esta que era uma cor verde meio marinho — todo desajeitado mas mesmo assim não deixava de ser belo — Essa festa tá cheio de mina louca, cara. Elas ficam toda hora se agarrando em mim! — Se sentou ao lado do dinamarquês.

 

— As minas que você está falando são suas ex’s? — Repetiu o palavreado do outro, que por algum motivo copiava as gírias brasileiras de Eduardo*, um colega vindo do Brasil, mesmo sabendo que não tinha uma tradução correta no inglês americano. Ren fez um tsc e pediu ao barman um copo de vodka — Se você continuar a beber assim vai ter uma ressaca daquelas, Ren. — Mesmo Alexei dizendo, o outro não parecia o ouvir pois estava “focado” — comendo com os olhos — um garoto que aparentava ser menor de idade, 15 anos no máximo. Se antigamente, quando ele pensava ser hétero era pegador, atualmente quando se assumiu homossexual, virou mais galinha ainda.

 

— Porra! Essa festa tá cheia de divindade gostosa — O “esverdeado” rolou os olhos por todo o corpo do garoto, e o mesmo ao perceber, sorriu de uma forma maliciosa, como se estivesse chamando o outro — E bota gostosa nisso. — Levantou da cadeira e quase jogou o copo de vodka para cima de Alexei que quase não segurou-o.

 

— Meu Deus, aquele garoto parece ser do fundamental. Esse mundo está perdido mesmo — O loiro deu um grande suspiro e olhou para o copo de vodka em suas mãos. Não seria ruim se eu me soltasse um pouquinho… né? Ele olhou mais uma vez para o líquido antes de bebê-lo de uma vez — Argh…! Arde!!! — Abanou freneticamente o rosto, como se quisesse — por algum meio — que aquela ardência parasse, mesmo sabendo que não ia resolver.

 

— Aqui, Alexei — Ouviu uma voz feminina, na qual já sabia perfeitamente quem era, e logo Marie estendeu um copo de água para o mais velho, este que a agradeceu mentalmente — Você não é aquele idiota que consegue beber aquelas coisas do demônio. — A estudante referiu-se á Ren e ás bebidas fortíssimas que bebia.

 

Mange tak* — O dinamarquês agradeceu, suspirando em seguida — E seu namorado, o Jean*?

 

— Conversando com o Eduardo.

 

— Entendi.

 

Um silêncio deveras constrangedor se instalou entre os dois. Se conheciam há muito tempo? Sim. Eram amigos? Provavelmente. Mas não tinham nenhum assunto para discutir. Os dois permaneciam quietos, observando os outros gritando e se surpreenderam ao ver Ren — totalmente embriagado — no palco, se preparando para cantar. Não que a voz do mesmo seja ruim — na verdade, era muito bela —, mas ele estava caindo quando andava. Aquilo provavelmente daria uma treta, e eles não iriam perder. Um olhou para o outro e logo depois para o palco, onde todos estavam se reunindo para ver Ren cantar. Eles logo caminharam e também foram, e de algum modo, conseguiram passar pela multidão de adolescentes.

 

— O que será que ele irá cantar, Marie?

 

— Só espero que ele não passe vergonha — Respondeu, cruzando os braços e olhando para o seu veterano de cabelo verde marinho, que ajeitou o microfone e mandou colocar o toque na música. Parecia um toque de rock — Mas que diabos ele vai cantar? Nunca ouvi uma música parecida! — Ela sentiu alguém do seu lado e viu que era Eduardo e Jean.

 

— Parece que é asiática. — Eduardo, comentou — Se eu não me engano, é daquela banda famosona BTS. Bem, só podia ser—

 

— Cala a boca, ele já vai começar a cantar! — Interrompeu, Jean, vendo que o mesmo já colocou o microfone perto da boca.

 

Doegopa neoui oppa! Neoui sarangi nan neomu gopa! Doegopa neoui oppa! Neol gatgo mal geoya dugo bwa! Fire!!!

 

Ren dançava no estilo da música, enquanto cantava. Muitos ficavam com medo dele quebrar a cara no chão, por estar bêbado, mas ele cantava perfeitamente e isso fez Jean, Eduardo e outros meninos dançarem (tentarem) com o mesmo, tentando acompanhar o ritmo animado.

 

Andal nasseo na andal nasseo

Niga mwonde? Neoman jallasseo?

Wae nareul jakku nollyeo nollyeo

Neo ije geuman hol’ up hol’ up

 

Estou ficando irritado, estou ficando irritado

Quem você acha que é? Você é tão boa assim?

Porque continua me provocando, provocando?

Pare logo com isso, espere, espere

 

Kkwak jaba nal deopchigi jeone

Nae mami neol nochigi jeone

Say what you want

Say what you want

Niga jinjjaro wonhaneun ge mwoya

 

Me abrace antes que eu deixe de te querer

Antes que meu coração resolva te abandonar

Diga o que você quer

Diga o que você quer

Pare logo com isso, espere, espere

 

Doegopa neoui oppa

Neoreul hyanghan naui maeumeul wae molla

Nareul moreun cheokhaedo chagaun cheokhaedo

Neol mireonaejin motagesseo

 

Eu quero ser o seu amor

Por que você não entende que meu coração é seu?

Mesmo se você fingir que não me conhece

Eu não consigo te afastar de mim

 

— UHUUUU!!! — E Ren terminou com um enorme pulo, que muitos pensariam que ia voar, e quando o mesmo chegou ao chão novamente, uma grande parte de sua camisa estava para cima, assim mostrando seu peitoral. A “plateia” soltou gritos como “gostoso”, “casa comigo” e/ou “eu comia fácil”. Ele apenas sorriu e fez um “v” com os dedos, deixando o mais lindo ainda com seus cabelos bagunçados e com a luz refletindo o seu corpo, por estar bastante cansado de tanto dançar e cantar.

 

A festa continuou, mas alguns alunos já estavam indo embora pelo simples motivo de estar quase dando três horas da madrugada, obviamente queriam ficar mais, mas não podiam pois tinham mentido para os pais que iam no aniversário. Alexei tinha que levar Ren para a sua casa, pois o mesmo estava quase dormindo em cima do balcão do “bar”, e até mesmo Marie, já que a mesma bebeu um pouco e estava rindo que nem uma louca. Ah, quando ela lembrar que fez isso, o demônio vai encarnar.

 

— Hey, os dois! Vamos, já está na hora!! — Ele ajeitou Ren em seu ombro, porque o esverdeado mal conseguia andar e Marie estava caminhando sem a ajuda de ninguém, mesmo que pisasse em cima dos próprios pés uma vez ou outra.

 

Os três “amigos” saíram do galpão, que ficava um pouco afastado da cidade, então estavam praticamente em uma mata. Alexei continuou andando com Ren, que sussurrava algumas coisas, mas parou de o fazer quando percebeu que a loira olhava para o céu admirada, o dinamarquês fez o mesmo e se surpreendeu quando viu um céu cheio de estrelas. Era simplesmente lindo, Ren logo também olhou para o céu.

 

— É, talvez vim para esta festa não fosse tão ruim. — Comentou Marie, recebendo uma risadinha de Ren como resposta.

 

— Como assim, loira? Foi demais! “Um ano se encerra, mas outro se inicia, e esse vem para causar” esse é o lema da E.N.D Party!

 

...end...


Notas Finais


→ Ashley - https://bit.ly/2MJRZMO
→ Eduardo - https://bit.ly/2vM5GEG
→ Jean - https://bit.ly/2Mph0jy

→ Frase do Ren em japonês - Não irá beber, Alex-senpai?
❝Senpai é um termo japonês usado para se referir á veteranos na escola/faculdade. Mesmo que eles estejam na mesma classe, Ren considera Alexei seu senpai, seu veterano❞
→ Frase do Alexei em dinamarquês - Muito obrigado.

→ Música do BTS - https://bit.ly/1hDvkK1

Oie! Então gostaram? Comentem, isso me incentiva muito. Me ajudem também nos erros de português, não tive tempo de revisar, então pode ter algumas frases erradas. Desde já agradeço. Beijos meus amores.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...