1. Spirit Fanfics >
  2. Procura-se marido que goste de criança >
  3. Procura-se marido que goste de criança XLVII

História Procura-se marido que goste de criança - Capítulo 47


Escrita por:


Capítulo 47 - Procura-se marido que goste de criança XLVII


Naquele dia completava um ano que Naruto e Sasuke se conheceram.

Naruto se lembrava perfeitamente quando ouviu o barulho da porta do estabelecimento se abrir e Sasuke entrar na cafeteria que haviam marcado o encontro. A cena se repetia nesse ano, mas, dessa vez, quem estava atrasado era ele.

Naruto pediu desculpas pela demora, disse que houve um acidente perto do teatro, de qualquer forma, pegou o metrô para chegar até ali. Os dois combinaram de comemorar aquela data simbólica, comendo uma torta e tomando um café no mesmo lugar que se conheceram.

Sasuke solicitou as bebidas e Naruto escolheu o sabor das tortas. Naquela noite, decidiram afastar todos os problemas e falar apenas sobre eles dois. Tamaki estava na casa de Temari, brincando na festa de pijama de Saki. Assim, teriam a noite inteira para aproveitar a companhia um do outro. Aquele mês de março não estava muito diferente dos outros, ambos estavam bastante atarefados com o trabalho e com as situações cotidianas que precisavam resolver.

E era por isso que o casal precisava de um tempo a sós, para se divertirem, relaxarem e conversarem sobre o futuro.

Naruto comentou sobre como havia achado Sasuke bonito quando o viu pela foto do aplicativo que trabalhava, e que gostou mais ainda do que viu pessoalmente. Não somente a aparência, mas todo o conjunto de sua personalidade e conversa o agradava muito. Sasuke não pensou diferente, sempre achou Naruto atraente e quase não podia acreditar em como ele era gentil e carinhoso.

— O que você esperava, um cara bonito e babaca?

— Basicamente isso. — Sasuke sorriu, enquanto dividiram a última fatia de torta de melão. — Desculpe, mas é apenas um reflexo da minha experiência.

Eles pegaram algumas variedades para saborear e decidiram que a de chocolate com morango era a mais gostosa.

Sasuke abriu a carteira para pagar a conta, quando Naruto pediu para ele guardar o dinheiro, já que, quem pagou da última vez foi ele.

— É minha vez de pagar. — Naruto pegou a carteira e pagou com o cartão. Eles deixaram a cafeteria.

Aquela noite estava muito agradável, embora precisassem usar um casaco. O ar noturno da primavera começava a trazer o cheiro gostoso das flores que desabrochavam após um intenso inverno. Eles caminharam de mãos dadas pelo parque e depois decidiram ir ao cinema. O filme era de suspense e terminou um pouco depois da meia noite. Por isso pegaram um táxi para casa.

No carro, Naruto segurava o celular, ele havia tirado algumas fotografias aquela noite com seu celular e perguntou para Sasuke se poderia publicar uma. Sasuke deu uma olhada e gostou de uma das fotos que tiraram.

Ao chegarem em casa, Sasuke foi quem puxou Naruto para um beijo. Ambos caíram no sofá, mas depois de alguns minutos eles foram para o quarto. Entre longos beijos e carícias pelo corpo, Sasuke abraçou Naruto, declarando o quanto ele o amava. Seus corpos se moviam lentamente, e de uma forma gostosa, que os fazia gemer longamente.

Sasuke virou-se na cama, deixando as costas livres para Naruto o beijar.

Os cabelos de Sasuke estava um pouco maior, Naruto tirou os fios do pescoço e roçou os lábios. Suas mãos seguravam o quadril de Sasuke e o penetrava devagar, desfrutando do prazer que sentia conforme seu pênis era pressionado na penetração. Imerso naquela prazer, Naruto foi acelerando os movimentos, ouvindo os gemidos acentuados de Sasuke.

Ele sentia seu corpo em êxtase, e o de Sasuke estremecia por baixo. Naruto o abraçou carinhosamente, beijando-o nos ombros, enquanto o penetrava com mais vigor. Depois retirou-se de dentro de Sasuke com cuidado, para remover a camisinha. Ele lavou o rosto no banheiro, sentindo um pouco de calor.

Sasuke o abraçou por trás, chamando-o para tomar um banho. Naruto virou com um sorriso animado, dizendo que nunca recusaria esse convite.

***

As aulas de Tamaki no estúdio de dança eram três vezes por semana após a aula. Naruto e Sasuke intercalavam os dias de levar a filha para a aula de ballet, mas a empolgação de Tamaki acabou agitando a curiosidade de outras crianças da escola a querer participar das aulas de dança também. Então por isso os pais e as mães começaram a fazer um rodízio para levarem as crianças de carro para a aula de ballet.

Naruto e Sasuke estavam economizando e eles não tinham carro, mas decidiram comprar um. Não apenas para levar Tamaki e seus colegas às aulas de ballet. Mas, também, para auxiliar Sasuke a circular pela cidade ao visitar as obras que, agora, havia aumentado consideravelmente e ele já trabalhava com dois estagiários que estavam em vias de se formarem.

O carro era confortável e ideal para uma família. Tamaki ainda não havia visto o carro, quando Sasuke estacionou na frente da escola, para levá-la ao ballet com seus colegas.

Ela pulou animada, querendo entrar logo no carro. As outras três crianças sentaram-se e Naruto apertou os cintos de segurança. Eles assistiram a aula de Tamaki pela parede de vidro e os levou para tomar um sorvete no final da aula.

Tamaki queria passear mais um pouco, mas Naruto precisava ir para o teatro, naquela noite, a peça começava as oito horas da noite, mas ele precisava chegar pelo menos com três horas de antecedência para fazer a maquiagem.

Sasuke primeiro levou Naruto ao teatro e depois deixou as crianças em suas casas. Assim que retornaram para casa, ele estacionou o carro e ajudou Tamaki a descer. Sasuke pediu para Tamaki levar sua mochila para o quarto e organizar os brinquedos que ela havia espalhado na noite anterior.

— Papai, me ajuda? — Tamaki perguntou, parada na escada, menos de cinco minutos depois de ter subido.

— Eu vou ajudar apenas com os brinquedos que ficam na prateleira. — Sasuke disse, terminando de beber a água. Ele havia ligado a televisão para assistir ao jornal, já estava desligando com o controle remoto, quando a apresentadora informou que naquela tarde, os foragidos da justiça foram capturados tentando embarcar em um jato particular em Quito.

— Papai, vem. — Tamaki o chamou, do segundo andar.

— Já vou, filha, só um minuto. — Sasuke aproximou-se da televisão, apreensivo com a notícia, ele queria saber quem eram as pessoas capturadas. Pois muitos estavam ainda foragidos.

A apresentadora falou o nome de três pessoas foragidas que foram capturadas. Entre elas estava Hidan e Kabuto. Sasuke sentou-se no sofá, enquanto Tamaki descia as escadas perguntando por que ele estava demorando. A menina olhou para a televisão, as imagens que passavam era o momento em que a polícia interceptava o jato que estava quase pronto para a decolagem.

As câmeras filmaram as pessoas descendo do avião, Hidan era uma delas. Ele não parecia nem um pouco preocupado em ter sido flagrado, mas também não disse nada, exigindo apenas o direito de falar com o seu advogado.

Sasuke pensou em Ritsuka, ela ainda estava presa e teria seu bebê na prisão, onde aguardava julgamento. Mei Terumi estava pensando em um acordo com a promotoria, desde que ela falasse tudo o que sabia.

Infelizmente, Ritsuka realmente havia sido usada por Hidan. Ela recebia pequenas transferências bancárias de baixo valor, onde lavava o dinheiro que Hidan recebia dos contratos ilícitos. Como os saques eram de valores pequenos, não havia fiscalização.

No entanto, a fiscalização acabou pegando uma transação de alto valor para a compra de uma casa. A partir da investigação dessa compra, o esquema foi sendo revelado. Ritsuka não possuía crédito e nem renda para comprar uma casa de alto padrão.

Se julgada e condenada, poderia ficar até cinco anos presa, por isso Mei Terumi buscava um acordo com a promotoria, para diminuir esse tempo.

— O jato particular é de propriedade do empresário Orochimaru, conhecido pelos seus trabalhos e prêmios de arquitetura. Dois ocupantes do jato, além do piloto e o copiloto, eram funcionários de Orochimaru, o terceiro foragido não possuía contrato de trabalho com o escritório de Orochimaru. Vamos ouvir a coletiva de imprensa com a ministra da Justiça.

— Papai, você não vai me ajudar? — Tamaki segurou-se o braço de Sasuke, ela se sentou no sofá, enquanto ele assistia a televisão.

— Querida, eu só quero ver mais um pouco o jornal.

— Mas é chato.

Sasuke sorriu para ela, ouvindo a ministra falar que a promotoria estava trabalhando veementemente para solucionar aquele caso, e assim os cidadãos iriam se sentir mais seguros.

Sasuke não sabia se aquilo era o fim, mas representava o término de um ciclo de angústia. E era hora de deixar isso no passado.

Ele segurou o controle remoto e desligou a televisão, pegando a mão de Tamaki e indo ajudá-la a arrumar o quarto.

***

Naruto se encontrou com Kakashi mais algumas vezes desde a primeira reunião em janeiro. Já estavam agora em abril e as ideias começavam a ganhar um corpo mais consistente. Tamaki não fez parte dessa reunião, mesmo assim, Kakashi ainda não havia desistido dela. Indicou-a para uma campanha publicitária de uma marca de roupas infantis, e Naruto ficou de conversar com Sasuke sobre isso.

O programa que Kakashi estava planejando para Naruto era interativo e ao vivo, ele o achava especialmente simpático e com muita desenvoltura na câmera. Porém, Naruto estava com outras ideias. Ele pensou em um programa que mostrasse os bastidores do teatro para as pessoas. O número de espetáculos vinha aumentando cada vez mais e o interesse do público também.

Ele achava interessante mostrar como era a composição de um corpo de ballet, os ensaios de uma peça de teatro, as histórias de cada pessoa e seus sonhos. Naruto contou para Kakashi sobre o seu sonho de estrelar uma peça na Broadway, e como o sucesso com o musical em seu país o fez repensar sobre esse sonho. Ao valorizar a arte em seu país e crescer profissionalmente com seus colegas.

Kakashi gostou da ideia de contar os sonhos das pessoas se tornando real após seu esforço e trabalho. E ele estava pensando também em como Naruto poderia viajar o mundo mostrando a diferença de cada país.

Naruto deixou o escritório de Kakashi bastante excitado com as ideias discutidas e a possibilidade de grava um programa viajando para outros países, seria uma oportunidade incrível, mas também ficou preocupado por ter que ficar longe da família para gravar. De qualquer forma, eles pesaram em um piloto gravado na cidade, e depois pensariam em como fariam o programa, talvez com dozes episódios ou quem sabe um pouco mais, caso tivessem um bom patrocínio.

Assim que entrou no carro, Naruto conectou o celular no painel e viu que recebeu um e-mail. O computador de bordo informou que o e-mail era de Sasuke, ele pediu para repassar a mensagem.

“Eu tenho apenas uma pergunta para você responder:

Você ainda quer se casar comigo?”

Naruto dirigia o carro, enquanto ouvia o computador de bordo repetir o e-mail de Sasuke. Ele gargalhou, com aquele lembrete, faltava um dia para se casarem no templo Shunkoin em Quioto. O lugar foi sugerido por Neji, que renovou seus votos de casamento com Hirata, e se mudou definitivamente para Quioto.

Sasuke já estava em Quioto com Tamaki, e Naruto viajaria aquela noite de carro, levando Sakura, Hinata e Kaede com ele.

O casal decidiu fazer as cerimônias separadas. Casariam-se agora no templo budista em Quioto, e futuramente fariam um casamento em Shibetsu. Foi necessária essa mudança porque o orçamento do casal não estava conseguindo manter todas as contas, um casamento tão grandioso e a construção de uma casa.

Levaria ainda alguns meses para que as obras fossem concluídas em Shibetsu, de qualquer forma, Naruto sentia o coração palpitar tão forte cada vez que pensava que eles estavam conseguindo concluir aquela fase em suas vidas.

A viagem para Quioto não era longa, eles se hospedaram em uma pousada familiar antiga. Era um ambiente tradicional e com um belo jardim. Depois de uma hora dirigindo, Naruto estacionou o carro e levou a mala até o quarto, após passar na recepção. Todos já estavam hospedados e logo se encontrariam para o jantar em um restaurante reservado por Neji, que já conhecia as redondezas.

Assim que entrou no quarto, Sasuke o abraçou, dando um beijo nele. Naruto o segurou em seus braços e o beijou carinhosamente em seus lábios. As bocas tornaram-se eufóricas, e o beijo foi aumentando conforme eles caminhavam pelo quarto. Sasuke caiu na cama com Naruto em cima dele.

— Você trouxe tudo o que pedi? — Sasuke perguntou, com as mãos em seus ombros.

— Sim. — Naruto voltou a beijar os lábios dele e puxar a camisa que vestia para fora da calça.

— Espera, não podemos nos atrasar para o jantar. — Mesmo falando isso, Sasuke não forçou Naruto sair de cima dele.

Embora desejassem ficar na cama, eles precisaram se levantar após ouvirem as batidas na porta e a voz de Mikoto e Kushina no corredor.

Sasuke se levantou e arrumou a camisa para dentro da calça novamente, depois ele olhou a mala para ver se Naruto havia mesmo trazido todas as roupas que ele deixou na lavanderia.

— Eu disse que trouxe tudo. — Naruto riu.

— Estou apenas me certificando, não quero que falte nada. — Sasuke virou-se para ele e Naruto o admirou, notando que ele cortou o cabelo, passando a mão nos fios em seguida. — Gostou?

— Não tem como não gostar. — O beijo foi interrompido novamente e eles saíram do quarto antes que batessem na porta mais uma vez.

O restaurante era bem próximo e eles puderam ir andando. A mesa reservada era grande, para que todos ficassem à vontade. Como o hotel estava em obras, o número de hóspedes era muito baixo, por isso a família de Naruto pode comparecer. Enji estava orgulhoso de acompanhar a cerimônia do neto. Eles conversaram antes do jantar ser servido, enquanto bebiam saquê.

— Vai com calma. — Naruto comentou, ao servir uma dose para Sasuke.

— Vou beber só um pouquinho. — Ele respondeu, saboreando a bebida, e torcendo a face com o gosto forte.

— Eu disse para ir com calma.

Na mesa, todos conversavam animadamente. Enji e Fugaku falavam sobre a sociedade que eles estavam planejando, em criar mais atrações para o hotel. Apesar de aposentado, Fugaku era um homem com bastante vontade de continuar trabalhando, o que deixava Sasuke e Itachi preocupados pela sua saúde. Mas eles sabiam que não conseguiriam segurar o pai muito tempo dentro de casa.

Naruto foi conversando com as pessoas conforme pulava de um grupo para o outro, dando atenção para todo mundo. Ele adorava ver a família e seus amigos reunidos. Embora nem todos tivessem tido a oportunidade de comparecer.

— Filho, você não esqueceu nada? — Kushina perguntou e Naruto a beijou no rosto, respondendo que estava tudo organizado. — Eu estou mais nervosa do que os noivos.

Mikoto concordou, ela também estava ansiosa e sorria amplamente para Naruto.

— Eu vou pegar mais bebida. — Naruto foi até o bar e recebeu um outro copo. Ele observou Sasuke dar uma gargalhada, sentado à mesa com Sakura e Kaede. Itachi sentou-se com eles logo depois.

Os olhares entre Naruto e Sasuke cruzaram naquele momento. Sasuke moveu o cabelo e piscou para ele.

Naruto sorriu, porque estava observando Sasuke há um bom tempo e ele estava um pouco mais desinibido do que o normal. Por isso achou melhor não deixar ele exagerar na bebida.

O jantar durou algumas horas, a comida era farta e deliciosa. Naruto agradeceu a dica de Neji por ter indicado aquele lugar.

— Hirata e eu gostamos desse ambiente. Que bom que gostou. — Neji comentou.

Tamaki dormiu cedo no colo de Fugaku, que voltou para a hospedaria com Mikoto, os dois queriam descansar para a cerimônia do outro dia, e a menina estava hospedada em seu quarto, que possuía mais uma cama extra.

Os pais de Naruto e seu avô logo se despediram para descansarem para o outro dia. Em seguida, Naruto achou que era um bom momento para ele e Sasuke também irem dormir.

Ao fechar a porta do quarto, Sasuke estava um pouco alterado pela bebida e se pendurou no pescoço de Naruto.

— Eu estou feliz. — Sasuke falou, seus olhos estavam quase fechando.

— Eu também estou feliz, foi uma noite boa, não é? — Naruto perguntou, abraçando-o na cintura. — Que tal tomar um banho para a gente dormir? Vamos acordar amanhã cedo.

— Você quer mesmo tomar um banho? A gente nunca vai para o chuveiro e só toma banho. — Sasuke deu uma risada e puxou a camisa de Naruto, abrindo os botões em seguida, alisando as mãos no abdome. Os olhos de Sasuke focaram com dificuldade para a barriga de Naruto, e deu um beliscão. — Você é tão gostoso.

Sasuke beijou Naruto e passou a língua em seguida nos lábios dele, descendo pelo queixo e dando uma mordida, enquanto tentava tirar a camisa dele.

— Primeiro vamos tirar a sua roupa para tomar um banho. — Naruto segurou as mãos de Sasuke e deu um beijo rápido na sua boca. — Eu vou trazer uma bebida forte.

— Não quero beber nada, eu quero você. — Sasuke abriu os botões da camisa que ele vestia, houve dificuldade de tirar os últimos botões e acabou forçando. Após tirar a camisa, abraçou Naruto. — Você não me quer? — Ele perguntou, pressionando os lábios nos de Naruto.

— Claro que eu quero, amor. — Naruto foi direcionando Sasuke para a cama e o sentou, ajudando-o a tirar as meias e as calças. — Mas eu quero que você fique bem antes. Você bebeu bastante.

— Não bebi. — Sasuke levou o dedo até a boca de Naruto, sussurrando. — Eu bebi pouco.

— Tem razão, você bebeu pouco, mas bebeu saquê, e você não aguenta. E ainda misturou com outra bebida.

— Shiiiuuu. — Sasuke riu, deitando-se na cama depois. — Vem aqui. Você já tirou a minha roupa, agora vem.

— Eu vou sim, mas depois, ok? — Naruto saiu da cama, havia uma loja de conveniência perto do hotel e poderia comprar um remédio para Sasuke e uma bebida forte. Ele olhou para a cama, vendo a expressão desanimada de Sasuke. — Prometo que eu volto rápido.

— Se você não vier, eu vou fazer isso sozinho. — Sasuke mordeu o lábio inferior e sua mão deslizou pelo corpo, roçando os mamilos com os dedos de uma mão e esfregando a outra mão na virilha, puxando a cueca. — Tem certeza de que vai sair agora?

— Sasuke... — Naruto estava com a mão na maçaneta da porta, olhando-o se masturbar.

O rosto corado de Sasuke contraiu, sua expressão transbordava de desejo e Naruto pediu mais uma vez para ele aguardar, mas Sasuke não quis ouvir. Ele abriu as pernas e continuou se masturbando, chamando pelo nome de Naruto. A mão acariciava o pênis endurecido, depois massageava os testículos.

Naruto respirou fundo, balançando a cabeça e fechando os olhos, ele se aproximou da cama e continuou olhando Sasuke gemer com a boca aberta, conforme acelerava o movimento dos dedos ao redor do pênis.

Sasuke levou o dedo à boca e chupou, molhando com saliva para depois esfregar o dedo em sua entrada. Naruto havia apoiado o joelho na cama, seus olhos focados no corpo de Sasuke se contorcendo de prazer na sua frente. Ele estava excitado, é claro, mas vê-lo daquela forma tão livre em busca de seu próprio prazer também o deixava louco.

Naruto apertou a mão sobre a calça, o tesão aumentava a cada gemido que Sasuke emitia, a cada parte de seu corpo que estremecia e a cada vez que ele o chamava.

Ansiando por sentir o corpo quente do marido, Sasuke gozou, ofegante.

— Naruto...

— Eu estou aqui. — Naruto subiu na cama e segurou a mão de Sasuke, beijando seus dedos, toda a sua mão e seguindo os beijos pelo braço dele até seu ombro e então o rosto. — Você me deixa doido, viu?

Sasuke o abraçou, entrelaçando as pernas na cintura de Naruto, que o moveu na cama, segurando-o com os dois braços ao redor do corpo dele. Conseguiu sair da cama com um pouco de esforço para erguê-lo.

Naruto andou até o banheiro e ligou o chuveiro, enquanto Sasuke reclamava.

— Você me enganou. — Sasuke falou, fechando os olhos e sendo colocado embaixo da água morna. — Não quero um banho, eu quero você.

Naruto o pressionou contra a parede do boxe do banheiro, estava vestido e por isso suas roupas se molharam embaixo do chuveiro. Ele acariciou o rosto de Sasuke, sentia o coração acelerado com aquelas palavras, seu corpo arrepiado e o desejo em total sintonia com o que Sasuke pedia.

— Eu vou te foder bem gostoso, mas depois. — Naruto sussurrou, roçando os lábios nos de Sasuke. — Eu quero ver você assim, bem safado, mas depois.

Sasuke balançou a cabeça, fazendo os cabelos sacudirem. Naruto virou o rosto e gargalhou. Ele o ajudou a tomar banho e depois o secou com a toalha.

Naruto se ausentou por um momento da hospedaria, voltando meia hora depois com alguns remédios, porque provavelmente Sasuke teria uma boa ressaca no outro dia. Também passou na loja de conveniência e pediu um café para viagem. Ao retornar, quando subiu os degraus da entrada da pousada, Naruto estava carregando algumas sacolas, e deixou cair a carteira no chão, ele abaixou-se para pegar e se levantou.

Ele viu Itachi e Sakura conversando na recepção da hospedagem. Já estava indo falar com eles, quando viu os dois caminharem de mãos dadas pelo corredor. Naruto parou de andar e esperou que eles terminassem o caminho até um dos quartos.

Quando retornou, Naruto colocou as sacolas em cima da mesa e olhou Sasuke deitado na cama.

— Hey! Amor, adivinha quem eu vi de mãos dadas agorinha? — Naruto aproximou-se da cama. A luz do quarto refletiu no rosto de Sasuke e ele puxou a coberta para se cobrir. Naruto tirou a coberta do rosto dele.

 Hmmm. — Ao abrir os olhos, Sasuke piscou algumas vezes. — O que?

— Eu vi seu irmão e a Sakura de mãos dadas no corredor. — Naruto deu uma risadinha e ajudou Sasuke a sentar na cama

— Itachi? — Sasuke sentou-se na cama, levando a mão na cabeça e depois pegou o café que Naruto entregou para ele. — Sakura me disse que a relação com Shikamaru terminou no mês passado.

— Que pena para o Shikamaru. Porque seu irmão está bem encaminhado. — Ele deu uma risada alta e depois passou a mão no rosto de Sasuke. — Está se sentindo melhor?

Sasuke balançou o rosto para os lados, os olhos se fecharam e o rosto ficou corado.

— Minha cabeça está doendo.

Naruto pegou a sacola de remédios e entregou uma ampola para ele beber. Sasuke suspirou e abaixou a cabeça, depois de beber.

— Amanhã você vai se sentir melhor. — Naruto pegou o copo de café da mão dele e colocou em cima da mesa.

— Eu nunca mais vou beber. — Assim que disse isso, Naruto virou-se e olhou para Sasuke. Sasuke voltou a se deitar na cama, enquanto Naruto organizava os remédios e se deitava ao lado dele em seguida.

— Claro que vai, amanhã no nosso casamento, você tem que beber os três goles de saquê comigo.

— Não pode ser água? — Sasuke estava com a mão em cima do rosto, ele tirou e olhou para Naruto.

— Não, tem que ser como manda a tradição. — Naruto puxou a coberta e cobriu os dois, abraçando Sasuke. — Mas, se quiser, eu ainda vou te foder amanhã, o quanto você quiser.

Sasuke puxou a coberta para cobrir o rosto novamente, enquanto Naruto gargalhava.

***

A cabeça de Sasuke doía menos. Mesmo assim, ele ainda estava no quarto, com as janelas fechadas e a luz apagada. Naruto o deixou dormir até um pouco mais tarde, mas não poderia passar o resto da manhã na cama. A cerimônia no templo estava marcada para as onze e meia, o horário em que Naruto havia nascido. Eles decidiram esse horário, porque Sasuke nasceu quase a meia noite.

Após um banho, Sasuke pegou a roupa no cabide. Naruto havia pedido para cuidarem da roupa dele, os dois iriam se arrumar em quartos separados e se encontrarem apenas no templo.

Depois de alguns minutos, Minato e Enji bateram na porta para vê-lo.

— Está precisando de algo? — Minato perguntou, enquanto Sasuke se sentava na cama.

— Eu só estou com um pouco de ressaca, me desculpe por ontem, eu bebi mais do que devia.

— Ora, não fez nada de errado, estava se divertindo com a família. — Enji foi andando até as janelas e as abriu, uma corrente de ar fresco se espalhou pelo quarto e Sasuke respirou fundo. — Em meu casamento, eu estava nervoso porque não sabia como eram as tradições e não queria errar. Mas foi um dia inesquecível.

— Papai quase derrubou a mamãe pisando no quimono dela. — Minato sorriu, e Enji balançou a cabeça, concordando. — Sasuke, estamos aqui para ajudar você, é o que costumamos fazer em nossa família, não se preocupe, vai ficar tudo bem.

— Obrigado.

Sasuke bebeu um chá verde torrado e tomou outro remédio. Ele perguntou como estava Tamaki e Minato contou que a menina brincava naquele momento com as amigas, as filhas de Neji. Isso aliviou mais os pensamentos de Sasuke e ele arrumou primeiro os cabelos, não foi um processo muito complicado, porque já estava acostumado. Enquanto passava a pomada de modelar nos fios e arrumava as mechas, ele ouviu algumas histórias divertidas sobre o casamento de Enji, que foi uma cerimônia tradicional que durou três dias.

Sasuke passou um creme no rosto, e notou as olheiras, ele pegou um corretivo em sua maleta para amenizar o tom da pele e depois se vestiu. A hakama era listrada, de preto e branco, enquanto o quimono era preto e caía muito bem em seu corpo. O haori, possuía mangas longas, era de seda num tom de ouro envelhecido, destacava-se pelo belo bordado de crisântemos nas costas.

Ao ouvir os elogios de Minato, Sasuke sentiu-se corar. Ele se olhou no espelho e sorriu. Estava bonito, sentia-se bonito.

Em outro quarto, Naruto estava também em frente ao espelho. Ele se virou e perguntou para Itachi o que achava.

— Seu cabelo está ótimo. — Itachi respondeu.

— Só o cabelo? — Naruto girou o corpo, olhando novamente para o espelho.

— É claro que não. — Itachi cruzou os braços, apoiando o corpo no armário.

— Sasuke provavelmente está um gato nesse momento, mas até que eu não to ruim, né?

Itachi aproximou-se dele e arrumou a gola do haori para ficar simétrico. O tecido era mais grosso e de cor azul escuro, igual ao quimono, a hakama preta.

— Você está ótimo. — Disse Fugaku, quando entrou no quarto. Naruto virou-se e agradeceu. Eles conversaram mais um tempo, até que precisaram ir ao templo para não se atrasarem.

Alguns jornalistas estavam na entrada do Templo e quiseram falar com Naruto sobre o casamento. Ele sorriu para todos e trocou breves palavras sobre como estava se sentindo emocionado e depois pediu para que todos se cuidassem. Naruto acenou e subiu os degraus do templo na companhia de Fugaku e Itachi.

Um monge os recepcionou em um traje de cor alaranjada e a cabeça raspada.

Eles caminharam atrás do monge até a sala do templo reservada ao casamento. Passaram por um belo lago de carpas e subiram por uma ponte de madeira vermelha em formato de arco.

Naruto sorria a todo momento. Ele sentia o coração calmo, era uma sensação de estar realizando um dos melhores momentos de sua vida. Quando chegou numa das sala, encontrou-se com Sasuke em pé ao lado de Minato.

Sasuke virou-se e viu Naruto, ele sorriu olhando-o.

— Você está lindo. — Sasuke caminhou devagar em sua direção e Naruto estendeu a mão, retribuindo o elogio. Naruto acariciou o rosto de Sasuke, perguntando como ele estava se sentindo. — Feliz.

— Isso é ótimo. — Naruto segurou a mão dele bem forte e devolveu o sorriso.

O monge conversou com eles por alguns minutos. Suas palavras confortaram os corações acelerados dos noivos, pedindo proteção para eles naquela nova vida.

Eles entraram juntos no salão do templo.

Naruto não tirou os olhos de Sasuke ao longo da cerimônia, quando eles se juntaram aos convidados e o monge iniciou o ritual. Eles ficaram de mãos dadas, e apenas soltaram os dedos entrelaçados quando foi oferecido um copo quadrado de madeira com saquê, que simbolizava a força, a flexibilidade e a coragem do casal. Sasuke e Naruto beberam três goles cada um, era bem pouco então Sasuke não sentiu muito o gosto forte.

Naruto sorriu, e piscou para ele. Desde que conheceu Sasuke, sentiu-se atraído por sua pessoa. Pela beleza dele, pelo seu caráter e sua inteligência. Sasuke despertava em Naruto um desejo de ser melhor, de cuidar e um amor que parecia só aumentar e se fortalecer conforme o tempo passava.

Estavam no final de abril, era o dia que eles haviam começado a namorar há um ano. Pensar em tudo o que aconteceu até chegarem ali, era como se tivessem vivido tantos anos juntos naqueles meses.

Os dois caminharam pelo templo para fazer sua primeira jornada como um casal, enquanto Sasuke segurava a mão de Naruto, sentindo-o quente. Os noivos podiam ler seus votos naquele momento, após acenderem os incensos no altar. Naruto agradeceu a Sasuke por ele ter entrado em sua vida junto com Tamaki. E desde então ele se sentia um homem mais completo e amado.

Sasuke sentiu uma lágrima despontar nos olhos, estava emocionado pelas palavras de Naruto. Ele havia escrito seus votos na semana anterior, mas não leu, ele olhava para Naruto e apenas sentia que nenhuma palavra poderia traduzir o que sentia naquele momento.

— Eu não tenho mais medo de amar, de mergulhar de cabeça nos sentimento, porque por você eu sei que vale a pena.

Eles fizeram uma saudação com uma reverência, e as alianças foram abençoadas, antes de poderem colocar no dedo.

A recepção após o casamento foi na hospedaria, uma mesa com comida e bebida foi disposta no jardim, onde os convidados participavam da comemoração. Shikamaru compareceu a cerimônia, acompanhado de sua filha, Saki. Temari não pode viajar, porque a filha dela e de Tenten estava com febre.

— Mas ela já foi medicada e está melhor agora. — Shikamaru comentou, enquanto dava os parabéns para o casal.

Naruto e Sasuke receberam também os parabéns de amigos e familiares que não puderam comparecer na cerimônia. Tobirama havia enviado para eles uma cesta de frutas e um cartão com congratulações. Também receberam alguns envelopes com dinheiro dos convidados.

O almoço foi servido e eles comeram em uma mesa com os pais, Tamaki estava ainda apegada a Itachi, e sentou-se com ele para comer. Só na hora da sobremesa que ela se sentou ao lado dos pais. Tamaki usava um quimono azul claro, com um bordado delicado de flores. O cabelo dela foi preso com uma florzinha presa na lateral.

— Papai eu quero ir brincar agora. — Tamaki desceu do colo de Sasuke e correu na direção em que as crianças estavam brincando.

Sasuke ouviu os comentários emocionados de sua mãe, sobre como a cerimônia foi bonita. Kushina concordou, dizendo que fazia tempo que não via uma cerimônia de casamento tão cheia de amor.

Ele sorriu para as duas, e viu que seu pai não ficava para trás, ele também estava emocionado repetindo como foi bonito o que o monge havia dito na cerimônia.

— Meu pai até chorou. — Naruto disse, aproximando a cabeça de Sasuke. — Eu também quase chorei quando você falou seus votos.

Naruto segurou a mão dele fortemente por baixo da mesa e Sasuke o olhou carinhosamente.

Quando entrou no quarto, Sasuke sentia os ombros doloridos. Ele moveu a cabeça, passando a mão no pescoço e sentou-se na poltrona, esticando as pernas. Logo depois, Naruto entrou no quarto acompanhado de um dos empregados da hospedaria, que o ajudou a trazer um balde de gelo com bebida e a cesta de frutas que ganharam.

Assim que a porta foi fechada, Naruto olhou para Sasuke, notando a expressão cansada dele. Sasuke esticou as mãos na sua direção, pedindo para ele se aproximar.

Naruto sentou-se no colo dele e o beijou na testa.

— Foi um dia cheio, não é? Está cansado? — Naruto perguntou, os dois entrelaçaram os dedos da mão.

— Eu estou bem, mas essas roupas pesam, estou com calor. — Sasuke riu baixo. — Você viu como a Tamaki estava bonita?

— Tá brincando? Eu tirei um monte de foto dela. — Naruto deu uma risada. — Quando fizermos nosso casamento no campo, ela podia usar aquelas roupinhas de dama de honra, o que acha?

— Naruto, acabamos de casa.

— Eu sei, mas prometemos fazer o casamento brega dos meus sonhos. — Ele puxou a mão de Sasuke e a beijou. — Eu me casaria com você todos os anos se pudesse. Vou mimar muito meu marido, todos os dias.

— Gosto disso. — Sasuke disse, enquanto Naruto se levantava do colo dele.

— Ontem eu te prometi algo não foi? — Naruto segurou as mãos de Sasuke e ele ficou em pé. — Ou, se preferir, podemos descansar.

Sasuke o abraçou, levando as mãos para os ombros de Naruto.

— Eu não estou assim tão cansado, e também não bebi na festa. — Sasuke crispou os lábios, enquanto Naruto ria para ele. — Eu me recordo muito bem do que você falou ontem.

—Tem certeza? — Naruto deu alguns passos em direção da cama, suas mãos apertavam ao redor da cintura de Sasuke. Ele o beijou nos lábios rapidamente, então o direcionou para a cama.

— Lembro de tudo, e quero o que me prometeu.

Naruto o beijou lentamente os lábios macios de Sasuke, ansiosos pelo beijo mais intenso. Os quimonos que vestiam eram a única coisa que impedia que eles caíssem na cama. Sasuke ajudou Naruto a remover o haori, ele passou as mãos pelo tecido do quimono e o beijou, antes de terminar de ajudar a tirar as peças.

Naruto, por sua vez, não parecia ansioso, os dedos dele moviam calmos, a mão carinhosa, sempre sendo atencioso ao ajudar Sasuke, que se sentou na cama. Naruto removeu a calça que ele vestia e alisou a sua perna, passando pelos joelhos até a coxa. Ele deitou Sasuke na cama, beijando-o no abdome até o tórax, acariciando os mamilos e os chupando em seguida.

Sasuke gemeu baixo, excitado pelas carícias em seu corpo que estremecia com o toque apaixonado.

A mão quente de Naruto deslizava entre suas coxas, depois envolvendo o pênis e o massageando, acariciando também os testículos, enquanto mordiscava o mamilo de Sasuke. Ele arfou, conforme o desejo aumentava em consonância as carícias ousadas de Naruto, que o beijava na virilha, passando a língua sobre a pele arrepiada.

Naruto levou o pênis de Sasuke a boca e o chupou intensamente, ouvindo os gemidos fracos se tornando cada vez mais audíveis, recordando-o em seguida do que havia prometido.

— Eu não me esqueci. — Naruto falou, assim que se ajoelhou na cama. Sasuke tinha uma boa visão do corpo dele nu, excitado e com um sorriso malicioso ao se deitar sobre o seu corpo e voltando a beijá-lo. — Mas, antes, eu quero beijar você inteiro.

E foi isso que Naruto fez, ele beijou o corpo de Sasuke, passando a mão quente por toda a sua pele, sentindo a agradável sensação daquele toque macio e de como um simples roçar de pele causava no marido uma expressão mais retorcida, um gemido mais longo, e um pedindo para não parar.

Eram beijos e carícias que Naruto proporcionava e se deliciava em ver como o corpo de Sasuke era receptivo ao seu toque, à sua boca, e a sua língua que resvalava sobre cada parte daquele corpo estremecido.

Naruto não estava preocupado em quanto tempo aquilo poderia demorar, ele apenas demonstrava seu amor, e sentia prazer ao proporcionar em Sasuke um momento que pudessem conhecer seus corpos.

Sasuke gozou antes mesmo de ser penetrado. Sua boca se abriu, ofegante, os olhos pequenos na direção de Naruto, com as maçãs protuberantes e coradas. Ele respirava acelerado, quando se sentou no colo de Naruto, o beijando euforicamente.

Naruto segurou-o pelo pescoço e retribuiu o beijo, a língua movia-se vigorosamente, enquanto eles sentiam o calor dos corpos. A penetrá-lo completamente, Naruto ouviu um breve suspiro.

As mãos de Sasuke se apertavam ao redor de seus braços, ele também movia o corpo e rebolava, à medida que o sentia mais fundo.

— Naruto. — Sasuke mordeu o lábio inferior, o gemido escapou entre dentes e ele foi deitado na cama em seguida. Naruto o penetrou novamente, acelerando as estocadas conforme Sasuke estendia os braços e virava o rosto.

Naruto podia ver a linha lateral de seu queixo mais rígida, a expressão de deleite dar lugar a sua face corada. O suor que escorria do pescoço e os cabelos negros que grudavam na testa, que contrastava com sua pele.

Naquele momento Naruto fechou os olhos, o quadril movendo mais uma vez contra o corpo de Sasuke. Ele gozou, deitando-se sobre o marido, as mãos buscando as de Sasuke e entrelaçando os dedo, ainda dentro dele.

Um beijo carinhoso foi depositado na testa suada de Naruto, Sasuke foi quem se levantou primeiro e foi até o banheiro. Ele ouviu a porta se abrir e Naruto encostou-se na porta do banheiro, cruzando os braços, enquanto o olhava pelo espelho.

Ele não disse nada, apenas o abraçou e continuou olhando sorridente para o espelho. Estava muito feliz, e bastava ver o sorriso de Sasuke para se sentir completo.


Notas Finais


Ufaaa quanta coisa aconteceu, qual sua parte favorita?
Beijos, até mais, tá acabando aeee


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...