História Procura-se um príncipe - Capítulo 6


Escrita por:

Visualizações 49
Palavras 807
Terminada Não
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Na floresta...


Fanfic / Fanfiction Procura-se um príncipe - Capítulo 6 - Na floresta...

Capítulo 6

Jimin: - Pa-ra-de-cha-mar-se-us-a-mi-gos! - Disse enquanto tampava a boca dela com a mão.

S/n : - munomunuuum!!! - tentando falar com a boca tampada.

Enquanto calava a S/n, ficamos abaixados atrás da árvore. O barulho só aumentava. Até que surge entre os arbustos vários lobos. Então era realmente uma matilha.

Os lobos rosnavam uns para os outros como se disputassem quem iria nos estraçalhar primeiro. Nosso esconderijo foi descoberto pelos lobos ,que nos rodeavam. Quanto estávamos aceitando nosso destino ouvimos um forte uivo ao longe. E por mais incrível que pareça a matilha se dissipou nos deixando a sós. Foi então que percebi que estava muito calor e alto me apertava pelos meios. Meu rosto ficou da cor da minha calça (vermelha) quando olhei para baixo e vi o que me apertava. Era a S/n, que me abraçava como se eu fosse um travesseiro.

Jimin: - Ei! Já que os lobos não me mataram, você vai me matar no lugar deles?

S/n : - Idiota! - Disse soltando Jimin.

Jimin : - Tá, deixa pra lá. Vamos embora. Vamos pegar o cavalo que deixei perto do rio.

Ajudei-a se levantar. Fui apoiando-a em meus ombros até encontrarmos o cavalo.

Jimin : - Vem! Vou te ajudar a montar no cavalo.

S/n : - Eu não preciso mais da sua ajuda.

Jimin : - Ok! Boa sorte na sua subida ai.

Cruzei os braços e fiquei observando. S/n deu umas cinco voltas ao redor do cavalo, deixando ele e eu tontos. Até que ela parou de um lado e ficou me olhando de cara feia.

Jimin: - Sobe logo que eu quero ir embora. Tô com fome e com frio.

A cara dela ficou mais feia depois que falei isso. Me aproximei sorrindo e ajudei ela a montar no cavalo. Montei também e fui na frente para guiar o cavalo. Sempre que o cavalo acelerada o trote sentia as mãos dela me agarrando com força. Queria correr mais com o cavalo só pra ver sua reação. Provavelmente ela ia me bater. Mas sou daqueles que perde o coleguinha mas não perde a piada.

Quando chegamos em casa fomos acolhidos pelos pais da S/n. Ambos me agradeceram por eu ter a trazido de volta. Então pude finalmente comer e dormir.

S/n (on)

Ainda estou assustada com o que aconteceu e meu tornozelo ainda dói. O pior de tudo foi ter sido salva pelo Jimin. E ainda ter que aguentar suas gracinhas inconvenientes. E a vergonha por tê-lo abraçado daquele jeito. E depois sobre o cavalo. Minhas mãos não obedeciam. Que raiva! ( esperneando de raiva)

Já está amanhecendo e eu nem cochilei. Mais uma vez estou com olheiras. Levantei e estou me arrumando para ir trabalhar na feira. Minha mãe entra no quarto.

Mãe da S/n : - Você não está pensando em ir para a feira hoje né?

S/n: - Claro que sim, mãe.

Mãe da S/n : - Você não tem jeito mesmo. Nem vou discutir.

Minha mãe saiu do quarto e eu continuei me arrumando. Embora fosse trabalhar não queria sair do quarto até que o Jimin e meu pai saíssem. A vergonha estava me dominando.

Jimin (on)

O dia amanhecer. Depois de comer um pouco , o senhor e eu partimos para o palácio. Mais um dia meu como aprendiz. Mais um dia meu com aquele uniforme. Mais um dia de investigação. E algo me dizia que hoje finalmente descobriria alguma coisa.

Chegando no palácio, coloquei meu uniforme e já começaram a pedir que eu servisse vinho à rainha e seus convidados. Quando entrei no salão onde estavam me deparei com um dos velhotes que faziam parte do Conselho real em Silla ( povoado onde cresci). Embora tivesse certeza de que ele não me conhecia fiquei nervoso ao ponto das minhas pernas fraquejarem. Junto com o velhote estavam a rainha e o general dos woodalchi. Acho q era uma reunião.

Rainha: - Não era para ele ter sumido. Isso acabou com nossa estratégia.

Velhote do conselho: - Vossa alteza quem poderia imaginar que teríamos um traidor entre nós?

General: - Reconheço que a estratégia era boa. Mas não acredito que Vossa alteza tenha aceitado fazer isso com seu próprio herdeiro. / afrontoso ele/

Pude ouvi um trecho da conversa e fiquei extremamente intrigado. Tão intrigado que dei uma leve tropeçada na barra do meu uniforme. Fazendo com que os copos de vinho tremessem ameaçando cair. Foi então que todos eles me notaram ali, escutando. A rainha parou os olhos em mim como se eu fosse uma pedaço de pão Velho e ela uma mendiga esfomeada. Sou horrível fazendo comparações, mas foi assim que me senti.

Enquanto servia o vinho a rainha ainda me olhava fixamente. Será que ela percebeu que eu escutei parte da conversa?! Terminei de servir o vinho, reverenciei e sai rápido dali. Eu realmente precisava teorizar sobre o que escutei.


Notas Finais


Obrigada por ler essa viagem kkkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...