História Procura-se Virgem - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Jihyo, Jungyeon, Mina, Momo, Nayeon, Personagens Originais
Tags 2yeon, Chaeyoung, Drama, Jeongyeon, Jihyo, Mina, Momo, Nayeon, Romance, Taeyeon
Visualizações 72
Palavras 1.132
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ficção, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Erros serão corrigidos depois.
Boa Leitura.

Capítulo 2 - Capítulo 2.


" Procura-se Virgem " 

Isso soava como um anúncio de sacrifício humano. Provavelmente casar-se com a Yoo mais nova, seria tão divertido como ser jogada dentro de um vulcão. Na verdade, ela deve ser aborrecedora ao extremo. Depois de tudo, que tipo de personalidade poderia ter, se a moça precisava que seu pai procurasse uma esposa para ela? Tinha pensado que, se fosse pouco atraente, deveria ter sido capaz de encontrar alguém disposta a casar-se por todo o seu dinheiro. Claro, isso é o que estariam comentando com este anúncio, e provavelmente funcionaria. A maioria das pessoas encontrava na riqueza uma grande atração, embora Nayeon não. Achou difícil acreditar que a filha concordaria com algo parecido com isto. 

Yoo Jeongyeon ia deixar tranquilamente que seu pai escolhesse uma esposa para ela? E como um pai sugere uma ideia como essa? Podia imaginar o Sr. Yoo convocando uma reunião com seu pessoal e discutindo calmamente os passos a seguir para a caçada de uma noiva. Provavelmente, pediu uma análise estatística para determinar a porcentagem de virgens disponíveis na população ao redor de Seul, e um relatório de mercado para decidir o que poderia atrair a faixa etária apropriada. Nayeon negou com a cabeça, reprimindo uma risadinha.

__ Então, como tem sido tudo? __ perguntou. 

__ Bom, o Sr. Yoo esteve sugerindo a Jeongyeon casar-se há um tempo, mas como algumas das solteiras de sua idade, parece estar resistindo. Acredito que é só para irritar seu pai, mais do que qualquer outra coisa. 

__ Omma tenho certeza que esta garota só quer irritar o pai dela.

__ Às vezes me pergunto isso. De qualquer maneira, Jeongyeon só retornou na semana passada. Lembra que lhe disse que foi dirigir um projeto no Japão? E seu pai tentou específicar quando ia encontrar uma esposa. Bem, possivelmente Jeongyeon esteve pensando sobre este assunto, sabe, porque sua amiga perdeu um irmão recentemente e às vezes isso faz pensar pra onde vai sua vida. Realmente pensamos em nossa história. 

__ Muito tarde, Omma. __ Nayeon sorriu, as ela continuou totalmente alheia a seu comentário zombador.

__ Jeongyeon disse ao pai que não se casou ainda porque está procurando uma mulher que esteja... é... guardando-se para o casamento. __ Sua mãe ignorou o gemido de desaprovação de sua filha. __ Guardando-se? Meu Deus. Há mulheres que pensam assim? Credo. Essa tipinha deve ter saído da Idade Média. __ Isso explica porque continua disponível aos trinta e um anos. Também quer uma mulher que esteja perto da sua idade? 

Nayeon traçou com um dedo ao longo do contorno do avião representado em sua xícara de café púrpura. 

__ Aposto que não há muitas mulheres com essa descrição ao redor. 

__ Exatamente este é o ponto. Por isso você seria tão perfeita.

Nayeon apertou os olhos com força. Já esperava ouvir isso. 

__ Por que acha que eu cumpriria os requisitos? 

__ Oh não seja boba, querida. 

Nayeon incomodava-se com o fato de que sua mãe pensasse que a conhecia muito bem. Mas a admirava nisso. Valorizava muito sua proximidade e sua mãe sempre pôs sua fé nela, sempre a tinha feito acreditar em si mesmo. Ao contrário de seu antigo padrasto. 

__ Acredito que Jeongyeon seria perfeita para você. 

__ Quer dizer que acredita que seu talão de cheques seria perfeito pra mim?! 

__ Querida não há nada de mal em casar-se com uma pessoa rica. 

__ Se essa fosse a única razão para casar-se com ela. __ Tomou um gole de café morno. 

__ Até agora, não encontrou uma boa razão para casar com ninguém ou até mesmo namorar, se fosse o caso __ queixou-se, __ mas acredito que uma vez que conheça Jeongyeon poderia não se casar pelo dinheiro.

__ Então me diga. 

__ Ela é maravilhosa. __ Havia um tom persuasivo na voz da sua mãe. 

__ Ótimo. Assim me casaria com ela por esse aspecto. __ Bateu a xícara na mesa. 

__ Não é isso o que quis dizer. 

__ Omma, sabe o que sinto pelos ricos.

A voz de sua mãe suavizou.

__ Sei querida, mas tem que lembrar, seu antigo padrasto era só um homem. Nem todas as pessoas ricas são como ele. __ prosseguiu sua mãe __ e pessoalmente posso garantir que Jeongyeon não é. 

Oh, não vemos o mundo da mesma maneira. Todas as pessoas ricas são egoístas e famintos de poder. Assim é como chegam a ser ricos. 

__ Não quero falar disso. 

Nayeon poderia perceber um som do outro lado da linha, provavelmente sua mãe brincando com uma caneta, como sempre faz enquanto fala no telefone. 

__ Querida, se você tentasse conhecer Jeongyeon... 

__ Não comece com isso outra vez! Não quero conhecê-la e definitivamente não quero me casar com ela. 

Nayeon pegou o espanador vermelho que estava na sua frente e se inclinou sobre a mesa acidentalmente esbarrando na sua xícara e derramando algumas gotas de café no jornal. Pegou alguns lenços faciais da caixa na mesinha e secou as gotas do líquido escuro. __ Como sabe se você não?...

__ Deixe de me pressionar. Por que de todas as maneiras quer fazer isso com sua única filha e uma estranha? 

__ Jeongyeon não é uma estranha.

__ Pra mim ela é. __ chiou Nayeon.

__ Esta bem, fique calma. Olhe vamos esquecer todas estas tolices agora. Não nos vemos há muito tempo. Por que não vem ao centro da cidade e almoçamos? 

__ Não tenho tempo, omma. Tenho uma aula que começa há uma hora. Entretanto, passo ir está noite. 

__ Por que não vem mais cedo para o almoço, então? __ Sua voz mudou de novo para esse tom razoável e persuasivo que fazia bem. __ Se chegar aqui às 11h 30min, poderíamos terminar a tempo. 

Por que Nayeon tem sempre a sensação que sua mãe tá tramando algo?

__ Não sei. __ Deu uma olhada a seu relógio. Dez e meia. __ está muito em cima da hora omma. 

__ Olhe tenho que ir. Estarei em uma reunião em cinco minutos. A gente se ver às onze e meia. Por favooooor? 

Tinha passado mais de uma semana desde que se encontraram. Nayeon tinha cancelado o jantar na terça-feira passada porque teve que trabalhar até tarde. Ela suspirou. __ Esta bem, omma. 

__ Obrigada, querida. E... Nayeon... vista algo bonito ok? Não a jaqueta de couro e calças jeans de costume. Gostaria que estivesse apresentável quando viesse ao meu escritório. 

Nayeon começou a ter dúvidas.

__ E não muito chamativo. Uma saia preta com uma blusa branca bonita seria apropriada. 

__ Omma... 

__ Adeus, querida. Tenho que ir. 

Ela desligou antes que Nayeon pudesse terminar seu protesto. Como é possível que alguém que amava fosse tão chata? Telefonou para o trabalho para verificar seu período da tarde. Então foi tomar banho e vestir uma saia escura com uma blusa branca. 




Notas Finais


Até logo. 😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...