História Procura-se Virgem - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Jihyo, Jungyeon, Mina, Nayeon
Tags 2yeon, Chaeyoung, Drama, Jeongyeon, Jihyo, Mina, Nayeon, Romance, Taeyeon
Visualizações 39
Palavras 1.710
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ficção, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Erros serão corrigidos depois.
Boa Leitura.

Capítulo 3 - Capítulo 3.


Nayeon chegou ao edifício do escritório de sua mãe às onze e quinze, registrou-se na recepção do saguão e pegou o elevador livre pela primeira vez. Passou a mão no cabelo preso com um prendedor dourado e algumas mechas soltas. Este penteado, outro pedido de sua mãe, para vestir-se de maneira conservadora, causou um peso em suas costas junto com uma dor de cabeça. Talvez devesse mudá-lo, pensou, no momento em que as portas do elevador se abriram. Muito tarde. 

__ Nayeon aí esta. __ A mãe ficou esperando no oitavo andar e entrou. __ Tenho que deixar uns papéis no escritório executivo antes de ir. ___ Apertou o botão para o vigésimo segundo andar. 

__ Não pode fazer isso quando voltarmos? __ Nayeon não queria chegar tarde. As portas se fecharam e o elevador começou a subir.

__ Só será um minuto. 

Ela olhou a roupa de Nayeon criticamente, mas não disse nada. Ficaram em silêncio todo o caminho até o topo. Nayeon puxou a bainha do casaco . Tentou deixar de lado os sentimentos de estar inadequada, que acompanhavam a ideia de visitar o escritório de uma pessoa rica como os Yoo. Não deixar-se intimidar. Quando saiu do elevador, Nayeon olhou ao redor, sentindo-se um pouco aflita apesar de sua determinação. Grandes palmeiras em vasos de barro se interpunham entre cada coluna do elevador e luxuoso tapete verde salvia cobria o chão. Uma mulher loira e esguia estava sentada atrás de uma mesa cor nata com um toque de rosa claro nas nervuras da madeira. Olhou sua chegada e sorriu. 

__ Olá, Taeyeon. Como está? 

__ Estou bem, obrigada. Tenho algo para Jeongyeon. 

Agitou a pasta de papel pardo na mão. __ Ela esta aqui? __ Olhou ao seu redor com expectativa. 

__ Não, esta mudando para seu apartamento hoje. Já a conhece. Não deixará nas mãos dos funcionários da mudança. Tem que se encarregar de tudo. Ela não confia neles, queria dizer, Nayeon pensou. Típica atitude de pessoas desse ar. __ É uma pena que não chegou dez minutos antes. __ continuo a mulher. __ Ela pegou o envelope de sua mãe e olhou a etiqueta. __ Ela precisa disto rápido? Posso enviar pelo mensageiro. 

Enquanto sua mãe e a secretária dos Yoo discutiram os detalhes do envio dos documentos, Nayeon se aproximou da sala de estar passando pelo balcão da recepção. Janelas do chão até o teto cobriam um lado da parede e duas poltronas de couro. Nayeon ficou olhando a cidade só seus pés, o brilho branco de uma aeronave nas claras profundezas do céu sob a luz do sol da tarde chamou sua atenção. 

Oh, caramba! Ela não tinha verificado se Puff, seu avião favorito, estaria pronto para sua aula a uma em ponto. Tinha reservado o Puff na semana passada, mas o avião esteve em manutenção regular e encontraram alguns problemas. Nayeon abriu sua bolsa pra pegar seu celular, mas não estava ali. Deve ter deixado carregando em casa. 

Olhou a seu redor por um telefone e, quando não viu um, dirigiu-se de novo a mesa da secretária. __ Tenho que fazer uma ligação rápida. 

A mulher indicou coma mão o telefone do escritório. __ Vá em frente. __ Clicou no botão ao lado da etiqueta " Linha 2 " e empurrou o telefone para a beira da mesa. Nayeon se aproximou e discou o número do aeroporto. 

__ Olá, Jihyo? É a Nayeon. __ afastou-se da mãe e da secretária. Em seguida encostou-se na beira da mesa. 

__ Olá, Nayeon. O que foi? 

__ Não estou certa se tem um aeroplano para minha aula à uma. 

__ Está reservada com George o britânico, certo? __ perguntou Jihyo e Nayeon murmurou uma resposta afirmativa. __ deixe-me ver.

Ouviu o clique das teclas. 

__ Puff está escrito aqui. 

__ Sei, mas estava na revisão conforme ouvi.

__ Ah, claro, aquela coisa de pingar óleo. Espere.

Nayeon ouviu o grito de Jihyo com alguém no fundo e um momento depois voltou para o telefone. __ Não tem problema. Esta tudo preparado.

__ Obrigada, Jihyo. Vejo você mais tarde. 

Nayeon desligou o telefone e virou-se pra ver um homem em um terno azul marinho descer do elevador. Levantou-se e arrumou o casaco. Seus penetrantes olhos castanhos rastreavam sua roupa do pescoço até a bainha e franziu a boca em uma careta.

__ Sr. Yoo. __ A secretária se levantou com o envelope de sua mãe e um par de pastas na mão. __ Tenho alguns recados para entregar antes da reunião desta tarde. 

O homem assentiu com a cabeça e a mulher se afastou rapidamente. Seu olhar posou na sua mãe. 

__ Taeyeon. __ disse. __ Está é uma nova empregada que devo conhecer? 

__ Não, Sr. Yoo. É minha filha, Nayeon. 

__ Então, finalmente está aqui, certo? Bom, vamos senhorita. Teremos uma pequena conversa. 

__ Não, sinto muito, Sr. Yoo, __ respondeu. __ Omma e eu estávamos saindo para o almoço e a verdade é que não tenho muito tempo.

__ Bobagem, __ Ele pegou o cotovelo de Nayeon e a conduziu para a porta do escritório. O que a fez semicerra os olhos enquanto olhava de novo para mãe, em silêncio pedindo que a tirasse dessa situação. Sua mãe enviou um olhar suplicante. Aquele olhar que implora para não criar problemas. Nayeon sabia que não podia ignorar esse olhar. Suspirou, sabendo que tinha sido enganada. Sua mãe tinha planejado isto desde o começo? Ou estava simplesmente se aproveitando da oportunidade? 

__ Sentem-se, __ disse o Sr. Yoo, indicando as cadeiras em frente a ele, Taeyeon se sentou, deixando para Nayeon o assento ao seu lado. 

__ Então Taeyeon, está é a filha que tem me falado tanto. __ Yoo circulou ao seu redor, inspecionando cada detalhe de sua aparência, das mechas levantadas de seu cabelo escuro, até a ponta de seus sapatos vermelhos. 

__ Ela certamente é tão bonita como afirmou. Perguntava-me, sabendo que através dos olhos de uma mãe...

Nayeon sentiu que seu rosto corava. O elogio foi muito superficial, parecendo como uma avaliação dos ativos do ano, e aquilo deixou-a muito irritada. Manteve a boca fixa e bem fechada, lembrando que se tratava do emprego de sua mãe e não queria que ela se metesse em problemas. Custou muito ser convincente. 

__ Eu sei o que quer dizer, Sr. __ Sua mãe sorriu, como se o elogio fosse dirigido a si mesma. __ E é muito inteligente, também. Tem diploma universitário. 

Suas sobrancelhas arquearam. __ No que? Economia Doméstica? Nayeon ferveu ainda mais. 

__ Francamente, Sr. __ respondeu a mãe. __ Sabe que as mulheres hoje em dia fazem mais que ficar cuidando da casa. Olhe pra mim. 

Nayeon gemeu por dentro. Sua mãe trabalhava no departamento de pessoal, uma área onde as mulheres eram bem aceitas. Apostava que se tivesse duas na parte técnica da empresa Yoo, seria muito. 

__ Deixe que a garota fale por si mesma, Taeyeon. Nayeon? 

__ Tenho um diploma em Matemática com opção em Engenharia. 

__ Humm... __ Seus olhos semicerrados, filtravam ceticismo. 

__ Engenharia Mecânica. __ esclareceu. 

Este homem recordava o seu antigo padrasto. Havia zombado de seus esforços na escola. Sempre a fez sentir-se como uma tola incompetente, mas apesar disso, ela seguiu na universidade, no campo que nada menos que um homem, e seu sonho de carreira estava ao seu alcance. 

__ Então é engenheira? 

__ Não. Não exatamente...

__ Ganhou um diploma e depois não usou? __ Ele semicerrou os olhos. __ ouvi falar das mulheres que vão a universidade para ganhar o SRA.

Em outras palavras, para encontrar um marido. Nayeon se levantou e tomou um grande fôlego, disposta a lançar uma corrente de palavras em resposta, mas sua mãe a segurou pelo braço e a fez sentar novamente. 

__ Nayeon não é assim. Ela é o tipo de pessoa que gosta de estar bem preparada para tudo o que a empreende. Quer ser uma piloto comercial. E se isso não funcionar, suas habilidades irão ajudá-la a conseguir outras coisas. 

Yoo negou com a cabeça. __ Nada disso realmente importa. Ela não terá uma carreira se for casar com minha filha, não por um tempo. Entretanto, ser inteligente é bom. Jeongyeon não gosta do tipo burra. 

Seu estômago se contraiu em um nó apertado, duro. 

__ Se casasse com sua filha? Acredita que estou aqui por esse anúncio estúpido? __ Dizendo isto Nayeon ficou em pé, dando um passo fora do alcance de sua mãe. __ O que quer dizer se eu...?

Yoo lhe cravou um olhar desafiador __ Bem, já sabe que não vai conseguir a posição automaticamente. Quero ter certeza que é apropriada antes de apresentar vocês.

Apresentar-me a ela? Meu Deus. Parecia que ia ser uma espécie de presente. 

__ Bom você pode... 

__ Nayeon, por favor. __ As palavras de sua mãe cortaram o que teria sido uma resposta muito grosseira. Falava suavemente meio de propósito vendo que os volumes assim exigiam. Em seu olhar " Faça o que eu falo ou te estrangulo " Nayeon a olhou. Se este homem disser mais uma coisa que ofenda... 

Apenas o Sr. Yoo cruzou as mãos sobre a mesa e a olhou diretamente, avaliando. 

__ Suponho que cumpra os requisitos. 

Nayeon ficou rígida e respirou fundo, pronta para sair. 

__ Sim, ela cumpre. __ interrompeu sua mãe. 

__ E por que isso? 

Nayeon piscou, admirada com sua audácia. __ Como disse? 

__ É muito estranho que uma mulher atraente não foi para cama com alguém. Tendo em conta a moral dos jovens de hoje. Há algo de errado com você? 

Errado? ERRADO COMIGO? Este homem esta procurando uma esposa virgem para sua filha, entrevistando as mulheres em seu escritório e estava perguntando se havia algo de errado com ela? 

__ Tudo isso está! __ replicou Nayeon. __ Não tenho que aguentar isso. __ Girou sobre seus calcanhares e marchou para porta. 

__ Querida, espere! __ as palavras de sua mãe foram atrás dela quando passou pela recepção, pelos elevadores até as escadas. Correu escada abaixo, sem da tempo de sua mãe alcança-lá. Tirou o prendedor da parte de trás da cabeça e o meteu no bolso da jaqueta deixando que o cabelo caísse livre pelos ombros, se tudo desse certo, Nayeon seria capaz de escapar do edifício sem ter que enfrentá-la.

 



Notas Finais


Próximo capítulo Jeongyeon aparece.

Até logo 😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...