1. Spirit Fanfics >
  2. Profecias >
  3. Viagem ao submundo (Sardes)

História Profecias - Capítulo 49


Escrita por:


Capítulo 49 - Viagem ao submundo (Sardes)


Fanfic / Fanfiction Profecias - Capítulo 49 - Viagem ao submundo (Sardes)

Nova Jerusalem

 

Sardes On

 

Tudo agora estava como deveria estar, sem criaturas sem influências negras, nunca havia sentindo um ar tão puro no ar desde que estive no paraíso, mas agora era o paraíso na terra, só existiam energias boas, a dor, o ódio, a depressão não existiam mais, a opressão e influências negras havia chegado ao fim e todos conseguiamos respirar em liberdade.

Muitos se sentavam aos pés de Cristo ouvindo-o falar de suas parábolas e de todo o seu percurso ao longo dos séculos, outros aproveitavam os belos jardins floridos e as suas casas que cheiravam a paz e a jasmim, para mim o ar cheirava a alecrim.

Ela saiu de perto de Cristo e com o seu manto branco trajado se jogou em meus braços e me deu um beijo profundo, Jezabel então me disse:

- O que você acha, agora que tudo terminou, nada nos impede de casar e sermos felizes para sempre. - Seus olhos brilhavam como esmeraldas e suas faces estavam rosadas. - Eu sei que o homem é que deve pedir, mas eu teria todo o gosto em ser a senhorita Sardes, sua esposa. - Entao antes que eu pudesse responder ela me deu um abraço apertado aguardando uma resposta.

Espera, vc escolheu ser salva a nois antes.. Pensei que apenas queria isso não queria mais nada comigo.

Vc sabe bem o que sinto por vc, e qual a minha escolha será nisso. Mas é mesmo isso que vc deseja? Pensa, olha nos meus olhos e me diz

Ela olhou em seus olhos e disse: Sim Sardes, agora que tudo passou só quero dedicar meu tempo a você e ser sua esposa. É isso que eu quero.

E você quer construir uma vida comigo?

 

Vc sabe bem que sim. Não sacrifiquei tudo, não fiz tudo o que fiz por vc, apenas porque sim não acha

Jezabel sorriu um sorriso sincero e com os olhos lacrimejantes ela o beijou intensamente e disse entre beijos: você é tudo o que eu queria, o suficiente para eu ser feliz, aliás, (ela o beija de novo) mais que suficiente.

De repente interferência se uns zumbidos tomam conta da minha cabeça e ouço uma voz que mais parecia de contact center "Bom dia Sardes. Você tem uma mensagem da eternidade, quer recusar ou aceita?"

Meu amor me dá so um minuto não sei que, se passa aqui. (quem é que me ta chateado?)

Tudo bem... (Ela disse ficando para trás um pouco) Dou alguns passos e ouço uma voz familiar no outro lado "Olá Sardes. (Soluça). Me desculpe estar assim com essa voz mas eu só queria saber de você, estava preocupada e Nelson nem aproveita a mô festa que está havendo, estamos os dois aqui meio de luto sabe? Eu perdi ele... Bem, eu soube que você pode vir aqui em baixo onde estamos presos, bem... se quiser vir nos ver, será bem vindo. Bem.. (soluço) estou indo, saudades meu amigo. Tiatira"

(... Muito bem passarei aí)

(meu Deus festas... Está se tudo se comendo)

Amor, me chamaram..... Sua irmã.... Quer que eu vá visitar ela

Tia? Ah entendo, ela perdeu o amor dela deve estar devastada. Tudo bem, vai lá... Mas se cuida por favor, aquele lugar estão presos toda a maldade que estava espalhada pelo mundo inteiro. Todas as pessoas más, todos os negros, por favor, tome cuidado. E dê cumprimentos à Tia e meus sentimentos, mas que posso dizer? Estava escrito o destino dele.

Ela devia estar aqui connosco, mas verdade é que não mandamos no coração e eles tinham uma história. (Baixei o rosto com dó da minha irmã, beijei Sardes e dei um cafuné em seu rosto) Vai lá... Mas não fique por demais, é perigoso lá em baixo.

(Abraço ele bem forte como se fosse fazer uma viagem longa e não voltasse mais)

Eu te amo mais. (E o beijei)

Então, voltei para a minha tenda, fechei os olhos e imaginei a eternidade. Em alguns minutos estaria lá.

Na eternidade

 

Tiatira On

 

Eu não tinha como aproveitar aquela festa, Nelson estava em cima de um rochedo com a cabeça entre as pernas, eu não quis incomodá-lo e o deixei sozinho com sua dor, agradeci ao intermediário entre mundos por ter entregue a mensagem e me encostei na porta das ruínas onde estava acontecendo a festa nojenta no interior com humanos e criaturas misturadas.

Vi passando por mim meu pai que ergueu uma sobrancelha para mim: Aqui for a com uma festa rolando?

Você sabe o quanto odeio festas, e quanto sinto falta dele. Isso sem Luce já não é nada, isso sem ele é como… sopa sem sal… como abelha sem mel… como….

-Me poupe isso criança. - Meu pai rolou os olhos. - Vai fazer uma outra coisa qualquer então de útil, você é uma Lady da corte comece procurando outro rapidinho a não ser que queira ficar para titia mil anos. - Ele sorriu e Halphas que ia ao seu lado ficou para trás e disse: Gus, eu já vou. Me espera no quartel general.

 

Eu me senti mal com o que meu pai disse, quem me dera ter uma cara familiar por ali, meu amigo, alguém… Luce… Eu queria ter ido com você, porquê tiraram minha vida? PORQUE TIRARAM MINHA VIDAAAA? Eu gritei sem reparar que Halphas estava ali de pé me encarando.

Fiquei se joelhos soluçando com as mãos na cara. - Ele... se...foi... ele está preso, ele deve estar sofrendo queimando, meu Luce... VIDA.... me roubaram minha vida a alma inteira vocês não sabem como é minha dor mas não quero vossa pena não. (Solucei) Como se tivessem…

Meu próprio pai zomba de mim... Eu... Minha vida acabou.

Halphas me puxa pelo braço e me tira do chão e me encosta na parede como se eu fosse um soldado e me encara com cara fechada como me julgando igual meu pai.

Cobri meu rosto novamente não queria que ele me visse chorando, sua expressão suavizou e ele tirou as mãos do meu rosto e me encarou nossos olhares se cruzaram.

- Halp... Ele... se... foi…

Sim ele se foi... Vc sabia que iria ser assim tia. Vc sabia disso. Mas vc ainda me tem a mim e ao seu amigo Nelson ali

Ele se foi ! (Eu me joguei nos braços dele chorando em seu ombro sem ele me convidar para isso)

Você... você... não está na festa? (o encarei com os olhos cheios de água)

Não não estou na festa, como podia estar numa festa sendo que vc está aqui

O que eu tenho a ver com a festa? Meu sofrimento não precisa ser partilhado com você. Não depois... depois de eu te rejeitar e te deixar sair por aquela porta e escolher ele. Eu não merecia mais sua atenção, eu não mereço nada. (Comecei a chorar de novo) Me perdoa…

E depois... (Estava me soltando dele) Vem esses sentimentos que nunca os perdi... Custa, me doi, sabe? Estar... assim...

Tao junto a... (olhei o nos olhos e desviei o olhar ficando de costas para ele) junto a você.

Vc escolheu quem gosta, apenas isso. Fez o que tinha de ser feito.

Vc amava ele fez o que era seu destino.

Eu senti e sinto o mesmo por vc. E estou aqui para te apoiar. Não irei a festa nenhuma.

Ah irá sim. - Respondeu um dos aliados dele soldado que estava assistindo a cena e me empurrou na direção dele com tanta força que ele caiu e eu fiquei por cima dele. - Viu? Já podem começar a festa. - Ele saiu rindo dali e nossos olhares ficaram fixos um no outro e eu nem reparei que estava praticamente montada em cima dele. - O... que.... (Por favor não me olha assim... Não me toca... Não me toca... ).



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...