História Professor Sem Classe - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias The GazettE
Personagens Aoi, Kai, Reita, Ruki, Uruha
Visualizações 29
Palavras 1.387
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bem gente, me desculpem pela demora, mas aqui está mais um capitulo. Espero que gostem!
Boa leitura!

Capítulo 4 - Chapter IV


Ai senhor. Não superei ainda e acho que nem vou superar. Que homão da porra! Esse eu tenho que agarrá-lo com todas as forças, porque do tipo dele está em extinção. É lindo, rico, gentil, super simpático. Que maravilha! Pacote completo!

Eu nem estava dando atenção a estes alunos asquerosos que eu tenho, nem movi um dedo para pegar meu livro e passar lição na lousa, eu também não tenho giz, então irão ficar sem nada hoje, porque não estou com cabeça para explicar matemática nenhuma, só estou com cabeça para pensar no novo professor. Que Deus abençoe um homem desses.

-Você e você. Vão buscar a TV, iremos assistir filme hoje. -  Disse a dois alunos. Quase toda sala adorou, menos uma vadiazinha insensível, nerd de um figa! Como eu queria matar essa garota!

-Não pode fazer isso. Esqueceu que hoje teria prova? Estudamos muito, como você mesmo pediu. Não acha isso um insulto?

-Insulto é você ter nascido. Primeiro, o professor aqui sou eu e eu dou aula do jeito que eu quiser! Se estiver insatisfeita, vá para outra escola. Quem aí quer assistir filme? - Perguntei a classe e todos levantaram a mão. - E quem aí quer fazer prova? - Somente ela levantou a mão.

 -Diferentona. -Cruzei meus braços. -E segundo, eu estou sem giz e hoje é sexta feira, mereço descanso.

-Mas você...

-Sem mas. Pelo amor de Deus, vão buscar essa maldita TV, por favor, antes que eu corte o pescoço dela fora.

-Não é a toa que te chamam de Takanás.

-Ta resmungando ainda, garota? 

Francamente. 

No dia que eu decidi ser professor de matemática, eu deveria está cheio de maconha no rabo, para escolher essa maldita profissão. Que absurdo!

Os alunos trouxeram a TV, colocaram um filme e eu fiquei cochilando até que aquela bosta acabasse. Parece que a cada dia piora, eles não me dão a chance de ser mais amigável, só querem ir para o lado errado. Problema é deles, não estou perdendo nada com isso.

...

-Essa merda já acabou? - Perguntei sonolento. - Ok, guardem os livros debaixo de suas mesas, irei dar prova. - Ficaram malucos com isso. Eu adoro provocá-los. 

-O que é isso agora? Terceira guerra mundial? Vou pegar um giz na sala ao lado. - Fui correndo na sala de Akira.

...

-Toc, toc! Poderia me emprestar um giz? - Eu dizia sorrindo.

-Olha ele aí. Pessoal, este é o professor mais gentil que conheci. - Dizia Akira. - Todo mundo olhou para o lado. Que isso gente. 

-Mas é claro que eu empresto. Aqui está. - Caralho, olha esse sorriso. 

-Muito obrigado. Pessoal, se comportem na aula dele, ok. Tchauzinho, nos vemos mais tarde. - Mandei uma piscadela a ele.

-Até mais Matsumoto sensei. - Disse ele assentindo.

Bastou eu retornar para minha sala e o meu cenho fechar.

-Irei passar 10 questões. Boa sorte. Vocês vão precisar.

Assim que terminei de colocar as questões na lousa, deixei aqueles idiotas se virarem com a prova e desci até a sala dos professores para tomar um cafezinho. Pra minha sorte, acabei encontrando Kai. 

-Kai, ainda bem que você está aqui. Você viu como o meu futuro marido é lindo? Senhor, se eu te contar o que me aconteceu...

-Conte tudo! Eu quero saber tim tim por tim tim! 

Puxei Kai na conversa e lhe disse o que me aconteceu. Kai estava todo feliz, disse ainda que será nosso padrinho de casamento. Deus te ouça, Kai, Deus te ouça. 

-E você? Não vai dar aula hoje, rapariga? -O indaguei.

-Daqui uns 45 minutos. -Disse ele.

-Que sorte, eu terei 4 aulas naquela sala. E por falar nisso, vou já subir, para observar meus dragões.

-Que horror! Não fale assim deles. 

-Poderia me dar um pouquinho de sensibilidade? Estou precisando.

-Vai cuidar da sua classe, hm?

-Ah, eu não quero. - Disse, fazendo birra.

-Taka, hoje é sexta. Anime-se!

-Vou ficar animado, só quando eu ter esse Akira pra mim e ficar uns 10 centímetros mais alto. - Rimos. - Vou lá. 

-Nos vemos mais tarde. 

-Espera Kai. Será que eu poderia levar uma xícara de café pra ele?

-Caraca, você está levando a sério mesmo, hm?

-Não tenha dúvidas. - Rimos.

...

E lá fui eu com uma xícara de café para o meu amado, as expectativas estão maior que eu.

-Oiii!!! Sou eu novamente! Vim trazer uma xícara de café para você. - Entrei na sala sorridente.

-Oh! Muito obrigado Matsumoto-sensei! É muita gentileza sua. - Sorria ele, em seguida dando uma golada no café. - E está do jeito que eu gosto!

-Veja só, que maravilha! Bem, não vou atrapalhá-lo agora, mas qualquer coisa é só me chamar aqui do lado.

-Ok. Muito obrigado mais uma vez.

-Ah, que isso. Disponha!

Saí rebolando e voltei para minha sala, encontrando Uruha sentado em minha cadeira.

-O que faz aqui? - Disse puxando-o pelo braço para que saísse de minha cadeira.

-Bem, você estava ausente, hm? Onde estava?

-Agh! Fui tomar um café para acordar e aguentar mais umas horas de tortura, algum problema pra você? -Respondi seco.

-De forma alguma. Mais uma coisa...

-Tem mais? Bem deixe para me dizer depois. Meus alunos estão tendo prova e tenho que tirar as duvidas deles, ok? Obrigado, de nada. 

Embuste de pernas longas! Esse cara me irrita! 

-Muito bem, alguma duvida aí? - Perguntei a classe.

-Nenhuma. O professor Uruha, já nos ajudou. - Ai que menina mais insolente!

-Eu já disse que te odeio? Muito bem, terminem logo essa porra.

-Mas, que linguajar é este? 

-O linguajar de alguém que não aguenta mais essa escola. Está bom assim ou quer mais? 

...

Demorou, demorou, mas finalmente estou metendo o pé daqui. Quatro aulas numa sala só é muito mais do que tortura, é pagar todos os pecados. 

Já na sala dos professores, dou de cara com Uruha novamente, mas atrás dele o novo professor vinha todo sem jeito pegar suas coisas para ir embora também.

-Olha ele aí. E então, gostou do seu primeiro dia? - Indaguei.

-Com quem você está falando? -Perguntou Uruha. Apenas uma revirada de olhos minha, já respondeu sua pergunta.

-Foi maravilhoso, me diverti bastante. - Respondeu Akira.

-Oh! Então você é o novo professor! Seja bem vindo, sou professor Uruha! - O universo adora conspirar contra mim.

-Nossa! Akira sentiu o clima pesar de repente? Eu sempre achei que nessa sala tem alguma maldição que suga as energias dos outros. - Eu dizia olhando para Uruha. - Cuidado Akira-san! -Akira estava sem entender nada, coitado. -Já estou indo. Bom fim de semana pra você. - Sorri, apertando sua bochecha direita.

-Ah...Obrigado. Pra você também. - Sorriu.

Esse Uruha ainda me paga.

NO ESTACIONAMENTO...

-Taka, porque você demorou tanto? -Dizia Kai, entrando seu carro.

-Saia já desse volante. Deixa eu dirigir, eu quero ir para o mundo da lua por alguns instantes.

-Tudo bem, mas tenha cuidado. Tem certeza que não quer me dizer o que está acontecendo?

-É o Uruha! Ele me irrita e já está dando de cima do meu Akira! 

-Taka...

-Você acredita que ele disse "oi" para o meu Akira?! Ele também estava sorrindo maliciosamente para o MEU Akira! Eu vou matar aquele projeto de pato mal desenvolvido! - Kai apenas ria.

-Pelo amor de Deus, Taka. Você nem sabe se ele é solteiro e já está cantando vitória antes do tempo.

-Você tem razão. MAS ISSO NÃO VAI FICAR ASSIM! - Saí cantando pneu.

-Taka, por favor, devagar!

Assim que saí do estacionamento, eu e Kai vimos um carro de luxo e nele estava...Não pode ser! É sério isso?

-KAI, OLHA AQUILO ALI! EU VOU MATAR O URUHA!!! Dá pra acreditar, que o Akira já está dando carona pra ele?! Mas que pato aproveitador! É como dizem, as aparências enganam. Só se faz de bom amigo, mas é uma verdadeira cobra. Você deveria se afastar dele.

-Taka, pare com isso! As coisas tem que ser feitas com cautela! E respire, nada irá dar certo pra você com esse estresse todo. Só estou te dando um conselho. Muita calma nessa hora.

-Eu não nasci pra ter calma! Quem tem calma, não consegue nada. Se eu pudesse, pagaria alguém para matar aquele pato maldito.

-Só um aviso, sua missão será complicada de ser sucedida.

-Por que está dizendo isso? Você sabe de alguma coisa?

-Não Taka, você já entendeu o que eu quis dizer. Você conheceu ele hoje, vá com calma por favor. 

-Eu vou tentar tá legal. Mas eu vou me encher de maconha pra ficar zen, porque é a única forma que eu me desestresso.

-Jesus Cristo...

Irei descansar esse fim de semana, mas esperando ansiosamente pela segunda-feira. Tenho dó daquele pato coxudo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Esse Taka não perdoa kkkkkkk
Espero que tenham gostado!
Beijos e até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...