História Professora da minha irmã - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello
Personagens Camila Cabello
Tags Camilacabello, Camren, Fifthharmony, Laurenjauregui
Visualizações 423
Palavras 1.830
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei, tudo bom com vocês????

Temos aqui mais um para vocês...

Eu espero que gostem, e sabem né, qualquer erro desculpem❤

Boa leitura😘

Capítulo 29 - Capítulo 29


Pov: Camila: 

...

- Não pode trancar a saída docinho! - Falou com o rosto muito próximo do meu.

- Camila! - Falei tentando sair de seus braços sem sucesso.

- Chega Lauren, eu não aguento mais! - Falou. - Eu não quero mais ficar sem você! - Sussurrou.

- Desculpe, mas não vamos voltar! - Falei, tentando parecer o mais firme possível, por mais que minha vontade de beijar ela até amanhã estivesse grande.

- Está saindo com Zyan? - Ela perguntou.

- Oque? Claro que não! - Falei.

- Eu vi vocês dois juntos, estavam cheios de sorrisos! - Falou.

- Não estou saindo com Zyan! - Repeti.

- Fica comigo! - Pediu. - Por favor... Eu estou enlouquecendo sem você, até drogas eu tive que usar... Lauren... porra eu usei cocaína, você não pode me deixar! - Ela dizia, parecia desesperada.

- E você acha que eu estou bem? - Perguntei.

- Parece super bem, até pra balada com Zyan você veio! - Falou deboxada.

- Eu não vim com Zyan! - Falei.

- Eu não entendo... você disse que me amava droga! - Esbravejou.

- Mas eu te amo! - Falei.

- E resolver mostrar isso me deixando? - Perguntou. - Olha parabéns! - Disse sarcástica.

- Eu te deixei por consequências de atitudes suas, não coloca a culpa em mim! - Pedi. Estava sentindo uma enorme vontade de chorar mas estava segurando.

- A culpa é sua, estou nessa droga de balada sem conseguir tirar meus olhos de você, porque você chegou e mexeu com a porra dos sentimentos que eu nem sabia que tinha! - Ela disse com algumas lágrimas saindo de seus olhos.

Eu não conseguiria dizer algo nem que eu quisesse.

- Cami... - Eu ia dizer mas ela me interrompeu.

- Eu te amo porra, isso não basta? - Perguntou.

- Você estava me sufocando com todo aquele ciúme! - Falei.

- É errado eu te querer só pra mim? - Perguntou olhando nos meus olhos.

- Eu estava só com você! - Falei.

- Mas terminou comigo... Eu estava tentando mudar! - Falou. Eu já disse para vocês o quanto ela é linda?

- Eu nunca te dei motivos para você surtar daquela forma! - Falei.

- Mas... você queria que eu fizesse oque? Eu via eles com segundas intenções pra cima de você e não aguentava! - Ela disse.

- E você acha que era certo quase me bater por isso? - Perguntei.

- Eu nunca, escute... NUNCA machucaria você! - Ela disse dando ênfase no nunca.

Nos encaramos por alguns segundos, ela aproximou seu rosto do meu, tanto que nossos narizes te tocavam.

Encarei os lábios dela, eu não posso mas me parecem tão convidativos.

Quando vi que ela iria me beijar, virei o rosto, senti ela soltar o ar pela boca, mas ela continuou com o nariz, agora, na minha bochecha.

- Por que? - Ela sussurrou.

Eu sentia que a qualquer momento eu poderia chorar, acreditem negar isso está doendo no fundo da minha alma.

- Por que não me beija? - Sussurrou passando seu nariz agora em meu pescoço, onde senti ela puxar o ar.

Ela depositou um pequeno beijo ali, senti meu corpo arrepiar, droga!

As mãos dela seguravam firmemente na minha cintura.

Ela subiu para minha bochecha e roçou seus lábios ali.

- Lo! - Ela choramingou. Eu não posso virar o rosto! - Por favor... - Pediu, sentir os lábios dela tocando minha bochecha não ajudava em nada. Eu estou com tanta saudade.

Meus olhos começaram a lacrimejar, eu queria tanto abraçar ela e encher ela de beijos... Mas eu não posso, eu sinto medo de amanhã acordar e ela surtar.

Ela tirou uma das mãos da minha cintura e colocou na minha bochecha, puxando meu rosto, fazendo eu ficar encarando os olhos dela.

Ela encarava meus lábios descaradamente.

Ela se aproximou, tentei virar o rosto mas ela deixou a mão segurando o mesmo me impedindo de virar.

Senti os lábios dela roçando nos meus, senti as borboletas voltando aos poucos para minha barriga.

Fechei meus olhos e me permiti, ela não esperou mais nada e atacou.

O beijo já começou com uma urgência incrível, nós duas estávamos morrendo de saudade.

Ela tirou a mão da minha bochecha e a escorregou para meus quadris, apertando o local.

Se ela não tivesse me segurando tão firme, eu teria caido.

Tentei me afastar mas ela não permitiu, me apertou contra a parede.

Eu nunca vou saber explicar todas as sensações que ela me causa apenas com um beijo.

Separei nossos lábios, ela não se afastou, ficamos com nossas testas coladas.

Abri meus olhos e pude ver os dela ainda fechados enquanto ela respirava fundo e acariciava meus quadris.

- Você não sabe o quanto eu senti falta disso! - Ela disse, eu queria dizer que eu também senti muito, mas fica mais fácil ir embora se eu não dizer nada.

- Camz... Eu tenho que ir! - Falei. Ela finalmente abriu os olhos e me encarou.

- Você está brincando não está? - Perguntou. Neguei com a cabeça. - Depois de me beijar você vai ter coragem de continuar longe de mim? - Perguntou incrédula.

- Nós... Terminamos! - Sussurrei.

- Nós? - Perguntou. - Eu não terminei nada, quem terminou foi você! - Falou.

- Eu preciso ir! - Falei.

- Por favor, me diz que vamos nos ver... Me diz que vamos repetir esse beijo! - Camila falou. Eu já estava sentindo uma vontade enorme de chorar.

Senti que ela estava se abaixando, olhei para ela confusa, ela tinha se ajoelhado na minha frente abraçando minhas pernas.

- Camila... Levanta! - Falei a puxando para cima, tentando fazer com que ela levantasse.

- Por favor Lolo! - Ela pediu chorando.

- Levanta, não precisa disso! - Falei tentando fazer com que ela levantasse.

Algumas pessoas nos encaravam confusas, meus olhos já estavam cheios de lágrimas.

Me abaixei também, ficando de joelhos de frente para ela.

A abracei forte enquanto ela chorava compulsivamente abraçada em mim.

- Não chora, por favor! - Pedi sentindo as lágrimas caindo dos meus olhos.

Ela me apertou em seus braços, eu estou me sentindo tão mal por vê-lá assim.

Eu podia ter recebido ela nas vezes que ela foi me procurar, mas eu não o fiz. Eu não me sentia pronta, e estava chateada.

Eu pensei apenas em mim e em meus sentimentos, não me coloquei no lugar dela e agora estou vendo ela chorar como uma criança na minha frente e sentindo uma culpa absurda.

Ela levantou a cabeça e me encarou, os olhos castanhos tão tristes e o rosto molhado por lágrimas.

- Por favor... me dá mais uma chance? - Falou.

- Camila, já não estava nos fazendo bem! - Falei.

- Eu quero mudar, eu vou tentar, mas por favor não me deixa! - Pediu.

- Eu tenho medo! - Confessei.

- Medo de que? - Perguntou. - Acha que machucaria você? - Perguntou parecendo incrédula.

- Quando você surta, parece que sim! - Falei.

- Eu não machucaria... jamais! - Ela disse.

- Eu não estou preparada para voltar, não estou segura! - Falei.

- Você não gosta mais de mim! - Ela afirmou.

- Claro que eu gosto Camila! - Falei. Ela me encarou.

- Você não me quer mais! - Sussurrou.

- Eu não quero mais a Camila que surta e a Camila machista e controladora , a Camila maravilhosa que conheci eu quero e muito! - Falei.

- Como faço para te ter de volta? - Perguntou.

- Pense só um pouquinho, você sabe! - Afirmei. - Preciso ir, se cuida e por favor não volte a usar aquelas coisas! - Pedi.

Deixei um beijo na testa dela, e me levantei, ela levantou também, saímos de dentro da boate juntas.

Mas seguimos caminhos diferentes, ela foi para um lado e eu por outro.

Quando cheguei em casa, enviei uma mensagem para Lucy e fui tomar um banho, eu precisava relaxar e dormir.

...

Pov: Camila:


Acordei no outro dia ouvindo barulhos vindo da cozinha.

Me levantei rapidamente e fui até lá para ver oque era. Era minha mãe.

- Mãe? - Perguntei. Ela me encarou.

- Eu tô morrendo de raiva de você, senta e come e depois conversamos! - Ela disse séria. Era muito difícil ver ela assim.

Apenas me sentei e comi oque ela tinha preparado, estava muito bom por sinal. Depois que acabei, fiquei sentada encarando ela.

- Tem algo para me contar? - Perguntou.

- Não! - Falei. Eu não sei oque deu nela.

- Tem certeza? Não fez nada de diferente nos últimos dias? - Perguntou. Porra ela descobriu sobre as drogas.

- Ah... eu não sei! - Falei nervosa.

- DROGAS CAMILA? - Gritou.

- Mama, eu posso explicar! - Falei.

- Explicar oque Camila? - Perguntou.

- Eu não te devo satisfação, eu sou bem grandinha, e não tô usando do seu dinheiro! - Falei irritada.

- Então esse é seu argumento? - Perguntou. - Estou muito decepcionada com você Karla Camila! - Falou.

- Eu não te pedi nada, apenas me deixe! - Pedi.

- Deixar minha filha usar drogas? Tem noção do que está pedindo? - Disparou.

- Não exagere, eu usei poucas vezes, não precisa agir como se eu fosse uma viciada! - Falei.

- Eu só quero saber, por quê? - Perguntou.

- Porque eu não parava de pensar em Lauren, eu ia enlouquecer e então eu procurei por algo que me fizesse parar e isso ajudou! - Respondi sincera.

- Isso só te faz mal, não ajudou, você acha que ajudou! - Falou.

- Eu já sei todas as consequências, eu não sou mais uma garotinha de 15 anos! - Falei.

- Eu vou marcar um psicólogo para você! - Afirmou.

- Não, você não vai! Eu estou bem! - Falei.

- Não, não está! Camila você usou drogas, você nunca precisou disso antes! - Falou nervosa.

- Foram 3 dias mama, eu não vou usar mais! - Falei. 

- Você não vai ter Lauren de volta fazendo isso, espero que esteja ciente disso também! - Ela falou.

Então saiu, sem se despedir ou sequer me olhar novamente. 

Eu dei de ombros e me preparei para ir dar uma volta no parque.

Estava no caminho e passei no bar, comprei um suco e um cigarro.

Eu nunca fui de fumar, fumei apenas para provar quando era adolescente, mas nunca tive o hábito. Agora me parece uma boa.

Cheguei no parque e sentei no mesmo banco de sempre, acendi um cigarro e ali fiquei.

Depois de alguns minutos, vi Lauren, ela estava colocando uma coroa de flores em uma garotinha que sorria, depois a garotinha saiu correndo, creio eu, para mostrar aos pais oque tinha ganhado.

Lauren me viu, mas não veio até mim. Fiquei encarando ela e ela sentou perto do lago. Eu levantei, joguei meu cigarro no chão e pisei em cima e então caminhei até ela me sentando ao lado dela.

- Não sabia que você fumava! - Ela disse sem me olhar.

- Nem eu! - Respondi e sorri mas ela não.

Ficamos em silêncio, eu queria falar tantas coisas mas eu não sabia por onde começar.

- Minha mãe foi me ver hoje! - Falei. - Ela ficou sabendo sobre eu ter usado drogas! - Falei e ela me olhou.

- Fui eu! - Ela sussurrou.

- Você oque? - Perguntei.

- Eu contei a ela! - Falou.

- VOCÊ OQUE? POR QUE FEZ ISSO? - Gritei.

...



Notas Finais


Eita eita eita

Acham que Lauren errou em ter contado para a Sinuh?

Será que vem treta? Ai ai ai meu Deus!

Vocês querem Camren de volta?👀

Até o próximo capítulo... para sabermos as tretas...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...