1. Spirit Fanfics >
  2. Proibido >
  3. Diferente

História Proibido - Capítulo 12


Escrita por: Imagination

Capítulo 12 - Diferente


Diferente

 

- Eren voltaste em melhor estado do que imaginei. – Comentou o comandante Irvin ao cumprimentar o jovem soldado que depois de o saudar como devia, sorriu e estendeu a mão para cumprimentar o comandante. – Levi estou surpr… Levi?

- Hanji. – Murmurou o capitão perigosamente ao ver uns metros mais adiante, a mulher de óculos que mal o viu, começou a correr.

- Ah, vamos deixá-los, Eren. – Disse Irvin abanando a cabeça. – A Hanji deve ter feito alguma coisa que não devia. O Levi é do tipo que não esquece vinganças pessoais.

Eren apenas observava sem perceber enquanto Levi corria atrás de Hanji que entrou dentro do castelo enquanto alguns dos outros soldados também se divertiam com a cena. Tinham acabado de chegar e pelo menos, um deles mostrava estar com bastante energia. Tinham sido quase quatro longos meses de treinos, mas o rapaz de olhos verdes tinha a certeza de que agora não seria um incómodo e sim uma mais-valia. Iria ter a oportunidade de mostrar o seu valor, assim que marcassem a primeira expedição.

 

_*_Levi_* _

- Tu sabias que aquilo não era relaxante nenhum, Hanji! – Estava prestes a saltar por cima da mesa, dado que ela estava do outro lado com um ar demasiado divertido para o meu gosto. – Como te atreveste a mentir-me de forma tão descarada naquela carta?

- Ora, mas eu não menti.

- Como não?! Falaste em relaxante e aquilo mais parecia um afrodisíaco qualquer!

- A sério? Ele transformou-se? – Perguntou aquela cabeça oca completamente entusiasmada e claramente, a ignorar a parte em que estava com vontade de lhe partir alguns ossos. – Conta-me tudo!

- Não se transformou porque não deixei! Querias um Titã hormonal a correr perto de um vilarejo? Estás completamente doida?! – Bati na mesa com um dos meus punhos.

- Eu sabia que podias controlá-lo, Levi. Ele ficou assim tão alterado? Eu sabia que podia mexer um pouco com ele, mas imaginei que estivesse tão “morto” por causa dos teus treinos que provavelmente, não haveria problema.

- Claro… provavelmente! – Frisei a segunda palavra. – Cheguei a ter que apunhalá-lo para o acalmar, mas fora isso esteve tudo bem. – Ironizei.

- Ora Levi, basicamente espancaste o pobre do miúdo durante o julgamento há quatro meses atrás e queres que acredite que não o torturaste durante os teus treinos? Não que eu concorde, mas ele parecia-me bem. O que significa que ou é bastante resistente à dor ou as capacidades de Titã são mesmo fascinantes! – Juntou as mãos com o ar lunático de sempre. – Agora que o tenho cá, vou…

- Hanji. – Chamei a sua atenção. – Nessas experiências não estás a pensar em andar a testar indefinidamente a sua capacidade de regeneração, pois não?

- Preocupa-te? – Perguntou curiosa.

- Responde à minha pergunta.

- Já disse que não sou como aqueles da Polícia Militar. Obviamente que não o vou dissecar e muito menos pretendo que morra. Mas… - Fez um ar pensativo. – Uns pequenos cortes ao menos. Nem que seja no braço ou onde ele pensar que lhe dói menos. Quero ver o processo de regeneração. Tentar perceber como funciona.

- Hanji não o magoes mais do que necessário.

Pude ver como o ar divertido deixou a sua expressão e observou-me de um modo um pouco estranho.

- Estás mesmo preocupado com ele… - Ela disse perplexa.

- Simplesmente, não acho que o miúdo mereça ser torturado em experiências ao mesmo tempo que lhe dizem que a qualquer momento, deve estar preparado para morrer em combate. Diz-me… isso parece-te uma forma humana de viver?

- Claro que não, Levi. Nunca o torturaria. Quero sobretudo observá-lo e fazer-lhe perguntas. – Sorriu para mim. – Sei que no fundo te importas com as pessoas do nosso regimento, mas nunca pensei ver-te admitir isso assim tão abertamente relativamente a uma pessoa em específico. Se bem que eu entendo. O Eren é tão giro!

- Tch, não comeces com as tuas ideias estranhas. – Deixei-a a ter os seus delírios sozinha. O meu recado estava dado. Mais do que querer entender o que eram os tais antídotos que me tinha dado, queria mesmo que não sujeitasse o Eren a experiências como um rato de laboratório.

 

_*_Eren_* _

A maioria dos meus colegas com quem falei pareciam francamente impressionados com o facto de não ter chegado arrastado pelo Levi. Pensaram que fosse emagrecer, voltar traumatizado ou até nem voltar. Pelos vistos, tinha superado as expetativas de todos. Contudo, havia algo que continuava a notar. A maioria parecia amigável e não tinha problemas em sentar-se perto de mim ou mesmo dar-me palmadas no ombro.

No entanto, outros continuavam a olhar-me daquela forma que jamais esqueceria. Receio. Ouvira até comentários sobre se não devia estar pelo menos algemado sempre que o capitão Levi não estivesse por perto.

- Eren!

- Sim, capitão Levi? – Levantei-me assim que ouvi a sua voz.

- Vem, precisamos conversar.

- Sim, senhor!

Segui-o por alguns minutos, até estarmos numa área em que não passava ninguém. Iria falar-me da missão no exterior? Mas se assim fosse, podia ter falado à frente dos restantes soldados. Talvez, fosse recordar-me sobre como devia tratá-lo ali… se bem que até àquele momento, o tinha tratado com todo o respeito. Jamais o chamaria apenas pelo nome na frente dos outros. O que poderia ser além disso? Não… ele não ia pedir-me para andar algemado, pois não? Ou então pior, iria ter que fechar-me outra vez na cave para ficar à mercê dos olhares e perguntas estranhas da Hanji.

- Vais pegar nas tuas coisas e trazê-las para o meu quarto. Vais ficar comigo.

- Huh? Pensava que ia voltar para… - Comecei por dizer um pouco surpreso.

- Sou responsável por ti. Faz todo o sentido que fiques comigo e isso vai ajudar-me a controlar as loucuras da Hanji e também…outros idiotas. - Fez um ar mais irritado e puxou-me pela camisa para ficar à sua altura. Beijou-me de leve nos lábios. – Não és nenhum monstro, Eren. Não vou deixar que te algemem e não quero que oiças os comentários desses ignorantes. – Largou a minha camisa. – Eren? Estás a chorar porquê?

- Huh? – Limpei o rosto rapidamente. – Por nada… - Sorri ainda sentindo as minhas faces bem quentes. – Acho que só fiquei contente por ouvi-lo dizer isso. É que… não pensei que ver pessoas com medo de mim me afetasse tanto. Afinal, devia estar contente porque a maioria dos meus colegas parecem estar a aceitar-me, apesar de ter estes poderes estranhos.

Após um curto silêncio, Levi resolveu mudar de assunto.

- Pedi à Petra que fosse chamar os teus amigos. Querias vê-los, não era?

- O senhor vai deixar que…?

- Seria mais complicado fazer com que te deixassem ir lá, mas vir até aqui também não deve ser um problema para os teus amigos. Disse que podiam vir outros além da Mikasa e do Armin.

Sorri e tive vontade de o abraçar, mas sabia que alguém podia aparecer. Isso inevitavelmente, provocaria algum murro ou pontapé da sua parte e por isso, apenas disse:

- Obrigado, capitão Levi.

- Não precisas agradecer. – Virou-me as costas e começou a afastar-se, parando só por alguns segundos para me dizer. – Ah, assim que o Armin chegar diz que venha falar comigo. Quero tirar as minhas dúvidas.

- Huh? Dúv… - Lembrei-me do assunto a que ele se referia. – Por favor, capitão Levi… não lhe vai mesmo perguntar nada daquilo, pois não? Capitão Levi?

Sem resposta. Oh, isso não era bom sinal. Ele ia envergonhar-me à frente do Armin e provavelmente, deixar o meu amigo sem palavras. Suspirei. Bom, pelo menos ia poder ver os meus amigos e isso acho que compensava por toda e qualquer vergonha.

 

 

_*_Levi_* _

- O que queres, Hanji? – Perguntei ao ver o seu sorriso demasiado evidente, ao sentar-se ao meu lado. Sentado à frente de uma fogueira, via ao longe numas mesas o Eren conversar animadamente com os seus amigos que pareciam bem contentes por vê-lo.

- Isso foi mesmo muito simpático da tua parte, chamar os amigos do Eren. Não consigo deixar de ficar fascinada com a tua atitude. Pensei que como temos poucos dias antes da expedição, fosses continuar a treiná-lo.

- Ele fez um bom trabalho durante os treinos. Merece uma pausa. – Disse, bebendo um pouco do café.

- Hoje fiz algumas perguntas ao Eren, mas só amanhã é que vamos falar mais sobre o que ele descobriu mais sobre a transformação. – Disse, continuando a olhar para mim, embora o meu olhar estivesse agora focado nas chamas à minha frente. – Tentei com que ele falasse mal de ti. – Admitiu divertida.

- Como assim? – Perguntei irritado com aquela ideia.

- Ora, uma pessoa normal queixar-se-ia do que lhe deves ter feito nestes meses. Tudo bem que ele parece-me melhor fisicamente, mas à custa do quê exatamente? Mas… - Vi-a sorrir. – Ele estava feliz. Disse-me que foi uma honra ter sido treinado por ti.

- Tch… - Levei a mão à minha testa. – Se disser isso a sorrir a muita gente, vão pensar que fiquei demasiado brando.

- Paralisa agora, Levi!

Olhei para ela, arqueando uma sobrancelha.

- O que estás a fazer com essa cara de idiota a olhar para mim?

- Tu sorriste, Levi! Oh Deus, será que estás doente? – Tocou na minha testa e bati-lhe na mão.

- Pára com isso. Não sorri nada e eu não sou uma das tuas cobaias.

Ela riu.

- Estás diferente, Levi. – Afirmou, mantendo o sorriso estúpido apesar do meu ar de poucos amigos. – Quando estás ao seu lado, quando conversas com ele ou falas sobre ele, ficas diferente. Não é uma coisa má. Aliás, é uma coisa muito boa num mundo como este que temos.

Não respondi e continuei a encarar as chamas à minha frente. Ao longe, podia ouvir a sua voz que ecoava juntamente com as palavras da Hanji. Sim, não era uma coisa má. Era bom ter um sentimento daqueles num mundo mergulhado em desespero e morte.

Contudo, trazia consigo alguma ansiedade e até medo…coisa que odiava sentir. Medo de perder aquilo que me fazia comportar de forma diferente.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...