História Proibido; minseungin (2min) (Jeongho) (Seungin) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Stray Kids
Personagens Han Ji-sung, Lee Min-ho, Personagens Originais
Tags 2inmin, 2min, Jeongho, Jeongmin, Midcharyeong, Minjeong, Minseungin, Seungho, Seungin, Seunginho, Stray Kids
Visualizações 135
Palavras 1.428
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, LGBT, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Idade não interfere em porra nenhuma, seungmin e jeongin top sim, foda-se

Capítulo 1 - Único;;


Minho estava em uma situação tanto deplorável. Tinha seus tornozelos e pulsos presos, uma venda lhe impedia de ver o que acontecia no quarto entre seus namorados. Soltava resmungos bem baixinhos e manhosos pela sensação térmica de estar nu diante o ar frio que tinha no quarto. Seus pelinhos estavam arrepiados, sentindo as pontas gélidas dos dedos do Yang passearem por suas coxas até seu tronco, onde apertou e puxou um dos mamilos do Lee.  


— Bebê, quando falamos que não podia comer aquilo por conta de sua saúde, estávamos falando para o seu bem. Tsc. — o Kim começou falando bem perto de seu ouvido, uma vez que estava atrás do moreno. — Você sequer pensou em nos ignorar e comeu aquele bendito doce. — seu tom era indignado, porém com um pouquinho de pena. — Você foi um mau garotinho para nós e não toleramos esse tipo de comportamento. — explicou apertando a pele branquinha de sua cintura fininha, ato que deixou a marca das mãos grandes do ruivo. 


— M-mas, eu q-queria muito.. — tentou explicar-se sendo surpreendido por um tapa estalado em sua coxa, tendo um som consideravelmente alto saindo de seus lábios. 


— Não nos interrompa quando estivermos falando, ou vai ser inúmeras vezes pior. — a voz rouca e grave de Jeongin ecoou pelo quarto, se aproximando mais do mais velho, fazendo questão de segurá-lo por seus fios fazendo-o virar o rosto para si, mesmo não estando enxergando. — Você não aprende nunca? — passou os dentes pelo pescoço branquinho do próprio. — Ou será que faz para nos provocar. — ponderou entre as duas opções, enquanto sua destra apertavam a cintura de Seungmin ainda por cima de sua camiseta social, este que estava ocupado mordendo o outro lado de seu pescoço, alcançando sua clavícula.


Yang ao deslizar a boca pelo começo do peitoral alheio conseguiu juntar seu olhar ao de Kim, tendo seu olhar retribuído, como se combinassem algo, o que não era uma mentira afinal. E ao entrarem em conclusão, se afastaram do pequeno garoto, o deitando com suas mãos para trás. Podendo assim desfrutar da parte traseira de seu belo corpo esculpido por deuses. — Quantos docinhos daquele você comeu, amor? — o ruivo questionou, enquanto suas mãos acariciava as coxas do moreno. 


Um tapa estalou, para que assim respondesse mais rápido. — U-um só. — mordeu o lábio inferior, pois estava mentindo, era errado, mas naquele momento estava tão perdido que acabou por omitir a verdade. 


— Fale a verdade, Minho, caso contrário deixaremos você aqui e iremos nos divertir sozinhos. — era notável a diferença entre o tom de voz de Seungmin o tom de Jeongin. 


O ruivo tinha a voz suave, pois não sabia tratá-lo de outra forma que não fosse como bebê, já o do mais novo era rude e ditador, como se a qualquer momento fosse sugar sua alma.


— Seis. — respondeu com os olhinhos já fechados sentindo seu corpo estremecer apenas com as palavras ditadas pelos outros dois garotos. 


— Uau, isso é porque era apenas um. — o loiro ironizou, sentando sobre suas próprias pernas, ficando na posição anterior que o moreno estava. — Sem barulhos, se eu ouvir um piu não responder por mim. — avisou olhando para o ruivo sorrindo. Sussurrando "vinte e quatro" ao ar para que o mais velho não escutasse.


Era uma sentença pequena até, vente e quatro tapas sendo intercalados de apertos e carinhos pela polpa já bem vermelha com marca das duas mãos ali. Jeongin não tinha nenhuma piedade quando o assunto era punir seu garotinho, começava leve apenas para não machucá-lo de alguma forma, mas depois dava tapas absurdos, causando estalos altos e lágrimas descendo pelo rostinho delicado, que machucava os lábios de tanto mordê-los para que não soltasse nenhum barulhinho que irritasse os amado. Já o ruivinho tentava não ser absurdamente rude, apenas dava tapas ainda fortes, mas depois acariciava como se quisesse cuidar de seu garotinho, chegava até dar beijinhos pelas bandas com coloração avermelhada e em algumas áreas quase roxas.

Sem se importar com o loiro, Seungmin continuou com os beijinhos pela aquela área tão atrativa de seu Hyung, deslizando a língua no centro, onde deslizou o músculo molhado entre as nádegas alheias, sentindo-o arquear as costas com o rosto afundado no colchão. Se deitou meramente entre as pernas do outro, segurando firme em suas bandas, separando-as para dar o livre acesso para o seu buraquinho, que o Kim não hesitou em passar a língua pelas preguinhas levemente separadinhas as deixando bem meladinhas, sentindo suas calças lhe incomodar com aquela bela visão e ação. O loiro também não aguentava mais toda aquela tortura, fez sinal para que o outro saísse do meio das pernas do moreno para que então o colocasse de joelhos, levantando ainda em cima da cama e retirando sua calça, mostrando para o ruivo o que planejava. 

Logo os dois já estavam de pé naquele colchão incrivelmente fofo, enquanto acariciavam os próprios membros. Cansado de tanta enrolação, o mais novo pressionou a glande na boca do garoto amarrado, tendo o outro fazendo o mesmo, deixando Minho confuso, mas em seguida caindo na real, passando a língua pelas duas cabecinhas rosadas, tentando sugá-las de uma vez só, trazendo sensações únicas e inexplicáveis para ambos os dois garotos de pé. Com uma mão passou a acariciar o pau do loiro, enquanto se empenhava em chupar o de Kim, tendo seus cabelos puxados de forma bruta, tanto que até doía um pouco. Tentava ao máximo ser cauteloso, pois seus senhores não toleravam aquilo. 

Não demorou para que abandonasse o mastro do ruivo para dar atenção ao do mais novo, com sucções fortes e rápidas, causando suspiros do garoto que tentava o máximo não demonstrar o quanto gostava daquilo e dar aquele gostinho para o Lee. Este que agora revezava entre os dois paus, tentando sugar os dois de uma vez, sendo impedido de ver a face de prazer dos outros dois por conta da venda.  Era tortura, pois os dois jovens sabiam como o moreno gostava de observar tudo ao seu redor, entretanto, agora não via absolutamente nada que não fosse o escuro.

Seungmin aproveitou a posição do amado e andou até atrás de si, se ajoelhado na cama também, pressionando seu pau contra a entradinha do mais velho, que automaticamente se engasgou em um gemido de surpresa, sendo surpreendido por um tapa em seu rosto. Passou a estocar de maneira lenta, apenas para o começo, mantendo suas mãos firmes nos quadris de Minho que resmungava tendo sua língua bonitinha passeado pela extensão do Yang. 

Com o tempo as estocadas ganharam um ritmo rápido, fazendo o mais velho não ter mais controle de sua voz, gemendo de modo abafado por ainda estar chupando o loiro. Coisa que não durou muito tempo, pois este ao sentir-se perto se retirou da boca alheia, indo até Seungmin, o olhando e sorrindo, enquanto forçava seu pau contra o cuzinho e o outro pau que já abrigava ali, não tenho esforços absurdos já não era nem primeira, nem segunda vez e sim uma das diversas vezes. Suspirando com o aperto do interior quente alheio, ainda por cima sentia a pressão do outro pau contra o seu, causando assim mais prazer para ambos os três.

Com o tempo lágrimas molhavam o rostinho de Minho, que nem voz mais tinha por chamar o nome dos namorados várias vezes seguidas, por tamanho prazer proporcionado a si. As estocadas eram brutas e ainda faziam questão de estapear a pele do Lee que choramingava pela seção de tapas anterior.  Seu rosto estava atolado na cama, molhando o tecido de lágrimas salgadas e finas que caíam a cada nova estocada em que acertavam o pontinho pontinho sensível do garoto.

Gozaram não muito tempo depois, caindo por cima do mais velho exaustos. Suas respirações descompassadas, os batimentos cardíacos acelerado, ouvindo os choramingos baixinhos que o garotinho dava. 

Quando recuperaram o fôlego pegaram o mais velho no colo, guiando-o até o banheiro do quarto, tratando de colocar a banheira para encher de água quente, para que pudessem colocar o garoto ali, se acomodando depois, arranjando um jeitinho de ficar os três ali de forma confortável. 


— Agora falando sério, Hyung, você não pode comer aquilo, é chato ficar sem comer o que gosta, eu sei que é, mas para o seu bem, entendeu? — o loiro falou enquanto acariciava os fios do citado. — A gente ama você, Hyung. — deu um beijinho na testa dos dois garotos. 


— Eu também amo vocês. 


Notas Finais


final fofinho/chora


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...