1. Spirit Fanfics >
  2. Proibido para mim! (HIDAN) >
  3. Minha Sorte (Parte 01)

História Proibido para mim! (HIDAN) - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Oii gaticos e gaticas,
Demorei não é mesmo?
Mil desculpas!!!!
Quem me acompanha sabe que voltei a trabalhar e que dependo de metas, mas não se preocupem... Estou aqui!

Vim trazer esse capítulo que vocês tanto esperaram e quero dizer que agora as coisas vão mudar.

Prestem atenção em cada detalhe, tudo fará uma grande diferença na história.

Obrigada meu amores por sempre comentar e me acompanhar em tudo que faço... Vocês são incríveis!!!!

Enfim, Boa Leitura!!!! ♥️♥️♥️♥️

Capítulo 8 - Minha Sorte (Parte 01)


Fanfic / Fanfiction Proibido para mim! (HIDAN) - Capítulo 8 - Minha Sorte (Parte 01)

Pensamentos por Mia:


Acordei com meus olhos cansados e com meu corpo dolorido, notando que havia dormido ao lado das malas de meu marido.


-Droga! - Cocei os olhos e me levantei caminhando até o banheiro.


Minha fisionomia estava péssima, parecia estar a dias sem dormir e com certeza precisaria de muita maquiagem para disfarçar as olheiras escuras.


Tomei um banho relaxante e lavei meus cabelos no intuito de me sentir menos sobrecarregada, mesmo sabendo que aquilo não amenizaria em nada.

Assim que terminei, sai do banho e coloquei um roupão em meu corpo indo a cozinha tomar o café da manhã.


-Bom Dia Mia! - Disse Beatrice servindo a mesa.


-Bom Dia! -Encarei o local, que parecia mais vazio que o normal. - Está tudo tão silencioso! - Sussurrei.


-Logo tudo voltará ao normal, ele estará conosco em breve. Fique tranquila! - Se sentou. - Agora venha, vamos comer algo!


Tomamos o café e voltei ao meu quarto, coloquei uma roupa formal e óculos escuros.

Encarei meu celular que vibrava e abri a mensagem da pessoa que menos desejaria ver naquele momento.


Hidan:

Precisamos falar de negócios, seu marido não está, então acredito que você seja a responsável! 


Respirei calmamente e respondi a mensagem dizendo que iria até a empresa naquele momento.


(...)


Olhar para a vadia da Rin ali, bancando a melhor secretaria era péssimo.

Tentava manter a calma e não demonstrar a fraqueza que gritava interiormente em mim.


-Porque não me avisou que Mia estava aqui? - Hidan perguntou, invadindo o saguão e me vendo sentada, esperando me chamarem.


-Ela não falou comigo, não sabia o que fazer! - Bancou a inocente.


-Vamos Mia? - Ele a encarou com olhos mortais e me chamou, me fazendo caminhar até a sala. - Me desculpe pela Rin, ela é imprudente! -Riu.


-Disso eu já sei! - Me acomodei cruzando as pernas. - Ela ainda está aqui, apenas pela parte de Obito.


-Isso é um ponto interessante, na verdade mandar a secretariazinha embora pode ser uma boa. - Gargalhou e virei os olhos.


-Não quero que faça nada por mim Hidan, já deixei bem claro isso antes. - Cruzei os braços.


-Não se preocupe Mia, isso é para o bem da Empresa e não por você. Quer Whisky? - Colocou os dois copos na mesa. - Apesar que dá última vez, não foi tão legal te embebedar.


-Preciso assinar alguma coisa? - Fui direta e ele empurrou o copo para mim.


-Na verdade sim, gostaria de passar tudo ao seu nome antes que seu marido bata as botas. Assim você pode tomar as decisões como sócia!


-Você soa tão ridículo falando desse jeito, não deveria tratar um amigo assim. - Bebi um gole e sentei sobre a mesa. -Não vai me fazer te amar falando mal dele.


-Não quero que me ame! - Se levantou e agarrou meus cabelos pela nuca. - Você não tem nem mesmo amor próprio!


-Me larga idiota! - O empurrei pelo peitoral e ele Gargalhou.


-Enfim, vou mandar tudo por email e depois só passe para assinar com a secretária, já que eu sou tão idiota. - Virou os olhos.


Meu sangue parecia ferver e sai da sala com ódio nos olhos.


-Como está Obito? - A voz de Rin soou mais que irritante naquele momento, parecia ser um desafio.


-Porque quer saber? - Me aproximei lentamente e ela parecia me fuzilar.


-Porque ele é pai do meu filho, acho que estou no direito. - Cruzou os braços e me encarou de perto.


-Vadias não tem direito de nada! - Sussurrei a fazendo sentir meu hálito. - Vadias merecem morrer!


-Isso tudo é por não ser amada de verdade por ele? - Riu e ameaçou se virar de costas.


-O que você disse? - Tudo parecia ter ficado em silêncio e só a escutava.


-Foi isso que você escutou! Está surda agora? - Um sorriso se formou em seus lábios e meu corpo todo estremeceu.


Sai correndo em direção a ela e agarrei em seus cabelos a puxando para o chão, montei sobre sua cintura e comecei a disparar vários tapas em seu rosto.


-VADIAAAA!!! -Gritava com lágrimas nos olhos a vendo relutar.


-VOCÊ ESTA ME MACHUCANDO SUA MALUCA! - Sua voz era chorosa.


Naquele momento lamentava por várias coisas, por não ter prestado mais atenção nos negócios de meu marido, por não ter notado nada de errado antes e por ter me sujeitado aquela situação.


Meu ódio não era por perde-lo,mas sim por ter sido feita de boba, por pensar que poderia ser feliz ao lado de alguém que nunca me amou.


Alguém que só pensava no próprio nariz!



Pensamentos por Hidan:


Mia era imprevisível, eu odiava o modo como ela falava comigo.

Autoritária! Cheia de objeções e patadas, como se eu fosse apenas um bobo da corte e ela a rainha.


Terminei de beber meu Whisky e encarei o copo a minha frente com a marca do batom vermelho que estava em seus lábios anteriormente.


Enquanto sorria sozinho, escutei alguns gritos e me levantei caminhando até a porta e me deparando com uma cena que ao meu ver era engraçado.


-Você é boa de briga! - Falei encarando Mia estapear Rin que estava aos prantos no chão. - Não se esqueça de que ela está grávida!


Fiquei mais algum tempo ali, relaxado na parede encarando a cena das duas e apreciando as coxas expostas da morena.


Logo os funcionários se juntaram e uma moça se aproximou de mim me olhando preocupada.


-Separe a briga, ela vai fazer Rin perder o bebê! - Sua voz ecoou como um sino e eu finalmente acabei me dando conta.


-Porra, eu sou mesmo distraído! - Disse a mim mesmo, lembrando que havia dito a ela sobre Rin estar grávida e não ter feito nada. - Parem com isso já! Me ajude aqui Yahiko!


Separamos a briga e Mia se balançava em meus braços gritando horrores na frente de todos.


-Cale a porra da boca Mia, todos estão escutando! - Segurei seu rosto e tentei acalma-lá.


-Quero ir embora! - Seus olhos borrados pela maquiagem estavam tristes e ela parecia arrependida. 


-Vamos sair daqui! - A puxei e passei pela multidão. - Entra no carro! - Abri a porta e caminhei até o outro banco. - Você precisa se controlar!


-Eu preciso sair daqui! - Ela sussurrava. - Me leve para a sua casa!


-Não, eu não vou te levar para a minha casa! - Falei e ela me olhou nos olhos. - Tá bom, vou pedir um almoço mas depois você vai embora! - Assentiu.


Caminhei tranquilamente, apenas escutando seu choro durante a ida e pensando em como estava sendo bobo mais uma vez.


"Você não vai transar com ela!" 


Isso era o que meu subconsciente dizia mas meu coração pulava de alegria com a ideia de uma chance.


-Vamos, desça! - Descemos do carro e andamos até a entrada de casa. - Fique a vontade! 


-Estou com fome! - Disse tão baixo que quase não escutei.


-Vou pedir alguns lanches! - Ri e mandei mensagem para um delivery próximo.


-Posso assistir alguma coisa? - Ela se sentou no grande sofá e ligou a TV.


-Já está assistindo, não é? - Me sentei ao seu lado e passei os braços atrás de sua cabeça. 


-O que está fazendo? - Seu olhar era de reprovação.


-Apenas colocando os braços no sofá, não se preocupe, não farei nada que não queira. - Gargalhei.


-Porque não me disse nada sobre Obito? - Não me encarou.


-Não me meto em assunto de casal, isso é problema de vocês! -Desabotoei a camisa e a joguei, ficando apenas com o jeans.


-Você acha que Rin é melhor de que eu? - Agora me olhava curiosa e com medo.


-Não, eu já disse isso antes! Se eu pudesse Mia, te foderia pela casa toda, até você não aguentar mais. - Mordi os lábios e ela os encarou.


-Sexo não define amor! - Suas palavras me pegaram de surpresa e escutamos a campainha tocar. 


-Deve ser o lanche! - Me levantei e fui atender.


Depois de algum tempo conversando com o entregador que era conhecido, caminhei volta a sala e notei que ela dormia.


-Droga! - Suspirei e a observei. Ela parecia exalsta!


A peguei em meus braços e fui até meu quarto a deixando sobre a cama, coloquei um lençol sobre seu corpo e a senti me puxar.


-Fique mais um pouco Obito! - Sua voz era sonolenta.


Seus braços me envolveram e notei que estava agarrado a ela, encarando seu rosto sereno repousar em meu peitoral.


Ela era linda!



(...)


Acordei com meu corpo leve e notei que Mia não estava no quarto.

Andei por toda a casa e não a encontrei, ela havia ido embora.


-Puta que pariu! - Resmunguei baixo e olhei as horas no grande relógio de parede. - Não acredito que durmi tudo isso! - Notei que já se passavam das dezoito e caminhei até o banheiro afim de tomar um banho.


Lavei meus cabelos e passei todo o sabonete por meu corpo.

Olhei para o registro e havia uma calcinha vermelha por ali, talvez ela tenha tomado um banho antes de partir.


Peguei a lingerie e a cheirei, no intuito de matar minha saudade sexual daquela mulher.

-Não deveria fazer isso! - Resmunguei a mim mesmo, iniciando os movimentos de vai e vem dentro do chuveiro, apoiando uma de minhas mãos na parede e segurando meu pau com a outra. -Queria estar fodendo aquela vadia! -Gemi sentindo meu pau totalmente duro com meu toque.


Ao fechar os olhos pude a ver completamente nua sentando sobre mim.


-Como eu queria te comer vadia! - Sussurrava entre gemidos, fazendo com que meu orgasmo começasse a aparecer. - Ah, Gostosa!!! 


Senti mãos em meu pescoço e abdômen, me fazendo ficar estático e largar meu amiguinho.


-Deixe que faço isso para você! - Sua voz saiu como um sussurro em meu ouvido e me virei a encarando.


-Você não havia ido embora? - Perguntei a vendo tirar o próprio vestido.


-Estava no jardim! - Agarrou meu pau e me olhou sedutora. - Não sabia que era tão gostosa assim para você! - Se ajoelhou e a senti chupar minha Glande.


-Porra Mia! - Agarrei seus cabelos e ela parou.


-Vamos Hidan, você não disse que me foderia pela casa toda? - Riu. - Me prove que você aguenta!


Meu coração estava acelerado e aquela era a chance que eu precisava.

A chance da noite! 

E a faria virar minha sorte!


Notas Finais


Eai? Me de a opinião de vocês!!!!

Próximo capítulo quinta ou domingo?
Vocês escolhem!!!!
Beijos ❤️❤️😍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...