História Proíbido pra mim - Jikook - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys (BTS), Charlie Brown Jr, Hoseok, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Namjin, Namjoon, Proibido, Romance, Seokjin, Songfic, Taegi, Taehyung, Yaoi, Yoongi
Visualizações 46
Palavras 2.684
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Capitulo Dois



Shout-Korean

— Jungkookieeeh! Acorda

!Jungkook não contestou os gritos de seu pequeno irmão, era algo de sua rotina, seu pequeno e fofo despertador.

— Oh gguk, não acredito — fingiu um choro, o que fez o pequenino parar de bater em suas costas com o carrinho — Eu já vou, sim?

— Tá...a titia disse que se você se atrasar, ela vai colocar fogo no seu skate.

— Titia não é tão louca assim... não...ela realmente é, ok, diga pra ela que já acordei.

— Ok, capitão — sorriu travesso, se preparando pra correr, mas foi interrompido pelo pigarreio de Jeon, indicando pra que o garotinho fosse até ele. Jeon o deu um abraço apertado, bagunçou seus cabelos e deixou com que corresse de volta.

Se levantou, coçando as pálpebras com os cantos dos dedos, suspirou frustado pós levanto.

— Droga! estou atrasado!

Se enfiou debaixo de suas roupas, as primeiras que havia visto, pegou sua mochila, esta, quase sempre vazia, e saiu correndo escada abaixo.

Droga, não conseguiria levar Jimin pra escola e ao menos estava com uma roupa apresentável.

Ao chegar na sala, viu sua tia sentada na mesa com os braços cruzados e as sombrancelha arqueadas.

— O que faz com essa mochila, Jeongguk?

— Hoje é sábado, maninho — Jinwoo, seu irmão do meio, debochou.

Sentiu uma imensa vontade de jogar sua mochila no chão e pisar em cima da mesma com seu descuido. Se era sábado, por quais motivos, fatos e circunstâncias haviam o acordado?

— E por que mandou me acordar essa hora? — Indagou, indo até a mesa – não tão farta como aquelas de comerciais, mas era o que tinham – e colocando um pouco de café em sua xícara.

— Quero que leve seu irmão no curso, é uma grande oportunidade pra ele, você sabe. Aproveitemos que é de graça, qualquer estouro de faltas ele pode sair.

Conseguia sentir em sua entonação sarcasmo o atingindo, era como uma cobra venenosa, com seu veneno respingando por todos os lados. Sua tia não era má, jamais chegou a ser, mas Jeon sentia-se triste todas as vezes que suas indiretas o cercavam, ele era sempre o centro de tudo ali, e ele reconhecia que por ser mais velho deveria ter mais responsabilidade, ele reconhecia ser um péssimo aluno, mas Jeon sabia também que mais que ninguém, era alguém inteligente e de muito valor, e que se as pessoas apenas valorizam a porra de  números preenchendo folhas, boletins e históricos, então as burras eram elas.

— Ah...e antes de ir, se ver Yoongi, avise pra que venha, eu tenho algo sério a tratar com ele.

— Hm..ok.

Jungkook concordou, passando os braços pelo pescoço do irmão pronto pra leva-lo.

— Ok, vamos lá moleque.

Bateu fracamente na cabeça de seu irmão, típico de ambos se atacarem, e em menos de minutos já estavam fora de casa seguindo pelo bairro.

Enquanto caminhavam, Jeon era sempre cumprimentado pelos manos da praça que andavam de skate, e até mesmo pelos que não andavam e apenas o admirava. Ele era um garoto da rua, era claro que seria compatível com quem também gostava de passar mais tempo ali do que em casa.

Muitos estavam ali pra esquecerem os problemas em casa, outros estavam apenas pelos esportes, pra se divertir.

De qualquer modo, Jeon era alguém reconhecido ali, e também, muito exaltado, na verdade, nem tanto já que sempre tinha alguém contraditório.

— Lá vem — Jeon murmurou.

— O que disse seu merdinha?

— Cata daqui, Wonho.

— Você se acha, não é? Mas a verdade é que você não é nada disso que falam, você entende, não é?

— Enfia a língua na bunda, Wonho — riu, encarando o garoto a sua frente — Eu estou muito ocupado pra discussões agora e você sabe não é? — estralou a língua — Não vai querer discutir comigo, certo?

Segurou a mão de seu irmão e continuou a seguir em frente, deixando o garoto pra trás.

Jinwoo virou a cabeça pra trás observando Wonho se encostar no poste com o cigarro nas mãos e mostrou-lhe o dedo do meio, logo em seguida a língua.

— Otário!

                     [ . . . ]

— Jimin? Filho?

O Park escrevia algumas anotações em seu caderno até então ser interrompido pela sua mãe.

— Tem um telefonema pra você, é um tal de Joseok. Quem é?J

Joseok Jimin não conhecia ninguém com esse nome.

Se levantou, indo até a sala – onde ficava o telefone –, tentando imaginar de onde poderia ter conhecido esse nome.

— Alô?

— Oh, Anjo...

— Jeon? Como conseguiu o número de telefone da minha casa?

— Minha Joia...revirei a lista telefônica do bairro inteira, só pra ter seu número, só pra ter um pouquinho da sua atenção...

Jimin reprimiu um riso, balançando a cabeça em negação com a insistência do Jeon.

— E..Eu fui abusivo demais? Se sim,... perdão minha Jóia — Jungkook se desculpou.

— Você não desiste, não é?

E assim, desligou o telefone. Na verdade, Jimin não sabia como reagir diante as palavras de Jungkook. Ele ficava encabulado demais, não queria se envolver, não queria sentir mais suas bochechas corando perto de Jungkook. Mas ele não conseguia dispensa-lo realmente, ele não queria te-lo longe.

Não queria.

— Quem é esse Joseok mesmo, Jimin?

— Ah.. ninguém importante, mamãe. Um colega do ah... colégio.

Enquanto Jimin voltava ao seus afazeres, Jungkook permanecia do outro lado da linha — agora desligada — com o telefone em mãos, olhando fixo pro mesmo, caindo em si que o loirinho havia o dado um grande fora — de diversos — entretanto, pelo telefone.

Riu, bagunçando os cabelos e segurando a carne da boca entre os dentes.

— Você me deixa maluquinho, loirinho.

Foi interrompido quando a porta de seu quarto fora aberta bruscamente, revelando Hoseok, seu melhor amigo, que sem aviso prévio, apenas se jogou na sua cama de forma despojada.

— Fala ai Jk!

— Manda

— Você sabe que hoje é sábado né? E sabe o que significa? — Hoseok seu um sorriso de lado, sabendo que seu amigo sabia sobre o que estava falando.

— É claro que eu sei, achou mesmo que eu iria esquecer? — riu anasalado. — Cadê o Taehyung?

— Daqui a pouco está aí.

E falando no próprio, logo sua voz se fez presente no local.

Jeon e Jung colocaram a cabeça pra fora da janela do quarto de Jungkook  e viram a hilária cena de Taehyung extremamente puto da vida com Yoongi, este, que abrira porta da casa pra si.

— Meu deus Yoongi, como você é chato!

O irmão mais velho de Jungkook, Yoongi, apenas segurou o queixo do Kim, levou os lábios próximo ao seu rosto e soprou, rindo em seguida.

— Você é hilário, Kim.

Ok, aquilo não era engraçado, os sentimentos de Taehyung estavam envolvidos. Yoongi era assim, um escudo, entretanto, Jungkook sabia que ele não era assim de verdade, e que mais do que tudo, tinha um carinho enorme por Taehyung, ênfase no enorme, por favor. Ele bem....só não sabia disso, não demonstrava aquilo.

Jungkook era totalmente apegado a apenas uma pessoa, Jimin. Yoongi, pelo contrário, não se apegava a ninguém.

E Taehyung saia ferido, já que, desde que se entendia por gente, e não sabia como, era apaixonado por Yoongi. Ninguém sabia, nem mesmo seus dois melhores amigos, Jungkook e Hoseok, exceto por Seokjin, seu irmão mais velho.

Ele não entendia como podia gostar daquele garoto tão rude, ele só gostava.

—Entra ai, Tae — Hoseok gritou da Janela. Taehyung sorriu, mandando um beijo no ar, dando uma pequena mordida nos lábios e entrando.

Yoongi, que até então estava jogado no sofá, exceto por quando se levantara pra abrir a porta, acompanhou o Kim pelas escadas já que por hora também fazia parte da banda.

— E aí, qual é a boa? Qual vai ser a de hoje?

Jungkook empolgou-se, indo atrás de sua guitarra debaixo da cama.

— Pensei em algo mais animado.

— Tipo?

— Green day, American Idiot.

— Boa escolha — Yoongi concordou, abrindo a porta pra todos fossem pra garagem. 

— Taehyung, seu vocal melhorou muito — Jungkook disse. Os meninos concordaram.

— Na verdade, você sempre cantou muito bem, mas desde quando sua voz engrossou tanto? — Hoseok fingiu desmaio — Oh, a puberdade.

...

Don'twanna be an american idiot

Don't want a nation under the new media

And can you hear the sound of hysteria?

The subliminal mind fuck America

...

Jimin folheava as revistas, totalmente imerso nas fotografias. Na realidade, por mais que estivesse focado em tudo aquilo, não era algo que o interessava de fato. Não queria saber de fofocas e essas coisas, já estava acostumado o suficiente com isto vindo de seus amigos da escola.

Jimin viu pelo relógio de pulso que teria que levar bon jovi, mais conhecido como bonbon, cachorro da família, pra passear.

Era o único na família na qual Jimin podia afirmar que se sentia confortável.

Se levantou, passando pelo quarto e descendo as escadas de sua casa, que por mais que não fosse grande, ainda sim, principalmente naquela época, era considerada uma casa bem bonita e estruturada. Mas não era algo na qual Jimin reparava ou algo do tipo.

— Vem cá, BonBon!

O cachorrinho veio correndo, totalmente empolgado com o chamado do Loirinho. Jimin o pegou no colo, rindo quando seu pelo fez cocegas em seu queixo, e em seguida o colocou a coleira.

Era sábado e fazia Sol. Park se praguejou por não ter pegado ao menos um boné. Parou por um súbito momento quando bonbon resolveu fazer o matinho do jardim da vizinha de banheiro, e deixou-o fazendo sua necessidade ali depois de falhar na tentativa de fazer com que bonbon saísse dali.

Cruzando a vizinhança, atravessou e após alguns minutos, estava perto da praça. Alguns garotos e garotas andavam pela rampa, outros apenas ficavam sentados. Estranhou não ver Jungkook por ali, mal sabendo que este, ensaiava com sua banda na garagem de casa.

— Jimin?

Se virou e viu Cindy, sua colega e amiga. A mesma fazia parte do mesmo grupo que o seu, entretanto, era a mais julgada por sempre ter feito tudo o que queria, como por exemplo, se envolver com um dos meninos dali.

— Ah, Oi...Cindy — Sorriu, apertando a mão na alça da coleira. Uma típica e simples mania.

— Está levando Bonbon pra passear? — apoiou as mãos no joelho e se curvou, acariciando o pelo fofinho do cachorro.

— Ah, sim, estou — sorriu — E o que faz aqui?

Oh que pergunta boba, Jimin.

— Estou com Bob — sorriu, indicando com o queixo o garoto do outro lado, na pista de skate. — Eu estou com minha galera.

— Que ótimo, Cindy.

— E você? Pode admitir, vai. Você sente a toxidade do pessoal do colégio, não é? Sabe, se quiser, pode andar com a gente. Hoje vai ter uma festa na casa de um dos caras, deveria colar lá com a gente.

Jimin não poderia nem se quisesse, seus pais não deixariam e também, fugir não era uma opção.

— Eu passo. — Riu constragindo, coçando atrás da cabeça.

— Oh, o convite está de pé, mesmo assim. Bem, tenho que ir, foi bom conversar com você, Jimin, até!

— Até!

                              .  . .

— Mãe? Cheguei.

Avisou ao entrar em casa, tirou a coleira de BonBon e o deixou correr pela casa. Sua mãe saiu da cozinha, o mediu de cima a baixo e cruzou os braços.

— Certo. Jimin... você chegou a estudar hoje? Digo, não te vi fazendo deveres, não te vi lendo livros, a não ser aqueles de conteúdo adolescente? que bem, você sabe, não servem pra nada.

Engoliu em seco. Doía, doía sempre escutar as críticas de sua mãe em relação a algo que ele gostava, doía ainda mais ser cobrado tanto, como se ele só servisse pra aquilo. Mas nada podia fazer, então se esforçava sempre pra agradar seus pais e os orgulhar.

— Ah, eu já ia estudar, mamãe. Fui levar BonBon pra passear.

— Você sabe que eu te amo, não é filho? Eu só quero o seu bem, eu só quero que ninguém pise em cima de você, entenda — passou as pontas dos dedos sobre a testa, aparentemente cansada. — Você entende a mamãe?

— Sim, entendo — sorri. — Bem, eu vou subir, ok?

— Certo, boa sorte meu filho.

É, ele precisava.

. . .

JK

Jeon finalizou a música com a guitarra, deslizando seus dedos agilmente o prolongando. Quando o som foi sumindo aos poucos, Hoseok deu o grito de guerra.

— Foi insano!

— Realmente — Yoongi concordou.

— Claro, eu estava cantando, né — Taehyung sorriu, recebendo como resposta a língua de Hoseok em uma careta. Taehyung mandou um beijo e fez com os dedos um "paz e amor".

A garagem de Jungkook logo foi invadida por Bob, que chegava com Cindy logo atrás.

— A festa na sua casa  está de pé, não é? — Bob se dirigiu a Hoseok, que assentiu.

— Claro, mano.

Cindy chamou Jungkook com as mãos, e foi ao lado de fora, na espera de que ele a seguisse.

— Eu falei com Jimin.

Bem, Por mais que Cindy fosse uma riquinha, ainda sim, era da galera, e bem, como era amiga de Jeon e de Jimin, a mesma informava o Jeon de coisas importantes relacionado ao pequeno, tipo, o tipo de música que o mesmo gostava, por exemplo.

— Com o loirinho? A minha jóia? — Perguntou, retirando a caixa de cigarros do bolso. Estendeu um a Cindy e a mesma não negou, pegando um em mãos. Ligou o esqueiro, e  tragou o cigarro.

— Sim. Hoje ele passou pela praça, e bem, eu o convidei pra ir a Festa da casa de Hoseok, porém, entretanto, e todavia, ele não aceitou. Mas quer saber? Eu acho que tem algo de estranho nisso, sabe?

Jungkook escutava tudo atentamente.

— Bem, da vez que eu fui a casa dele, eu conheci seus pais. Eles prendem muito ele, tipo, cara, a cobrança é enorme, você tinha que ver — revirou os olhos — E as vezes eu acho que ele se priva de viver as coisas por causa dos pais. Tipo, eu entendo, ele está na casa dos pais dele, é menor de idade ainda e-

— Blá, Blá, Blá — Jeon completou.

— Mas vejamos, Jimin precisa viver um pouco, ter a porrinha de uma experiência na vida, o que custa, poxa? — riu.

— E quem disse que ele não terá? — Jeon arqueou as sobrancelhas, lentamente esboçando um sorriso malicioso.

— O que pensa em fazer? — fez a mesma expressão que o moreno.

. . .

Eram 10 horas, o céu já estava escuro, e Jungkook olhava a janela de Jimin, totalmente preparado pra o que faria em seguida. Deu um sorriso curto, imaginando a reação do loirinho quando o visse. Pegou as pedrinhas em mãos e arremessou contra a janela, que até então fechada, se abriu, revelando Jimin totalmente perplexo.

Correu pela vizinhança de Jimin, chegando até sua casa. Apoiou o pé no tronco da árvore – e agradecia por esta ser próxima a janela de seu quarto  – e foi subindo até estar próximo o suficiente da borda da janela.

Bem, Jimin olhava tudo aquilo surpreso, as bochechas ardiam como fogo, porque bem, ninguém nunca havia se interessado por ele a ponto de invadir seu quarto. E ele achava aquilo uma loucura, Jungkook era louco.

Pulou a Janela do quarto de Jimin, que no impulso, se afastou em passos pra trás...

— O que está fazendo aqui? — Sussurrou. — Você é louco?

Jeon reparou que a escrivaninha de Jimin estava cheia de papéis e o a luz caía sobre este.  Provavelmente estava estudando, bem, em um sábado. 

Jimin vestia um pijama, e se envergonhou ainda mais ao ver o olhar do outro cair sobre si. 

—Não me olhe assim!

Jeon tampou os olhos com a mão e riu

— Não estou olhando nada.

— É sério, me diga pra que veio!

Jeon retirou os dedos de um só olho e fixou seu olhar no olho do Park.

— Eu vou te levar pra uma das melhores noites que você terá na sua vida, Loirinho.


Notas Finais


Gostaram? :D
Proíbido pra mim tbm tem uma tag no tt, ela é #JiminJoia, e tbm eh postada no wattpad :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...