1. Spirit Fanfics >
  2. Project Down Vol.4 >
  3. Capítulo 3

História Project Down Vol.4 - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Capítulo 3


Fanfic / Fanfiction Project Down Vol.4 - Capítulo 3 - Capítulo 3

Logo pela manhã do dia seguinte Renan, Silas Filho e Wilson se reúnem na casa de Silas para discutir o que irão fazer com a gangue Project.

Renan: Olha eu não posso ficar aqui o tempo todo, a Metal Word está demonstrando sinais de que irá fazer algo grande em breve e não posso perder tempo com isso.

Silas Filho: A gente sabe Renan, mas nós precisamos de alguma alternativa.

Renan: Deixa eles em isolamento enquanto eu tento falar com o Kevin.

Wilson: Quando consegue falar com o Kevin?

Renan: Quando ele me responder.

Wilson: Não podemos contar com esse fato, e se mais um deles vier atrás dos meninos, eles são muito mais fortes.

Renan: É eu sei, por que não treinam eles então?

Wilson: Como iremos treiná-los mortos?

Renan: Ressuscitação imortal? - Diz se referindo a uma técnica.

Silas Filho: Não é só porque é amaldiçoado com essa técnica que outros mereçam ser amaldiçoados também.

Renan: Olha eu realmente estou pensando no que fazer, mas se tratando do Kevin isso me deixa de mãos atadas praticamente.

Wilson: A gente sabe que se fosse qualquer um você iria correndo meter medo em geral, mas como é o Kevin você vai passar pano.

Renan: Me respeita que eu não sou tuas quenga Wilson. Que passar pano pra Kevin o que, quero mais é que ele se f#[email protected], só não acho que deveríamos resumir isso tudo a violência pura e simples.

Silas Filho: A violência travestida faz seu trottoir.

Renan: Não foi isso que o Gessinger quis dizer... - Diz apontando para Silas Filho.

Silas Filho: Eu sei, mas lembrei disso agora. Enfim, precisamos de uma definição sua.

Renan: Continuem como estão agora, eu vou intensificar minha busca para conversar com o Kevin, enquanto isso vocês protegem eles até o Lilbert voltar, a Umbu não é nem louca de atacarem ele.

Wilson: Sua estratégia é arriscada, não gosto dela, mas o que podemos fazer.

Renan: Ah e vê se treinam eles, só gastam energia pra falarem de sexo e vídeo game, não que essas coisas não sejam boas, na verdade são muito melhores do que as merdas que a gente faz, mas na situação que eles estão o ideal seriam ficar mais fortes com treino. Você Silas já procurou saber mais sobre aquele poder amarelo lá?

Silas Filho: Não, sinceramente nem me preocupei porque ele nunca mais usou.

Renan: Eu vou passar a plataforma da biblioteca online da sociedade gangster, vai que encontra algo lá... Enfim, vou me indo agora, preciso resolver um negócio lá em Manchester.

Silas Filho: Vamos manter o combinado.

Renan: Enquanto isso vou tentar falar com o Kevin, apesar de ser um maldito desgraçado ele sabe ser compreensível, adeus a todos vocês...

Enquanto isso os Projects foram para a escola e Joseph fica observando Silas conversando com Ananda e começa a dialogar com o Kauê.

Joseph: Acha que aqueles dois tem chance de voltar?

Gabriel Kauê: A chance sempre tem, mas por que? Tá interessado na Nana? - Pergunta em tom de deboche.

Joseph: Oxi me respeita, tenho namorada kkk. É que o cara "terminou" com ela para tentar algo com aquela Maria lá.

Gabriel Kauê: Não foi bem isso que aconteceu.

Joseph: F#[email protected], o importante é que ele não se envolva mais com aquela doida, minha amiga conheceu a Maria na escola e disse que tudo que aquela menina se envolve ela destrói, parece até uma enviada do caos e da discórdia.

Gabriel Kauê: O Silas me disse que ela tem problemas em casa, é compreensível que tenha algum problema por causa disso.

Joseph: Nada, nada... Ela só causa discórdia mesmo, é uma falsiane de primeira, enfim meu caro eu torço pelo Silas e sua priminha – Diz dando tapinhas nas costas de Kauê.

Na saída Lilbert esperava Silas e os outros para irem para casa e logo Silas estranha o fato de ele estar lá.

Silas: E sua mãe?

Lilbert: Ela já está quase bem. O Kishimoto me ligou dizendo que um dos membros da Umbu veio atrás de você e minha própria mãe mandou eu voltar.

Silas: Que bom saber disso.

Lilbert: Quem mais veio?

Gabriel Kauê: O Joseph disse que iria ficar pra fazer trabalho e a Lisandra provavelmente vai ficar com ele.

Lilbert: E como vou saber quando vai ser a hora de eu vir buscá-los?

Andressa: Eu tenho o número do Joseph.

Lilbert: Ok, vamos.

Lilbert os teletransporta para a sede dos Projects e logo em seguida Lisandra sai pelo portão e fica alguns minutos esperando Joseph aparecer quando Lucas Peixoto aparece com sua nova moto.

Lisandra: Novo brinquedo? Kkk

Lucas Peixoto: Possante essa, quer dar uma volta?

Lisandra: Olha Peixoto...

Lucas Peixoto: Fica de boa que não to dando em cima de tu não, mas queria levar alguém pra passar nesse monstrinho.

Lisandra: E não tem nenhuma novinha disponível para o grande Vigilante Sombrio? Kkk

Lucas Peixoto: Que tal uma amiga? E o melhor é que ela está aqui na minha frente.

Lisandra pensa um pouco e logo sorri e sobe na garupa da moto de Peixoto e coloca o capacete, em seguida ele da partida na moto e logo vai para a pista onde vai até a porta da Vila Parisi e dá o retorno em direção ao Vale Verde. Lisandra sente o vento no rosto e sente um momento de paz incrível. Após isso Peixoto a leva para a sede dos Projects lá no fundo do bairro Vale Verde.

Lisandra: Ae Peixoto sua moto é muito f#[email protected] cara, valeu pela carona.

Lucas Peixoto: Fiquei sabendo da Umbu.

Lisandra: Como?

Lucas Peixoto: Segredo, mas sei que estão de "quarentena" aqui.

Lisandra: E você, o que vai fazer?

Lucas Peixoto: O que eu sempre faço, apareço na hora H...

Lisandra: Tchau Peixoto...

Lucas Peixoto: Tchau....

Peixoto liga sua moto e parte para sua casa, Lisandra entra na sede e logo Lilbert pergunta sobre Joseph.

Lilbert: E o teu namorado oh?

Lisandra: Sei lá, achei que tivesse vindo com vocês.

Andressa: E tu veio com quem?

Lisandra: Com o Peixoto.

Andressa: Eu vou ligar para ele...

Enquanto isso Joseph está no parque Anilinas, pois não queria cumprir o que Wilson e Silas Filho haviam dito, lá ele escuta seu telefone tocar e logo vê que é Andressa.

Joseph: Ah Dressa, você é certinha demais as vezes – Diz desligando sem nem mesmo atender.

Após isso Joseph escuta o som doce de uma flauta transversal, a princípio ele se lembra de Silas que tocava, mas ao se aproximar percebe que é uma garota, uma garota bonita com tranças ao redor de sua cabeça, cabelos castanhos e um som invejável no instrumento.

Ela acaba de tocar do exercício que estava estudando e o Project começa a aplaudi-la o que acaba a assustando.

Carina: Ai meu Deus, que susto menino.

Joseph: Olha, eu tenho um amigo flautista, mas ele não tem um quarto do som que você tem. Fez até eu me interessar por flauta kkk.

Carina: Isso foi uma cantada?

Joseph: Não, de jeito nenhum, eu namoro.

Carina: Do jeito que esse mundo está isso não é garantia de nada.

Joseph: kkk, meu nome é Joseph, Joseph Pires.

Carina: Joseph Pires? Eu tenho certeza que já ouvi esse nome – Diz em pensamento.

Joseph: Eu gostaria de saber o seu nome, vai que meu amigo Silas conhece você.

Carina: Silas? Espera... Silas, Joseph... Acho que acabei de ganhar uma sorte muito grande kkk – Em Pensamento – Meu nome é Carina Alves, faço aula no bec (*Banda Escola de Cubatão) e hoje vim ter aula de teoria e aproveitei para vir tocar um pouco.

Joseph: Mora onde?

Carina: Eu oficialmente moro em Praia Grande, mas ultimamente passo tanto tempo em Mongaguá que praticamente moro lá

Joseph: Entendo, por isso nunca te vi por aqui.

Carina: E você é o que?

Joseph: Gangster.

Carina: Gangster?

Joseph: É, gangster... Sou membro de uma pequena gangue daqui, mas não posso dar mais detalhes porque pode ter um membro de uma gangue rival nos observando kkk.

Carina: Entendo – Diz sorrindo no canto de boca – Eu vou continuar estudando, se quiser ficar aí fique à vontade.

Joseph: Ok...

Joseph começa a mexer no celular enquanto Carina volta a tocar sua flauta, mas em pensamento, ao contrário da serenidade do som de sua flauta, está eufórica.

Carina: Meu que sorte grande, ele é o Joseph dos Projects, mal posso esperar para contar para o Kevin... - Em pensamento.

Após terminar seu estudo e ir para sua aula de teoria, Carina pega um ônibus para Praia Grande e depois um ônibus para Mongaguá. Assim que chega na sede da Umbu, Akihito, um membro mascarado, vem lhe aborrecer.

Akihito: Aí Carina, toca uma flautinha aí pra nóis...

Carina: Não enche...

Victor e Rocso estão no meio do corredor jogando xadrez e estão em um duelo muito equilibrado quando Carina passa por cima do tabuleiro chutando todas as peças e os irritando.

Victor: P#[email protected] Carina, olha por onde anda [email protected]@l#o...

Carina: Foi de propósito kkk.

Rocso: La p#ta [email protected] [email protected] Mét&lo por el c#lo... P#[email protected], [email protected]

Carina: Maricón pajero... - Dizendo a Rocso.

Carina deixa sua flauta em seu quarto na sede e vai para o quarto de Kevin que está olhando para o horizonte do mar em sua sacada. Ela então deita em na cama dele e isso o incomoda.

Kevin: Sai da p#[email protected] da minha cama Carina....

Carina: Ah, vai me dizer que não gosta de uma mulher na sua cama.

Kevin: Quando eu jogo a mulher na cama sim, não quando ela deita do nada achando que é dona não.

Carina: Fica tranquilo que já já eu saio, mas antes tenho novidades.

Kevin: Conta aí.

Carina: Fui pra aula de teoria hoje e aproveitei e levei minha flauta pra dar uma estudada e adivinha quem eu encontrei por causa disso...

Kevin: E como eu vou saber.

Carina: Joseph Pires dos Projects.

Kevin: Sério? E ele desconfiou de você.

Carina: Desconfiou nada kkkk, menino acha que é metido a pegador, galã de novela, burro daquele jeito se eu jogar um charme eu até conseguiria trazer ele aqui.

Kevin: Duvido, eles não são burros Carina.

Carina: Ainda assim eu gostaria de tentar...

Kevin: Ok, agora sai da minha cama e vem aqui.

Carina vai até a sacada onde Kevin volta a admirar o horizonte, mas logo olha para as pessoas ali e começa a conversar com Carina.

Kevin: Cada uma delas tem seus problemas, seus demônios, seus próprios caminhos até a cova.

Carina: E por que tá dizendo isso Kevin?

Kevin: Por que entrou na Umbu Carina?

Carina: Meu ex era amigo do Syrus e ele me apresentou ao Rocso e ao Victor e...

Kevin: Eu sei como foi, o que quero saber é o porquê, o motivo, o que te motivou a gastar seu tempo de vida com pessoas como nós?

Carina: Bom... Acho que é porque eu não tinha nada melhor para fazer.

Kevin: Esperava uma outra resposta mais convicta de seus ideais.

Carina: E por que isso?

Kevin: Você está prestes a enganar e seduzir alguém em nome de uma gangue para a derrota de outra gangue e isso... Cada coisa conta na hora do julgamento – Diz pegando a cruz de seu colar nas mãos - Não sei se sabe, mas eu já estive morto.

Carina: Você?

Kevin: E no final é desesperador ter o juiz decretando a sentença... - Diz indo embora.

Carina: E qual foi?

Kevin: Não posso dizer, você talvez não acreditaria, mas boa sorte ao continuar aqui.

Carina: Se tem tanto medo, por que ainda continua?

Kevin: Por que eu sei exatamente o meu lugar, e você? Você sabe?

Kevin sai do quarto deixando Carina a observar o horizonte como o líder de sua gangue sempre faz... 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...