História Projeto Hell - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Nosferatu Alucard, Personagens Originais, Seras Victoria
Tags Projeto Hell
Visualizações 2
Palavras 2.628
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Luta, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero muito que gostem deste segundo capítulo, Boa leitura a todos

Capítulo 2 - O próprio diabo


Fanfic / Fanfiction Projeto Hell - Capítulo 2 - O próprio diabo

         ***** Tempos Atuais *****

É noite, uma noite escura, muito mais que o normal... Os mortos começam a sair de suas covas e vampiros começam a aparecer por todo o mundo novamente...

- ????: O que está acontecendo com a cidade Malter? aqueles imundos de novo?

- Malter: Exatamente senhor Hellsing. Em breve, o mundo estará um caos novamente, assim como 30 anos atrás.

- ????: Entendo... devemos chamá-lo, o que você acha?

- Malter: Senhor, com todo respeito, mas eu sou apenas o mordomo, estou aqui para te servir e não para dar opiniões decisivas... Gostaria de um chá?

- ????: Sim Malter...

- Malter: Irei preparar seu chá senhor, com licença.

- ????: Irei acorda-los...

O presidente da organização Hellsing se levanta de sua mesa e vai até o porão, onde estão três caixões. Os três estão com correntes e selos de poder, porém um deles, está com um selo muito mais poderoso e correntes muito mais resistentes.

O presidente olha para os caixões e respira fundo...

????: Acho melhor acordar apenas um de vocês por enquanto...

Então, pega uma faca, corta seu dedo e com o sangue, faz o desenho de dois rifles pesados formando uma cruz inversa. O selo se quebra... Mas as correntes ainda estão intactas, então, ele as quebra com várias coronhadas de seu revolver. a tampa do caixão cai no chão, uma fumaça negra impede de ver quem está dentro... ou o quê está dentro.

- ????: Olá garota, faz muito tempo não é... Seras?

- Seras: Aii... que dor de cabeça, quanto tempo eu dormi?... espera, quem é você?

- ????: Você não lembra de mim Seras? eu entendo... afinal, faz 30 anos que não nos vemos.

- Seras: Espera... 30 ANOS? EU DORMI POR 30 ANOS?

- ?????: Exatamente garota.

- Seras: Você... eu lembro de você. Você é o filho da senhora integra certo? Você está bem grande em Vlad 6°.

- Vlad: Você sabe que eu não gosto desse nome.

- Seras: Por que não? foi em homenagem ao meu mestre, você deveria ficar honrado.

- Vlad: Bom... garota, eu não te acordei para colocarmos o papo em dia. Os vampiros estão voltando novamente...

- Seras: Não é possível... mas como?

- Vlad: Eu não sei como, mas sei que devemos acabar com tudo antes que piore... mas o problema não é só esse, os mortos também estão voltando a vida e levantado de seus túmulos... E é por isso que eu te trouxe aqui.

- Seras: Zu... Zumbis? Mas isso é apenas ficção, não existe.

- Vlad: Você é uma vampira, Ex serva do próprio Drácula, já exterminou inúmeros vampiros e está falando que zumbis são apenas ficção?

- Seras: E o mestre? Onde ele está?

- Vlad: Não o acordei ainda, apenas o acordarei quando for necessário.

- Seras: E o amigo do mestre?

- Vlad: Se existe alguém que eu não quero acordar, é ele...

- Seras: Entendo, preciso me armar o mais rápido possível então... Me de as ordens senhor! Mas antes, tem alguma coisa para mim? estou morrendo de fome.

Os dois saem e sobem as escadas de volta para a mansão.

       ***** 1 hora depois *****

- Vlad: Seras, sua missão é ir para a América do Sul, especificamente no Brasil. Descobrimos que há uma base da organização V.P.M.M.P.V e essa base possui um de seusLaboratório de pesquisa, suspeitamos que deve haver alguma informação sobre tudo que está acontecendo.

- Seras: O que é V.P.M.M.P.V ?

- Vlad: Isso não importa, apenas vá e cumpra sua missão.

- Seras: Sim senhor!

- Malter: Devo providenciar um jato imediatamente?

- Vlad: Sim.

     ***** 15 minutos depois *****

Malter: Seu jatos está a espera senhorita.

Seras vai ao jato, e quando entra, vê um caixão trancado por um selo e correntes e no caixão está escrito "The bird of the Hermes is my name. " O resto está coberto pelo selo.

       ***** 4 horas depois *****

- Seras: Estamos chegando, mestre... espero poder te libertar, assim como espero não precisar...

alguns minutos depois e Seras entra em um hotel, junto a alguns soldados.

- Recepcionista: De... Desculpe, mas não permitimos entrar com caixões em nosso hotel.

Seras chega perto do recepcionista e olha diretamente em seus olhos por alguns segundos.

- Seras: Nós podemos entrar com o caixão?

- Recepcionista: Vo... vocês podem entrar com o caixão, não tem problema.

- Soldados: O que foi isso?

- Seras: Só um truque que eu aprendi.

Eles sobem para o quarto, e quando chegam lá antes mesmo de se acomodarem, escutam um barulho muito alto.

               //// Explosão ////

- Seras: O que foi isso?

Todos descem correndo para ver o que está acontecendo e quando chegam lá em baixo, se deparam com incontáveis mortos vivos, assim como muitos Vampiros, aparentemente, vampiros e zumbis estão do mesmo lado.

- Seras: Mas... Mas zumbis não eram para serem inconscientes? por que eles não atacam aqueles vampiros? O que são essas coisas?

Seras e os soldados começam a atirar, usando tudo o que possuem, conseguindo matar muitos zumbis, porém, os vampiros conseguem se aproximar de alguns dos soldados e os matam, cortando a cabeça de um, arrancando as tripas de outro e destroçando o pescoço dos que sobraram, Seras é a única sobrevivente.

- Seras: O... O que? São muitos... Não tem outro jeito.

Seras pega seu rádio e chama por Vlad.

- Seras: Vlad... Vlad, Seras falando, fomos atacados no hotel assim que chegamos, uma horda de zumbis e vampiros estraçalhou todos os homens. Não tem outro jeito, tenho que acordar meu mestre!

- Vlad: Faça o que achar necessário Seras, já esperava que vocês seriam atacados, por isso pedi que colocassem o caixão no jato... Fique a vontade para acorda-lo...

Seras sobe correndo para o quarto, quando chega, morde seu dedo e escreve no caixão com o próprio sangue, terminando a frase tampada pelo selo. " eating my wings to make me tame". Quando Seras termina de escrever, o selo se quebra e restam apenas as correntes, que são quebradas facilmente por Seras... A tampa do caixão se abre lentamente, os brilhos dos olhos de quem carrega a morte consigo, são as únicas coisas capaz de ser vista inicialmente... Uma risada psicopata domina todo o lugar, um homem vestindo um terno escuro, um sobretudo vermelho, um fedora vermelho, sai do caixão.

- Alucard: Olá, Seras... a quanto tempo...

- Seras: O... Oi mestre, já faz 30 anos.

- Alucard: 30 anos... Por que me acordou agora ?

- Seras: Então mestre... lá fora tem muitos vampiros e...

- Alucard: Não consegue mais cuidar de vampiros Seras?

- Seras: Se fosse só os vampiros eu conseguiria mas o problema é que tem um monte de zumbis também.

- Alucard: Zumbis?

           //// Risada maligna ////

- Alucard: Interessante... Vamos começar.

Alucard põe um sorriso no rosto, coloca seus óculos arredondados, abre a porta e vai até a entrada, porém quando chega perto das escadas, vê uma leva de zumbis subindo e vampiros andando nas paredes e no teto. Pega suas pistolas e começa a atirar, primeiro nos vampiros, os matando com um tiro na cabeça, depois começa a atirar nos zumbis, assim como nós vampiros, atira na cabeça de cada um, explodindo a cabeça da maioria, eles caem no chão.

- Alucard: Era só isso, Seras?

Quando Alucard termina de falar, os zumbis começam a se levantar e suas cabeças a se regenerar, antes estavam andando, agora começam subir as escadas correndo.

- Seras: Ma... mas o que é isso?

- Alucard: //// Risada psicopata ////... Isso é bom... muito bom...

Alucard mexe seus braços, formando uma cruz inversa.

- Alucard: Habilidade de invocação... receção nível 3.

Uma aura negra e avermelhada começa a tomar parte de seu corpo, olhos aparecem por todo o corpo de Alucard, a imagem de um cão aparece no lugar do corpo de Alucard e vai para cima de todos os zumbis com a boca aberta, um braço segurando uma pistola negra sai da boca do cão, dando vários tiros nos zumbis enquanto se aproxima... Quando os zumbis estão perto o suficiente do cão do inferno, o mesmo os devora, um a um rapidamente, e em minutos, a horda inteira foi devorada...

A imagem do cão some, junto com a aura negra e Alucard aparece novamente.

                  //// Risada ////

- Alucard: Excelente... acabo de acordar e já recebo uma ótima recepção .

- Seras: Senti saudade da sua brutalidade mestre.

- Alucard: Vamos Seras, me diga aonde estamos e o que estamos fazendo aqui.

Seras explica tudo a Alucard...

- Vlad: Providenciei um carro para vocês, ele já sabe a onde os levar. Provavelmente já está a espera na porta do hotel.

- Seras: Obrigada, já estamos indo.

Eles entram no carro e vão em direção a base, com o objetivo de conseguir informações, além de destruir todo o laboratório. Algum tempo depois, o carro para, os dois descem do carro e quando olham, o lugar não passa de uma casa velha e despedaçada.

- Alucard: Eu vou entrar primeiro, você fica esperando aqui até eu chamar.

- Seras: Mas eu quero entrar também!

Alucard ignora e começa a entrar na casa, conforme anda, vê alguns ghouls no caminho, porém são mortos facilmente por Alucard, ele começa a descer algumas escadas e no andar a baixo, o dobro de ghouls que havia no primeiro.

- Alucard: Seras!

Seras entra e desce as escadas rapidamente.

- Seras: estou aqui mestre.

Seras vê todos os ghouls e abre fogo contra eles, atirando na cabeça de cada com um seu poderoso rifle, que ao atingir a cabeça de um Ghoul, a explode facilmente. Eles continuam a descer e a cada andar, a quantidade de ghouls dobra, continuam descendo e matando cada vez mais... Até chegarem 20 andares a baixo da terra, no vigésimo andar, eles encontram apenas um vampiro.

- ????: Olá, estava esperando por vocês... Pensei que chegariam mais rápido.

- Seras: Quem é você? Para quem você trabalha?

- ????: Quem sou eu?... Sou apenas aquele que trará o fim das lendas de Seras e Alucard.

- Alucard: O fim das lendas? Então me mostre...

O vampiro se levanta e anda em direção a Alucard, porém antes mesmo dele dar seu terceiro passo, Seras começa a atirar nele, então o vampiro começa a desviar de todas as balas e correr na direção de Seras, pula e da uma voadora na cara dela fazendo- a voar longe, Puxa sua espada e enfia no peito de Alucard.

- ????: Este é seu fim, Alucard... Esta espada foi forjada de prata pura e resfriada na água benzida pelo próprio papa.

- Alucard: Pelo papa é? então essas espadas foram resfriadas na água benzida por um velho barrigudo e preguiçoso que brinca de ser Deus?

       //// Risada psicopata////

- ????: O que? Como? Você deveria estar morto!

- Alucard: Morto? Apenas humanos podem matar monstros.

Alucard pega sua pistola negra, coloca na boca do vampiro e atira, explodindo a cabeça. Porém o vampiro se levanta e sua cabeça começa a se regenerar.

- ????: Eu disse... que sou aquele que acabará com a lenda conhecida como Aluc...

Ele é interrompido por um tiro no estômago, que o faz cuspir sangue no chão. Mas o ferimento se regenera rapidamente.

- Alucard: Deixe comigo Seras, observe como um vampiro de verdade mata...

Uma névoa negra começa a cobrir o lugar, impedindo a visão do Vampiro.

- ????: Quer brincar de pique esconde agora seu covarde? fica se escondendo nessa névoa e ainda se chama de vampiro de verdade?

O vampiro vê olhos vermelhos entre a névoa e ataca na mesma direção, cortando Alucard ao meio.

- ????: É só isso que você tem?

Ele ouve uma risada vinda de trás e da mais um golpe, decepando a imagem de Alucard. Novamente ouve risadas e vê o brilho dos olhos vermelhos, porém dessa vez vindo de várias direções. O vampiro começa a golpear para todos os lados, e quanto mais imagens ele corta, mais imagens aparecem.

- ????: E... Está com medo?... Apareça se tiver corag...

Novamente é interrompido por tiros, um em cada perna, que o faz cair no chão.

- ????: Você acha que simples tiros podem me machucar?

O vampiro percebe que suas pernas não estão se regenerando.

- ????: O... O que é isso? Onde você está seu covarde?

- Alucard: Atrás de você...

O vampiro usa um de seus braços para virar rapidamente, enquanto o outro golpeia com a espada, porém Alucard quebra a lâmina com um apenas um pisão.

- Alucard: Como se chama?

- ????: Mi... Mike Valentine.

- Alucard: Mike... Valentine... Filho de Luke Valentine?

- Mike: Você matou meu pai seu desgraçado.

- Alucard: Que decepção... Seu pai era muito mais forte do que você... Você terá o mesmo destino que o dele, não se preocupe.

Alucard o pega pelos braços, o levanta e morde o seu pescoço, tomando seu sangue e depois, arrancando a cabeça de seu corpo, jorrando sangue para todo lado.

      //// Risada de Alucard ////

- Seras: Mestre?

- Alucard: Vamos Seras, pegue o que viemos pegar e vamos embora.

- Seras: Certo!

Seras pega todos os papéis e alguns frascos com líquidos estranhos e então os dois vão embora e voltam para Inglaterra. Chegando na mansão Hellsing, Alucard e Seras vão até Vlad.

- Seras: Senhor, aqui estão todos os papéis e alguns dos frascos que estavam no laboratório.

- Vlad: Bom trabalho. Malter, cuide dos papéis e desses frascos.

- Malter: Sim senhor.

Seras e Malter saem da sala, deixando apenas Vlad e Alucard.

- Alucard: Onde está sua mãe, Vlad?

- Vlad: Minha mãe está morta...

- Alucard: Morta... Como?

- Vlad: Isso não importa, agora quem está no comando sou eu.

- Alucard: Mas é claro... Mestre.

Alucard se curva para Vlad.

- Vlad: Espere até a próxima ordem...

Alucard se retira e Malter entra na sala novamente.

- Malter: Os papéis estão sendo lidos e analisados, Enquanto os frascos estão sendo analisados e testados, Senhor.

- Vlad: Muito bem Malter...

              //// Explosão ////

- Vlad: O que está acontecendo?

- Rádio: Senhor, estamos sendo atacados. Repito, estamos sendo atacados.

- Vlad: Quantos são? Quem são? Me responda!

- Rádio: Tem muitos senhor, muitos ghouls uniformizados, com um símbolo de uma mão esquelética e uma mão humana formando uma cruz, quais são as ordens?

- Vlad: Destruam todos, usem todo armamento necessário!

- Rádio: Senhor, Vampiros. Repito, Vampiros.

         //// Gritos no rádio ////

- Vlad: Entenderam a ordem? Respondam!... DROGA... Malter, Acorde ele.

- Malter: Você tem certeza disso senhor?

- Vlad: AGORA!

- Malter: Como desejar.

Malter se retira e vai até o porão, onde há um caixão trancado por selos e correntes. Malter pega uma faca e corta a palma de uma de suas mãos e com o sangue, desenha uma caveira usando uma coroa no caixão, quebrando um dos selos, no outro ele escreve "A morte virá para todos sem exceção, não importa o que você seja", quebrando o segundo selo. No momento que os dois selos são quebrados Alucard aparece.

- Alucard: Já está na hora?

         //// Risada sombria ////

E antes mesmo de Malter poder responder, as corrente se quebram e a tampa do caixão sai voando e bate na parede. Uma presença que traz a morte e o sofrimento ocupa toda mansão Hellsing, assim como o medo no coração de todos que estavam alí. Alucard sente uma coisa que não sentia a séculos... Medo.

Olhos vermelhos que carregam consigo não só a morte, mas tudo o que há de ruim no mundo, é a única coisa que pode ser vista dentro do caixão, então uma voz assustadora é ouvida por toda a mansão.

- ????: Finalmente de volta a este mundo... Já estava com saudade de você meu filho. Também estava com saudade de mim... Alucard?

Continua no próximo capítulo


Notas Finais


Agradeço a leitura de todos, espero que tenham gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...