1. Spirit Fanfics >
  2. Projeto Salvação >
  3. A primeira noite

História Projeto Salvação - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, pessoal! Desculpem a demora, e também porque esse capítulo é um pouco menor do que os outros. Eu vou tentar postar uma vez por semana, mas não posso prometer nada...

Boa leitura!

Capítulo 5 - A primeira noite


Ashley e Ollie ficaram arrasados. Saíram da Cabine de Pilotagem sem nem olhar para trás.

    Os dois estavam voltando para o refeitório, para tentar encontrar Aydan, mas Ollie parou subitamente.

    —Olha o horário! —Ele apontou em seu tablet. Já era tarde, quase nove horas da noite. 

    —O que foi? 

    —Acho melhor a gente se arrumar para dormir. 

    —Certo, acho que é melhor. Nós vamos querer estar descansados para amanhã! 

    —Isso! —Sorriu Ollie— Amanhã vai ser o dia em que todo mundo vai chegar na nave!

    Ashley sorriu em solidariedade, mesmo que estivesse perdendo as esperanças de que isso iria acontecer. 

    Ollie foi saltitando até o dormitório, enquanto Ashley andava mais atrás. 

    Aydan estava dentro de sua cama, assistindo um filme qualquer, desinteressado. Não tinha nem tirado as botas antes de se deitar, e teria dormido assim se não fosse por todo o barulho que Ollie fez ao entrar no dormitório. 

    As botas duras do garoto batiam no chão de mármore como tambores, assustando Aydan, que bateu a cabeça na parte de cima de sua cama. 

    —Você está bem? —Perguntou Ollie, ao ouvir a batida. 

    —Sim. —Respondeu Aydan, abrindo a cama e saindo dela, esfregando a cabeça dolorida. 

    —Mesmo? —Ollie ficou na ponta dos pés para tentar alcançar o topo da cabeça do amigo, mas mesmo assim não estava alto o suficiente. 

    —Sim, sim. Só bati a cabeça. —Aydan riu quando o amigo falhou em ficar mais alto do que ele. 

    —Certo… É que já é quase hora de dormir e a gente não faz a mínima ideia onde encontrar os pijamas. 

    —Primeiramente, hora de dormir? Ollie, não são nem nove horas. Segundo, tenho quase certeza de que todas as roupas estão no vestiário. 

    —Ah, o vestiário. Tinha esquecido dele. —Ollie riu baixinho.— E nove horas é hora de dormir, sim! 

    Aydan e Ashley olharam estranho para ele. 

    Como diria Ollie, a ida até o vestiário foi totalmente desinteressante, exceto talvez que eles agora tinham pantufas. Todos os três dormiram bem naquela noite, e não imaginavam o que aconteceria de manhã. 

 

    “Todos os passageiros, por favor compareçam à sala de reuniões.” A informação foi dada por uma voz feminina robótica por alto falantes no teto do dormitório. 

    Ashley praticamente deu um salto na cama, por sorte não bateu a cabeça, ela saiu do compartimento da cama, disposta. 

    Aydan já não teve a mesma sorte, bateu a cabeça na parte de cima do compartimento da cama antes de sair e ficou com um galo na testa, visto que não foi a primeira vez que isso aconteceu. 

    Ollie acordou atônito, sentindo o mundo girar. Ele demorou a sair da cama, seus movimentos lentos como uma cena dramática em um filme de ação. 

    Ao ficar em pé, o garoto olhou para os lados, confuso.

    —Não foi um sonho? —Ele perguntou, simplesmente. 

    —Aparentemente- —Ashley não conseguiu terminar de falar, já que Aydan deu de ombros e beliscou Ollie, fazendo o garoto mais baixo dar um berro. 

    —Não tinha necessidade. —Murmurou Ollie. 

    —Certo, é melhor nós irmos, deve ser importante. 

    —Você tem razão. Eu só tenho uma dúvida. —Disse Aydan.

    —Fale. 

    —Onde é a sala de reuniões?

    —Ah, a gente acha, é só pegar o mapa. —Ashley pegou o tablet e abriu seu mapa.

    Os três foram caminhando pelos corredores, Ashley e Aydan na frente e Ollie atrás, ainda massageando o braço que doía pelo beliscão do amigo.

—É aqui. —Disse Ashley quando eles chegaram na frente de uma porta de vidro. 

Capitão estava sentado na ponta da mesa, murmurando para si mesmo tão baixo que ninguém mais conseguia ouvir. 

    Aydan limpou a garganta, chamando a atenção do garoto de cabelos pretos, que se levantou e abriu a porta para eles.

    —Ah, não precisava. Nós sabemos abrir portas. —Disse Ashley, entrando na sala e sentando em uma das cadeiras em volta da mesa. 

    —Claro que sim. —Foi tudo que Capitão respondeu.

    —Certo, quais eram as notícias que foram tão importantes para nos acordar? —Apressou Aydan.

    —Sim, se todos puderem se sentar, por favor. 

    Aydan e Ollie se sentaram nas cadeiras ao lado esquerdo de Ashley, quietos. 

    —Nós vamos decolar hoje, depois do almoço. —Disse Capitão, após alguns segundos de silêncio. E sem dizer mais nada, ele saiu da sala de reuniões. 

    —Mas... —A palavra se diluiu no ar, o único som perceptível na sala era a respiração dos três amigos, cada um preso em seus próprios pensamentos. 

 As esperanças de Ollie subiram drasticamente, junto com as suas incertezas. Se eles iam decolar, alguém deve ter chego, não é? Ou talvez algum bunker comunicou que as pessoas chegariam depois do almoço! O pobre coração do garoto batia tão forte com a possibilidade de ver sua família novamente que ele não conseguia respirar. 

Ashley não parecia entender o motivo da decisão de Capitão. Ontem mesmo ele não conseguia nem se comunicar com os bunkers, e hoje eles já iriam decolar? Algo não estava certo. Não parecia realista que todo um plano, bolado anos atrás, desmoronaria depois de um dia, e que eles quatro seriam os últimos seres humanos na Terra.

Aydan já tinha suas dúvidas nesse negócio todo de aliens. Não que ele não acreditasse na existência dessas criaturas extraterrestres!  Muito pelo contrário, talvez ele fosse a pessoa que mais acreditasse neles. Mas seriam os aliens tão abominantes como o governo os faz parecer? Na nem tão humilde opinião de Aydan, não. E para ele não parecia justo que os Estados Unidos eram um dos únicos países que possuíam algum sistema de defesa contra extraterrestres, certamente se eles são tão maus assim, destruiriam o planeta todo, certo? Até porque se só os Estados Unidos fosse destruído, ninguém ia sentir muita falta deles, não seria o fim do mundo. Era assim que pensava Aydan, que vamos lembrar, é americano.

    —Vamos tomar café. —Disse Ashley, se levantando repentinamente. 

    —Café?! —Exaltou Ollie.— Como consegue pensar em comida agora?

    A garota pegou seu tablet, cerimonialmente, e olhou o horário. 

    —Certo, ainda temos tempo antes do café. 

    —Ótimo, podemos usar esse tempo para trocarmos de roupa. —Sugeriu Aydan.

    Ollie olhou para baixo, encarando seu pijama, desanimado para tirá-lo. Estava tão confortável e quentinho! O garoto protestou em forma de um grunhido baixo.

    —Nem vem com essa, a gente não pode ficar de pijama o dia todo. 

    —Aaaa, Aydan… —Disse Ollie, praticamente se arrastando pelos corredores, sendo seguido pelos amigos.

    —Isso, —Disse Aydan, ajeitando o cabelo.— nós temos que estar apresentáveis hoje.

    —Sim! —Ollie deu um pulo, animado subitamente— Arrumadinhos para as pessoas novas! 

    —Como assim, Ollie? —Perguntou Ashley. 

    —As pessoas novas! —Repetiu ele, sorrindo.— Se nós vamos decolar, é porque as pessoas chegaram! Não está animada para ver seus pais, Ash?

    —Estou, estou. —Ela respondeu, cabisbaixa.— Mas não tenho certeza de que é isso que aconteceu. Acho que Capitão teria dito, ou nós já teríamos visto essas pessoas. 

    —Não, não… —A voz de Ollie cada vez mais baixa.— Eles vão vir, eu sei. 

    —Vamos focar em trocar de roupa, depois nós vemos isso. —Disse Aydan, abrindo a porta do vestiário para os amigos entrarem. 

    Os três foram para seus armários e pegaram uma muda de roupas igual a de antes e um par de botas. 

    —A gente vai usar a mesma coisa todo dia? —Perguntou Ollie. 

    —Provavelmente. —Respondeu Ashley, depois de ter se trocado. 

    —Não vamos reclamar. Agora já é hora do café. 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...