1. Spirit Fanfics >
  2. Promessas Vazias - Grindeldore >
  3. Capítulo 9

História Promessas Vazias - Grindeldore - Capítulo 9


Escrita por:


Capítulo 9 - Capítulo 9


Fanfic / Fanfiction Promessas Vazias - Grindeldore - Capítulo 9 - Capítulo 9

Alvo Dumbledore

" O ser humano tem um pendor para escolher precisamente as coisas que lhe fazem mal" 

Foi o que falei mentalmente quando finalmente havia me livrado daquele pacto, céus eu pude sentir como se milhares de facas tivessem cravadas em mim quando ele explodiu, observei as silhuetas aparecem em meio a um espécie de fumaça vermelha e azul, era eu Grindelwald momentos nossos desde do primeiro olhar trocado até o dia em que Ariana morreu, senti as mãos de Newt me ajudando a levantar.

Grindelwald- Sussurrei vendo aqueles negros véus sobrevoarem os céus agora nublados

- É ele Dumbledore, estar acontecendo de novo - Olhei Newt- Ele estar chamando seus seguidores como em Paris

- Não -neguei com a cabeça- não é seus seguidores e sim eu!

- Você vai mesmo fazer isso sozinho?

- Adiei isso por muito tempo, pessoas estão morrendo, preciso acabar com isso - Olhei para o lugar onde até momentos atrás tinha  o objeto com meu sangue e o de Gellert

-Você tá livre agora - Newt olha para o mesmo lugar - Vocês dois estão

- Não, não estamos - Olhei para o céu escuro- Você precisa ficar, vá para com sua família - segurei seu rosto - Não venha atrás de mim, isso é somente entre eu e ele

- Se precisar eu saberei - ele ponhe um dos seus tronquilhos em meu bolso - Leve ele com você eles são bons amigos e podem ajudar

Olhei a pequena criatura se esconder no meu bolso e dou um sorriso para Newt.

- Obrigado meu amigo, agora vá- sentir o vento forte- Vá e fique com sua família

Ele me abraçou uma última vez, correspondi o abraço fortemente

- Tchau Newt - Sorri e aparantei

                         G. Grindelwald

- Você confia em mim... não confia? - perguntei olhando o rapaz nos olhos  - Lembre que seu próprio irmão pode mata-lo

Ele encolheu os ombros concordando levemente desviando o olhar

- Você conseg... - Cair para o lado me apoiando na pequena mesa derrubando os objetos de cima

- Senhor Grindelwald - Ouvi a voz carregada do sotaque francês próximo do meu rosto

Era como facas perfurando meu peito, coloquei uma das mãos no local e respirei fundo desviando meu olhar para a mulher que me ajudava a levantar, sentir o corte na minha mão arder e a estendi na frente do rosto

- o que estar sentindo?

Não respondi a mulher e olhei para Credence parado no canto do quarto

- Acabaremos com a Europa de uma só vez hoje... Se preparem - falei em tom alto - Chegou o grande dia

Observei cada um aparantar me deixando sozinho

- Maldito Dumbledore -Chutei um pequeno banco longe - Idiota, idiota, idiota - praguejei socando uma  almofada e respirei fundo passando as mãos no cabelo voltando a organiza-los, andei até a sacada da janela e apontei a varinha para o céu lançando véus escuros  - Venha até mim Alvo Dumbledore

[...]

Aparantei no centro de Paris e olhei o ministro com as mãos presas e o rosto no chão, caminhei lentamente até ele me abaixando para encara-lo

- Onde estão seus aurores preciosos? - passei o dedo sobre um corte na sua   sobrancelha

- Você me dá nojo - ele falou com dificuldade

Passei o dedo em seus lábios e ele me olha assustado

-Você vai me agradecer depois - fiz um pequeno bico com a boca - Sabe, cortar a língua tem seu lado bom - me levantei - Você aprende a conversar com sua mente - chutei seu rosto

- Você bem que precisa não é? - Ouvir a voz grossa e fechei os olhos em um sorriso virando meus pés para o observar

Alvo Dumbledore estava ali a alguns passos de distância, bem vestido e cabelos um tanto bagunçados por conta do vento, segurando sua varinha apontada para o chão, aquela cena era familiar

- Alvo Dumbledore senhoras e senhores - abrir os braços  - O grande bruxo Alvo Dumbledore - repeti

Caminhei até próximo dele

- Gellert por favor - ele estendeu uma mão na minha direção  - Pare com isso

- Enfim você veio atrás de mim, a escola ficou chata? - olhei para sua mão estendida na minha frente

Ele entortou a boca brevemente e continuou me olhando mas sua atenção se dirigiu para o rapaz atrás de mim

- Você é Alvo Dumbledore? - Ouvi a voz do rapaz e me virei para encara-lo

- Aurellius Dumbledore - Virei para Alvo que me olhou confuso  - Esse homem aqui é Alvo Dumbledore o irmão que arruinou sua vida  - dei um sorriso

- Gellert? - Alvo piscou duas vezes confuso e me aproximei da sua orelha

- Flamel é velho e alguns ossos quebrados revelam segredos obscuros meu amor, posso ter apenas ocultado alguns detalhes e acrescentado outros mas não faz diferença para um garoto que nasceu de um experimento não é? - O olhei uma última vez e virei o rosto para Aurellius

- Credence - Ouvi Alvo - Não sei o que Grindelwald falou a você mas nós podemos conversar sem usar a violência, por favor abaixe sua varinha

Andei até Aurellius e me coloquei atrás dele  aproximando minha boca da sua orelha enquanto olho Alvo com as mãos enfrente o corpo

- Lembre-se o que ele fez com você - Segurei sua mão com a varinha apontando na direção de Alvo

- Credence você é bem melhor que isso, você é bom e não quer ferir ninguém eu tenho as respostas que procura - Alvo deu dois passos em nossa direção - Se você soltar a varinha podemos conversar

- Um daqueles imperdoáveis que te ensinei  Aurellius - Falei olhando o rosto de Alvo

- Por favor, Gellert estar usando você assim como me usou - ele apontou para si próprio - Eu sei que estar confuso mas isso tudo não é sobre você e sim sobre erros meus

Franzi o cenho segurando a mão do rapaz fortemente

-Agora Aurellius - Sacudi sua mão observando o raio vermelho indo na direção de Alvo que desviou o feitiço na direção de um dos meus seguidores

- Solte ele Gellert  - ele gritou enquanto se defendia de mais dois feitiços lançados em sua direção

Eu iria acabar com aquilo nem que eu ou Alvo acabasse morrendo, se Alvo morresse não seria pela minhas mãos e sim de Credence filho do projeto entre ele e Flamel, observei Alvo desviar de todos os feitiços que o rapaz lançava em sua direção, alguns com dificuldade outros com facilidade, corri o olhar para o encontro de alguns curiosos que estavam parados olhando o duelo mas minha atenção foi roubada quando ouvi o grito de Credence virei meu rosto rapidamente para a direção e encontrei um Alvo olhando para a bolha de água que havia colocado o rapaz,  o obscurial nele estava se manifestando sem efeito algum contra o feitiço

- Isso é entre nós Gellert - ele balançou a varinha formando uma barreira deixando somente alguns dentro e olhou para o ministro - Finite

Olhei para o homem que levantou apontando a varinha minha direção e para o rosto já conhecido por mim que acabara de aparantar ali, Newt o ex aluno fiel a  Dumbledore

-Gellert  Grindelwald- ouvi o ministro - Renda-se e você não precisará sofrer severos danos

- Ora seu insolente- Sacudir a varinha em sua direção fazendo ele voar longe - Acha que pode se quer chegar perto de mim?

Cuidei de mais dois aurores que nem se quer tiveram a chance de abrirem a boca

- Protego - Falei olhando para Alvo que acabara de lançar um feitiço em minha direção

- Newt agora - Ele falou e olhei para o animal grandioso que saiu da mala de Newt

Apontei a varinha na direção de Credence desfazendo a bolha de água libertando o obscurial que foi na direção de Alvo e Newt, sacudi a varinha acima da cabeça e sentir a chuva forte cair junto com descargas elétricas que atingiam o animal

- Não - olhei o rapaz fazer uma barreira ao redor da criatura

- É uma pena você ter que morrer - Falei observando ele sufocar mais e mais enquanto eu fechava a minha mão devagar  - Mas você morreu por causa de Alvo Dumbledore e não por causa de mim

- Cuidem do obscurial  - Alvo correu na minha direção  - Nós vamos para outro lugar - senti ele me derrubar

Aparatamos em uma espécie de praia, levantei rapidamente e observei Alvo com a varinha apontada em minha direção

- Nós começamos isso juntos - Ele começou - E vamos terminar isso juntos Gellert.

....



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...