História Prometida do rei vampiro (EM REVISÃO!) - Capítulo 38


Escrita por:

Postado
Categorias The Originals
Personagens Elijah Mikaelson, Personagens Originais
Tags Elijar, Jessyelle, Lobisomens, Seres Sobrenaturais, The Originals, Vampiros
Visualizações 408
Palavras 1.642
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa noite meu amores? como vocês estão? Eu espero que bem! Pois eu estou muito bem, e se vocês não estiverem bem eu espero que fiquem com esse capítulozinho que fiz com bastante amor para vocês!


Então vamos ler?


Boa leitura 😉

Capítulo 38 - Capítulo(38) Não revisado.


Fanfic / Fanfiction Prometida do rei vampiro (EM REVISÃO!) - Capítulo 38 - Capítulo(38) Não revisado.

UMA SEMANA DEPOIS:


Uma semana! Faz uma semana que ela não acorda, uma semana que eu não posso ver aqueles lindos olhos azuis, uma semana que eu não posso respirar sem ter paz,  uma semana que eu não posso ver aquela lindo sorriso tímido, em uma semana eu decolei dez humanos.


Não consigo me perdoar pelo que aconteceu a ela, foi minha culpa aquilo ter acontecido, eu deveria ter feito alguém chegar, todos que sujaram as mãos nisso vão pagar por ter feito a sofrer, por ter me feito eu sofrer, eu irei achar o culpado disso tudo.


pego o meu copo que estou bebendo cheio de whisky o jogo com toda força na parede fazendo o quebrar, Respira fundo e passo minhas mãos nos meus cabelos como sinal de nervosismo.


De repente escuto alguém bater na porta, não respondo, mais essa pessoa insiste em bater, sinto meus olhos voltarem ao normal, Olho para a porta e veio à cabeça de Thayla para dentro do escritório, eu a olho e aceno com a cabeça em sinal que ela pode entrar.


- Senhor? eu queria pedir, ou melhor eu queria perguntar se eu poderia visitar a rainha no vosso quarto, se o senhor permitir é claro!_ olho para a Thayla que me olha com um olhar piedoso, sei que está com pena de me.


- Nãonão precisa e sua pena_ digo a olhando calmo e me sento na cadeira sem tirar os olhos dela.


- Senhor? Eu não estou com pena do senhor!_ ela diz me olhando firme.


- Ah não?_ pergunto com a sobrancelha arqueada.


- Não!_ ela diz firme, me fazendo sorrir com deboche.


- Você encontrou o seu Prometido. Não cheguei a te dar os parabéns por sua felicidade_ eu digo a olhando esperando sua reação.


- Não precisa me dar os parabéns Senhor, além disso não estou sentindo nenhuma felicidade_ ela diz olhando para qualquer lugar menos para me e vejo seu olhar vazio.


- Eu sinto muito_ digo sem dar importância e vejo quando ela me olha.


- Sente é? Por que acho que o senhor sempre soube quem era meu Prometido?_ ela diz e vejo que seus olhos contém raiva ou até ódio, é isso me faz gargalhar.


- Você está certa em uma coisa Thayla, eu sempre soube quem era seu Prometido, e eu de verdade sinto muito_ eu digo sério.


- Por que nunca me disse que era ele?_ ela pergunta e vejo que seus olhos estão lacrimejantes.


- Eu não diria nem se pudesse Thayla, o Niklaus comenteu um  grande crime, e essa foi sua sentença... Ficar longe da sua Prometida_ eu digo e vejo seus olhos arregalados.


- Mais eu não tive culpa de nada, eu nem sei qual foi o crime... Por que eu também tive que pagar? Por que quando eu o olho sinto raiva dele? Por que?_ ela diz e tenta segurar as lágrimas, olho para ela sem emoção.


- Mesmo sem você sabe qual foi o crime, você sente que ele é culpado, e isso te faz sentir raiva dele, você sente um desejo insano de mato-lo_ eu digo e vejo seus olhos arregalados ficarem desisperando.


- M-Mas eu posso machuca-lo? Eu posso mata-lo?_ ela me pergunta.


- Mesmo que você se descontrola-se você não poderia o feira por três motivos_ digo já sem emoção para essa conversa.


- Quais são essa três?_ ela pergunta me olhando já mais calma.


- Primeiro: ele é seu Prometido, você jamais o machucaria pois o seu amor por ele é maior que o desejo de vingança_ eu digo e a vejo corar me fazendo revirar os olhos.


Queria que quem estivesse corando aqui bem na minha frente, fosse a minha pequena, só de lembrar dela me sinto excitado... Como quero enterrar o meu pau naquela bocetinha pequena, e retirar a virgindade que tanto me pertence!


- Eu não o amo_ escuto a voz da Thayla me tirando dos meus devaneios, olho para ela e suspiro.


- Você o ama, a pura evidência disso é que você está negando, e além do mais... Acontece amor a primeira vista com vampiros_ eu digo.


- Mais eu não sou Vampira_ ela sussurra.


- Uma mestiça, tem sangue vampiro correndo em suas veias, aceite isso que foi menos_ me levando da cadeira.


- Quais os outros dois motivos para eu não conseguir mata-lo?_ ela me pergunta, me viro para ela e dou um sorriso sarcástico.


- Seus poderes não funciona com ele e isso o torna mais forte do que você, e terceiro ele é um original e quando acontece você também será_ eu digo e vejo quando ela se engasgar me fazendo gargalhar.


- Eu posso ver a rainha?_ ela muda drasticamente o assunto me fazendo dar um sorrisinho pois lembrei dela.


- Sim, você pode_ digo e me viro para a janela.


- Obrigado tio_ ela diz e escuros seus passos em direção a porta.


- Thayla?_ a chamo e escuto seus passos cessarem.


- Sim?_ ela diz.


- Agora somos cunhados, então acho que você deve me chamar de Elijar_ digo e escuto seu coração ficar acelerado e riu.


- Como quiser Senhor_ ela diz e de repente estou sozinho.


Depois que a Thayla encontrar o Niklaus ele está diferente, ele está diferente, bem o motivo está claro, e será resolvido!


Jessyelle...


Como sinto falta de poder ver aqueles olhos azuis, de ver aqueles lindos lábios serem abertos para falar besteiras, como sinto falta da minha pequena.


Ela vai acordar! Ela deveria ter acordado uma semana atrás, mais o céu medo a impede, mesmo que ela queira, ela tem que ser primeiro corajosa, e isso sei que ela é.


Espero que não demore.


Respiro fundo, dou uma olhada para o teto e respirou novamente... Sinto um cheiro família e sinto meus olhos ficarem vermelhos, sinto meus dentes ficarem afiados e de repente estou correndo em direção a esse lugar.


Sangue! Sangue humano!


THAYLA NARRANDO:


Para em frente ao quarto em que a Jessy se encontra, respiro fundo sentindo um medo que não sei de onde veio.


Respiro novamente, coloco minha mão na maçaneta da porta e giro em direção ao contrária, ela abre bem lentamente me dando a visão da Jessy deitada na cama.


Entro bem lentamente, olho para ela que parece relaxada na cama, parece que dorme tranquilamente.


Na verdade, ela está dormindo mesmo! Mais isso vai ser temporária, é só ela querer.


- Amiga! Como eu sinto a sua falta_ digo e me aproximo dela que dorme tranquilamente.


Me sento na beira da cama a olhando, ela parece tranquila, parece me paz, não parece que está querendo acorda.


- Você tem que acordar... Precisa-mos de você, o tio Elijar precisa de você, eu preciso de você_ eu digo e sinto meus olhos ficarem marejados.


Eu não sei o que acontece, mais eu sinto que já a amo, sinto que ela é minha irmã de outra mãe, sinto que não posso perde-la.


- Amiga, não me abandone... Por favor, eu preciso tanto de você_ eu digo e sinto uma lágrima insistente descer pelo meu rosto.


Olho para ele e não acontece nada, nenhum sinal que ela vá acorda, nenhum sinal que ela está me escutando.


Chego perto dela e dou um pequeno beijo na sua testa em forma de despedida.


- Eu te amo_ digo e vou me direção a porta.


Saio por ela e de repente sinto meus corpo ficar arrepiado, para com esse ato.


Olho para os lado e não vejo nada, olho para frente e continuo a não ver nada, me viro lentamente sentindo meus corpo se arrepiar cada vez Mais.


Quando estou completamente virada para trás, eu o vejo. Ele está de calça jeans,  uma camiseta branca, e uma jaqueta de couro marrom.


O Niklaus me olha com um olhar diferente, o seu olhar contém malícia, dês que nos encontramos ele não disse uma palavra, ele mal me olha e eu faço o mesmo.


De repente sinto um vento bater em meu rosto, e vejo que ele está bem na minha frente, está a centímetros do meu rosto.


Ele olha nos meus olhos e eu olho nos deles, eu não consigo mi me mexer, parece que o meu corpo não obedece mais aos meus comandos.


- Você é tão linda_ o Niklaus diz e passa seu polegar por meu rosto indo em direção a minha boca.


- O que está fazendo?_ sussurro sem conseguir me mexer.


- Antes você não falava, agora até pergunta sabe fazer?!_ ele diz sarcástico, eu olho para ele e saio do meu transe.


Volto a olha-lo e me afasto dele, mais em seguida sou puxada em direção ao seus grandes e deliciosos músculos.


- Me soltar_ digo tentando o fasta de me.


- E se eu não quiser?_ ele diz e de repente Sinto minhas costas serem prensadas na parede.


Sinto suas mãos descerem em direção a minha coxa e isso me faz soltar um suspiro.


Eu não deveria permitir, mais a ligação é forte demais, e só ele pode parar isso, pois não tenho força o suficiente.


Olho me seus olhos e vejo que neles contém malícia, luxúria desejo e... Amor. 


Sinto que quando seus lábios são prensados contra o meu com brutalidade e ao mesmo tempo como se fosse carinhoso.


Não consigo evitar e acabo correspondendo ao seu beijo, seu beijo é doce mais também quente, é bruto mais também carinhoso.


Sinto quando ele desce sua mão em direção a minha coxa e ele a aperta me fazendo gemer, ele puxa minha coxas para cima me fazendo entrelaçar minhas pernas em sua cintura, de repente sinto algo duro no meio delas é isso me faz sentir arrepiada.


Mais em momento nenhum ele desgruda sua boca da minha, ele a ataca com fome e isso me faz me sentir molhada, sinto quando já estou ficando sem ar e ele separa nossas bocas com celinhos, ele me olha nos olhos.


- Vem para o quarto comigo?_ ele pergunta me olhando nos olhos e ainda apertando minhas coxas.


O que vou fazer? Eu não consigo resistir a ele, a nossa ligação é muito forte e só ele consegue resistir a ela! Ele é mais forte do que eu, ele pode resistir a ligação porque... Ele a controla!


Droga, eu estou perdida!


Notas Finais


Então povinho esse é o capítulo de hoje, espero que tenham gostado!


Então, até a próxima.


Beijinhos no ar 😘😘😘😘😘😘 😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...