1. Spirit Fanfics >
  2. Prometido - Jikook >
  3. Feel

História Prometido - Jikook - Capítulo 6


Escrita por:


Capítulo 6 - Feel


[❁❁❁]




Jimin e Jungkook haviam se tornando uma bagunça de tapas, mordidas, beliscões, puxões de cabelo, arfares e beijos longos e molhados, até se encostarem em uma das paredes do quarto do príncipe da lua.

Embora relutasse para fugir dos braços do outro, Jimin simplesmente amolecera nos braços fortes do moreno após um tempo sentindo os lábios saborosos e exigentes do noivo. Sentiu seus braços sendo presos entre seu peito e o peitoral firme do outro, enquanto seus lábios eram sugados continuamente, como se degustados com força. Fizera o mesmo com o príncipe, mesmo que fosse seu primeiro beijo, fazia exatamente o que o moreno queria; beijava-o com tanta vontade quanto ele mesmo.

As línguas se encontraram afoitamente, fazendo o estalo molhado despertar Jimin, e um tapa forte e bem medido ser prontamente dado no rosto do outro ao se afastar abruptamente.

— Como ousa?! — ditou passando a mão na face esbofeteada, enquanto as bochechas de Jimin se tornaram vermelhas e seus olhos furiosos em questão de segundos.

— Como ousa você Jungkook! Foi para isso que mandou-me até aqui? — gritou, uma veia pulsava em meio aos fios loiros soltos por sua testa.

— Sabe bem que a resposta é não. — abaixou o olhar para o chão, colocando as mãos na cintura.

A esta altura poderia jurar que o álcool que havia ingerido anteriormente tinha sido tirado de seu sangue pela bofetada forte e ardida que o príncipe havia lhe dado.

— Não tinha o direito de me agarrar dessa forma — ditou exaltado.

— Não diga como se não estivesse apreciando esse beijo tanto quanto eu — passou as mãos pelos cabelos, ajeitando-os, desfazendo a bagunça anterior.

— Era o meu primeiro beijo, não tinha como apreciar nada. Você roubou isso de mim! — acusou, mesmo que não fosse realmente verdade.

Jungkook queria sorrir de satisfação com o que descobrira, mas se manteve estável, ainda estava possesso por conta da ardência do tapa.

— Então porque diabos me correspondeu?! Se não estivesse gostando teria me batido antes — encarou-lhe nos olhos, resistindo a voltar a beijar-lhe os lábios inchados e avermelhados pelas suas mordidas anteriores.

— Estúpido! Você é estúpido! Não tem a mínima consideração pelo próprio noivo!

— Não diga bobagens! Eu não imaginava que se guardava tanto para outro — cuspiu com puro ódio, embora não quisesse parecer tão desesperado e com ciúmes.

— Não justifique seus atos me ofendendo Jungkook! — gritou, o choro lhe inrompendo a garganta furiosamente.

— Por acaso está pretendendo dar a sua pureza para este infeliz?! Diga-me quem é ele e terei o prazer de afogá-lo no mar!

Jungkook olhou-o esperando alguma resposta afiada. Não gostava da idéia de não tê-lo nas mãos, muito menos de imaginar que este poder pertencia a outro.

— Eu deveria ter partido enquanto eu podia. Saiba que não faço gosto algum em me casar com alguém como você... — ditou, a voz estava trêmula, mas apenas limpou as poucas lágrimas que tinha no rosto e lhe dirigindo um último olhar indignado antes de sair pela porta sem se atrever a olhar para trás, embora soubesse que Jungkook havia se posto a andar logo atrás de sí.

— Espere... Ainda quero lhe apresentar o nosso povoado. — olhou-o por longos segundos silenciosos antes de ouvir uma resposta — Não está ansioso para conhecer seu povo?

— Está bem. Mas não se atreva a encostar em mim novamente — ditou, parando no corredor e se voltando para olhá-lo diretamente nos olhos.

— Não farei — garantiu com a voz mansa, embora quisesse muito sentir os lábios doces do noivo nos seus.

— Ótimo — assentira devagar com a cabeça, seus mínimos detalhes sendo observados minuciosamente por Jungkook.

— Vamos? — apontou para o extenso corredor.







•❁•°•❁•°•❁•°•❁•°•❁•









O príncipe parecia encantado com cada uma das pessoas que passavam ao seu lado. Praticamente ignorava a presença de Jungkook enquanto se entretia com cada uma das tendas ao longo da feira. Haviam ido com trajes comuns, pretendiam não serem notados por ninguém enquanto passeavam por entre às pessoas.

— Deseja comer algo? — perguntou, vendo Jimin olhá-lo um tanto assustado por ter se esquecido da presença do outro.

— Temos tempo? Podemos comer quando voltarmos, não se incomode Vossa alteza...

Jimin voltara a observar em volta. Os cabelos loiros estavam trançados e delicadamente postos por debaixo do capuz, escondendo boa parte de sua beleza. O príncipe havia se perdido nos olhos azuis quando estes se voltaram para sí, havia algo especial nas duas esferas azuladas como o mar e Jungkook adoraria desvendá-los.

— Eu conheço um bom lugar por aqui — parou, olhando em volta.

Era um lugar não muito longe, mas precisava se concentrar para achá-lo. O movimento de pessoas e carroças era um tanto maior do que previa.

— Se você diz — deu de ombros, passando a segui-lo por onde quer que fosse.

Caminharam juntos até adentrarem uma das tavernas' ao longo do caminho. Era um lugar aconchegante e de pouco movimento. Sentaram-se em uma das mesas mais afastadas e pediram o almoço do dia. O silêncio entre ambos era de certa forma, confortável. Visto que ambos se perdiam em lembranças sobre algumas horas atrás, sequer se atrevendo a insistir em algum assunto.

Tomaram a sopa calmamente e partiram logo em seguida. Ninguém do povoado prestava atenção em ambos, todos seguiam focados em suas rotinas o suficiente para ao menos notar que ambos os príncipes tinham os olhos atentos em cada um deles, e assim faziam o caminho de volta ao castelo ainda em silêncio.

— Então, o que achou?

Estavam no corredor que levava para os aposentos reais, lado a lado numa caminhada silenciosa, até que o príncipe finalmente decidira por fim ao silêncio que fazia-o ter pensamentos impróprios sobre os lábios do noivo.

— As pessoas são ótimas, é bem melhor do que eu esperava... — seus lábios se apertaram um contra o outro assim que terminara de pronunciar o curto murmúrio.

— O que quer dizer meu príncipe? — olhou-o, parando no meio do caminho.

— Muitos me disseram que as pessoas daqui tinham costumes assustadores, creio não seja necessário repetir tais coisas.

— As pessoas gostam de contar inverdades — ditou, assistindo quando o outro assentiu devagar. — De qualquer forma, descanse por hoje...

— Digo o mesmo vossa alteza...

Um sorriso fraco se formara aos poucos na face do príncipe assim que assistira o noivo adentrar seus aposentos para descansar do passeio. Uma dúvida pequena fluiu em sua mente sobre qual seria o significado daquele frio que sentira no fim da barriga, assim como as suas mãos suadas quando o outro lhe olhara antes de separar-se de sí, colocando a porta entre eles, porém se dirigiu ao seu quarto de estudos para questionar ao conselheiro real quem estava inventando mentiras sobre seu reino.





As reações estranhas de seu corpo poderiam esperar.




•❁•°•❁•°•❁•°•❁•°•❁•


Notas Finais


Oi, eu não costumo fazer isso, mas eu preciso ser sincero...
Eu não estou satisfeito com a minha escrita e sinceramente??

Talvez um hiatus me faça bem...
De qualquer forma, muito obrigado por ler até aqui, espero que tenha gostado 💛


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...