História Promiscuous Boy - Namjin - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Namjin, Namseok, Sugamon, Taejoon, Yaoi
Visualizações 59
Palavras 1.435
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom dia amores ❤

Capítulo 2 - A ilusão de uma vida supostamente perfeita.


Fanfic / Fanfiction Promiscuous Boy - Namjin - Capítulo 2 - A ilusão de uma vida supostamente perfeita.

Namjoon teve a brilhante ideia de oferecer seus serviços de segurança profissional (O qual essa experiência nunca existiu), para que conseguisse ao menos dinheiro para pagar as contas de casa, assim sua mãe o deixaria em paz. Passou a ir em portas de boates pedindo emprego, dizendo que já havia trabalhado como segurança, pelo seu porte físico, os donos acreditavam nas histórias mirabolantes que inventava. Ele dizia que mantinha a ordem nos locais que já trabalhou, que todos o respeitavam, apesar de nem a própria mãe o respeitar, mas o mesmo queria acreditar naquilo, queria acreditar que poderia ser útil em algo e talvez Jin o aceitasse de volta.

Então, o dono de uma boate, cujo nome Kim Taehyung, o contratou para trabalhar aos sábados, ajudando na segurança do salão. O garoto estava tão feliz com aquilo, contou para a mãe que agiu indiferente. – Não faz mais que a sua obrigação. Quanto vai receber? Temos contas de água e luz para pagar, o leite do Jungkook acabou, estou dando mingau de fubá doce a ele.

A mulher amarga despejava a sua frustração no garoto que tinha os olhos marejados ao ouvir que seu irmão não tinha o leite que pra ele era sagrado. – Eu vou dar um jeito mãe. – As lágrimas escorriam quando Jungkook se aproximou agarrando as pernas de Namjoon pedindo colo ao irmão. O mais velho era loucamente apaixonado pelo pequeno e se precisasse dar sua vida por ele, Namjoon o faria sem pensar duas vezes, o mais velho sempre dizia que queria ser o espelho para Jungkook, um bom exemplo para o bebê aprendesse apenas coisas boas e fosse um bom homem.

- Seu mano arrumou emprego Kook. – Namjoon contava com tanta alegria e sua felicidade aumentou quando Jungkook começou a bater palmas, ele ainda não falava muito bem mas expressava que amava o irmão. – Agora o Nam vai pagar um fonoaudiólogo pra você maninho. – Namjoon falou sorrindo e o pequeno sorriu de volta dizendo seu apelido. – Nam...

Namjoon lhe deu um beijinho na bochecha, colocou Jungkook no chão e foi até o seu quarto se arrumar para o primeiro dia de trabalho, mas antes, mandou uma mensagem para Jin, na esperança de o ex-namorado ficar feliz.

“Príncipe, eu consegui um emprego como segurança na boate do senhor Kim.”

Enviou a mensagem e ficou esperando uma resposta, logo depois Jin respondeu.

Mentira.”

Os olhos de Namjoon se encheram de lágrimas, mas ele tinha consciência de que a culpa era inteiramente dele por ter enganado Jin por tanto tempo. – Dessa vez não é... – Falou para si mesmo com a voz falhada e respondeu.

“ Dessa vez não é amor. Começo a trabalhar hoje. Eu juro. Acredite em mim Jin, por favor?”

Namjoon deixou o celular em cima do criado mudo, pegou a toalha e foi para o banheiro, e nesse período, Jin respondeu.

Eu realmente sinto muito por não conseguir acreditar mais em você Nam, mas a culpa não é minha.”

O mais velho terminou o banho, enrolou a toalha em sua cintura voltando para o quarto em seguida e ao ver a mensagem do amado, sentiu a dor da rejeição mais uma vez e ali pôs-se a chorar.

Eu sei amor. A culpa é minha mas só me dê uma chance de provar que eu mudei? Eu sinto tanto sua falta Jin...”

Enviou a mensagem e esperou alguns minutos, sem resposta, ele deixou o celular de lado e começou a se arrumar para o trabalho. Vinte minutos se passaram, Namjoon já estava pronto para sair, pegou seu pequeno no colo lhe dando vários beijinhos na bochecha, fazendo Jungkook dar gargalhadas com o carinho do irmão.

- Vê se trás dinheiro pra casa... – A mãe falava de costas para ele, enquanto arrumava o jantar do pequenino.

- Vou trazer mãe. – Ele suspirou olhando para a mulher que não tinha carinho por ele e foi surpreendido por beijinhos de Jungkook em sua bochecha logo depois duas palavras que para Namjoon era como se ganhasse o mundo.    – Amo... Nam...

O mais velho sorriu retribuindo os beijinhos no pequeno. – Nam também ama você bebê.

Deixou Jungkook sentado na cadeira, pegou a mochila e abriu a porta da sala dando de cara com Jin, que ia bater naquele exato momento. Seus olhos brilharam, seu coração acelerou e um lindo sorriso se formou lentamente em seus lábios.    – Jin...     – Namjoon apenas sussurrou o nome do amado que estava em sua frente, com o semblante sério porém aliviado ao ver o mais velho arrumado para o trabalho.     – Eu... Eu...

Namjoon não conseguiu terminar a frase e abraçou Jin com toda a força do seu amor sendo retribuído imediatamente.      – Eu amo você Jin. Eu juro que é verdade. Eu amo você.

- Eu também amo você Nam. Por favor, não mente mais pra mim. Por mais que vá me doer, só diga a verdade.

- Eu prometo amor. Eu juro.

Namjoon era tomado por lágrimas, Jin as secava delicadamente e o beijava em seguida. – Eu juro que vai ser diferente agora meu amor.

- Eu estou confiando em você mais uma vez, Nam. Não quero me arrepender.

- Você não vai.

Namjoon sorriu lhe dando um beijo lento e olhou no celular a hora. – Tenho que ir amor. Meu primeiro dia.

- Tudo bem. Quando chegar me liga.

- Com certeza.

Deram um último beijo e saíram de mãos dadas, Namjoon deixou Jin em casa e tomou um ônibus para ir para o trabalho.

A noite de Namjoon foi bastante agitada, colocou para fora da boate, alguns caras que estavam brigando, mostrou mesmo eficiência mesmo que não tivesse experiência com aquilo. Kim Taehyung o observava o tempo todo, como o garoto se saia bem em afastar bêbados das dançarinas e apartar qualquer tipo de confusão.

Hora ou outra mandava uma mensagem para seu amado, sendo respondido rápido por ele, que já morria de saudades e estava louco para amanhecer para matar a saudade.

Ao final da noite, Kim Taehyung chamou Namjoon até seu escritório para fazer o pagamento do garoto. O menino entrou na sala, Taehyung apontou o lugar para que ele se sentasse e o mesmo se sentou confortável.

- Kim Namjoon não é?

- Sim Senhor... – Namjoon o olhava com a satisfação de um bom trabalho e o homem o encarava sério.

- Quanto tempo de experiência nesse ramo, Namjoon?

O garoto arregalou os olhos tentando encontrar uma desculpa boa o bastante para continuar trabalhando. – Tenho 5 anos senhor... de experiência.

Taehyung pegou a ficha que Namjoon preencheu para a vaga e a lia cautelosamente.

- Então o senhor mentiu sobre a sua idade, pois aqui consta que tem 18 anos. Ele admira muito um garoto com 13 anos já ter vida profissional ativa.

Namjoon engolia a saliva com dificuldade pensando no que dizer mas acabou se entregando. – Me desculpe senhor. Eu estava tão desesperado para começar a trabalhar que...

- Eu sei garoto. Pesquisei sobre sua vida, ou acha mesmo que sou burro o bastante para acredita que um moleque de 20 anos tem experiência em segurança?

- Se sabia, porque me deu o emprego?

- Porque vi que tem potencial. Só não sabe como usá-lo. – Taehyung pegou um envelope com a quantia do pagamento de Namjoon pela noite e lhe entregou. – Pode ganhar muito mais que isso.

Namjoon olhou o valor no envelope, em torno de 500 dólares, elevou o olhar para Taehyung que sorria quadrado e falou :

- O senhor vai me contratar para ser fixo?

- Talvez você ganhe muito mais do que ganharia como segurança de boate.

- Eu quero senhor.

Taehyung deu uma risada com a empolgação do garoto e falou num tom bem sério.

- Você ainda não sabe da minha proposta.

- Ainda assim eu quero senhor. Eu preciso trabalhar.

Taehyung mordeu o lábio inferior, tirou um cartão azul Royal da gaveta com letras prateadas. – Me encontre nesse endereço amanhã às 21 horas. Lá você irá descobrir o que tenho para você.

Namjoon pegou o cartão afoito, com um sorriso nos lábios irradiando felicidade. – Estarei lá senhor. Muito obrigado por me ajudar.

- Na verdade, é você quem vai me ajudar.

Namjoon se levantou esticando a mão para cumprimentar Taehyung que falou antes que o garoto saísse da sala. – Não diga a ninguém sobre essa conversa. Para todos os efeitos você é segurança.

- Sim senhor. Conte comigo.

E o garoto saiu dali feliz da vida, queria passar num mercado para levar o leite do seu irmão mas aquela hora estava tudo fechado. Então, foi para casa com o coração preenchido de esperança que sua vida mudaria para melhor.


Notas Finais


Vou tentar não demorar para postar ela ❤

Bjos 💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...