História Promiscuous Boy - Namjin - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Namjin, Namseok, Sugamon, Taejoon, Yaoi
Visualizações 49
Palavras 2.181
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa tarde amores meus.
Bora ler?

"Não procuro saber as respostas, procuro compreender as perguntas..."
Confúcio

Capítulo 3 - Humilhado mais uma vez por ela.


No dia seguinte, após fazer compras no mercado, alegrando o seu pequeno bebê, Namjoon tirou o dia para curtir o namorado.


Ligação On

- Amor, se arruma que daqui a uns 20 minutos passo aí pra te buscar. – O moreno ligou para o amado antes de tomar banho.

- Onde vamos?

- Quero matar a saudade agora pois a noite tenho compromisso.

- Vai trabalhar?

Namjoon pensou um pouco antes de responder, suspirou fundo e sorriu. – Sim vou. Agora sou um homem empregado então, temos que aproveitar o tempo em que eu estiver livre.

- Tudo bem amor. Te espero.

Ligação Off


Namjoon desligou o telefone entrando logo no chuveiro, tomando um banho rápido, voltou para o seu quarto feliz demais quando sua mãe, que por um milagre divino não estava bêbada e derrotada no sofá, entrou em seu quarto, o garoto apenas de toalha deu um pulo pelo susto da porta se abrindo rápido e falou:

- Nossa mãe! Esqueceu que tem que bater antes de entrar?

- E você esqueceu que a casa é minha? Cadê o dinheiro?

O garoto engoliu a saliva com dificuldade e a olhou com tristeza. – Que dinheiro?

- O que você recebeu de ontem.

- Eu fiz compras pra casa mãe, paguei algumas contas atrasadas. O que sobrou vou levar o Jin pra passear.

- Não vai não. Me dê.

Ele a encarou incrédulo com o que acabava de ouvir.    – Claro não vou lhe dar nada. Eu trabalhei por ele, uma noite inteira sem dormir. Vou levar o meu namorado para passear.

A mulher alterada se aproximou lentamente do filho, com um sorriso maléfico nos lábios e falou, fazendo o garoto recuar:

- Você é um mentiroso, Namjoon, não vale a sua cueca suja que veste. Você e esse moleque. Eu tô mesmo fodida, teu pai não foi homem nem pra te ensinar o certo e agora eu quem tenho que cuidar da merda que ele fez.

Aquelas palavras tão pesadas, caíram como uma bomba no coração do moreno que ainda não acreditava nas ofensas que ouvia. Seus olhos se encheram de lágrimas mas ele não as permitiu cair.        – Eu pensei que... que os pais deveriam amar seus filhos independente do trabalho que tiveram, afinal, filhos fazem parte dos pais...      – O garoto arrasado fez uma pausa nas palavras, sorriu com tristeza e completou. – Mas estava enganado. Não se preocupe mãe (Se é que ele podia lhe dar esse título), se tudo der certo no meu trabalho, vou te poupar de ter a decepção de olhar para seu filho todos os dias.

Namjoon virou - se de costas deixando as lagrimas escorrerem sem que a ( bruxa... oops... ) a mãe percebesse e pegou sua roupa para vestir.

Não satisfeita, a mulher falou para terminar de destruir o garoto. – Ótimo porque você realmente é uma vergonha pra mim. Uma decepção. Vá o quanto antes.

Ela despejou sua frustração em cima do moreno e saiu do quarto batendo a porta com força. Namjoon sentou-se na cama e pôs-se a chorar arrasado pelas palavras duras da mulher que, pela ordem dos fatores, deveria dar amor, carinho e respeito a um filho que não escolheu vir ao mundo, e mesmo que pudesse escolher...

O garoto terminou de se arrumar, pegou sua carteira e o celular, foi até o irmão, que brincava na sala e falou o pegando no colo:

- Você tem orgulho de mim não tem, Kook?

O bebê olhou para ele com ternura e um lindo sorriso nos lábios, acariciou seu rosto e sem saber o significado da pergunta de Namjoon, respondeu:

- Xim... Amo Nam...

Namjoon segurou o choro preso na garganta, apertou o irmão nos braços lhe dando vários beijinhos na bochecha. – Nam também ama o Kook. – O mais velho deu um beijo no pequeno, o deixando no tapete e saiu para o encontro do seu amor.

Ao chegar na casa de Jin, o namorado já o esperava lindo e pleno e ao ver Namjoon com os olhos avermelhados logo perguntou, quando esperavam o ônibus.

- Você estava chorando amor?

Ele sorriu lhe dando um selar nos lábios.   – Não amor... É porque a água do chuveiro estava muito quente.

- Ah sim. Onde vamos então senhor Kim Namjoon?   - Jin falou com um sorriso segurando o braço do amado.

- Primeiro vamos almoçar fora, depois vamos tomar um sorvete no parque e depois vamos matar a saudade.

O mais velho sorriu retribuindo o beijo do amado e entraram no ônibus que havia acabado de chegar. Foram para um restaurante, comeram uma boa comida, conversaram bastante em meio a risadas lembrando de coisas engraçadas, dali foram para o parque e fizeram como Namjoon queria. Tomaram sorvete, brincaram como crianças, se divertiram quase a tarde toda então, Namjoon pediu um táxi fazendo suspense para o seu amado.

- Amor sabe como sou curioso. Onde está me levando?

O mais velho deu um selar na testa do amado e sorriu.    – Você vai ver amor. Calma.

Chegaram ao local de destino, um motel de luxo, onde o restante do dinheiro de Namjoon ficaria, mas era a última coisa que o garoto estava se importando. Jin sorriu olhando para Namjoon e falou sussurrando em seus ouvidos:

- Eu sempre quis ir num motel amor. Obrigado.

- Eu sei e no que depender de mim, irei realizar todos os seus sonhos.

Se beijavam apaixonados um pelo outro, Namjoon escolheu um com hidromassagem e entraram. Jin estava maravilhado com o que via, espelhos por toda parte, lençóis brancos, toalhas limpas no criado mudo, tudo do jeito que o mais novo imaginava.

- O que está achando vida? - Namjoon se aproximou por trás do amado o abraçando pela cintura, colocando o queixo em seu ombro.

- É tão bonito aqui, Nam. Tô amando.

Namjoon o virou de frente para si e falou acariciando seu rosto:

- Então, que tal aproveitarmos?

Jin sorriu assentindo com a cabeça, começaram um beijo lento, cheio de amor e cumplicidade, Namjoon deslizava lentamente as mãos no corpo de Jin, acariciando cada parte que seus dedos descobriam da roupa que o garoto usava. Jin por sua vez, arfava o tempo todo com as carícias em seus pontos mais sensíveis, e em outros descobertos naquele momento. O mais velho conduziu Jin até a cama, o deitando delicadamente, colocando seu corpo por cima do dele, atacando seu pescoço a mostra logo após tirar a camisa que vestia. Namjoon explorava o corpo desnudo do namorado com a boca, arrancando gemidos manhosos do mesmo que puxava seus cabelos levemente, seu corpo respondia às carícias de Namjoon que hora ou outra, deixava marcas suaves avermelhadas por onde seus lábios percorriam.

O mais velho ergueu o corpo, se despindo das peças que escondiam a sua musculatura, Jin deixou evidente a sua excitação ao ver o corpo do namorado descoberto fazendo Namjoon sorrir.          – Eu amo o seu corpo Nam...      – O garoto sussurrou mordendo seus lábios em seguida enquanto suas mãos deslizavam pelo abdômen do mais velho.

- Eu também amo o seu, príncipe. – Namjoon terminou por extrair as duas peças que faltavam para que seu amado ficasse completamente nu, curvando seu corpo para beija-lo permitindo que seu membro tocasse o do outro, esse que podia sentir ondas como uma descarga elétrica emanado do seu interior com toques tão delicados.

Namjoon segurou seu membro ereto, o levou em direção a intimidade do amado e lentamente, começando a introduzir, o corpo de Jin estava eriçado pelo prazer que o namorado lhe proporcionava.

O mais velho começou a se movimentar suave observando o namorado que gemia manhoso arranhando suas costas. Jin desceu as mãos até as nádegas do amado, friccionando aquela região macia para que o amado acelerasse lhe causando espasmos por todo o corpo, amando aquela sensação de prazer.

Namjoon começou a estocar rápido e intenso em sua entrada, Jin passou a gemer alto impulsionando Namjoon a continuar cada vez mais, massageando sua próstata, lhe causando um prazer imensurável.

Até que o mais velho virou Jin por cima do seu corpo, fazendo o garoto cavalgar como nunca em seu membro, enquanto o masturbava na mesma sincronia em que o mais novo cavalgava.

Já sentindo o ápice no auge, Namjoon gemia rouco, arrastando a voz, apertava a cintura do homem da sua vida enquanto ele cavalgava deliciosamente em seu membro, Namjoon passou a masturbar o seu amor, querendo que ele tivesse a mesma sensação.

- Goza gostoso Jin.... goza gostoso pra mim amor...      – O mais velho gemia alto arqueando o corpo, quando percebeu que seu orgasmo estava perto, masturbou Jin mais veloz, se derramando dentro do namorado em seguida, Jin o acompanhou logo depois, tendo seu líquido derramado no abdômen de Namjoon.

O mais velho puxou o mais novo pelo pescoço, lhe dando um beijo digno de cinema, deitou o amado na cama dando prosseguimento ao beijo apaixonado e logo depois, o puxou para seus braços.     – Eu te amo tanto Jin. Não imagino a minha vida sem você.

- Eu também Nam. Te amo muito. – Jin falou aconchegando seu corpo no do seu amor que beijava seus cabelos molhados pelo suor. Namjoon então, ficou pensativo com tudo o que a mãe disse mais cedo a ele, olhou para Jin e perguntou.

- Príncipe, se eu sair de casa pra morar sozinho, você vem comigo?

Jin o encarou se levantando, puxou um lenço para cobrir sua nudez e falou se ajeitando na cama:

- O que ela fez dessa vez?

Aquela frase foi o ponto alvo para que Namjoon derramasse em lágrimas. – Minha mãe me odeia Jin. Ela sente repulsa por mim. Eu só não sai ainda por causa do Jungkook.    – O garoto falava tomado por dor e lágrimas, a mulher que deveria o amar acima de qualquer preconceito, o odiava e Jin se deitou por cima do corpo do maior o abraçando apertado, tentando acalentar aquele coração tão machucado.

- Apenas sinta pena dela amor, jamais raiva ou rancor. Um dia ela vai perceber o quão maravilhoso você é. E sim, eu vou morar com você.

Namjoon sorriu em meio a lágrimas abraçando o namorado que retribuía cada carinho. – Eu vou trabalhar bastante amor pra poder te dar uma vida digna de um príncipe.

- Não preciso disso Nam. Só preciso de você.

Sorriam e se beijaram novamente, ficando naquele carinho até o fim da tarde, logo depois foram embora para que Namjoon fosse até o endereço que Kim Taehyung lhe dera.

Namjoon chegou ao local indicado no cartão, Kim Taehyung já o esperava com uma taça de vinho tinto suave, o mais novo se sentou no sofá de veludo vermelho cor sangue com a taça em uma das mãos e logo quis matar a sua curiosidade.

- Que emprego o senhor tem para mim, senhor Kim?

Taehyung se sentou na poltrona de mesma coloração que o sofá, com as pernas cruzadas delicadamente, deslizava a ponta dos dedos na taça de vinho e sorriu quadrado para o moreno.

- Não preciso de outro segurança na boate. Meu quadro já está completo, dei-te uma oportunidade por ter visto potencial em você como disse antes.

- Então... O que quer de mim? - O moreno estava confuso, sem saber muito bem o que acontecia ali.

- Tenho um belo emprego para você. Pagarei muito bem pelos dias trabalhados, acredito que não exista carteira assinada para esse tipo de trabalho mas pagarei a você todos os benefícios dos seus serviços prestados.

- E... O que seria?

- Trabalhe para mim como michê... – Taehyung foi preciso na sua pergunta, Namjoon sabia o que significava ser um michê, mas nunca imaginou alguém lhe fazer essa proposta por isso, não sabia o que responder a Kim Taehyung que se mostrava sério. – Terá uma boa vida garoto, pense bem. Não irá passar mais apertos como sei que passa. Quem sabe até sua mãe o respeite...

- Como sabe o que passo com a minha mãe?

- Como eu disse antes, procurei saber sobre você.

- Então sabe que tenho um namorado e que o amo muito.

- Sei mas... Quem precisa saber do nosso... contrato. Inventa algumas das suas desculpas a ele, você é bom nisso. Eu direi o dia e o horário do seu... trabalho, digamos assim. Não irá interferir no seu namorico, sem contar que poderá proporcionar ao Jin, uma vida tão boa quanto a que posso te dar.

Namjoon tinha os olhos estatelados com tudo o que Taehyung falava, ficou pensativo, sabia que sua vida realmente mudaria, era justamente o que o garoto precisava.

- Não responda agora. Te darei 24 horas para pensar. Amanhã, nesse mesmo horário, volte aqui com uma resposta seja ela positiva ou negativa.

Namjoon suspirou se levantando sem nem ter tocado na bebida que Taehyung lhe ofereceu, o encarou ainda desnorteado com a proposta feita e falou:

- Tudo bem. Amanhã lhe darei a resposta.

- Estarei aguardando ansiosamente.

Namjoon caminhou até a porta e foi embora com aquela dúvida que o mais velho colocou em sua mente, ao mesmo tempo, lhe dando uma chance para mudar de vida, como lhe obrigando a enganar Jin novamente.


Notas Finais


E agora? Será que ele vai aceitar?

Miche:
É como um garoto de programa, seria o mesmo que prostituta de luxo.

É horrível mas infelizmente existem muitos garotos que "trabalham" assim.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...