História Promise - Capítulo 17


Escrita por:


Capítulo 17 - Tempo


Steve.

Estar namorando, é muito estranho.

Eu não me imaginei namorando, nunca.

Depois do baile, deixei a Nara em casa, ela ainda não queria contar aos pais dela sobre o nosso namoro, a mesma não sabia como iriam reagir então quer pensar numa maneira mais "amigável" digamos assim de me apresentar a eles.

Minha mãe e meu pai, radiam de felicidade, minha mãe ama a Nara, acho que mais que eu.

Eu estou, feliz, de verdade pela primeira vez.

É difícil você ter depressão, fazer o tratamento, ser um lunático que afogava besouros em plantas carnívoras e encontrar uma namorada. Gata, inteligente, amável e a mais incrível do mundo.

Eu fico tonto olhando pra ela.

Os olhos, cabelos, mãos, tudo, absolutamente tudo nela é perfeito.

Estamos a uma semana mais ou menos namorando.

Ela parece preocupada todo santo dia. 

Se não fosse amor, diria que ela parece uma babá 24h daquelas insuportáveis.

Ela fala coisas do tipo: "tomou remédio?" "Não quero você arranhando as palmas das mãos" "vá dormir, eu não quero você surtando".

Eu admito me sinto sufocado com tudo isso.

É sufocante.

Eu sei a hora do meu remédio, a hora que eu tenho que dormir, e sobre arranhar as palmas das mãos, eu corto as unhas.

Ela parece querer controlar cada passo meu, toda hora. Ela quase entrou junto na sala da terapia, mas a doutora não deixou ainda bem.

Eu não sou romântico, mas isso não é certo não?

Hoje temos aula.

Eu acordo com a minha mãe avisando que a Nara está subindo, ela veio me "buscar".

Nara: boooooom dia meu amor! — diz ela na maior empolgação do mundo, sério como alguém pode ser assim de manhã?

— bom dia, o que veio fazer aqui?

Nara: ir pra aula com você, o que mais seria?

— mas a gente já senta juntos, passamos o recreio juntos, vamos pra casa juntos, ligação, mensagem, e saímos fim de semana. Por que vir me buscar?

Nara: por que eu sou sua namorada, gosto de passar muito tempo com você. — ela sorri, eu não consigo dizer não a essa primeira maravilha do mundo.

— tudo bem, vou pro banho okay? — acho que lá eu tenho um tempo pra mim.

Nara: claro. — carinha fofa.

Depois do banho vejo Nara com o meu celular, aparentemente respondendo mensagens.

— o que faz aí? — digo tirando o celular da mão dela.

Nara: respondendo o Peter ele mandou mensagem.

— então amorzinho, ele mandou mensagem para o MEU celular. Cabe a mim responder tá bom?

Nara: o que tem demais eu mexer no seu celular?

— nada demais, a não ser responder minhas mensagens, eu não faço isso no seu quando tá conversando com a Alissa por exemplo.

Nara: não disse em momento algum que não poderia fazer isso no meu também.

— sério? Você acha isso normal?

Nara: sim. — ela faz aquele ato com as mãos pra cima, como se estivesse mostrando que não tem nada a esconder nas mãos.

— eu não vou comer, vamos indo.

Nara: ta bom.

Saímos do quarto e damos tchau pra minha mãe.

Quando chegamos na escola, e toca o sinal, sentamos nos nossos lugares e a aula começa.

Prof: vamos ter um trabalho em dupla, podem escolher as duplas, o trabalho é sobre gêneros de histórias, vocês vão escolher um gênero e fazer uma história com ele, personagens totalmente originais, e com características que os diferenciam dos demais.

Eu olho para o Peter que entende o recado, nós somos mentes brilhantes juntas, um dorameiro e um loli de porão, dupla melhor não há.

Nara: a gente podia fazer sobre aventura o que acha?

— eu vou fazer com o Peter.

Nara: como assim? E eu?

— faz com a Candy ou o Yoongi. — aponto para o cara que está conversando com os seus amigos, no fundo da sala.

Nara: prefere me ver fazer com o Min Yoongi do que fazer comigo?

— é só um trabalho Nara, e eu quero fazer com o Peter, só isso.

Nara: se é só um trabalho faça comigo.

— justamente por ser só um trabalho que você pode muito bem, fazer com o Yoongi.

Nara: se insiste em fazer com o Peter vai lá, faça com ele. Sabe que o Yoon. — ela usa um tom provocativo, que nessa semana aprendeu que eu odeio.

— sabe que odeio quando fala assim.

Nara: tanto faz, eu vou fazer com o Yoongi. — ela pega a mochila dela e vai em direção a mesa do Sr. Min Yoongi.

Não que ele não goste dele. Mas ele gosta da Nara é evidente.

Enquanto isso, eu estou fazendo a minha história com o Peter.

Em meio algumas provocações, que eu deixo passar, termino minha história com o Peter, rápido, claro, levou algum tempo mas deu de terminar antes da aula acabar, pois como disse, somos uma dupla brilhante. Escolhemos "aventura" para a nossa história.

No fim da aula, Nara ainda está lá dentro, fazendo a história. Resolvi espera-lá já que estamos indo para casa pelo mesmo caminho.

— vamos? — digo quando ela sai finalmente da sala.

Tudo que eu recebo é um seco: uhum.

— como foi o trabalho com o Yoongi?

Nara: ta falando daquele q se recusou a fazer comigo?

— que drama amor, credo.

Nara: drama aham.

— e o que mais é?

Nara: eu sou dramática claro. Eu que fico me martirizando por ter sofrido bullying e potes com insetos.

— cala a boca.

Nara: cala você.

— o que deu pra você ficar assim?

Nara: assim como? 

— controladora e chata.

Nara: não sou controladora e chata.

— talvez eu que não esteja preparado pra isso.

Nara: como assim "isso"?

— nós.

Nara: está terminando comigo?

— não de jeito nenhum, você é a luz da minha vida, mas caralho, você tá irreconhecível.

Nara: você... me dá motivos pra isso.

— talvez devêssemos dar um tempo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...