História Proposta - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Kakashi Hatake, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Hentai, Naruto, Romance, Sasusaku, Uchiha Sakura, Uchiha Sasuke
Visualizações 296
Palavras 1.670
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Não aguentei esperar ate semana que vem pra postar o capitulo dois, aproveitei que o tempo ta chuvoso e nublado para escrever pra vocês. Obrigada pelos favoritos e pelos comentários, prometo responder quando der!
Boa leitura! :)

Capítulo 2 - Decisão e ressaca


Decisão e ressaca

¨

¨

¨

 

- Você só pode estar de brincadeira, você é louco, Sasuke? – Olhei com fúria para ele no meio da minha sala, respirei fundo tentando processar a proposta que ele havia feito. Eu sabia que ele era um egoísta e individualista de marca maior, um pouco insensível, mas, Sasuke não era do tipo de homem que brincava com os sentimentos de alguém. Sentei derrotada no sofá ainda quieta, o silêncio me incomodava agora, ele analisava cada movimento que eu dava com seus olhos escuros sobre mim. Endureci o olhar e o encarei. – Está fora de cogitação.

 

- Eu sabia que não teria uma resposta positiva imediata, por mais que você queira transar comigo agora nesse sofá. – Ele sorriu sacana para mim e se aproximou, puxou-me para seu colo me tirando um gemido. – Seu gemido diz muito sobre você, sei disso como ninguém.

 

- Queria que existisse outro alguém. – Virei o rosto com brusquidão e ele colocou a ponta dos dedos frios nos meus cabelos, tentei me soltar mas ele era mais forte. – Me solte e vá para casa, Sasuke. – Então ele beijou meu pescoço e gemi mais uma vez, maldito tesão. Detestava ficar vulnerável a ele e tão entregue quando se tratava de sexo mas eu daria corda só para ver até onde ele iria com tudo aquilo, ele não poderia ser tão babaca como estava sendo.

 

Colocou uma das mãos por dentro do meu pijama e sorriu entre meu pescoço pelo fato de eu estar sem nada por baixo do pijama flanelado. Me torci no seu colo sentindo seu sexo já duro, prendi um pouco da respiração, segurei o gemido ao máximo até ele apertar um dos meus seios com força.

- Ahh... sasu-

- Tem certeza que não quer aceitar a proposta? – desabotoou o primeiro botão da camisa do pijama. – Podemos fazer um teste bem aqui. – Desabotoou o segundo, terceiro e o quarto, afastou o tecido deixando meu seio esquerdo a mostra. Eu estava petrificada, estava ficando louca, não ia aguentar reprimir a mistura de sensações que eu estava sentido. Sasuke abocanhou meu seio, chupou com carinho, tentando engolir por completo, passei a gemer mais alto de acordo com jeito que ele passava a língua por ali. – Viu? Você gosta, você também quer, Sakura. Ninguém precisa saber...

 

- Não, eu... ahhh... Por favor... – Comecei a esfregar minha intimidade na dele, a rebolar em seu colo, envolvendo meus braços em seu pescoço enquanto ele brincava com meus mamilos. – Oh... Você é um canalha! – Tirei seu camisa social e beijava todo o peitoral definido que eu conhecia tão bem, o ouvi gemer baixo, abrindo e fechando a boca algumas vezes.

- Quero comer você aqui. – Engoli em seco, ele tirou o cinto da calça com pressa e me deitou no sofá ficando por cima do meu corpo, pressionando seu pênis entre minhas pernas me deixando mais excitada. Eu só estava de calcinha agora, me sentia relaxada e com tesão, minha vista estava embaçada por tanta adrenalina com a situação, nos olhamos enfim e o senti confuso apesar de toda a excitação. Passei meus dedos no seu rosto.

 

- Sasuke... – Desviei o olhar e me levantei. – Vá embora.

- Sakura... Eu... É que... – Levantei com lágrimas nos olhos e me cobri com a calça do meu pijama. Eu estava confusa, esse Sasuke que eu não conheço, eu não o quero perto de mim mas ao mesmo tempo quero conhecê-lo. Precisava ficar sozinha e pensar.

 

- Sai daqui, me deixe sozinha! Vá embora!

- Certo. – Segurei meu choro até vê-lo se vestir e sair pela porta do meu apartamento, quando ele se foi chorei deitada no chão frio, tudo o que não chorei em um mês eu desabafei sozinha no silêncio. Chorei até cair no sono.

 

°

°

°

 

 

Acordei com uma ligação de Naruto dizendo que iria vir me buscar, prometeu isso a Ino como garantia de que eu ia mesmo para o escritório, uma merda! Estão me tratando como uma menina imatura que pretende fugir da escola. Coloquei a primeira roupa que vi no guarda roupa, ultimamente não me arrumava tanto, não estava nem aí na verdade. Fiz um café bem forte para ficar desperta e fui esperar meu melhor amigo na porta do meu prédio.

 

- Aquele idiota! – Ouvi a buzina do carro. – Naruto, está atrasado! – ele colocou a cabeça loira para fora do carro com seu sorriso  de sempre.

- Bom dia também, esquentada! Como você está? – Ele abriu a porta do carro e eu entrei, larguei minha bolsa no chão do carro e coloquei o cinto  de segurança, feito isso Naruto deu partida.

- Estou bem, tenho certeza que a Ino te mandou aqui, não é? Aquele loira oxigenada! – Entortei a cabeça e fiz uma careta, ouvi Naruto dar uma gargalhada em tom de confirmação. – Como estão as coisas?

- Está tudo certo, Hinata sente saudades suas nos nossos encontros, todos na real, até o Sasuke. – Revirei os olhos.

- Até parece, Sasuke sentindo falta de alguém? – Soltei uma risada nervosa e encarei a janela. A viagem até ali foi silenciosa, volta e meia Naruto me colocava a par das novidades. Hinata estava grávida, Temari e Shikamaru se casariam dentro de um ano, Tenten e Neji ficaram noivos semana passada, Lee conseguiu seu doutorado em New York mas prometeu vir nos casamentos. Todos estavam com suas vidas pessoais encaminhadas, menos a minha. Eu me sentia deslocada. Vivi para meu antigo relacionamento, pensei que íamos nos casar mas foi totalmente o oposto, claro que ainda amo Sasuke mas não valia mais a pena eu nutrir esperança. Não tínhamos o mesmo objetivo pessoal.

 

- Chegamos! Está entregue e inteira! – Ri sincera saindo do carro, parei olhando para o prédio, senti meu estômago se embrulhar. – Está tudo bem? – Naruto me encarou preocupado.

- Está, só... Não me deixe sozinha, não perto dele. Por favor. – Limpei as lágrimas que insistiram em sair, respirei fundo.

- Não te abandonaria, se for preciso dou um soco na cara daquele meu melhor amigo imbecil. Quero seu bem estar, Sá. – Naruto me transmitiu confiança e só assim consegui encarar a realidade depois de um mês distante de tudo e de todos.

 

°

°

°

 

Tinha me esquecido do quanto Karin era divertida, ela também estava do meu lado, mesmo Sasuke sendo seu chefe, mas claro que eu jamais iria aceitar que ela fosse demitida. Graças a ela me senti leve, o dia estava melhor do que imaginei, esbarrei com Sasuke algumas vezes, ele se desculpou e me olhava envergonhado, deve ter sido por conta da noite de ontem. Ele parecia estranho, chegou no escritório eram 11 da manhã, estava com a mesma roupa de ontem, com olheiras e um leve cheiro de álcool também. Fiquei preocupa, me senti culpada, talvez devêssemos ter transado, pelo menos como despedida. Suspirei derrotada me espreguiçando na cadeira. Atendi o celular.

- Ino?

- Soube que a senhorita voltou ao trabalho para valer! Que ótimo, me sinto tão aliviada por isso, Sá! Quer sair para almoçar comigo hoje? Comemoração! – Olhei para o relógio no Notebook e coloquei uma mecha de cabelo atrás de orelha.

- Seria ótimo! Preciso conversar com você, estou preocupada com algo que vi hoje, estou incomodada. – Meus pensamentos estavam em Sasuke, ele não era de se embebedar ou ficar de ressaca. – Nos vemos depois, preciso continuar o projeto. Beijos.

- Tudo bem, se cuida! Beijos. – Desligou.

 

Tentei me afundar no projeto, estava pensando em abrir um hospital para crianças com saúde mental, eu gostava de ser arquiteta mas meu sonho sempre foi continuar a minha área médica, nada me enchia os olhos até me interessar por essa área, quero fazer a especialização, quando o projeto estiver pronto vou apresenta-lo em uma reunião. Não quero mais ser sócia de Sasuke, não é o sonho da minha vida, afinal. Aceitei porque coincidentemente meus pais eram amigos dos pais de Sasuke. Longa história, desde criança eu era apaixonada por ele, mas não vem ao caso agora. Me espreguicei de novo.

 

- Sakura? – Karin veio a meu encontro. – O babaca... Quer dizer, Sasuke precisa de você na sala dele. – Bufei mas me recordei do cheiro de álcool.

- Karin?

- Sim? O que? Quer que eu chame o Naruto para ir com você? – Ela ajeitou o óculos.

- Não, é que... Sabe se aconteceu algo com ele? Ele está estranho. – Falei tentando parecer indiferente.

- Você também notou? Pelo que soube, ele bebeu demais, dormiu no carro e veio direto para o escritório. Pelo visto agora tá sentindo sua falta e viu que fez merda. – Sorri amarelo para Karin, então ele bebeu mesmo, como suspeitei. Eu precisava de respostas.

- Tudo bem, eu vou até lá, não precisava chamar o Naruto.

 

°

°

°

 

Encarei a porta do escritório por uns cinco minutos, pensei exatamente se era o certo a fazer, talvez eu pudesse me machucar mas eu queria respostas para tomar uma decisão. Bati na porta e escutei seu tom grave pedir para entrar. Entrei no escritório espaçoso, olhei para ele, ele havia trocado de roupa, os cabelos pretos ainda estavam úmidos. Tomou banho, estava perfumado, o perfume que eu gostava, ele fez um sinal para que eu sentasse e o fiz.

 

- Está tudo bem?

- Só ressaca. – Disse sem graça.

- Café bem forte ajuda, deveria ir para casa descansar. Naruto pode cuidar de tudo. – Falei um pouco trêmula sem olha-lo diretamente. – Sei que não perguntou mas... O que quer?

- Pedir desculpas pelo que lhe propus ontem. – Ele se sentou de frente para mim descansando os cotovelos na mesa de vidro. – Foi só uma ideia que tive, mas entendo seus sentimentos, eu não deveria fazer pouco caso do que sente, me desculpe. Foi desrespeitoso, mas não vou negar, sinto tesão por você, muito.

- Tudo bem então. - Levantei-me e fui em direção a porta. – Eu aceito.

- O que? – Disse confuso.

- A proposta, eu aceito. – Sai de seu escritório deixando-o perdido em seus próprios pensamentos sobre minha decisão inesperada. 


Notas Finais


Eu to muito animada com essa fanfic, acho que to viciada nela, to sentindo muita vontade de escreve-la, tô com mil ideias, ta sendo otimo colocar meu tempo livre nela. Agora sim até semana que vem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...