1. Spirit Fanfics >
  2. Proposta Indecente. - Kim Taehyung >
  3. Luxúria

História Proposta Indecente. - Kim Taehyung - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Boa Leitura! ♥️

Capítulo 5 - Luxúria


Senti a presença masculina enfim retornar, ele estava próximo a mim novamente. Porém, dessa vez fui surpreendida por um toque diferente, estranhando seus dedos me tocarem gélidos.


— Kim! — Chamei sua atenção, mas minha voz acabou soando como um gemido, em resposta ao seu toque.


— Lembre-se do que eu disse antes, apenas sinta, e deixe seu corpo reagir por si. 


Meu corpo se retesou quando senti algo gelado como se fosse uma pequena pedra de gelo encostar em meu colo, começando a deslizar levemente por uma de minhas áreas sensíveis próxima aos meus seios, depois, estava tocando em meus lábios, contornando-os. Entreabri a boca e então foi retirada dali.


Taehyung estava fazendo disso um jogo, um torturante e excitante jogo de gato e rato.


Em seguida, ainda de maneira lenta, o rapaz guiava aquela pedra até perto de meus seios eriçados e livres do sutiã. Deslizou novamente a pequena pedra no vale entre meus seios e em seguida senti um deles ser coberto por um ar gelado, me fazendo soltar dos lábios um gemido consideravelmente alto, e mordi meu lábio inferior mais uma vez para me reprimir.


— Eu quero te ouvir gemer, Lisa. Solte-se.


— K-Kim… eu…


— Você precisa relaxar, se deixar levar, está tudo bem… — Dizia em tom sensual. — Somos só eu e você aqui.


A pedra de gelo foi retirada do meu corpo. De repente arqueei as costas ao sentir a boca gelada de Taehyung abocanhar um de meus seios, e dessa vez me permiti emitir um gemido sem pudor. Ele estava usando a boca para roçar aquele gelo ali e também usava sua língua para acariciar a área.


Me perguntava como ele estava se sentindo ao fazer isso comigo, se também se sentia excitado tanto quanto eu. Já podia me classificar no limite somente com essas "preliminares".


Foi então que aquele gelo mais uma vez estava deslizando sobre mim, chegando até a barra de minha calcinha, e agora parecia estar descendo para mais perto da minha intimidade, somente com o ar frio.


Me arqueei mais duas vezes, ansiosa, deixando que todos os sons que eu havia segurado antes escapassem. Era como se eu estivesse perdendo os meus sentidos naquele joguinho tortuoso e delicioso por somente alguns segundos, me encontrando agora completamente nua e exposta a ele, às suas vontades.


Kim Taehyung é de fato um amante incomum.


— Eu quero beijá-la, Lisa. — Proferiu aquelas palavras, acariciando as minhas coxas com suavidade.


Fiz menção de levantar para me aproximar e alcançar seus lábios, porém, para minha surpresa - ou não - ele me impediu, fazendo-me regressar e deitar novamente.


— Por que…


— Porque quero beijá-la em outro lugar.


E foi então que sem avisos, muito menos pedidos, as minhas pernas foram abertas, sendo apoiadas sobre seus ombros e o senti mergulhar a língua gelada em minha intimidade.


Foi impossível conter o meu "grito".


Meu íntimo parecia ser estudado com vigor pela língua do mais velho, agora eu estava irrevogavelmente excitada, e meu ápice já dava os primeiros sinais de aproximação enquanto o Kim rodeava o meu ponto sensível com a língua e tocava minha entrada com os dedos. 


— Ah… Taehyung… — Mordi meu lábio com certa força. — Meu Deus… — Gemi quando ele começou a me masturbar com um pouco mais de precisão, intercalando em movimentos rápidos e lentos, trabalhando com maestria por toda a minha intimidade. — Eu… vou…


— Faça isso, goze. — Disse apenas, intensificando os movimentos de vai e vem com os dedos dentro de mim, afastando sua boca da minha intimidade e vindo de encontro para abocanhar meu seio direito, o chupando com delicadeza. Seu polegar estimulava meu clitóris, ele estava me levando a loucura e meus olhos se reviravam por baixo da venda, esta que foi retirada do meu rosto por sua mão livre.


Finalmente podia vê-lo, podia ter o vislumbre de seu corpo e rosto. Ele esboçou um sorriso, como se estivesse gratificado em me ver daquela forma, mergulhada em desejo e a mercê de si. 


— Você é linda…  — Mordiscou o lábio inferior. — Continue me provando o quanto está gostando que eu faça isso. O seu prazer também é meu.


O rapaz cobriu novamente um de meus seios, usando sua língua, me estimulando enquanto ainda trabalhava em minha intimidade com certa força e velocidade.


— Porra… eu vou… 


E com mais algumas investidas do moreno concentradas em meu ponto de prazer - encontrada a poucos instantes - meu quadril instantaneamente rebolou contra os dedos dele, desesperada, minhas coxas se fecharam e abriram involuntariamente, buscando por mais intensidade, por fim anunciando a chegada do meu orgasmo intenso, fazendo com que uma onda de espasmos percorresse meu corpo como um choque, desmanchada e melada em meu próprio prazer.


Kim parecia deliciado e satisfeito com o que acabara de ver, com a forma da qual eu atingi o meu clímax, assim presumo.


Eu realmente me entreguei a ele, me ofereci, e gemi com todo deleite, tentando demonstrar a ele o quanto estava me satisfazendo e que o fez muito bem.


Esperei que meu corpo se acalmasse, notando que ele também parecia aguardar pelo mesmo, tinha meus lábios entreabertos, ofegante, amolecida ali sobre aquela grande mesa, abrindo meus olhos que até o momento estavam fechados para que eu pudesse me regularizar melhor.


— É impressão minha ou está babando, Kim? — Provoquei, quando meus olhos focaram em si.


Para mim, ver aquele corpo másculo quase completamente despido e estendido que também seria para o meu prazer, me fazia despertar sentimentos que nunca achei que poderiam me ser proporcionados.


Ele não me respondeu de imediato, mas seu olhar era como se estivesse transbordando em luxúria e agravante desejo.


Fui puxada de forma delicada, de modo que meu corpo ficasse sentado e ele me beijou. Não quis mais me segurar àquela altura, agarrando-me ao moreno e correspondendo seu beijo, sedenta por mais dele, e ainda mais por seus toques.


Meu lábio inferior foi levemente mordido e puxado para a frente, me dando carinhosos selinhos pelo rosto até chegar em minha orelha, da qual mordeu, passando para a outra.


— Você é deliciosa, eu te quero. — Sussurrou rouco.


— Eu sou toda sua agora, pode fazer o que quiser… — Respondi, enquanto minhas mãos se dirigiam a sua calça para retirar o seu cinto e desabotoar a peça, deixando que o traje escorregasse juntamente a sua cueca.


Abri-me para que ele pudesse me possuir para si, mas como se já não bastasse ser tão surpreendida como já havia antes, o Kim apenas passou os braços por baixo de minhas pernas, levantando-me da mesa em seu colo.


— Vai experimentar minha cama agora.


No momento em que Taehyung me deitou em sua cama macia, pude notar que ele já não parecia mais o mesmo, estava transformado, não era mais lento e paciente.


É claro que já havia me levado a loucura nas preliminares, e agora obviamente que queria satisfazer a si mesmo.


Pelo contrário, agradeci aos céus por saber que ele não daria procedimento àquela deliciosa tortura, afinal, meu corpo estava em euforia por ele nesse momento, clamando por ser preenchida e tomada por ele…


 O rapaz abriu-me as pernas, roçando seu membro em minha entrada, sem desviar os olhos de mim, como se estivesse analisando todas as expressões que eu estava fazendo, até enfim posicionar-se e me adentrar bem devagar. Meu corpo se arqueou em resposta e soltei um gemido longo e manhoso.


Ele permaneceu parado, me observando aparentemente faminto, e então tratei de começar a rebolar contra o mesmo, dando a entender que poderia prosseguir. Estava ansiosa, sentindo Taehyung sair de dentro de mim por completo e novamente me adentrar lentamente.


— Kim…


O chamei, o que soou mais como uma súplica, e eu sequer conseguia completar o que queria dizer.


O moreno repetiu as investidas vagarosas mais cinco vezes.


— Mais… forte… — Pedi, agarrando seus braços.


O suor escorria por meu rosto, assim como no seu, era nítido que ele estava se contendo, testando meus limites que já eram inexistentes, ou talvez, estivesse testando os seus próprios. Eu não suportava mais.


— Pare de brincar comigo… — Arfei. — Me foda logo!


Não sei que tipo de efeito causei nele ao dizer tais palavras, mas de alguma forma pareceu surtir efeito, pois o mesmo, com um movimento firme e preciso me permitiu sentir a primeira estocada rápida e forte, me fazendo praticamente gritar em resposta.


Depois os movimentos começaram a produzir um único ritmo, sendo apenas estocadas fortes e intensas. Ambos gemiamos, degustando ao máximo daquele momento, e do quão perfeitos e sincronizados eram nossos corpos.


Senti-o acertar um certo ponto dentro de mim que me fez gemer alto mais uma vez, impulsionando meu corpo contra o seu, pedindo por mais. Os movimentos ficaram mais frenéticos, mais intensos, até ouvi-lo gemer arrastado, sentindo seu membro ser apertado contra minhas paredes internas, nos deixando em um estado completamente “bêbado” de prazer, e ele gozou.


Eu praticamente havia implodido num clímax forte, me desmanchando inteira novamente, mas sentir a sensação de prazer quente do moreno saindo de dentro de mim apenas fez com que aquilo aumentasse e então acabei me entregando mais uma vez a um orgasmo alucinante e completo.


Passamos consideráveis minutos ali deitados, mudos, ofegantes, até eu enfim conseguir articular algo em minha mente para dizer. 


— Isso foi… — Achei que conseguiria terminar, mas falhei.


Ouvi a risada soprada do Kim ao meu lado.


— Você se saiu muito bem na nossa primeira vez… sinceramente… estou satisfeito.


Me senti uma idiota por deixar que um sorriso se formasse nos meus lábios.


— Sabe, faz ideia do quão ultrajante é achar que precisa ser ensinada? Depois disso tudo eu diria que… 


— Não está pensando em me dispensar, está? — O olhei fingindo estar irritada.— Não há problema se quiser, eu posso…


— Eu não disse que te dispensaria. — Rebateu. — Não farei isso, não logo agora que começamos. 


Ri. 


— Acho que é melhor eu ir agora. — Vi o rapaz negar com a cabeça pousando sua mão fria sobre meu pulso.


— Passe a noite comigo, e amanhã pela manhã, posso mostrar a você do que um homem gosta para as refeições matinais. 


Contrai meus lábios, emitindo uma gargalhada alta em seguida, erguendo o meu corpo para sentar no colchão e afastar o meu cabelo para o ombro.


— Tentador… — Mordisquei o lábio inferior. — Eu adoraria, se… fossemos de fato um casal, o que não somos propriamente dito. Já foi o suficiente por hoje, obrigada Kim. — Me inclinei para lhe dar um selinho, e enfim o deixar.





























Notas Finais


Poxa Lisa, não acredito que você dispensou o café da manhã 😒

Até o próximo. 😗✌🏻


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...