1. Spirit Fanfics >
  2. Proposta inesperada - Imagine Jaehyun - NCT >
  3. Encarando a realidade e a espera do futuro

História Proposta inesperada - Imagine Jaehyun - NCT - Capítulo 17


Escrita por:


Notas do Autor


Realizada é a palavra que me define neste momento. Por fim entrego o último capítulo desta fic. Agradeço a todos que leram e em especial a todos que favoritaram e aguardaram com paciência o desfecho da estória!
Até as notas finais e boa leitura.

Capítulo 17 - Encarando a realidade e a espera do futuro


Jaehyun explicou pelas ligações a situação para os pais e principalmente para S/n. Contou sobre a conversa com o Manager e o que este sugeriu.

Todos ficaram perplexos com o rumo que a situação tomava, mas acabaram entendendo que era o melhor a se fazer. 

Ficou combinado que S/n viria para a Coréia no domingo a tarde, para que na segunda pela manhã, ela e Jaehyun pudessem ir ao cartório para se casarem e que os pais de Jaehyun lhe ajudaria com a compra da casa nova da família e sua organização.


(...)


Dois dias passaram voando. Várias notícias falsas e muitos hates foram lançados sobre Jaehyun. Ele perdeu alguns contratos individuais e participações em fotos e campanhas publicitárias

foram desmarcadas ou adiadas, sem data para acontecer. As apresentações do grupo que já estavam marcadas aconteceram, mas ouve uma redução no público.

O grupo estava mais unido do que nunca, mas mesmo assim, Jaehyun sentiu a rejeição dos fãs e ficou triste.

A tristeza só não era maior, porque várias coisas boas estavam acontecendo ao mesmo tempo. S/n enviou uma mensagem na sexta pela manhã, dizendo que o resultado do teste de DNA estava pronto e que ela deixaria para ele abrir, assim que se encontrassem.

Os pais de Jaehyun lhe avisaram que haviam agilizado a compra da casa e a mobília chegaria no sábado pela manhã. A mãe já havia digerido tudo e tratava o filho como sempre tratou. Trocavam mensagem o tempo todo, pois tudo que ela comprava para a casa, mandava uma foto para ele. Jaehyun sorria sozinho as vezes, olhando para o celular. A casa ficaria pronta a tempo para que S/n e James tivessem um lugar só deles para ficar.

Jaehyun sorriu novamente, imaginando o tempo que passaria com eles. Poderia ir todos os dias depois dos compromissos para sua própria casa e ficar com sua família e a felicidade que sentiu com isso, fez seu coração acelerar.


(...)


No sábado, Jaehyun e os pais se dedicaram à organização dos móveis na casa. Os móveis principais chegaram sem problemas e o restante da decoração seria deixada para quando S/n e James estivessem morando definitivamente na Coréia.

Quando tudo estava no lugar, Jaehyun tirou algumas fotos e enviou para S/n. Ligou em seguida e falou por alguns minutos com ela, falando que aquela seria a casa deles. 


(...)


No domingo à tarde o pai de Jaehyun se ofereceu para buscar S/n e James no aeroporto e os levar para a casa nova, onde Jaehyun e a mãe aguardavam ansiosos. James chegou dormindo no colo de s/n e encantou os avós assim que puderam o admirar.

Jaehyun beijou S/n e pegou o filho cuidadosamente de seus braços. A mãe de Jaehyun foi às lágrimas quando viu a cena tão emocionante. Jaehyun foi colocar James no berço enquanto s/n ficou na sala com os sogros.

S/n: - É um prazer enfim conhecê-los pessoalmente!

S/n se reclinou em uma leve reverência. Estava nervosa e mesmo tendo se encontrado com o Sr. Jung no aeroporto, apenas o cumprimentou rapidamente antes que este levasse ela junto com o filho em direção ao estacionamento, onde tinha parado o carro.

Durante o trajeto até ali, trocaram poucas palavras, todas relacionadas a James, que dormiu durante todo o tempo.

Sra. Jung: - Nós também estamos felizes em enfim poder estar com vocês! Desculpe-nos por qualquer coisa, pois acho que não criamos nosso filho tão bem quanto achávamos!

O Sr. Jung apenas assentia enquanto a esposa falava.

S/n: - Não, não... Vocês não me devem nada! Tudo que aconteceu foi inesperado e já está no passado! Eu que peço desculpa se decepcionei vocês em algum sentido!

S/n se encontrava envergonhada e não sabia o que fazer com as mãos, até que a Sra. Jung veio em sua direção e segurou ambas com as suas: - Está tudo bem querida! Você nos deu um presente maravilhoso e somos gratos por estar criando nosso neto tão bem!

Os olhos de ambas se encheram de lágrimas e elas se abraçaram. S/n se sentiu totalmente acolhida naquela família e seu coração não poderia estar mais feliz. Jaehyun voltava para a sala naquele exato momento. Viu as duas se abraçando fortemente e o rosto das duas molhados pelas lágrimas.

Jaehyun: - Está tudo bem aqui?

Jaehyun olhou para o pai que assentiu. As duas mulheres se separaram, secando as lágrimas e sorrindo em sua direção.

Sra. Jung: - Estamos sim meu filho! Nós só estávamos nos conhecendo melhor! Por favor, leve S/n para o quarto e a ajude a desfazer as malas! Eu vou fazer o jantar enquanto isso!

Sr. Jung: - E eu vou ajudá-la!

Ele falou segurando a mão da esposa.

Jaehyun: - Ok então! Vamos?

Falou olhando para S/n e pegou as malas que estavam próximas à entrada. 

(...)

A casa era linda, como S/n pode perceber. Nunca imaginou-se morando num lugar tão bonito. Quando entrou, percebeu que a área na frente da casa era grande e toda gramada. A sala era grande e bem ventilada. Deduziu pela estrutura que os cômodos abaixo eram os principais e no pavimento superior ficavam os quartos.

Os dois subiram as escadas e foram em direção ao quarto principal da casa. Antes, passaram em frente ao quarto em que James dormia em um berço novo e muito bonito. S/n olhou rapidamente o filho dormindo e correu os olhos pelo ambiente. Ali tinham poucos móveis, sendo somente o berço, uma poltrona, um mini guarda roupas e um trocador, todos nas cores branca e azul.

Em um canto do quarto havia algumas sacolas com pacotes de fraldas e lenços umedecidos dentro.

S/n: - Que lindo! Alguém pensou em tudo! Foi sua mãe?

Falou baixo olhando para trás, onde Jaehyun a admirava olhando o local.

Jaehyn: - Ela queria que vocês ficassem confortáveis, então ficou muito feliz em organizar tudo e deixou bem claro que depois você pode mudar o que quiser, afinal a casa é sua!

S/n sorriu para ele e pegou de sua mão a pequena mala que continha as roupas de James e deixou próximo ao pequeno guarda roupas. Saíram devagar do quarto, quando Jaehyun fez um sinal para que prosseguissem. 

Jaehyun chamou a atenção de s/n para mais dois cômodos do andar. Ele abriu uma das portas, mostrando um quarto: - Esse é o quarto de hóspedes! Meus pais vão dormir aqui hoje! 

S/n olhou rapidamente o cômodo. Era um quarto de casal com uma cama de solteiro a mais, uma cômoda e uma escrivaninha com uma cadeira. O quarto era quase do tamanho do principal e a janela abria para uma sacada. Jaehyun fechou a porta do cômodo e assim saíram e logo após, ele lhe mostrou o banheiro do andar. Tudo era lindo e bem iluminado. S/n estava fascinada com a casa e sua estrutura.

Após alguns passos depois do banheiro, já estavam em frente ao quarto principal.

Jaehyun: - Abra por favor a porta a frente! Este é o nosso quarto!

S/n sentiu seu rosto queimar. De repente se sentiu como uma adolescente, imaginando sua primeira noite ali com ele. Não teve coragem de olhar para Jaehyun e adentrou o local rapidamente. A primeira coisa que reparou foi no tamanho da cama. Ela era enorme e estava bem centralizada  no quarto com uma cabeceira linda e um criado mudo de cada lado da mesma. S/n ficou hipnotizada e caminhou na direção desta tocando a maciez das roupas de cama, todas na cor branca.

Jaehyun sorriu colocando a mala sobre uma poltrona no canto do quarto. Virou em direção a S/n e continuou a observá-la explorar o local. Ela olhou para o guarda-roupas, também enorme, com um espelho que tomava conta de duas das oito portas.

Ela passou rapidamente por este, indo em direção a janela do quarto, parando em frente a mesma. Ela era, na realidade, uma porta dupla, que abria para uma pequena sacada. S/n a abriu e sentiu o vento fresco do início da noite lhe tocar o rosto. A vista dali era magnífica. Dava para ver uma casa à frente e várias árvores e logo atrás, o muro ao redor do condomínio. No fundo se viam algumas luzes dos prédios de Seul.

Ela se virou para Jaehyun que sorria bobo em sua direção.

S/n: - Aqui é lindo! Estou nas nuvens... Não tenho nem palavras para expressar o que estou sentindo!

Ela correu em sua direção e o abraçou fortemente. 

Jaehyun: - Que bom que gostou, pois aqui será sua nova casa, assim que puder vir definitivamente para cá!

S/n assentiu e sorriu se separando dele. Foi em direção a mala e começou a desfazer a mesma. Jaehyun a ajudou e logo estava tudo organizado no guarda roupas e algumas coisas foram para o banheiro do quarto. Enquanto arrumava, S/n percebeu que algumas roupas e pertences masculinos já estavam no guarda roupas e no banheiro

S/n: - Você trouxe suas coisas para cá?

Ela olhava para Jaehyun esperando a resposta mais óbvia de sua vida, mas precisava falar algo.

Jaehyun: - Comprei algumas coisas para deixar aqui, pois vou passar a vir à noite para dormir aqui durante essa semana e depois... Acho que vou continuar, até você voltar definitivamente!

S/n: - Definitivamente... Essa palavra está sendo usada muito hoje! Eu estou bem assustada... Feliz, lógico, mas muito assustada com a velocidade que tudo está acontecendo! Você não está?

Jaehyun: - Estou do mesmo jeito, mas não me imagino mais sozinho sem vocês! Quero resolver tudo rápido, para que possamos morar juntos!

S/n: Ah... Me lembrei de algo!

Ela saiu de perto dele e foi até sua bolsa. Tirou de lá um envelope branco e o entregou a Jaehyun. Ele a encarou antes de abri-lo.

Jaehyun: - É o resultado do teste de DNA?

S/n apenas assentiu. Os dois se sentaram na cama para que Jaehyun abrisse o envelope. Ele destacou o lacre devagar. Não tinha dúvidas do conteúdo. Leu todo o resultado onde em destaque constava

- 99,99% de compatibilidade entre amostras.

Jaehyun sorriu satisfeito para S/n antes de falar: - Como esperado, totalmente compatível!

S/n: - Ainda bem! Porque se não, eu teria que sair por aí procurando o fantasma que me engravidou!

Os dois riram até quase perder o fôlego.

Quando os risos pararam, Jaehyun acariciou delicadamente o rosto de S/n e a abraçou. Se olharam novamente e já estavam quase se beijando quando ouviram um choro baixinho.

S/n: - James acordou!

Os dois sorriram e saíram do quarto indo em direção ao de James. S/n o arrumou e os três saíram do quarto indo para o andar de baixo.


(...)

Os três já estavam na cozinha se juntando aos mais velhos. Agora James era mimado pelos avós e eles não sabiam o que fazer para agradá-lo. Compraram várias guloseimas e brinquedos novos e babavam em cima dele enquanto este comia e brincava com tudo.

Jaehyun e S/n eram só sorrisos admirando a cena.

O jantar ficou pronto e todos se sentaram para comer. O restante da noite foi só diversão e muitas risadas. James animava a todos com suas brincadeiras de criança. Se escondia e dava grandes gargalhadas quando o avô ou o pai lhe achavam.

Já passava das 23:00hs, quando este mostrou os primeiros sinais de cansaço. A Sra. Jung se prontificou para banhá-lo e colocá-lo na cama, sendo apenas acompanhada por s/n para mostrar a roupa que poderia ser colocada nele. As duas mulheres riram e conversaram muito durante o processo. Ficaram em frente ao berço por alguns minutos admirando James, logo após este dormir.

Sra. Jung: - Não se preocupe amanhã quando sair com Jaehyun para o cartório! Eu cuidarei bem de James para você!

S/n: - Eu não duvido disso, por isso não estou nem um pouco preocupada! Estou muito feliz por vocês estarem aqui!

S/n falou se referindo também ao sogro.

Sra. Jung: - Obrigada por você estar aqui e ser uma pessoa tão adorável! Estou ansiosa para conhecer seus pais e elogiá-los por ter criado você tão bem!

S/n: - Muito obrigada! Eles também estão ansiosos por isso! Vamos marcar assim que toda essa fase ruim passar!

As duas saíram do quarto e foram em direção aos seus quartos.

Jaehyun e o pai ficaram incumbidos de arrumar a cozinha e quando s/n chegou ao quarto este ainda não estava ali. Ela então deduziu que eles ainda não haviam terminado. Tratou logo de tomar um banho e se vestir com uma roupa confortável. Não estava totalmente à vontade para vestir uma camisola, então optou por uma calça de malha branca e uma camiseta azul. Se deitou e aguardou por Jaehyun, não percebendo o exato momento em que adormeceu.


(...)


Alguns minutos depois de s/n adormecer, Jaehyun entrou no quarto chamando por ela. Já havia passado no quarto de James e visto que o filho dormia tranquilamente. Jaehyun chegou próximo a cama e chamou novamente. Sorriu de lado quando percebeu, que assim como o filho, s/n dormia um sono profundo. Passou a mão por seus cabelos os tirando de seu rosto e falou suavemente: - Você é muito má! Como pôde dormir sem mim, na primeira noite em nossa nova casa?

S/n apenas suspirou e remexeu na cama, mas não acordou. Jaehyun suspirou se dando por vencido. Pegou um pijama e foi para o banheiro. Tomou banho e se vestiu para dormir. Quando voltou para o quarto, colocou um alarme no celular para às 7:00h. Sentou-se na cama e colocou o celular no criado mudo.

Olhou em direção a s/n enquanto se deitava, ajeitando-se ao lado dela, sob o edredom branco. Chegou mais para perto e passou um braço por debaixo da cabeça de sua amada e a aconchegou próximo ao seu peito. Lembrou-se que dali a algumas horas ela seria sua esposa e sorriu. Suspirou novamente lhe acariciando o rosto: - Eu te amo!

Sussurrou no ouvido dela.

Antes de fechar os olhos, viu quando ela sorriu levemente e se aninhou mais a ele. 


(...)


O casal acordou quando o alarme tocou. Se trocaram e seguiram de mãos dadas para o quarto do filho e o encontraram vazio. Desceram as escadas e quando entravam na cozinha avistaram o filho sentado em uma cadeirinha para criança, sendo alimentado por seu avô. A senhora Jung estava em frente ao fogão, preparando alguma coisa.

A mesa estava posta para o café com vários pratos prontos. Enquanto o casal dava bom dia, a senhora Jung colocou o recipiente com sopa quente sobre o suporte na mesa. Todos tomaram o café animadamente e S/n e Jaehyun saíram logo em seguida, deixando o filho aos cuidados dos avós.

Chegaram ao cartório às 8:30hrs. Haviam dois casais na fila aguardando. Jaehyun tentou ao máximo não chamar a atenção para si, mas foi inevitável quando teve que tirar a máscara para a foto oficial do documento. A comoção foi geral entre os três funcionários do cartório e o casal que aguardava a sua vez. Jaehyun teve que pedir para o oficial de registros se apressar antes que alguém tentasse tirar uma foto deles no local. S/n já pedia um uber enquanto os dois esperavam o documento ficar pronto. Assim que o pegaram, saíram apressadamente em direção ao veículo que os aguardava. Jaehyun já estava novamente com a máscara e havia colocado um boné. Aparentemente conseguiram fugir dos curiosos a tempo.

Os dois seguiram para a empresa SM, onde o Manager já aguardava para que escolhessem as perguntas que seriam feitas na entrevista de quarta-feira. S/n conseguiu ver vários de seus antigos colegas de serviço, assim como alguns dos meninos do grupo. Todos ficaram felizes em vê-la, principalmente a Sra. Yon com quem s/n tinha uma grande amizade.

Depois das perguntas serem escolhidas, S/n voltou para casa sozinha, pois Jaehyun tinha vários compromissos em grupo, marcados para a tarde e noite.


 (...)


S/n e James passaram uma tarde muito agradável com o casal Jung. A senhora Jung era muito carinhosa, enquanto o sr. Jung gostava de fazer piadas com tudo, sendo muito engraçado às vezes.

(...)

Jaehyun chegou em casa já era tarde, já passavam das 23:00h. Antes de subir para o quarto, foi até a cozinha e bebeu um pouco de água. Enquanto lavava e guardava o copo que usara, percebeu uma garrafa térmica e uma marmita sobre a mesa. Sob eles havia um bilhete: 

"Deixe comida para você, é só aquecer! 

Se não quiser, tome pelo menos, um

um pouco de chocolate quente, 

que está na garrafa".

Jaehyun reconheceu a letra da esposa e sorriu pensativo. Colocou em palavras o que sentia: - Esposa... ainda não acredito!

Olhou em direção à escada que subia para os quartos antes de beber um pouco do líquido deixado. Sentiu seu interior se aquecer pela temperatura do mesmo e também sentindo o cuidado com que aquilo foi preparado.

Assim que terminou e organizou tudo, subiu em passos lentos, passando primeiro pelo quarto do filho que sempre estava com a porta aberta. O beijou delicadamente, o cobriu e saiu devagar como entrou.

Ao passar em frente ao quarto que os pais dormiam, este também encontrava-se com a porta aberta. 

Jaehyun parou em frente e pode ouvir quando a mãe o chamou baixo: - Filho?! Tudo bem?

Ela acendeu a luz do abajur sobre o criado mudo.

Jaehyun: -Tudo mãe! E vocês? Porque ainda está acordada?

Jaehyun sussurrava chegando mais para dentro do quarto.

Sra. Jung: - Estamos bem! Como você pode ouvir seu pai está tão à vontade, que ronca!

Jaehyun sorriu de lado ao constatar que era verdade.

Sra. Jung: - Você comeu? Sua esposa deixou algo para você na cozinha! Você viu?

Jaehyun: - Eu vi, mas já tinha comido com os meninos, então apenas bebi o chocolate!

Sra. Jung: - Entendi...

Jaehyun: - Boa noite mãe!

Sra. Jung: - Filho, espere... quero te dizer que estou encantada com sua esposa! Com meu neto nem se fala! Mas ela está me surpreendendo positivamente e sei que cuidará muito bem de vocês!

Jaehyun: - Que bom mãe! Eu sabia que vocês se dariam bem, pois as duas são bem parecidas!

Sra. Jung sorriu. Jaehyun se aproximou dela e beijou-lhe a testa, lhe desejando boa noite. O pai mexeu e revirou na cama, parando de roncar.

A mãe e Jaehyun sorriram olhando para ele.

Jaehyun seguiu para seu quarto. Abriu e fechou a porta delicadamente. Acendeu apenas a luz do abajur sobre a penteadeira. Não queria acordar s/n que parecia dormir tranquilamente como na noite anterior. 

Jaehyun decidiu que faria o mesmo que na noite passada, mesmo que sua vontade fosse acordá-la e enchê-la de beijos.


Jaehyun abriu calmamente o guarda roupas e pegou uma calça de pijama preta, uma camiseta branca e uma peça intima.

Seguiu para o banheiro e tomou sou banho tranquilamente. Secou os cabelos e escovou os dentes. Quando voltava para o quarto levou um susto com uma voz bem conhecida:

- Boa noite marido!

S/n sorriu quando Jaehyun levou a mão ao peito espantado. Ela estava sentada sobre a cama com as mãos sobre o edredom que lhe cobria até a altura dos seios. 

Jaehyun: - Que susto amor! Achei que estava dormindo! Você está bem?

Jaehyun passou as mãos pelos ombros e balançou a cabeça de um lado para o outro, relaxando os mesmos. Se aproximou da cama e beijou suavemente os lábios de s/n. Jaehyun sentou ao lado dela na beira da cama esperando a resposta.

S/n: - Eu estou bem! Estava te esperando! Hoje foi muito corrido e nós não tivemos nem um minuto a sós! Queria te abraçar um pouco!

Ela abriu os braços para ele que rapidamente se colocou entre eles.

Se abraçaram por alguns minutos. S/n foi a primeira a se distanciar. 

S/n: - Você está muito cansado? Quer uma massagem?

Ela olhava fixo para o homem à sua frente. Já sentia seu rosto aquecer enquanto o observava.

Jaehyun: - Estou um pouco cansado sim! Você me faria uma massagem nos ombros? Estou um pouco tenso!

S/n: - Claro! Me deixe só levantar e pegar o óleo corporal no banheiro!

Jaehyun se levantou deixando a passagem livre para que ela saísse da cama. Quando ela se levantou e saiu em direção ao banheiro, 

Jaehyun caiu sentado na cama com a boca entreaberta. A esposa usava uma camisola preta super transparente e uma calcinha tão minúscula que, pela pouca luminosidade, ele quase não viu, pois era do mesmo tom da peça principal.

Jaehyun engoliu em seco enquanto aguardava que ela retornasse.

Seu coração estava completamente acelerado o aquecendo por inteiro.

S/n voltou com o frasco nas mãos e caminhou até ele. 

S/n: - Tire a camiseta, sente-se na cama e vire de costa para mim!

Jaehyun apenas obedeceu sem questionar. 

Apenas preparou que o tecido fino da camisola deixava realmente tudo a mostra e ela estava um espetáculo vestindo aquilo. Precisou se controlar e respirar fundo quando sentiu as gotas do óleo sendo depositado sobre a pele dos ombros e os primeiros toques de s/n sobre o local. Estava delirando de paixão e seu corpo dava sinais disso.


S/n tentava se concentrar no que fazia, massageando suavemente toda a extensão dos ombros e pescoço do marido, mas seus pensamentos a levavam a outros planos além de só tocá-lo ali. Mordia os lábios enquanto sentia a sensação boa de saber que ele era seu, lhe aquecendo completamente. Ela estava literalmente em chamas.

Jaehyun: - Você leva jeito pra isso meu amor, mas... Jaehyun fez uma pausa segurando uma das mãos de s/n enquanto se virava de frente para ela: - ...Eu preciso de você agora!

Jaehyun a puxou jogando-a sobre a cama. Se olharam intensamente e se beijaram com fervor.

As roupas forem tiradas em questão de segundos e rapidamente os corpos estavam encaixados e se movendo em um ritmo quente e intenso. Gemidos e sussuros com juras de amor, tomaram conta do ambiente.

Tudo acabou em alguns minutos, mas ambos estavam suados, ofegantes e satisfeitos. Se beijaram e sorriam um para o outro, antes de se separarem. Após um banho rápido, o casal dormiu pesadamente abraçados um ao outro.


(...)


Na manhã seguinte, Jaehyun seguiu cedo para a empresa e S/n e James passaram mais um dia na compania do casal Jung.

A noite Jaehyun chegou tarde novamente e quando entrou em seu quarto foi surpreendido por s/n que se jogou sobre ele assim que este fechou a porta. Teve que se equilibrar para segurá-la suspensa, totalmente agarrada ao seu corpo.

Jaehyun: - Oi gostosa! É assim que vai ser? Não posso nem tomar um banho primeiro?

S/n retirou o rosto afundado no pescoço dele e o olhou: - Eu vou com você!

Jaehyun sorriu caminhando com ela nos braços em direção ao banheiro: - Eu estou amando nossa lua de mel!

Riram-se enquanto as roupas eram deixadas no piso do banheiro. A bagunça de beijos e água caindo era excitante. Terminaram de se amar na cama e dormiram completamente nus e bem abraçados.


(...)


Na quarta-feira a pequena família estava pronta às 8:00h em ponto. Jaehyun estava vestido socialmente todo em preto, desde o sapato até a camisa social. S/n vestia um lindo vestido preto longo florido com mangas e decote em v. Usava uma sandália de salto grosso combinando com tudo e seu cabelo foi preso em uma trança solta, jogada no ombro. James era puro charme em seu macacão marrom, com uma carinha de urso como estampa. Usava uma blusa de manga longa na cor branca e uma botinha marrom completava seu estilo baby fashion.

Todos estavam impecáveis e prontos para a gravação da entrevista.


Ao chegarem na empresa SM vários fotógrafos já esperavam e houve uma grande sessão de flashes.

Um estúdio foi montado na empresa e o ambiente era como uma sala de estar familiar com uma mesa de centro e três poltronas. Ao fundo se via uma lareira com fotos da família em cima.

As câmeras foram posicionadas e S/n sentou-se com James no colo em uma das poltronas, Jaehyun na poltrona ao lado deles e a entrevistadora na outra.

Ao longo das perguntas a família era só sorriso e Jaehyun fazia questão de tocar S/n ou James lhe fazendo carinho. O que deixou todos que assistiam a gravação com o coração derretido de amores por eles.


Quando a entrevista foi ao ar na tarde daquele dia, ela se tornou um sucesso. Todos ficaram fascinados com a beleza e simpatia da família de Jaehyun. 

Chuva de propostas vieram em forma de ligações e e-mails para a empresa SM. Jaehyun recuperou vários de seus contratos individuais e conseguiu novos. Houve alguns em específico para S/n e James como modelos de marcas famosas. Parecia que ninguém se lembrava mais das ofensas e perseguições. A estratégia da família feliz e perfeita surtiu o efeito esperado. 

Claro que havia descontentes, mas eram uma minoria.


6 meses depois


S/n estava eufórica correndo de um lado para o outro às voltas com os preparativos da cerimônia de casamento. 

Ela demorou 1 mês para regularizar sua situação com a empresa e voltar para a Coréia para ficar perto de Jaehyun.

Seus pais também voltaram para a antiga casa que tinham e todos agora moravam separados, mas sempre se reuniam na casa do novo casal. O casal Jung estava presente todo final de semana e eles se davam super bem com os pais de S/n, que também sempre estavam por perto.

S/n deixou de trabalhar em horário fixo, sendo agora apenas consultora home office. Dava aulas on-line e mantinha contato com o Sr. Choi lhe ajudando no que podia,  pois este acabou vindo também para a Coréia quando as units foram ajuntadas para um novo álbum.

A avó paterna de S/n quis lhe dar de presente o aluguel do local da celebração e este ficou sendo um hotel pousada e resort na ilha de Jeju. O local era perfeito para o que S/n havia sonhado. O casamento e a recepção seriam no jardim do mesmo, no sábado próximo, às 16:00hrs.

10 dos 48 chalés do local foram reservados para os convidados que poderiam passar a noite no local, indo embora somente no domingo após o almoço.

Jaehyun e S/n convidaram Tail, Dejun e Renjun para cantarem a música da entrada da noiva e eles aceitaram prontamente.

Todos os meninos tiveram sua agenda reservada para os dois dias. Jaehyun não queria que ninguém faltasse.


Conversa entre S/n e Jaehyun 2 meses antes:


Jaehyun: - Amor... Você tem alguma prima ou outra parente que se pareça com você?

S/n: - Pergunta estranha essa! 

Olhou-o desconfiada.

Jaehyun: - Só responde, depois te explico!

S/n: - Tenho sim! Ela será uma das madrinhas! Seu nome é Rebeca, ela e minha prima, tem 23 anos e todo mundo diz que somos gêmeas! Agora me explica.

Jaehyun fez uma pausa se lembrando do plano mirabolante que tivera para diminuir o dor de um amigo com o coração partido.

Jaehyun: - É que eu descobri recentemente que um dos meninos gosta de mulheres com beleza igual a sua e eu queria apresentar ele para essa pessoa se ela existisse!

S/n: - Ok, entendi! Mas já vou logo avisando que ela conhece a personalidade de todos, pois é fã, assim como eu! 

E se não for quem eu estou pensando, ela não vai querer, pois ela é Kun Stan!!!

Jaehyun: - Mais perfeito que isso é impossível!!!

Os dois riram a valer.


(...)

De volta ao tempo atual



No sábado marcado, todos foram chegando ao hotel pela manhã. Na hora do almoço a maioria já estava presente. O jardim do local fora decorado detalhadamente com uma tenda em tecido branco, mesas também com toalhas brancas e suas cadeiras num tom dourado. Os arranjos de flores eram todos em tons branco e lilás. 

As madrinhas estavam vestidas todas com o mesmo modelo de vestido na cor lilás e os padrinhos vestiam camisas brancas, calça azul claro com suspensórios azul marinho e levavam um arranjo floral minúsculo pregado no bolso da camisa.

Jaehyun estava lindo em seu traje no tom azul anil.

Senhora Yon chegou cedo para ajudar a arrumar S/n. Fez questão de colocar em prática seus vastos conhecimentos em moda, cabelo e maquiagem.

S/n escolheu um vestido off-white leve, sem mangas e com decote em v. A renda toda trabalhada em desenhos florais cobria todo o tecido esvoaçante da parte de dentro. Seus cabelos foram levemente presos e uma tiara de pequenas flores lilases o adornavam. Algumas flores soltas foram presas ao longo do mesmo formando uma pequena cascata. S/n optou por calçar sapatilhas brancas feitas especialmente para a ocasião e que eram revestidas com a mesma renda do vestido.

No quarto em que ela estava se arrumando todas as mulheres ficaram boquiabertas ao vê-la pronta. Ela parecia uma ninfa.

Sra. Hwang: - Você está maravilhosa filha!

S/n: - Obrigada mamãe!

S/n fez uma careta assim que deu uma volta para que todas vissem como estava.

Sra. Jung: - Que foi querida? Parece estar com dor!

S/n: -Ahh sogra... Estou muito feliz e ansiosa que fiquei com um pouco de dor de cabeça!

Rebeca ao ouvir isso foi até a caixinha de medicamentos que havia trago para a ocasião, dizendo que ninguém se lembraria disso e com certeza precisariam uma hora, e a hora chegou. Quando abriu percebeu que os analgésicos não estavam mais lá.

Rebeca: - Alguém mexeu aqui?

Sra. Hwang: - Ah querida, foi eu! Seu tio também ficou indisposto e eu peguei os comprimidos e levei para ele!

Rebeca: - Ai tia, a senhora levou a cartela toda?

Sra. Hwang: - Sim, me desculpe, vou pegá-la de volta!

A mais velha já se levantava da cadeira onde estava sentada e já ia saindo quando foi interrompida.

Rebeca: - Pode deixar, tia! Eu vou buscar! Eu ainda estou de chinelos e a senhora já calçou um salto! Eu vou mais rápido!

Falando isso, Rebeca saiu do Chalé segurando a barra do vestido longo lilás. Caminhou apressada em direção ao chalé onde os homens se preparavam. Assim que desceu as escadas do chalé que estava e se dirigia ao próximo, houve um choque entre ela e um homem. Rebeca se desequilibrou e já estava indo ao chão quando foi amparada pela cintura pelo cavalheiro. Os olhos de ambos se encontraram assim que estes se viram frente a frente.

Quem visse de longe podia jurar que ali estava-se gravando uma cena clichê de um filme ou dorama bem meloso.

O tempo parou por segundos enquanto os dois tentavam voltar à realidade.

Kun: - S/n?

O rapaz não acreditava em seus olhos. Não podia ser ela,se não estaria vestida de noiva. É os olhos... Os olhos eram de uma cor diferente dos dela.

Quando Rebeca conseguiu se indireitar e sair dos braços de Kun, respirou devagar para responder:

- Não! Não sou a S/n! Sou Rebeca, a prima dela!

A garota sorriu sem jeito de frente para aquele chinês que ela considerava magnífico.

Kun: - Nossa! Vocês são... hum... tão parecidas!

Kun olhava fixamente para ela e não acreditava na grande semelhança.

Rebeca: - Todo mundo diz isso... mas agora preciso ir! Tenho que buscar algo!

Rebeca saiu rápido de perto dele antes que tivesse um treco. Quase correu em direção a porta do chalé onde o tio estava.

Quando entrou no cômodo, fechando a porta com a mão direita sobre o peito, todos os homens ali presentes a olharam.

Ela respirou devagar e foi se curvando em reverência, passando pelo Sr. Jung, Jaehyun e Sr. Choi até chegar no tio.

Rebeca: - Oi tio! Eu preciso... dos comprimidos para dor! S/n está com uma leve dor de cabeça!

Jaehyun ao ouvir isso ficou preocupado.

Jaehyun: - Como? Ela está passando mal?

Rebeca: - Não é pra tanto! Ela só está agitada demais! 

Jaehyun assentiu e o Sr. Hwang foi pegar o medicamento que havia guardado em sua bolsa.

Rebeca pegou apressada a cartela e já saia do local quando a porta se abriu e Kun entrou. Os dois se encararam novamente.

Jaehyun: - kun! Que bom que está aqui! Deixa eu te apresentar a prima da S/n, Rebeca!

Jaehyun se aproximou dos dois.

Kun: - Bem... Nós acabamos de nos conhecer a pouco! Eu esbarrei nela sem querer! A propósito...

Kun se dirigiu a Rebeca antes de continuar: - Você está bem? Não se machucou?

Rebeca: - Eu... eu estou bem! Não foi nada de mais!

O rosto de Rebeca estava corado e seu coração quase saia pela boca. Sem dar tempo de mais ninguém falar nada, ela saiu rapidamente pela porta, correndo de volta para onde S/n estava. Respirou fundo e se abanou antes de entrar no local. Não queria mais ninguém lhe questionando no momento.

(...)

A cerimônia foi maravilhosa. S/n andou pelo jardim decorado com pétalas de flores, ao som de My Everything, indo em direção a Jaehyun, que a esperava no altar, embaixo de um arco de diversas flores. O cenário era a coisa mais linda, sob a luz do sol daquele final de tarde.

 S/n segurava um lindo buquê de flores de lavanda e alecrim. Seu vestido leve esvoaçava com a brisa fresca da primavera. Os dois sorriam um para o outro durante o trajeto. Todos os presentes eram lágrimas e sorrisos, ao assistirem a cena tão tocante.

 

 (...)

 

 2 anos depois...

 

 S/n acordou com um desconforto na região do estômago.

 Sentou-se devagar na cama e respirou fundo. Os últimos dias estavam sendo bem difíceis para ela. Levantou-se e virou para olhar em direção ao marido que dormia tranquilamente. Andou até próximo a poltrona do quarto e vestiu o robe que estava jogado ali.

Caminhou até o banheiro e demorou-se um pouco. Quando deixou o cômodo, abriu a cortina que cobria a porta da pequena varanda, abriu a mesma e saiu para fora. Os primeiros raios de sol apontavam no horizonte. Ela deduziu que ainda não eram 6h da manhã. 

S/n colocou as duas mãos sobre o beiral da varanda e respirou fundo novamente.

Fechou os olhos e sorriu. Deixou que seus pensamentos fossem inundados por recordações.

Faziam exatos 2 anos que havia se casado com o amor da sua vida e muitas coisas mudaram a partir daquele dia.

A casa que Jaehyun havia comprado para eles vivia cheia de gente. Seus sogros, pais e os meninos do grupo de Jaehyun, sempre estavam por ali. Era surgir um tempo livre e o pretexto estava formado, para irem para lá.

A moradia virou refúgio daqueles que queriam um tempo de sossego e conforto.

James, agora com três anos, se portava como um homenzinho. Continuava a miniatura do pai em carisma e aparência. Ele amava a casa cheia e sempre estava cercado de amor e atenção pelos tios postiços, que como Jaehyun havia dito, se apaixonaram por ele assim que o conheceram.

Mas James deixava muitos com ciúmes, quando deixava claro seu favoritismo pelo tio Jhonny.

Em uma recordação mais recente, S/n lembrou do último final de semana, onde houve uma pequena confraternização. A maioria dos meninos conseguiu comparecer e S/n ficou satisfeita ao ver Kun e Rebeca chegarem juntos. Eles estavam se dando bem desde que se conheceram na festa de casamento.

Estavam namorando a mais ou menos um ano e provavelmente ficariam noivos naquele ano. S/n sorriu ao lembrar de sua prima lhe contando o quando era difícil conviver com o "tão organizado Kun", como ela gostava de descrevê-lo. Beca reclamava sempre com ela, mas não largava o rapaz de jeito nenhum. 

Eles formavam um casal adorável e se tivessem filhos, seriam as coisas mais lindas.

S/n estava realmente feliz com tudo que tinha agora. Sua vida parecia um sonho realizado e ela tinha medo, às vezes, de que de repente, fosse acordar e tudo desaparecesse.

Ela estava tão profundamente envolta em pensamentos que não ouviu os passos atrás de si. Somente sentiu a presença de Jaehyun, quando este lhe envolveu com os braços, a abraçando por trás.

S/n: - Bom dia meu bem! Você quase me assustou!

Ela recostou a cabeça no peito dele e recebeu um beijo no topo da cabeça.

Jaehyun: - Bom dia linda e me desculpe!  Porquê vocês acordaram tão cedo?

Jaehyun fazia a pergunta enquanto acariciava a barriga de quase nove meses da esposa.

S/n colocou as mãos sobre as dele antes de responder: - Acordei com um pequeno mal estar e sai aqui fora um pouco para respirar ar puro! Nesses últimos dias estou sentindo muita falta de ar e qualquer esforço maior me deixa meia tonta.

Jaehyun: - Eu imagino que não deve ser fácil, por isso não estou ficando muito tempo longe de casa e pedi para que nossos pais não deixassem você e James sozinhos!

Jaehyun acariciou mais um pouco a enorme barriga de S/n  e a pequena Jessi, dessa vez, respondeu ao toque e chutou de volta.

Desde que s/n fez o último ultrassom e descobriu que esperava uma menina, o casal tratou logo de escolher um nome, e o escolhido foi Jéssica.

S/n: - Ai querida, calminha aí!!!

S/n também acariciou o local do chute e sorriu se virando para olhar o marido.

S/n: - Tem alguém aqui que ama os seus carinhos! Acho que até mais do que eu!

S/n fez um beicinho, arrancando de Jaehyun um grande sorriso. 

Jaehyun brincou: - Acho que ela não vê a hora de estar nos meus braços, assim como a mãe!

Jaehyun beijou suavemente os lábios de S/n e a abraçou. 

Ao se afastarem ele a segurou pela mão, a levando de volta ao quarto.

Jaehyun: - Venha! Vamos deitar mais um pouco! Quero abraçar e afagar vocês mais um pouco, até a hora de sair.

S/n apenas assentiu seguindo Jaehyun até a cama.

Jaehyun recostou-se nos travesseiros encostados na cabeceira e S/n se aconchegou ao seu lado, deitando a cabeça em seu peito.

Ele acariciava a cabeça da esposa com a mão esquerda e com a outra a enorme barriga da mesma.

S/n suspirou e elevou um pouco a cabeça para olhar Jaehyun nos olhos.

S/n: - Estou tão feliz que chego a ter medo às vezes!

Jaehyun: - Eu também me sinto assim! Parece que não merecemos, mas essa felicidade é nossa, não é?

S/n concordou com um leve aceno e sorriu. Se aninhou mais a ele que em retribuição, a apertou um pouco mais contra si.

S/n respirou fundo e concluiu que tinha verdadeiramente um lugar para chamar de lar e onde com certeza queria sempre estar:

 - Nos braços daquele que agora a segurava firme e com total devoção.



Notas Finais


E então é o fim!!! Me deixem saber se gostaram e se valeu a pena esperar.
Um beijo no coração de cada um e fiquem bem!!!
Continuem apoiando o grupo NCT dando views nos MVS.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...