História Prostituta de Aluguel ? - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Linguagem Imprópria, Policial, Romance, Sadomasoquismo
Visualizações 267
Palavras 4.185
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Continua... 😘😘😘

Att: Uma Mente♠

Capítulo 12 - Amar!?


Fanfic / Fanfiction Prostituta de Aluguel ? - Capítulo 12 - Amar!?

4° Dia como Prostituta de Aluguel.

Na manhã seguinte Tony desperta às 5:30 com um som de carro se aproximando da casa onde ele e Alila estavam. Tony rapidamente então se levanta da cama pega sua cueca e veste, vai até uma mesinha de cor marrom com detalhes arcaicos, pois embaixo dela há uma arma, ele pega e destrava e anda silenciosamente em direção ao fundo da casa pois as pessoas que chegaram no carro, ele percebeu que entraram pelos fundos. Tony vai andando em silêncio com a arma em punho, ele chega nos fundos da casa porém não vê quase nada pois estava escuro, ele vê somente formato de pessoas; porém não dá dele vê a suas fisionomias por causa do escuro. Tony então devagar se aproxima de um e coloca a sua arma na cabeça dele e fala:

_ Parados! Paradinhos ai, se fizer qualquer movimento eu atiro, agora eu vou ligar as luzes e se fizer ao menos um pequeno movimento eu ATIRO!     -esbraveja

Tony liga as luzes, e o que ele achava que eram criminosos invadindo a casa, era somente o Senhor Vitorino de 63 anos e sua Esposa Maria Rosa de 56, os empregados responsáveis pela casa!

Vitorino e Maria Rosa estão ainda em choque pelo pavor do susto! Tony então vendo que tinha deduzido errado falou:

_ Dona Rosa, Seu Vitorino o que fazem aqui ?    -surpreso

Seu Vitorino, se encosta na parede, assim deixando seu corpo amolecer, pois o susto quase que mata o pobre velho.

_ Doutor Tony..... -respirando ofegante- _ QUASE ME MATA!... -pondo a mão no peito-.

Dona Maria, se senta na caderia para tentar se recuperar do susto. Tony vendo ela cabisbaixa, respirando com se estivesse tentando sugar todo o ar do mundo, se dirigiu a ela preucupado.

_ Dona Maria a Senhora está bem ?

_ Ahhh.... Nossa... Quase morro... -espantada.

_ Desculpem, mais pensei que fosse ladrões ou coisa até pior...

Seu Vitorino:

_ Como haveria, de dois velhos roubar, Patrão ??

Tony:

_ Não sabia que eram vocês, além do mais chegaram tão de fininho, tão quietos...

Dona Rosa:

_ Não queria fazer barulho! Pois a gente não queria acordar o Senhor...

Tony:

_ Uhum... Tá! Mais o que estão fazendo aqui ??

Seu Vitorino:

_ esquecemos de reabastecer a geladeira e o armário, então viemos antes que a amanhecesse para assim também preparar seu café da manhã antes do Patrão acordar!

Tony:

_ Ata! Bom... Ah... O café da manhã é pra dois e Dona Rosa capricha... -sorri

Dona Rosa:

_ Como sempre né.... -sorrindo já recuperada do susto.

Seu Vitorino:

_ A moça é especial né!   -sorri

Tony:

_ É... Sim, mas como sabe ?

Dona Rosa;

_ Se sente cheiro de romance, dês da entrada...   -sorrindo

Seu Vitorino:

_ É porque o Patrão nunca trouxe ninguém aqui, então... Sgnifica que ela é especial.... -sorri.

Tony:

_ Mas que especial... Bem mais... Meus caros... -sorri

Seu Vitorino:

_ A gente capricha, sim senhor, pra moça gostar também...

Tony:

_ Tá tudo bem, agora eu vou voltar pro meu quarto...

Dona Rosa:

_ Espero não ter, acordado a moça!

Tony rindo.

_ Aquela ali, tem sono pesado não acorda tão fácil assim não...!

Tony sai deixando Dona Rosa e Seu Vitorino cuidando dos afazeres... Tony entra no quarto e observa Alila ali nua na sua cama, ele então se deita perto dela e acaricia seus cabelos e diz sussurrando:

_ Alila, eu não gosto de voçê, eu Amo Voçê! Não sei como isso aconteceu só sei que aconteceu, Eu te Amo, logo eu... -rindo- Se me contassem que um dia eu ficaria apaixonado, diria que é mais pura Mentira. Mas hoje eu posso vê, que te Amo, eu vou te proteger minha menina, não vou deixar nada acontecer, com você, nada... Vou te manter sempre perto de mim, pois eu quero voçê do meu lado... Minha, minha menina, só Minha...

Depois Tony se deita ao seu lado abraçando seu corpo, e dorme juntinho dela. Meia hora depois Tony desperta novamente não tem mais sono, então resolve tomar um banho, depois do banho, vai até o closet pega uma bermuda e uma camisa e o seu tênis, se veste... Depois sai da casa para dar uma corrida na praia, pra ele essa era a melhor atividade física. Alila meus caros é uma sedentária, tem preguiça até de caminhar, que dirá correr. Depois de meia hora Tony retorna a casa, entra e vai em direção a cozinha onde Dona Rosa e seu Seu Vitorino estavam finalizando o café da manhã lindo, na mesa... Que outrora eles trazaram...

Tony:

_ Não... Não vamos vamos comer aqui! Prepara o café da manhã em uma bandeja vou levar pra dentro do quarto! -esbaforido pela corrida.

Dona Rosa:

_ Quer dizer que vão comer na cama ?      -dando um sorriso malicioso

Seu Vitorino: -rindo-

_ O Patrão está romântico hein?

Tony:

_ Romântico que nada... Só estou prevenindo que ela não saia daquele quarto tão cedo!    -dando um sorriso devasso.

Todos riem...

Tony então sai, e volta para o quarto, entra no banho novamente, e debaixo daquela água quente pensa. 

Tony ON

Droga, será que está tão na cara assim, que eu amo ela... Mas isso não pode acontecer e se os outros descobrem que estou apaixonado logo Eu... Não posso deixar que ela perceba isso, pois então ela vai pensar que está no controle dessa situação e não é bem isso que eu quero, MERDA quem devia ficar apaixonado aqui era ela e não Eu. Porque essa merda de Amor aconteceu logo comigoooo.... Tenha calma Tony, tenha Calma...

Tony OFF

Tony saiu do banheiro, enrolado na toalha e Alila já estava sentada na cama, esfregando os olhos e bocejando pelo sono...

Alila:

_ Bom... Di..A! -bocejando

Ele se aproxima dela para lhe dá um beijo na boca, mais ela desvia a cabeça.

Alila:

_ Não, me beija ainda não escovei os dentes, devo estar com mau hálito -se esquivando mais ainda.

_ Uhumm... Não seja boba... Vem aqui vem...

_ Não... -rindo- _ Me larga Tony, me larga, não, não... Eu estou com mau hálito... -rindo-.

Tony sobe em cima de Alila e lhe dá um beijo... Depois rindo fala:

_ Está mesmo... -gargalhando

Alila pega um travesseiro e joga nele...

Alila:

_ Chato... Agora sai, anda sai, deixa eu tomar um Banho SOZINHA!    -rindo

_ Pode ir...   -colocando as mãos pra cima!

_ uhum... Tá       -fazendo meguice.

Alila sai da cama enrolada no lençol de linho branco, de repente Tony puxa o lençol, fazendo ela assim ficar nua...

Alila:

_ Tony... Por quê fez isso...   -cruza os braços.

_ Pare de Tentar esconder seu corpo voçê é linda não tenha vergonha do que é seu... Além do mais gosto mais de vê voçê assim, Nua!    -dando um sorriso malicioso

Alila antes que ele se aproximasse, foge para o banheiro, e se tranca lá dentro... Enquanto aquela água quente escorre sobre o seu corpo, ela vai relaxando...

Tony ainda só de toalha, abre a porta ao ouvir de lá, umas batidas bem de leve. Ao abrir vê que no chão está lá, uma bandeja onde em pequenos recipientes tem morangos em outro há uvas, em outro iorgute, há ainda uma jarra de suco de laranja e pedaços de Browne e ainda mais, castanhas, nozes, pedaços de mamão... E um copo onde há uma rosa vermelha pra assim finalizar aquele colorido. Ele pega do chão e trás pra dentro fechando a porta com um empurrão que dá com a perna, ele se direciona até a cama e coloca a banfeja lá em cima.

Alila depois de alguns minutos fala de dentro do banheiro:

_ Tony... Me trás a Toalha por favor... Esqueci... -rindo

_ Nãoooo... Eu já disse. QUERO VOCÊ NUA ALILA SAI DAÍ!

Alila vem, com os braços cruzados em forma de X, para ao menos esconder seus seios... Quando ela chega e vê, aquela linda bandeja, seus braços amolecem...

Alila:

_ Tony... Que linda! Caprichou hein... -alegre

_ Não foi eu que fiz, mais está bonito mesmo...

Neste momento se ouve algo como panelas que caem no chão, lá na cozinha e Alila se apavora.

Alila:

_ Tonyyyyyy... Tem alguém aquii... Vomos morrer...        -morrendo de medo.

Tony começa a rir.

_ Tony... Está doido, tá rindo de quê? Não ouviu o barulho... Vamos anda temos que sair daqui...

Alila então começa a se desesperar...

Tony diz:

_ Alila? Alila ? ALILAAAAAAA!

_ Ficou louco os bandidos devemos ter escutado voçê gritando      -susurrando

_ Não são bandidos! São somente os meus funcionários...

-perplexa- _Você trouxe Criminosos da Máfia pra cá????

_ NÃO... São o casal que tomam conta da casa... Além do mais pensa que eu só tenho funcionários da máfia é ???

_ Eu penso que SIM!

_ Pois fique você sabendo, que não é bem assim também ajudamos os outros tá, fazemos doações, ajudamos as pessoas dos bairros mais pobres...

_ Sim, para poder encobrir, os roubos, os tráficos, e todo os negócios ilegais...

_ Também, mais neste jogo todos ganham eu e eles...

_ Mais Vocês do que eles...

_ Pode ser... O mundo é assim, quem não é o Domindor é o dominado! E nós somos e sempre seremos os MAIORAIS!

_ Não tem Medo ??

_ De quê ??

_ Da Polícia, das organizações criminosas rivais...

_ Alila dês pequeno eu vivo, neste mundo cercado por "cobras" com o tempo aprendir a me defender... Além disso até hoje temos a polícia e os outros sob controle e claro que de vez em quando acontece algo, porém damos um jeito...

_ Que jeito ??        -assustada

_ Matamos! Sequestramos, torturamos...

_ Que horror...     -pasma

_ Essa a lei que impera na vida do crime Ou vai você ou ele...

_ Nossa... E então mas.... você nunca quis sair dessa vida ??

_ Alila eu não tenho essa opção!

_ Por que não ??

_ Por quê. NÃO! Agora vamos parar com essa conversa e vamos comer...

Alila resolve consentir, e ambos começam a comer aquele desjejum... Eles riem e se divertem, brincam de quem consegue jogar nozes pro alto e conseguir faze-la entrar dentro da boca, Tony dás 5 vezes que fez acertou 3 Alila das 7 não acertou nenhuma, uma caíu no seu olhos, outra no nariz, uma acertou em cheio sua testa, a outra os dentes, e as outras nem perto de si chegaram, uma que ela jogou tão alto caiu bem em cima da cabeça de Tony. Eles passaram a manhã toda na cama, nus, rindo, brincando e comendo as iguarias e rindo das histórias de brincadeiras que Alila viveu uma delas foi essa...

Tony:

_ Não, acredito que fez isso...    -rindo

_ Sim fiz..    -rindo-   _minha Mãe ficou uma fera quando me viu...

_ Quantos anos tinha ?

_ Ah... Eu devia ter uns 6 anos... Mas não foi culpa minha..

_ Como assim não foi, foi sim!!! -gargalhadando.

_ Foi não sabe porque, naquele dia, minha mãe deixou aquelas maquiagens tudo ao meu alcance, e não se pode deixar nada ao alcance de uma criança... -rindo- além do mais eu vi aqueles batons e pensei que eram doces...    -rindo. 

_ e quando foi que ela chegou o que ela fez ?

_ Me pegou pelo braço e saiu me puxando até o banheiro berrando " ALILA O QUE EU FAÇO COM VOCÊ HEIN ESTRAGOU TODOS OS MEUS BATONS, EU NÃO ACREDITO, NÃO ACREDITO... " E ficou berrando pra DEUS e o Mundo que ela não acreditava que eu tinha feito aquilo...

_ Nossa pelo o que me contou você foi bem danada quando era criança!

_ Sim... -rindo-   _ e voçê ? 

Neste momento, o sorriso que estampava os lábios de Tony desaparece!

Alila:

_ O que foi falei algo errado ?

_ Não!

_ Então porquê ficou... Ficou sério, quando falei da tua infância...

_ Por quê, ela não foi, como vou posso te explicar... " Boa"!

_ Como Assim ??   -curiosa.

_ Não gosto de Tocar nesse Assunto!

_ Por quê ?

_ Por quê. Não gosto!   -em tom seco

Alila então neste momento abraça, Tony com sua pernas, ele retribui o gesto com um beijo eles se deitam na cama um de frente pro outro, um olhando nos olhos dos outro. 

 Alila:

_ Me conta ?

_ Se quer tanto saber; então eu vou contar, quando eu tinha apenas 5 anos minha Mãe foi assasinada enquanto jantava como meu Pai. Eu não me lembro muito, talvez por isso, é que eu sinto mais a sua falta!

_ Nossa...   -em choque, com uma lagrima, escorrendo em seu rosto!

_ Meu Pai me lembro bem, ficou anos procurando e se vingando de cada um... Minha infância, Alila, foi cercada de um desejo colossal por vingança, eu acho que com o tempo fui me, contaminando com essa doença. Meu Pai nunca foi um bom Pai! Não como deveria ser...     -neste momento lágrimas começam a descer dos olhos dele.

Tony então vira-se ficando de frente pro teto e olhando fixamente para cima, como se estivesse revivendo o passado, com todas as suas dores.

Tony:

_ Meu Pai sempre deu mais importância ao seu Trabalho do que a Família, minha Mãe pelo o que meus Irmãos contam sempre deu muito, muito mais valor a nós do que a até mesmo ao nosso Pai. Eu me lembro um pouco dela...ela rindo brincando comigo, me chamando de meu menino... Porém naquele dia eu me lembro, eu vejo flash que ele brigou com ela pela manhã, gritava, ofendia ela, e chegou até bater nela... Me contaram depois era por quê eu estava chorando, pois meu brinquedo favorito, quebrou-se e ele queria que eu cala-se a boca, então ele partiu cheio de raiva pra cima de mim, mas ela... Ela se colocou na minha frente e apanhou por mim!

_ Seu Pai bateu na sua Mãe ? -com medo

_ Sim! Mais pelo o que eu sei essa foi a primeira e a última vez... Depois de ter feito o estrago ele, foi para o escritório e se trancou lá, e minha mãe no quarto pra chorar... Almoçamos sem ele, mais tarde, ele chegou até nós que estávamos em seu quarto assistindo desenhos e pediu desculpas pra ela e pra nós! Então como uma forma de se redimir ele perguntou se ela não queria sair pra jantar... Ela radiante, com um belo sorriso, aceitou, ela tinha um sorriso incrível... Alila. Pois bem eles saíram, mais a noite não teve um desfecho feliz, homens armados entram no restaurante, atirando para acertar meu Pai e seus capangas, um tiro pegou no seu braço, seus homens revidaram, o Tiroteio começou, muita gente inocente morreu assim como minha Mãe. Um Tiro pegou bem em seu peito, alojando-se no seu coração! Levando-a a morte imediatamente.

_ Nossa... Que horror...         -pasma

_ Meu Pai mandou Matar, um por um... Da maneira mais lenta e dolorida possível... Um deles o que possivemente disparou a arma que a matou, Ele trouxe ele pra nossa Casa.

Ele nesse dia chamou Todos nós eu já tinha uns 8 anos, na porta de nossa Casa lá estava o homem que atirou na minha mãe, ele já estava todo, ensanguentado, bem pela surra que meu Pai deu nele, ele já estava quase morto. Porém meu Pai louco de raiva disse que era pra nós assitir a morte daquele que disparou a arma! Ele berrava algo como:

_ VEJAM, COMO MATO ESTE VERME, E VOCÊS OLHEM BEM... VEJAM ESSE MERDA IR PARA O INFERNO...

Meus irmãos, estavam com medo, fechavam os olhos, viravam o rosto, a cada soco que meu Pai dava nele, e cada vez que meus irmãos viravam a cabeça pra não olhar meu Pai gritava! Berrava, dizia palavras ofensivas. Dizia também que na nossa Família os fracos não eram permitidos! Eu não Alila pelo contrário a cada soco que ele recebia eu estava gostando, me divertir quando vi, ele naquele chão, sofrendo pedindo pra não ser morto... Eu Gostava... Meu Pai então saca a arma na sua cintura, e aponta na cabeça dele, porém eu falo:

_ Espera...

Todos me olham com medo, meu Pai olhava com espanto. Até que ele disse:

_ O que é ?...

_ Eu vou Mata-lo...

Meu Pai, os capangas e meus Irmãos, me olharam como se eu estivesse louco. Eu peguei a arma da mão do meu Pai... Olhei para aquele verme... Apontei a arma pro seu peito... E disparei... POW...POW...POW... O sangue do corpo dele espirrou todo em mim, e na minha roupa me banhando de sangue.

_ Voçê matou Ele ?     -incrédula

_ Sim... Ele foi o Primeiro...

_ Já matou mais pessoas?    -espantada

_ Já...

_ Por quê..?      -apavorada

_ A maioria foi em busca, de saber onde está Malinowski.

_ O que esse homem te fez... -amedrontada

_ Foi esse Verme, que foi o mandante daquela barbárie, que matou minha mãe...   -com ódio

_ E voçê, está atrás dele ? -com perplexidade

_ Sim, nem que seja a última coisa que eu faça na MINHA VIDA, MAIS EU VOU MATA-LÒ COM O TIRO NO PEITO.

_ Por quê, quer essa vigança! Já não basta tanto sangue derramado... -triste

_ NÃO, NÃO BASTA NÃO PRA MIM... Quando viagei para o Paraguai não fui resolver nada sobre contrabandos, eu fui foi atrás dele, fiquei sabendo que ele estava com negócios lá e tinha arrumado até uma mulher, dizem que gostava muita dela era muito apaixonado por ela era a menininha dos seus olhos... Não é mais...

_ Como assim não é Mais!    -pasma

_ Depois que eu cheguei lá, fui direto para o local onde fiquei sabendo que ele estava, há anos o proucuro, e desta vez eu pensei que ia pega-lo, porém o desgraçado foi mais rápido e antes que eu chegasse ele partiu... Só encontrei a garota, eu a interrogue disse que se ela me dissesse pra onde ele foi, eu daria a ela uma ótima recompensa, muito dinheiro que a deixaria rica... Mais ela não quis cooperar...

_ E que fez com Ela ?    -amedrontada

_ Deixei um recado caso ele voltasse -disse com sorriso irônico.

_ O que fez com ela ?           -susurrando de medo.

_ MaTei Ela! Com dois Tiros...

Alila engole sua saliva a seco, não conseguiu acreditar no que ouviu dele... Até que Tony vendo ela em transe pelo Medo pergunta, com voz doce!

_ Está com medo de mim    -olhando em seus olhos.

_ Estou...   -perplexa

Tony se aproxima dela e lhe dá um beijo amoroso...

_ Não tenha não vou lhe fazer mal.

_ Então porque não para... Já não basta de sangue...

_ Alila, minha querida eu fiz a promessa de me vingar no túmulo dela e é isso que vou fazer...

_ Mas, Tony...

_ XIII III.... Não me peça, isso...

_ Eu quero o seu bem... Por isso te peço!

_ Eu sei meu Amor... Mas, não...

_ Me chamou de meu Amor...    -o sorisso volta a acender em seu lábio.

_ Sim... Vem vamos nos sentar quero te dizer algo...

_ Pronto, já estamos sentados o que é, não vai me matar também ? -sorri, mais logo desfaz o sorriso pois a piada não funcionou...

_ Não tem graça Alila     -sério

_ É eu sei, desculpa... Então o que quer me dizer ??

_ Quero cancelar o nosso negócio!

_ Cancelar, mais por quê não me quer ?? -assustada

_ Quero! QUERO COM TODO O MEU CORAÇÃO! E é por isso mesmo que eu quero cancelar...

_ Não entendo... -confusa.

_ Me dê tuas mãos... Nossa estão geladas -rir- Bem o que tenho pra te dizer eu nunca disse a ninguém, a ninguém mesmo pra uns são fáceis dizer tais palavras, mas pra mim não é... Até por que eu não acreditava nelas...

_ Agora é você que está gelando... -sorri

_ eu quero cancelar o negócio pois,eu te quero não como meio de prazer mais, como companheira...EU TE AMO ALILA...

Alila está pasma, ficou mais branca do que já é...

Tony:

_ Alila, Alila? Está bem... -rindo- Eu disse Eu Te Amo pela primeira vez, eu acho que essa era é a hora, que você diz Eu Também e a gente se beija e fazemos amor....

_ Não...   -perpexla

_ Não o Quê ?      -confuso.

_ Não pode me amar...  -séria

-perplexo- _ Espera, espera ai... Quem não está entendo nada aqui sou eu, porque não posso te amar...

_ Por quê como fica o nosso negócio!

_ Esperai.... EU DISSE EU TE AMO CARAMBA... E você me vem falar do nosso negócio, do dinheiro...    -incrédulo-

_ Eu sei Tony, mais como eu fico, minha famíla fica... -séria

_ Não disse que gostava de mim ??

_ Disse e é verdade, mas como fica a minha situação ??

_ É só o Dinheiro que você QUER NÉ! -irado.

_ Não, não me entenda mal, porém eu presciso dá grana.

_ Tudo bem, se você quiser eu te dou a DROGA DO DINHEIRO AGORA, E PODE IR EMBORA...

_ Não quero Ir.. Eu quero ficar AQUI! Com voçê, mais eu presciso do dinheiro...

_ Me Ama Alila ?   -fitando seus olhos

_ Não... -cabisbaixa- _ Mas eu gosto de voçê! -tentando sorri

_ Agora quem não entende sou eu...

_ Tony querido você não me Ama, só está apaixonado, e paixão passa rapido, assim como chega vai embora...

Tony se levanta de súbito, zangado vai até a janela, pois estava muito irritado, depois vira-se pra Alila.

_ Acha que estou Mentindo ?  -com raiva

_ Não, não acho, eu só estou dizendo que é muito comum confundir Amor com Paixão...

-rir de raiva- _ Quer saber pode ir embora... Não ligo mais, eu vou pagar a merda da dívida, não se preocupa... -zangado.

_ O Combinado foi os 21 dias... -em tom doce.

_ NÃO IMPORTA EU PAGO A MERDA... -berra de raiva.

_ Tony fica calmo...

_ É a primeira vez que eu me declaro, e é assim que a mulher que eu Amo, me corresponde duvidando do meu amor -lágrimas começam a brotar dos seus olhos.

_ Não Chores... -com compaixão

_ E quer que eu faça o que, se meu amor não é correspondido -cabisbaixo enxugando as lágrimas que não cessavam de molhar seu rosto.

_ Olha vai passar, não é real.... -tentando anima-lo.

_ É REAL SIM PORQUÊ DÓI... - Tony não aguentando tanta dor, chora igual uma criançinha que acabou de perder os Pais.

Alila, vendo seu choro se levanta e vai até ele e o abraça...

_ Calma.. Calma... Vai passar... Vou ficar do seu lado!

_ Por 21 dias, entendi     -chorando

_ Sim por 21 dias...

_ Não me Ama mesmo né ?      -triste

_ Olha eu gosto de voçê! Mesmo, só que entenda que Amor... Não é assim...

_ Como sabe por acaso Ama outro... -com raiva.

_ Sim, amo vários...

_ MATAREI TODOS         -com ciúmes e ódio

Alila larga de abraçar Tony, e se joga na cama irritada com os ciúmes dele...

_ Nossa... Tony não fale besteiras... -revirando os olhos.

_ Diga os nomes, e eu lhe provo se digo besteira...      -com ódio.

_ Eu Amo Meus Pais meus Irmãos, meus amigos... Irá matar eles ?

_ Você disse que Ama vários!

_ Sim! eles são os Vários!

_ Eles não valem...

_ Valem sim pois os Amo! Além do mais fica calmo Tá, depois você me esquece...

_ Ah, um coração ai dentro ?... -indignado.

_ Meu Querido não fique com raiva de mim, não vê que sou tua... O que quer mais de mim ??     -com voz de dengosa

Tony se aproxima e se deita em cima dela e lhe beija e depois diz: 

_ Quero teu coração, Teu Amor... -com voz doce

_ Desculpa, mais ele não me ouve, por que mesmo; que eu quisesse te da-lhe ele não aceitaria, é desobediente!      -com um sorriso malicioso

_ O que me resta então... Só te Amar...

_ Sim, olhe pelo lado bom nós tem 21 para Amar...    -sorrindo

_ E depois ?

_ O futuro não nos pertence, Querido!

Tony olha bem no fundo dos olhos de Alila e diz em tom sério e definitivo:

_ VOCÊ É MINHA QUER QUEIRA OU NÃO!

_ Vai me obrigar...   -sorrindo.

_ Sim! Se precisar te prender nesta casa eu vou fazer isso! E não estou brincando. -sério.

_ Cárcere privado é crime sabia! Ninguém pode manter ninguém preso a não ser por meio da Lei..    -rindo

_ ALILA NÃO BRINQUE COMIGO NÃO SABE DO QUE SOU CAPAZ.

_ Eu brinco... Sim... Meu Senhor...  -rindo.

_ Voçê é MINHA ALILA!

_ Sou toda TUA MEU SENHOR...    -rindo.

Assim ambos se se olham com um desejo pulsante, Tony a beija frenéticamente, lhe tirando o ar, com o desejo que possuía, Alila entrega seu corpo ao desejo que dominava os seus membros. Já não são dois corpos que estão se amando e sim duas almas em contato, o que sentiam não era uma química de um casal comum, era algo mistérioso demais para a mente humana, a cada toque, a cada beijo em cada penetração, a cada gemido não era um mero prazer que sentiam e sim um êxtase em que ambos deliravam pelo simples toque dos corpos, que se tocavam, se beijavam, diziam obcenidade que eram somente permitidos aos amantes dessa loucura. Não eram mais dois corpos e sim um, se que se envolviam nesse jogo de sedução... 


Notas Finais


Um cap. Light..! né meus amorecos.😍
Eu acho que vou pegar ranço, da cara de Alila! O cara se declara;e ela "eu só gosto de voçê", se fosse comigo, não olhava mais nem na cara... 😒
E então pra voçês o passado condena??
Passado Pesadão o de Tony né...

Att: Uma Mente♠


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...