1. Spirit Fanfics >
  2. Proteção >
  3. Contato

História Proteção - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Contato


Lara teve um fim de semana longo, entre boates, fãs, entrevista, horas de viagem de avião ela ainda teve uma missão, fazer duas listas para a investigadora. Aquilo não estava em seus planos, mesmo com a cláusula de sigilo no contrato, abrir sua vida privada para uma desconhecida lhe dava nos nervos, mas se esse fosse o preço necessário para achar o infeliz que lhe atormentava, ela pagaria.

  

- O que tanto te atormenta minha diva tatuada? - perguntou Andy assim que o avião decolou de São Paulo para Manaus.

- Tá tão na cara assim?

- Na cara e na caixa de cigarro que você fumou quase toda até o aeroporto né fofa. Mais ameaças?

- Não nenhuma nesse inicio de mês... é que a investigadora começou como tinha te dito - parou de falar enquanto lembrava das últimas palavras que trocou com Fernanda.

- Eeee... - fazia gestos para a produtora prosseguir.

- E ela quer uma lista dos meus últimos ficantes... e das pessoas mais próximas de mim.

- Ai Jesus - fico quieto por alguns instantes - Lala como empresário minha vontade é gritar "MANDA ESSA MULHER EMBORA AGORA" e me poupar futuras dores de cabeça com biografias não autorizadas e fofocas, mas como amigo eu sei que isso é o certo a se fazer - segurou a mão da mulher ao lado - Dorme um pouquinho agora, quando chegarmos em Manaus eu até te ajudo com a lista... afinal duvido que a Don Juan ai lembre da metade dos peguetes todos - gargalhou.

- Idiota - riu junto - Obrigada baby.

Na segunda-feira, depois de um início de dia agitado, Lara encontrou um tempo pela tarde e foi entregar a lista para Fernanda no subsolo de sua casa.

- Oi - deu um leve toque no vidro da porta e entrou.

- Boa Tarde.

- Boa... não deu para vir antes, mas... está aqui as listas que me pediu - entregou duas folhas para a morena.

Estava meio aflita em entregar. A lista era grande, ela mesma tinha se surpreendido com a quantidade de pessoas que ficou desde que tinha se separado, teve que aguentar as zoações de Andy, mas em sua defesa falava "olha isso é uma média de quase 4 por mês, nem é tanto assim vai". Chegaram a um número de 82, mas obviamente nem todos tinham seu nome e sobrenome lembrados, alguns nem mesmo a fisionomia, os "crush de uma noite" segundo Andy. A lista final contava com 36 nomes, grande parte famosos o que era mais fácil da produtora e seu empresário lembrarem, ela também separou as 5 pessoas que tinha ficado por mais tempo, julgando que poderia ser útil para Fernanda.

- Ótimo - pegou as folhas e deu uma rápida olhada nas pessoas próximas e depois teve um pequeno susto com a segunda lista, levantou uma das sobrancelhas.

Lara percebeu. Por algum motivo o que Fernanda pensava sobre aquilo era importante, algo lhe causou incomodo com a possibilidade da investigadora lhe achar leviana por aquele número e pelo tipo de pessoas que eram, decidiu fazer graça.

- Isso que dá ficar muito tempo solteira - riu - Tinham mais pessoas... infelizmente não lembrei o nome, sabe como é... casinho de uma noite nada importante - a morena se manteve seria e Lara continuou - Andy me zuou até a morte, pode me sacanear também tá - riu nervosa.

- Andy é seu empresário e amigo, eu sou sua empregada. Não se preocupe não a motivos para zoações. Vou voltar ao trabalho qualquer novidade te aviso - virou as costas e seguiu para o computador.

- Tá ... tá bom então ... eu vou subindo - disse sem graça.

Fernanda passou os próximos 2 dias concentrada traçando uma linha de pensamento lógico. Começou agrupando os nomes que apareciam nas duas listas, ou seja que eram próximas de Lara e ela havia ficado nos últimos meses, eram 6 pessoas, 4 homens e 2 mulheres. Lara havia colocado os nomes das pessoas mais próximas por ordem de importância com observações, Fernanda agradeceu mentalmente por isso.

" #5 Tayson Bittencourt [Tay] - melhor amigo, conheço a uns 6, trabalhamos na mesma gravadora e ele dirigi quase todos meus vídeos.

#11 Gabriel Gama [Houdini] - amigo de infância

#13 Alana Cerqueira - amiga de uns 2 anos

#22 Thiago Leroy - amigo e colega de trabalho que me colocou dentro da gravadora 2 anos atrás

#38 Bianca Ferreira - minha secretaria a 1 ano e colega

#44 Daniel Bach - colega a 1 ano.

Fez um levantamento sobre as 6 pessoas, dando uma atenção especial aos 2 homens que Lara conhecia a menos tempo, já que a caligrafia das cartas e um leve preconceito em relação a sexualidade da produtora levam a crer que o suspeito era do gênero masculino, focou ainda mais em Daniel que era um dos 5 que Lara havia feito outra observação dizendo que deve um relacionamento mais longo. Nos próximos dias começaria a investigar as outras pessoas.

Lara por sua vez andava ocupada com o trabalho e quase não via a investigadora, trocavam poucas palavras e loira ainda se sentia sem graça com o corte que havia levados dias atrás. Decidiu ficar na dela até que um fato lhe chamou atenção.

- Conca, chama a Fernanda para o almoço por favor - disse a loirinha assim que terminou de dar comida ao filho.

- Ih Larinha, é porque você não tem almoçado em casa e não percebeu ainda, mas essa menina nunca come aqui, ela sempre traz marmita, deve ser essas coisas de maromba - a senhora riu.

- Sério? Isso não é justo, ela ainda gasta com comida... Transporte e alimentação são por minha conta, vou conversar com ela.

Lara desceu depressa enquanto Conca olhava Bernardo. Quando chegou no subsolo a investigadora estava saindo de sua sala com o capacete em mãos.

- Fernanda?!

- Ah... oi, eu tava indo agora mesmo subir e avisar que estou saindo para o almoço.

- Era sobre esse assunto mesmo que eu queria falar... Conca me informou que traz marmita... não acho certo você estar gastando com alimentação, achei que estava claro no contrato que ficaria em minha responsabilidade isso, comida ou o vale.

- Bom é que... não como carne, só de peixe, como muito legume e sempre ando com marmita por causa da dieta, não queria dar trabalho e sempre faço isso para não causar nenhum problema.

- Isso não é problema algum. Já que não trouxe marmita hoje... você poderia ficar, e tem peixe.

- Sério?

Lara podia jurar que viu os olhos da investigadora brilhar e sorriu.

- Aham. E além do mais Conca almoçou mais cedo hoje e estou sozinha para o almoço - fez bico - Odeio comer sozinha, sabe? - olhou para Fernanda uma cara de sofrida - Talvez ... certa pessoa ... que está nessa casa poderia comer comigo ao invés de almoçar fora.

- Chantagem emocional? - estreitou os olhos e falou seria - Fique sabendo que isso não funciona comigo.

Lara abaixou levemente a cabeça, tinha levado outro corte e dessa vez tinha ficado realmente triste.

- Porém... você já tinha me ganhado quando falou a palavra peixe - sorriu e conseguiu desfazer a carinha triste da loirinha - Vamos?

Lara só conseguiu responder um "aham" e ir feliz com a investigadora almoçar.

Subiram e a produtora mostrou orgulhosa para a senhora, quem tinha convencido a almoçar.

- Olha quem veio comer!

- Finalmente menina, te juro que minha comida é maravilhosa e não vai se arrepender.

- Tenho certeza que sim - disse Fernanda com certa vergonha.

Optaram por comer na pequena bancada da cozinha ao invés da sala de jantar, Conca praticamente obrigou a investigadora a colocar mais comida quando percebeu que havia colocado pouco por pura vergonha. Almoçaram enquanto Bernardo pintava seu caderno de desenho e a empregada terminava de arrumar a cozinha. Lara achou divertido o jeito de a investigadora comer, não comentou nada até que Conca também notou.

- Benza Deus... dá gosto ver cê comendo menina - sorriu

- Eu estava me segurando para não dizer nada - deu uma risada longa - mas é uma gracinha você comendo... parece que nunca viu um prato de comida na vida.

Fernanda ficou vermelha e a produtora achou ainda mais adorável aquela cena.

- Que vergonha... mas é que tava muito bom dona Conca, muito mesmo.

- Que bom que gostou minha filha, agora vou poder cozinhar com vontade nessa casa, porque essa outra ai... come que nem passarinho - apontou para Lara.

- Não começa - riu.

Daquele dia em diante a investigadora passou a almoçar na casa com Lara e a produtora por sua vez não tinha, em uma semana, ido almoçar fora. Gostava da companhia da morena, ficavam ali conversa trivialidades do dia a dia e se conhecendo aos poucos. A loirinha parecia se interessar em descobrir mais sobre a vida da outra mulher, percebia Fernanda deixando a formalidade de lado e cada dia descobria uma coisa nova sobre a reservada investigadora.

- Mulher... eu sempre me assusto com o tamanho do seu prato... fico me perguntando como você pode comer tanto e te um corpão desses - falou divertida, meio sem pensar e depois se arrependeu, tinha deixado nas entrelinhas que reparava no corpo da outra mulher.

- Minhas refeições são certinhas e não como muitas besteiras... além de treinar quase todo dia e praticar esportes.

- ODEIO academia - se coçou - Óó to até me coçando - fez graça e a morena riu - Mas sério, você não come nenhuma besteirinha?

- Ah... tem o dia do lixo uma vez por sua semana. Ai eu como um doce ou uma fritura, mas cara o eu que eu amo comer no dia do lixo é Pão - disse quase salivando de vontade - Pão de sal, pão doce, pão carequinha.

- Sério?

- Sério, minha mãe diz que quanto eu era criança queria até ser padeira - a loira gargalhou.

- Ô eu tem uma receita muito boa de pão... é típico sueco, Kanelbullar que chama e minha avó que ensinou qualquer dia eu faço pra nós.

Outra semana. Outro dia. Outra novidade. Na quinta enquanto se arrumava para tocar em uma boate na Barra da Tijuca, Lara escutou uma voz conhecida vinda da televisão, aumentou o volume e fico surpresa com o que via. Fernanda participava de um programa muito famoso na tv por contar o dia a dia de vários profissionais, naquela semana o tema era sobre protetores animais e ONGs, a morena, explicava como funcionava sua clínica e a ONG.

- Que foda! - disse sozinha completamente encantada em ver o trabalho maravilhoso que Fernanda fazia.

No dia seguinte assim que acordou foi atrás da investigadora comentar da reportagem.

- Ei famosa?! Te vi ontem na Tv - sorriu.

- Ah... como investigadora eu nem deveria aparecer na Tv, mas Erik ainda não tinha falado comigo quando gravei... foi mal.

- Para né... deixa disso, você faz um trabalho maravilhoso, quando você disse que era protetora nunca imaginei que era assim, tipo é muito foda, tipo eu amei o programa, a clinica é linda, a ONG também, e aquele labrador? Uma graça! - desandou a falar de tanta animação.

- Nossa, que legal que gostou - Fernanda ficou extremamente feliz com a reação e não se conteve - Bom se um dia, se você quiser conhecer eu... eu posso te levar.. . se você quiser, claro - colocou as mãos nos bolsos.

- Sério? - bateu palmas - Claro que quero... olha que eu vou cobrar - falou balançando o dedo indicador para ela.

Ficaram se encarando rindo até Fernanda se lembrar que queria lhe fazer um pedido.

- Ah, antes que eu esqueça, queria passar a noite aqui trabalhando, poderia?

- Lógico... bom, não irei dormir em casa essa noite, vou tocar e depois sair com uns amigos, ai prefiro ficar no flat que alugo na Barra, mas fique a vontade para subir. Na verdade não vai ter ninguém em casa, Erik vai jantar com a gente hoje e depois levar Bernardo e Paula pra casa dele. Espero que não tenha medo de dormir sozinha - riu - É que eu tenho um pouco.

- Jura? - levantou a sobrancelha meio desacreditada.

- É um pouco... principalmente aqui nessa casa, venta muito e os barulhos me dão um pouquinho de medo.

De noite depois do almoço Erik conversou brevemente com Fernanda queria saber da investigação e de como estava sendo seu convívio com Lara, se deu por satisfeito com as respostas e agradeceu novamente a investigadora por aceitar esse caso.

A morena tinha decidido ficar na casa naquela sexta para acelerar as investigações, estava preocupada com o final do mês se aproximando e com o fato de nenhuma nova carta ter sido enviada, queria ter o perfil de cada pessoa naquelas listas antes da próxima carta. Faziam 2 semanas que tinha as listas de Lara e já tinha investigado a fundo mais da metade. Excluiu alguns e separou outros com mais potencial para fazer perguntas a Lara. Montou um quadro e nos mais suspeitos colocava um lembrete colorido com a pergunta "Por que?" na tentativa de entender se aquela pessoa teria algum motivo para ameaçar Lara.

Como a produtora não voltaria para casa, naquele dia, a morena colocou uma roupa mais confortável, um conjunto de moletom preto da GAP e ficou ali a madrugada toda trabalhando. Até algo lhe chamar a atenção.

Lara amava tocar na noite, mas hoje em especial não via a hora de sair do trabalho. Era aniversário de Houdini, um de seus melhores amigos, e não via a hora de estar reunida com sua galera novamente.

- Aêee finalmente - gritou Houldini assim que viu a amiga entrando no jardim de sua mansão no Recreio dos Bandeirantes - Chegou minha pentelha favorita.

- Parabéns meu lindo - abraçou sorridente o amigo aniversariante - Toma aqui seu presente... para você continuar fazendo suas mágicas - riu.

- Caralhoo... você é demais - disse extasiado de felicidade depois de ver o presente, o novo tênis do Balanciaga.

- Ei sei - piscou para ele - Comprei já faz uns 3 meses e tô sofrendo para não te dar - riram.

- É mas então... em relação a mágica - coçou a cabeça - Vai parar... tô namorando mana.

- O QUE? - gargalhou - Eu fico 2 semanas sem te ver e você está namorando? Ai Gabriel - ria com gosto - Que bonitinho meu moleque tá crescendo, vem cá vem - tentava abraça e apertar as bochechas do amigo.

- Sai porra - ria.

- Cadê ela? Quero conhecer a namorada do cara mais maneiro dessa cidade.

- Tipo... você já conhece...

- Oi gatinha - disse Alana beijando de surpresa o rosto da produtora e depois se encaminhado - Oi amor - deu um beijo no jovem homem negro.

- MENTIRAAAA - Falou sem esconder a felicidade - AI QUE LINDO.

- Tá vendo Lara - JJ se juntou ao trio - Mais um casal no nosso grupo... o próximo é a gente - abraçou a loira.

- Só nos seus sonhos James Jones - o grupo gargalhou.

- Tira o olho JJ, que a Larinha é do Dani - Alana comentou brincando.

- Ah não amor... aquele seu amigo modelo é um pé no saco. Lara com mauricinho não dá - comentou Houdini.

- Pode parando de bancar o cupido dona Alana, eu até que tô gostando, mas não pressiona. Além do mais é dos bad boys que eu gosto mais - riu.

- Tá vendo eu sou todinho seu tipo - JJ brincou e os quatro ficaram naquele clima descontraído.

Lara havia estudado junto de JJ praticamente sua vida toda, juntos eram uma dupla de encrenqueiros na escola e na vida, Houdini se juntou a dupla no último ano do ensino médio e dali o trio não mais se separou. Os 3 descobriram juntos o universo das drogas, das festas e da inconsequência. Mas no final tudo parecia ter dado certo, Houdini investia em aplicativos e softwares, Lara tinha feito seu nome no mundo da música e JJ era dono de 3 boates no Rio. E por fim a modelo Alana se junto ao grupo atrás da produtora, que havia ficado com ela em um evento de moda e logo depois se tornado amiga. Hoje os 3 eram a companhia de quase todas noitadas da loira.

A festa transcorria tranquila e animada, até Lara cismar em ficar novamente com um amigo em comum de sua galera. Palco armado. Roupa suja lavada. E uma loira voltando mais cedo para casa.

Por volta das 4 da manha Fernanda decidiu subir para buscar um pedaço do bolo integral de banana que Conca tinha feito especialmente para ela, acabou comendo, e bebendo seu café, ali no sofá da sala onde os gatinhos estavam deitados. Ficou no escuro mesmo, apenas com as luzes do céu iluminando o ambiente, através dos grandes janelões de vidros da sala. Se perdeu em pensamentos por uns bons minutos até ouvir o barulho de um carro freando bruscamente em frente à casa, ao que tudo indicava, lhe chamar atenção.

Fernanda se levantou e foi até a tela, com imagens das câmeras de segurança, que ficava na cozinha. Nas duas câmeras que filmavam o lado de fora da casa a investigadora conseguia ver uma SUV preta parada, ficou alguns minutos observando as telas até que Lara saiu cambaleando, parecendo embriagada, e como o salto alto em mãos sentou no capo do carro sendo seguida por um homem que logo depois sentou-se ao seu lado, a morena identificou como um de seus amigos. Ficaram ali conversando cheio de gestos até a loira parecer se irritar, pular de cima do carro quase caindo e andar em direção a porta de casa, mas sendo impedida pelo amigo que a segurou pelo braço, Fernanda decidiu ir até lá. Aproximou-se rápido da porta, mas decidiu não abrir. Como não ouviu sinais briga ficou atrás do muro escutando a conversa, sabia que Lara não gostava de ter sua privacidade invadida e como só 3 pessoas sabiam que a produtora tinha uma investigadora, só agiria em último caso.

- Euuuuuuu não sei por que você se importa tanto JJ - Lara tinha a voz embriagada - O Digão é seu amigo?! É! PORRA mas eu também caralho.

- É mais ele não fica de zoando, se toca você tá fodendo com o cara Lara.

- Que fodendo o que... teu cu e o dele, que tô fodendo com alguém! Ele que é doido.

- Porra tu deu maior brecha pro cara, até de cidade ele mudou achando que ia ter chances com você, ai tu mente pro cara dizendo que ia trabalhar e me aparece passando feriado com um cantorzinho sertanejo de merda... cantor esse que era casado... foi um combo do caralho alias, acabou com dois relacionamentos de uma vez só. E hoje ainda teve coragem de se jogar no Digão de novo.

- QUE RELACIONAMENTO O QUE? - se alterou falando mais alto - Eu não era nada do Digão e o Jorge tava em um casamento falido.

- Às vezes eu acho que você não passa de uma escrota sabia - segurou novamente o braço de Lara e empurrou ela em direção a porta do carro - Não sei como eu e Houdini ainda te aturamos... segundo amigo nosso que você afasta... fora minhas ex que você cansou de comer... você gosta muito de falar de mim, mas você ainda é pior!

- PORRA... você diz que não tem problema e fica jogando essas porras antigas na minha cara... NÃO PASSA DE UM CHORÃO.

- NÃO ESQUEÇO - disse irritado apertando ainda mais o braço da produtora.

- Me solta caralho, tá me machucando - falou mais alto.

- Desculpa - soltou o braço da amiga e passou a mão no cabelo nervoso -Você um dia ainda vai se arrepender e sofrer muito Lara por mexer com os sentimentos dos outros, escuta o que eu te aviso - apontava o dedo na cara da amiga.

Fernanda decidiu aparecer quando viu o rumo da conversa.

- Algum problema Dona Lara?

Os dois se surpreenderam e olharam pra Fernanda, Lara não raciocinava direito devido ao álcool e JJ respondeu antes.

- Nenhum problema... não que isso lhe diga ao respeito - analisou a mulher a sua frente - Você já deve babás mais bonitas Lara, Paula é uma velha e essa nova ai... parece um macho - sorriu maldoso.

- Para de falar merda cara... e vai embora.

- Tá certo, mas ainda temos que conversar... de preferência sem você bêbada - olhou para Fernanda - Toma ai - encostou a mão nas costas de Lara empurrou levemente ela em direção a investigadora - Mas uma criança para você cuidar hoje.

Lara se desequilibrou e foi segurada pela morena, logo começaram a andar em direção a casa e Fernanda deu apoio para a loira vendo que a mesma não estava conseguindo andar sozinha.

-Que belo amigo hem?! - disse Fernanda.

- Um cuzão - Lara parou - eu... NUNCA mais vou beber ... Broooother com eu tô enjoa...

Virou para o lado colocou as mãos no joelho e botou para fora tudo que tinha bebido aquela noite. A morena só deve tempo de segurar os cabelos loiros e dar apoio para uns dos braços. A produtora choramingou baixinho quando terminou.

- Odeio vomitar...

- Pelo menos agora você vai melhorar, vem vamos entrar.

- Eu não consigo Fê - fez manha - Não tô sentindo minhas pernas... vamo... vamo ficar aqui um pouquinho.

A investigadora achou graça da outra lhe chamando daquele jeito, mas tentou se manter séria para ver se ela a obedecia e entrava na casa.

- Não Lara, tá frio e garoando... você não vai ficar aqui. Vem eu te ajudo.

Fernanda passou o braço da loirinha pelo ombro e segurou em sua cintura tantos alguns passos para frente, a produtora balbuciou alguns xingamentos para dentro, mas deixou ser levada pela morena. Assim que entraram em casa, a investigadora sentiu o corpo da outra perder as forças e a colocou deitada no sofá.

- Ei... você não tá bem! - Lara balançou a cabeça concordando - Deve tá fraca depois de ter vomitado, aposto que só bebeu e nem comeu nada - escutou um "uhum" - Fica aqui quietinha tá, vou buscar algo pra você.

Procurou alguma coisa na cozinha e por fim decidiu que um isotônico seria o melhor a se dar.

- Bebe isso aqui.

A garrafinha foi tomada rapidamente e depois de alguns minutos a produtora apagou em um sono profundo no sofá.

- Eu mereço - a morena disse para si, inconformada com a cena.

Fernanda não viu outra opção se não levar a loirinha pro quarto carregada, desceu, ajeitou a cama e deixou a porta aberta. Subiu e pegou a mulher mais leve nos braços, que sonolenta se segurou e se ajeitou por ali colocando a cabeça no ombro e o nariz próximo ao pescoço da outra. No meio do caminho Lara murmurava algumas palavras soltas até respirar com mais força e conseguir formular uma frase conexa.

- Você é cheirosa - falou baixinho e enfiando o nariz mais um pouco no pescoço da investigadora.

Fernanda agradeceu por já estarem na porta do quarto, tinha ficado arrepiada com o último contato. Deitou a loirinha na cama, respirou fundo, tirou o casaco de couro e short jeans apertado pra deixar ela mais confortável, achou melhor deixa a blusa já que era larguinha. Reparou nos pés sujos, torceu a boca e balançou a cabeça negativamente, por sorte achou um par de meia largada no chão e colocou na produtora, a cobriu com cuidado e saiu do quarto suspirando sozinha.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...